História Swimming In Disappointments - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dakota Fanning, Justin Bieber
Tags Decepções, Drama, Romance
Exibições 26
Palavras 1.994
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Vim continuar só pra não deixar poucas coisas.
Tenho várias ideias em minha mente, e capitulos prontos também. Aposto que irão gostar.

Capítulo 3 - Nenhuma vingança é pequena



Acordei com uma claridade horrível vindo da janela. Nem vi que tinha janela naquele cômodo.
Fui me recordando de tudo o que houve no dia anterior, e sorri. Ah, nada melhor do que acordar e a primeira coisa a se fazer é sorrir.

Me levantei daquela cama e dei um beijo na bochecha de Brendon, eu realmente amo ele, ele é como meu irmão mais velho, pouca diferença de idade - eu tenho 23 e ele 25 - .
Obvio que irmãos não ficam trocando selinhos né? Mas como ele não é de sangue - e repito: ele é muito gostoso - dá pra aproveitar de vez em quando.

Balancei a cabeça, desviando esses pensamentos e me dirigi ao banheiro.
Fiz o que tinha que fazer e na hora de escovar os dentes que me surpreendi: Tinha várias escovas novas lá. Provável esse Bieber tem vários hóspedes.
Peguei uma nova, retirei da embalagem e fiz o que tinha que fazer.

Sai do banheiro e as minhas roupas - que já estavam lavadas - estavam na cama. Ainda bem, não quero ficar andando por ai procurando minhas roupas. Mas quem trouxe ela pra cá?

-Levantou e não me acordou? - Brendon diz atrás de mim, me dando um susto.

-Ah! - Levo minhas mãos ao coração - Que susto, babaca! - Dei um tapa de leve em seu peitoral, que estava nu. Opa mamãe!

- Se arruma que vamos ir embora. - Disse indo para o banheiro sem dar tempo de responder.

-Preciso sair daqui. - falei baixinho.

Comecei a tirar aquela roupa do Bieber e colocar as minhas. Coloquei meu sutiã, depois minha calcinha, a calça jeans azul escura justa - amava ela - e por ultimo coloquei a blusa branca com a frase ''Pease and love''. Bem irônico, eu matei uma pessoa vestindo ela.

Fiquei olhando pras minhas unhas, e percebi que duas estavam quebradas. Droga.
Esperei Brendon sair daquele maldito banheiro e finalmente a porta foi aberta, com a visão do Brendon arrumado com a mesma roupa de ontem. Ele estava muito bonito.

- Está bem ridículo - Disse séria. 

-Legal.  - Deu de ombros. - Você também.

Descemos em silêncio, como a casa estava. Todos, digo, Bieber, estavam dormindo, eu acho.
Escutei uns barulhos vindo de uma porta que havia do outro lado da sala, fiquei curiosa, mas eu não estava em casa, tenho que ter modos. Ri com isso.

-Do que está rindo maluca? Vamos logo! - Me puxou para a mesma porta em que entramos ontem.

-Onde nós vamos? Estou sem carro esqueceu? - Me solto de seus braços e o encarei.

-Eu sei, jumenta. - Revirou os olhos - Vou dar um jeito, ou você esqueceu do que eu posso fazer? - Disse com um sorriso sapeca em seu rosto.

-Sim, eu sei - revirei os olhos - Mas você não vai querer fazer isso agora né?

-Vou sim, e você vai me ajudar. - Me puxou pela cintura e andamos assim até a avenida.

-Olha - Chamou minha atenção - Eu vou te empurrar na rua, quando não tiver carro próximo o suficiente. Você vai ficar lá no chão, jogada até um carro se aproximar. O carro irá parar, ou passar em cima de você. Depende, mas enfim - Deu uma risada - quando ele parar para te ajudar, eu levanto e pego o carro, e você o joga na frente de algum veículo e entra no carro.

-Péssima ideia - disse mordendo os lábios - e se a gente apenas pegar aquele carro ali - disse apontando para um carro que estava estacionado numa lanchonete próxima - é mais simples.

-Eu não gosto de coisas simples, vamos fazer do meu jeito. - disse rude.

-Ta bom papai, como você mandar. - Levantei meus braços em rendição.

[...]

-Nossa - Disse ofegante - Eu ralei meu joelho com esse seu plano maluco.

Brendon começou a rir. Dei um murro no braço dele, o mesmo passou a mão e me olhou indignado.

-Você é maluca de me dar um murro? - Prestou atenção na rua e depois olhou pra mim novamente - Você vai ver só.

-Ta. - Disse sem se importar.

Logo começamos a rir que nem otários, rimos tanto que quase batemos o carro que compramos... ou não.

- Você é uma trouxa - disse parando de rir e olhando pra mim de relance.

-Ta. 

Estavámos em silêncio, quando um celular - O de Brendon, porque o meu nem sabia onde estava - começou a tocar e eu peguei para atender.

-Quem é? 

-Quem é digo eu - uma voz masculina disse.

-Você é o tal do... - Olhei na tela - Justin certo?

Na hora em que falei o nome do sujeito, Brendon puxou o telefone da minha mão. Bruto.

-Fala, Justin.

...

-Mas... eu já estou distante.

...

-Tudo bem - Brendon bufou - Eu vou estar... - olhou para cima, parece que estava pensando - Vou estar naquela minha casa em New York.

...

-Eu sei que é um pouco longe, mas é o único lugar mais próximo que estou.

...

-É, ela está comigo. - Brendon deu uma freiada brusca - Olha Justin, estou dirigindo no momento, te ligo mais tarde. -Desligou sem dar tempo do tal do Justin responder. Brendon sempre faz isso.

Fiquei entediada e liguei o rádio, tocava T.N.T., do AC/DC. Adorava rock.

Fui cantarolando junto com Brendon durante a viajem, não era tão longe.
 

Cause I'm T.N.T., I'm dynamite
 

T.N.T. and I'll win the fight
 

T.N.T. I'm a power load
 

T.N.T. watch me explode

[...]
 

Manhattan, New York   14:35
 

-Enfim, chegamos -Brendon falou enquanto estacionava o carro na garagem. A garagem era enorme, e tinha um Audi R8 lá. Meu Deus! 

-BRENDON! - Gritei, o assustando - NÃO ME DIGA QUE ESSE AUDI É SEU?

- Claro que não, algum louco estacionou na minha garagem sabe - disse irônico.

-Nossa que ótimo jeito de falar com uma pessoa maravilhosa como eu - Disse me gabando.

-UMA PESSOA MARAVILHOSA? ONDE? - Gritou olhando de um lado para o outro.

Mostrei os dois dedos do meio e sai batendo o pé para a entrada da casa. Ela era maravilhosa, assim como a de Bieber. Realmente to me sentindo a pobre daqui.

Eu sabia que Brendon era um cara podre de rico, e isso graças a máfia. Se eu não me engano, esse tal de Bieber também era. Acho que eles só roubam uns bancos, coisas simples.
Esperei Brendon chegar com as chaves. Mal vejo a hora de conhecer essa beleza de casa. To pensando em roubar uns bancos também. Isso aqui é puro luxo. 

Havia umas pequenas luzes na entrada, fazendo um ''caminho'' para a porta. Era tudo muito bonito. Porque Brendon nunca me mostrou isso aqui?

-Cheguei - Brendon disse tirando as chaves do bolso e em seguida abrindo a porta de casa - só não baba, amore.

-U-A-U! - Foi a única coisa que eu disse.

A sala era um tom de laranja, tinha um sofá enorme com algumas poltronas do lado, a televisão, era grande pra caramba, mas não aquela coisa exagerada. Tinha um tapete bem fofo em baixo da mesinha de centro, que tinha umas decorações bem elegantes. Tudo bem bonito mesmo, mas simples. Tinha uma escada prateada, como a da casa de Bieber, mas os degraus eram de vidro. Ao lado, tinha a cozinha, não vi muito bem, as empregadas estavam arrumando lá. Ah, tinha outra porta ali, que parecia um banheiro. Não entrei porque escutei alguém me chamando.

-Vamos subir, Emma. 

Apenas assenti e fui seguindo ele. 

Lá em cima tinha um banheiro -  Magnífico - e três quartos, provavelmente eu iria ficar no terceiro - que era o maior -.

Abri a porta, e me deparei com uma cama de casal toda arrumada com edredom vermelho - não sei diferenciar tons vermelhos, mas era um vermelho muito atraente  -. As paredes eram nude com uma mistura de cinza, não sei explicar, era encantador e ao mesmo tempo simples. Tinha um banheiro naquele quarto, e meu Jesus... Era surpreendente.

Aah, preciso de mais palavras para descrever tudo aquilo.

- Ah... Emma - Brendon me chamou e me virei para ele - Você precisa falar com as suas amigas. Elas me ligaram, mas eu disse que estava tudo bem.

-Quando foi isso? - Tentei passar calma para ele, mas eu estava nervosa - E elas não são minhas amigas. 

-Ontem, um tempo depois de matar Steve... 

-VOCÊ TA FICANDO LOUCO? - Comecei a gritar - ELAS PODEM MANDAR A POLICIA RASTREAR TEU NÚMERO!

-Olha que lindinha que ela fica quando está preocupada - Disse calmo. Isso me irritou, e quando percebi, estava estapeando ele - Calma neném - Segurou minhas mãos, impossibilitando de continuar os tapas -  eu tenho dois celulares, não se preocupe, aquele eu joguei no rio.

Coloquei a mão em meu peito e soltei a respiração que estava segurando. Fiquei assustada, elas poderiam fazer de tudo para me ferrar.

-Me dá seu celular? - Perguntei mudando de assunto.

-Claro... Que não né Noose. - Me respondeu fazendo cara de deboche.

-Ta, eu vou dar uma volta. - Disse virando de costas pra ele e indo em direção a escada.

-Espera ai loirinha! - Disse vindo atrás de mim - Eu vou com você, seja lá onde for.

Dei de ombros e sai daquela maravilhosa casa. Realmente é linda.

Fui para a garagem e fiquei encostada na porta do Audi, esperando Brendon destravá-lo.Em seguida o Audi foi destravado e entrei no banco do passageiro, colocando o cinto. Brendon fez o mesmo, só que no banco do motorista. - Meio que óbvio -.

Brendon passeava naquela cidade enquanto eu a via passar pela janela. Vi uma placa de um restaurante e minha barriga roncou, nossa, estava com muita fome. Iria pedir para Brendon parar ali, mas parece que ele leu meus pensamentos.

Ele entrou no estacionamento daquele restaurante - simples, mas bonito por fora - e parou em uma vaga.

-Aposto que ta com fome, né? - Deixou a pergunta no ar enquanto saia do carro.

Sai do carro, que em seguida foi travado. Fui andando na frente de Brendon, indo direto para uma mesa vazia.

Sentei naquela mesa e fiquei observando o lugar. Brendon sentou e não falou nada.

Não era aqueles restaurantes chiques, mas o cheiro estava maravilhoso. Olhei em volta, procurando um garçom, e vi um que estava vindo em nossa direção.
Fizemos nossos pedidos e aguardamos por ele.

-Noose, o que pretende fazer da vida? - Quebrou o silêncio.

-Primeiro quero que me chame de Emma - Disse meio grossa, mas ele sabe que eu não gosto - E... Sinceramente não sei... Minha faculdade terminou, ainda bem. - Suspirei aliviada - Mas eu quero outro rumo de vida, literalmente. -  arrumei meus cabelos e olhei para minhas unhas. Horríveis.

- Bem, você sabe o que eu trabalho, né? - Brendon era dono de algumas concessionárias bem populares em New York. - Mas, só isso não me sustenta, o que você também sabe - Aqueles roubos e tal.

-Eu não quero fazer o que você faz. Eu quero... - Disse olhando pra cima, estava sem falar, não sabia o que eu queria. -Ah, Não sei. - Desisti de pensar - Mas por enquanto só quero vingança.

-Vingança? - Perguntou confuso - Mas... Você já se vingou! 

-Não só dele Brendon, mas de todos. - Sorri em dizer aquilo - Você não tem noção do que se passa na minha cabeça - Olhei nos seus olhos - Sabe... Eu faria aquilo de novo e de novo. E eu estou falando muito sério. Não é atoa que fiz aquilo ontem, eu não sinto nenhum arrependimento por aquilo. Eu só quero mudar... - Respirei fundo - Mas antes - Me ajeitei na cadeira - Quero ver as lágrimas das pessoas que sorriram enquanto eu estava chorando.
 


Notas Finais


Aposto que irão adorar o quarto capítulo, então aguardem!
Ah, eu sei que essa fanfic é sobre o Justin e tal mas, pelas minhas idéias, ele só vai aparecer ( fixamente, se é que me entendem ) no capítulo 5, isso SE eu não mudar o contexto.
Se os favoritos continuarem a crescer, será mais rápido a postagem do capítulo 4.
Só isso, beijos !


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...