História Symphony - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Candice Swanepoel, Cristiano Ronaldo, Gareth Bale, Karim Benzema, Luka Modric, Marcelo Vieira, Mesut Özil, Sergio Ramos
Personagens Candice Swanepoel, Sergio Ramos
Tags Candice Swanepoel, Cristiano Ronaldo, Real Madrid, Sergio Ramos
Visualizações 135
Palavras 2.237
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi! Mais um capítulo para vocês ❤
Me desculpem por qualquer erro ( eu sempre falo isso)
Boa leitura e bom fim de semana! 😘

Capítulo 11 - Capítulo 11


Fanfic / Fanfiction Symphony - Capítulo 11 - Capítulo 11

Me aproximo sorrindo e tenho a impressão de que ela suspira aliviada.

- Fica tranquila que não sou nenhum monstro. - ela ri.

- Eu acho que não preciso nem apresentar vocês duas, certo?

- Certo. - falamos ao mesmo tempo e logo em seguida rimos.

Ele faz careta.

- Eu vou tomar um banho e não digo que vai ser rápido, mas me esperem. - diz já se afastando.

- E eu vou preparar algo para vocês comerem, se sintam à vontade. - Dolores também vai em direção a cozinha.

Suspiro. Parece que é só somente nós duas agora.

- Vamos sentar aqui. - vai em direção a um sofá colocado no grande jardim.

Sigo ela e como me disseram para ficar a vontade já vou logo tirando os sapatos e cruzando as pernas.

Ficamos uma encarando a outra por algum tempo até eu quebrar o silêncio.

- Então.. 

Dou risada e ela sorri sem graça.

- Não sei como me portar na sua frente, me desculpa se eu parecer um pouco metida. 

E essa foi justamente a primeira impressão que tive dela.

- Você fala como se eu fosse grande coisa. - rio levemente.

- E não é? Você é a herdeira do Real Madrid, só o maior time do mundo. 

Suspiro. De novo esse assunto.

- Sim, mas eu acho que você gostaria de conhecer somente a Charlotte, não a que vai herdar e assumir o Real Madrid. 

Falo tentando não ser grossa e eu realmente não estou sendo, mas gostaria que todos me conhecessem por ser eu mesma e não por ser a futura dona de um clube de futebol ou pelas capas de revista, e até a minoria que me conhece pelo namoro que tive com Alex.

Concorda com a cabeça. 

- Desculpa, acabei de lembrar que já li em algum lugar que você não gosta que se aproximem de você por causa disso.

- Não precisa se desculpar e eu realmente disse, infelizmente muitas pessoas aproximam por interesse.

Encaro ela que desvia o olhar pensativa. 

- Eu estou sabendo como tudo funciona agora. 

- Namoro com o Cristiano, né? Não gostaria de dizer isso mas se acostume porque ainda vai piorar.

Ela volta a me encarar assustada e eu dou risada.

- Não quero te assustar mas fica esperta com todos que chegarem perto.

- O Cris me disse a mesma coisa.

- Então escuta ele. - sorrio tentando passar confiança. 

Eu sou uma das melhores pessoas para falar sobre o assunto porque incontáveis vezes se aproximaram de mim para tentar ganhar proveito.

- Agora quero saber como vocês se conheceram porque o Cristiano falou de tudo menos disso - pergunto a ela que imediatamente sorri.

Ela não é uma pessoa ruim, a mídia nos faz tirar uma imagem ruim de cada pessoa e cabe a nós mesmas decidirem se levamos ela conosco ou não e eu infelizmente fui uma delas, mas agora estou tendo a oportunidade de conhece-lá melhor. 

- Nos conhecemos na Gucci, eu estava trabalhando e ele foi fazer compras. - ri provavelmente se lembrando do momento. - A loja tinha sido fechada por motivos óbvios e tinhamos que ficar a disposição para o que ele quisesse. 

- Posso falar que acho que ele pediu para você ajudar ele?

Dá risada novamente.

- Na verdade foi eu e mais uma garota mas ele me ignorou total. - revira os olhos. - Depois que ele já tinha saído e a loja aberto novamente o motorista dele veio até a mim e me entrou seu número.

- Porque os homens acham que as mulheres vão se apaixonar por eles sendo babacas?

- É uma boa pergunta mas continuando.. - respira fundo. - Eu só fui ligar mais de um mês depois e porque meus amigos insistiram muito também, mas agora acho que você já sabe o resto da história. 

- Pelo menos essa parte ele me contou. 

- Ele me falava bastante de você  

Sorrio.

- Medo de perguntar o quê. - termino de falar franzindo o cenho e ela ri.

- Juro que ele falava bem e também falava de coisas normais sabe? Que você tinha sumido de Madrid, seu namoro com..

Interrompo sua fala.

- Eu não acredito que ele falava do meu namoro com o Alex.

- Sim e eu achava melhor ele nem comentar porque tinha muita coisa envolvida que já tinha saído na imprensa. - dá de ombros.

- Minha vida é um livro aberto, tanto pelos meus amigos quanto essas malditas revistas de fofocas. - bufo.

- Não deve ser fácil ficar no meio disso tudo, mídia, fama, curiosos. - conta nos dedos.

- Definitivamente não é mas com o tempo você se acostuma - sorrio fraco.

- Meninas, trouxe algo para comerem e uma pessoa que finalmente apareceu.

Olhamos para o lado e vemos Dolores com uma travessa na mão e Junior logo atrás. 

Grito e levanto apressada quando ele corre em minha direção. 

- Meus Deus, como você está grande e onde você estava que eu não te vi quando cheguei?

Falo quando tento ergue-lo em meu colo e claro, falho miseravelmente. Escuto Dolores e Georgina rirem.

- Estava no quarto jogando vídeo game, nem vi quando todo mundo chegou. - olha empurrado para Georgina. - estou muito grande mesmo, daqui a pouco vou estar maior que meu pai.

Dou risada. 

- Claro que sim, preciso dizer que ainda muito melhor que ele. - o abraço mais uma vez até solta-lo.

- E a Georgina, não vai cumprimentar?

Ele sorri desanimado e eu rio disfarçadamente. 

- Claro que sim, vó. - beija a bochecha da madrasta e rapidamente se afasta.

- Ele não gosta de mim. - sorri sem graça.

Dolores chacoalha a cabeça. 

- Coisa de criança, daqui a pouco passa. - suspira vendo o neto voltar para dentro da casa. - Trouxe pastel de nata. 

- Hmm, estou aqui só para isso. - pego um e ela ri.

- Aproveita que o Cristiano está no banho se não ele vai comer tudo, e aliás vou ver se ainda está vivo. - rimos e ela deixa a travessa na mesa.

- Você está bem? 

Volto a sentar e pergunto a Georgina que parece desanimada.

- Eu só.. - suspira. - Só pergunto quando ele vai me aceitar e se for me aceitar. 

Entorto a boca.

- Dá um tempo para ele, primeiro que depois da Irina o Cristiano não teve nenhuma outra namorada oficial e o Junior gostava muito dela.

- Ele já me falou isso várias vezes mas ainda é difícil, olha. - me encara firmemente. - Eu adoro crianças, mesmo, e como faço quando o homem que namoro tem um filho que não gosta de mim? É difícil. 

- Deve ser mesmo, eu nunca passei por isso então não posso dizer muita coisa. - dou de ombros. 

Um breve momento de silêncio acontece enquanto comemos.

- Vocês já conversaram sobre ter filhos? - pergunto com o assunto ainda em minha mente.

Ela se engasga e eu corro para bater em suas costas. 

- Beba essa água. - empurro em sua direção que engole rapidamente. - Melhor?

Balança a cabeça. 

- Obrigada. - respira fundo. - Esse assunto é um pouco complicado e ainda não falamos sobre ele.

- Você não quer ter filhos? - questiono curiosa voltando ao meu lugar.

- O pior que eu quero, mesmo sendo tão nova. - sorri fraco. - Mas nunca falamos sobre isso porque tenho medo dele achar que quero engravidar por interesse.

Reviro os olhos.

- O Cristiano nunca pensaria assim, as pessoas de fora sim mas ele eu garanto que não. - afirmo segura.

- Meu sonho é ser mãe e ter a casa cheia de crianças correndo de um lado para o outro - suspira sonhadamente.

- Esse era o meu sonho. - sussuro sentindo meus olhos lacrimejarem e desvio o olhar para o céu alaranjado.

Sinto sua mão em meu ombro e volto a encara-lá.

- Você está bem? - sua feição muda para preocupada.

Balanço a cabeça. 

- Um dia vou ficar. - sorrio tristemente. - Queria aproveitar e te pedir desculpa. 

- Desculpa pelo o quê? - pergunta confusa.

- Por ter te julgado antes de te conhecer.

- Não precisa se desculpar porque eu fiz a mesma coisa com você. 

Rimos.

- Estamos acertadas então. - sorrio para ela que retribuí.

Um dos piores erros de qualquer pessoa é julgar o próximo sem conhecer. Hoje eu conheci Georgina, que com seu jeito simples  se mostra uma pessoa totalmente diferente do que eu julguei através de fotos de redes sociais.

- Estou chegando. - Cristiano grita com o forte sotaque.

Limpo imediatamente a lágrima solitária que tinha em meu rosto e Georgina se ajeita no sofá.

- Demorou, hein? - sorri disfarçando. 

Ele chega perto e estreita os olhos.

- Está tudo bem por aqui?

Encaro Georgina que me encara de volta sorrindo.

- Melhor impossível. - sorrio. 

 

 

(...)

Encaro a encantadora cidade pela janela do carro enquanto o motorista me leva até o local onde irá acontecer a premiação da Fifa.
Era para eu ter chegado na cidade horas atrás mas como ontem fiquei até tarde conversando com Cristiano e Georgina - posso dizer que bebemos além da conta - fui dormir tarde e acordei tarde ou seja, atrasada. Única coisa ruim foi o coitado do meu pai teve que mandar prepararem um jato particular rapidamente pois todos já tinham embarcado para Zurique.

O automóvel para e eu suspiro ao encarar o batalhão de fotógrafos, felizmente estou acostumada com tudo isso.
Faço careta quando saio do carro e olho para frente vendo Daniel Alves posando para os fotógrafos, já que a namorada dele é modelo poderia ter dado umas dicas de como se vestir porque, honestamente.

Poso rapidamente para as lentes das câmeras e entro antes que o evento comece. 

- Finalmente chegou e uau! - Clarice aparece de surpresa na minha frente.

Dou risada.

- Me atrasei um pouco mas acontece. - minimizo dando de ombros. - E uau digo eu, uma afronta alguém ser tão linda assim.

Ela sorri e dá um tapa no meu braço. 

- Obrigada, receber um elogio de uma das mulheres mais lindas do mundo não é para qualquer uma.

Rimos e Marcelo acena de longe ao lado de seus companheiros de time. 

- Você também não acha que o Sergio está bonito? - Clarice fala quando chegávamos perto.

Franzo a testa encarando ela mas não respondo. 

- Muito atrasada?

- Imagina, a gente só estava esperando você. 

Marcelo responde com uma pitada de ironia e eu encaro ele fazendo-o mesmo dar de ombros.

O ignoro e cumprimento um por um do grupo.

- É bom te ver em eventos como esse. - digo para Jessica, esposa do Toni.

- Eu estou morrendo de vergonha mas não queria que ele viesse sozinho. - diz baixo.

- Vergonha do quê? 

- Das pessoas me olhando e falando, não nasci para esse mundo.

- Para com isso que você é maravilhosa e pelo o que eu escutei são só elogios.

Ela assente e sorri em agradecimento. 

Olho ao redor parando meus olhos em Sergio que provavelmente sente meu olhar em si e me encara de cima a baixo, logo em seguida piscando um olho.

Reviro os olhos sorrindo e resolvemos ir até nossos lugares.

- Se não é o futuro melhor do mundo. - falo no ouvido de Cristiano que está sentado um assento a frente.

Olha assustado para trás mas logo abre um sorriso quando me vê. 

- Nunca mais te chamo para beber. - se refere ao meu atraso.

- Chama sim que eu sei. - sorrio e aceno para Georgina que sorri de volta. 

Ele ri e volta a olhar para frente.

A premiação ocorre tranquilamente e quando chega no final posso me dizer orgulhosa de Cristiano e principalmente do meu time. Mas a melhor parte foi não ter visto o rosto de nenhum jogador do Barcelona.

- Feliz? 

Chego por trás de Sergio e falo.

- Muito, é incrível nosso esforço valer a pena. - se vira para me olhar.

Sorrio mas logo faço careta quando pego Renê me encarando, ele sorri e nos deixa a sós. 

- Acho que você não gosta muito dele. 

Dou risada.

- Não posso falar que gosto pois não conheço.

- Ele é incrível, eu deveria marcar um jantar para vocês se conhecerem melhor.

- Para eu conhecer ele ou para você passar mais tempo comigo?

Ele ri.

- Na verdade era só o primeiro mas se você quiser o segundo não tem problema.

Arqueio uma sobrancelha sem responder.

- Eu ia dizer que está linda mas você sempre está. - sorri 

- Obrigada, posso dizer o mesmo sobre você - sorrio timidamente. 

- Faço o quê posso mas obrigado. 

Ao mesmo tempo que começamos a rir também paramos e ficamos nos encarando em silêncio. 

- Acho que deveríamos dar uma volta pelo lugar, conversar com as outras pessoas. - proponho.

- Na verdade eu tinha que tirar foto com os caras. 

- E porque ainda não foi?

- Você.. - para a frase no começo. 

- Eu.. - incentivo rindo.

Balança a cabeça. 

- Você está bonita, dessa vez elogiando direito.  - fala e saí andando para longe de minha visão. 

Porque eu tenho certeza que ele não iria dizer isso?

 


Notas Finais


Eai? Acharam que ela não ia gostar da Georgina? Hahahah, tem uma parte da conversa delas que espero que tenham prestado bastante atenção 👀
Comentemm o que acharam, e queria agradecer por todos os comentários e favoritos ❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...