História T3ddy - Quando é para acontecer - Capítulo 8


Escrita por: ~

Exibições 58
Palavras 2.611
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, olá! Gente, temos um capítulo com capa ❤

Vocês vão entender a foto lendo e espero que achem tão fofo quando eu ❤

Boa leitura e espero que gostem, de verdade!

Capítulo 8 - Vai embora!


Fanfic / Fanfiction T3ddy - Quando é para acontecer - Capítulo 8 - Vai embora!

Fizemos exatamente o que Beatriz tinha dito. Quando começamos a fazer o café, Mauro acordou e logo Christian acordou também. Tomamos café todos juntos, o clima era descontraído, mas eu não conseguia me concentrar nas brincadeiras ou piadas, eu estava aflita. 

 Arrumamos tudo e nos arrumamos também.

_ei, não fica assim. – Christian disse me abraçando. T3ddy estava na cozinha com Mauro e Beatriz estava terminando de se arrumar. _vamos estar com você. E ele não vai estar lá, a essa hora ele já foi embora e levou tudo o que é dele. – Eu estava torcendo muito para que as palavras de Christian fossem verdade.

_podemos ir? – Beatriz disse entrando na sala. Os meninos vieram para a sala também e eu respirei fundo e assenti. Saímos todos juntos. Os meninos estavam todos em um carro só e Beatriz e eu fomos no meu carro. Ela foi dirigindo, pois eu não conseguiria me concentrar. 

Entramos na garagem e Beatriz estacionou o carro na minha vaga. T3ddy, que estava dirigindo, estacionou na vaga ao lado que seria do carro de Thiago. O carro dele não estava ali, o que me deixava mais calma. 

Eu respirei fundo saindo do carro, todos saímos ao mesmo tempo.

_prefere que a gente vá na portaria antes para perguntar? – Christian perguntou se aproximando de mim. T3ddy já tinha caminhado em direção à escada e subido para o térreo sem dizer nada. Eu assenti positivamente respondendo à pergunta de Christian e ele olhou para Mauro e Beatriz que assentiram. 

_eu espero vocês lá em cima. – Eu disse caminhando até o elevador. 

_amiga, não prefere ir conosco? – Beatriz perguntou e eu respirei fundo e a olhei calma. 

_não vou entrar. – Eu disse e ela assentiu. Ela sabia que era aquilo que eu preferia. Eles subiram para o térreo pela escada e eu peguei o elevador. Parou no quarto andar e eu respirei fundo antes de sair. Saí e vi o outro elevador descendo. A porta do meu apartamento estava aberta. Eu achei aquilo estranho, mas imaginei que ele tivesse ido embora e nem se importado em fechar, por isso abri a porta devagar e entrei. 

O apartamento parecia realmente estar vazio. 

_amor. – Ouvi alguém dizer e me virei rapidamente. Eu já sabia de quem era aquela voz e meu coração acelerou, aquela sensação era horrível e ver ele ali na minha frente era horrível. Eu estava me sentindo péssima naquele momento, era como se eu visse um estranho, porém que me trazia lembranças muito tristes. _eu sabia que você ia voltar para mim. – Ele disse vindo na minha direção e eu dei dois passos para trás e ele parou me olhando. 

_não voltei para você, o apartamento é meu. – Eu disse fria olhando-o. _quero que saia. 

_Gabriela, você tem que me deixar explicar. Não é o que você está pensando. – Ele disse me fazendo rir de tão ridículas que eram suas palavras. _você precisa me ouvir. 

_me poupe, se poupe. Por favor, nos poupe de qualquer explicação ridícula que você tenha. Eu não quero ouvir nada do que tem a dizer. – Eu disse segurando o choro. _quero que saia do meu apartamento, por favor. – Eu disse me virando para andar em direção a porta. Senti ele pegando meu braço com força e me virando de volta para ele. 

_eu não vou sair. – Ele disse me olhando. Ele apertava meu braço com muita força, estava me machucando. _você vai me ouvir. – Ele parecia ter muita raiva, eu nunca tinha visto ele daquele jeito agressivo, estava chegando a me assustar. 

_me solta, Thiago. – Eu pedi e ele apertou meu braço com mais força. _está me machucando. 

_quem é T3ddy? – Ele perguntou e eu via a raiva transbordar em seu olhar. _você saiu daqui toda magoada por ser traída, mas não demorou nem um pouco para dar para outro e só confirmar a vadia que você é. – Ele gritava comigo e me balançava pelo braço que estava doendo muito. 

_me solta. – Eu gritei tentando me soltar, mas ele era mais forte que eu. _você é louco. 

_ela mandou soltar. – Ouvi alguém gritar e fui puxada para trás com muita força. Eu gritei de dor, pois a mão de Thiago soltou meu braço muito violentamente e quando me estabilizei pude ver as marcas de seus dedos roxos na minha pele branca. Suas unhas haviam feito arranhões que estavam sangrando. O sangue se acumulava pelos arranhões. 

_olha, a vadia trouxe o cara para defender ela. – Thiago disse e eu me aproximei dos dois. 

_cala a boca, Thiago, vai embora. – Eu gritei, mas ele pareceu me ignorar. 

_você ouviu ela, vai embora. – T3ddy gritou olhando para Thiago com muita raiva. 

_não se mete no que não te interessa. – Thiago disse e deu um soco na cara de T3ddy com muita força e isso me fez gritar. T3ddy foi para trás e depois que levantou o rosto pude ver o sangue escorrendo do canto de sua boca. Ele foi partir para cima de Thiago, mas Christian entrou correndo e o segurou. 

_já chega. – Christian o segurava e Mauro foi para cima de Thiago para segurá-lo. Beatriz correu e ficou do meu lado. 

_chega, Thiago. – Eu gritei e ele tirou o olhar de T3ddy e me olhou. _te peguei na cama com outra, acabou tudo entre a gente. – Eu disse e vi tristeza em seu olhar. _o que eu faço ou deixo de fazer não te interessa mais desde que se deitou com outra na minha cama. – Eu estava sendo firme e segurando o choro. _quero que vá embora e não volte nunca mais. Não quero mais nada com você. 

Thiago se soltou de Mauro com raiva e passou por T3ddy e Christian os fuzilando com o olhar. Ele bateu a porta quando saiu e não disse mais nada. Eu respirei fundo e sentei no sofá. Beatriz sentou ao meu lado e me abraçou. Apoiei o rosto nas mãos e comecei a chorar. Eu tinha voltado a sentir aquele grande vazio dentro de mim. 

Quando finalmente levantei o rosto T3ddy estava sentado no outro sofá com Mauro e Christian. Os dois tentavam acalmar ele e Beatriz estava ao meu lado ainda me abraçando. Me levantei respirando fundo e fiz careta, meu braço estava doendo. 

_ele te machucou. – Beatriz disse olhando assustada para meu braço. Eu comecei a andar até o quarto e Beatriz me chamou. _Gabi. – Eu a ignorei e continuei andando. _Gabriela. – Ela me chamou de novo vindo atrás de mim. _Gabriela para. – Eu não queria falar com ninguém, estava preocupada e cansada. _Gabriela! – Beatriz gritou muito alto e eu parei e me virei olhando para ela meio assustada. _para e me escuta! – Ela ainda falava alto. _eu sei que não é fácil, mas acorda para vida! Ele já foi embora! – Ela gritou e eu respirei fundo. 

_calma. – Christian disse se aproximando e pondo suas mãos nos ombros de Beatriz. _é melhor irmos para o hospital, Gabi. Esse machucado está bem feio. – Ele disse e eu olhei para meu braço que estava escorrendo sangue. O machucado estava repleto de sangue. 

_não quero ir para o hospital. – Eu os olhei e estava implorando com o olhar praticamente. 

_tudo bem, eu vou na farmácia com Mauro comprar curativos para vocês então. – Christian disse olhando para mim e para Beatriz alternadamente. Assentimos e Beatriz disse:

_vou esquentar água para limpar seus ferimentos e os de T3ddy, se precisar de mim me chama. – Ela disse e eu me lembrei de T3ddy e assenti. Fui até a sala onde T3ddy estava sentado no sofá. Ele tinha um pouco de sangue no rosto, a boca cortada e o rosto estava começando a ficar inchado. 

_meu Deus, ele te machucou. – T3ddy disse me olhando preocupado quando entrei em seu campo de visão. Olhei para meu braço e ali tinha muito mais sangue do que deveria ter. 

_eu estou bem. – Menti e ele abaixou o olhar. 

_me desculpe, se eu não tivesse me metido na briga de vocês ele não teria te machucado. – Ele disse e eu me aproximei rapidamente. 

_ei, não diz isso. – Eu disse me ajoelhando na sua frente. _se você não tivesse chegado eu nem sei o que ele podia ter feito comigo. Você me salvou. – Eu disse e o abracei. Ele me puxou para mais perto dele e isso fez meu sangue sujar sua camiseta, mas ele não parecia ligar. 

Ouvimos alguém pigarrear e T3ddy me soltou. Fiz careta de dor quando meu braço se separou de sua camiseta. Beatriz se aproximou com uma vasilha com agua e dois panos. 

_vamos limpar esses ferimentos. – Ela disse e eu me levantei e me sentei ao lado de T3ddy. Ela começou por ele que era bem mais simples. Beatriz limpou o ferimento de T3ddy rapidamente e depois passou para o meu lado. _nossa. – Ela fez careta olhando para meu braço com bastante sangue. Beatriz começou limpando o sangue que tinha corrido por quase todo meu braço e tudo estava bem até ela encostar o pano morno no ferimento. Eu apertei a perna de T3ddy e me mexi com um grito baixo de dor. 

_tudo bem? – Beatriz perguntou e eu assenti respirando fundo e ela continuou. Minha mão que ainda estava na perna de T3ddy relaxou, mas logo apertou de novo e fiz careta. Aquilo estava doendo muito. 

_calma. – T3ddy disse pegando minha mão. Ele entrelaçou seus dedos nos meus e nos olhamos. Ele assentiu tentando me acalmar e eu assenti respirando fundo. 

Ficamos daquele jeito até Beatriz terminar. Sempre que sentia dor eu apertava a mão de T3ddy fazendo careta e ele segurava minha mão com firmeza. 

Quando Christian e Mauro voltaram Beatriz estava terminando. 

_pronto. – Ela disse e eu olhei para meu braço e fiz careta. Os arranhões estavam inchados e bem feios e o braço estava roxo em toda aquela região. 

_nossa. – Eu disse impressionada. Estava bem machucado. Beatriz também fazia careta olhando para meu braço. 

_é, devia denunciar ele, amiga. – Beatriz disse e eu neguei com a cabeça. 

_não quero mais nenhum contato. – Eu revirei os olhos e ela assentiu parecendo entender. 

_passa isso e faz um curativo. – Mauro disse dando um remédio que tinham comprado nas mãos de Beatriz. 

_preciso ir no banheiro limpar o sangue da boca. – T3ddy disse e eu o olhei e apertei sua mão fazendo careta quando senti o remédio arder no meu braço. Ele riu me olhando e Christian disse:

_vem mano, eu te mostro onde é o banheiro. – T3ddy assentiu e seus dedos se soltaram dos meus devagar ele se levantou. Minha mão sentiu falta da sua por um segundo, mas logo fiz careta de novo sentindo dor. 

_já acabou. Vou só fazer o curativo. – Beatriz disse e eu respirei aliviada e isso fez ela rir. Beatriz enrolou meu braço com gaze onde estava machucado e ficou um curativo bem apertado e firme. _pronto. – Ela disse pondo o ultimo esparadrapo e eu respirei fundo e parecia aliviada. Ainda estava doendo um pouco, mas bem menos. 

_vamos sair para almoçar ou comprar comida? – Christian perguntou voltando para a sala e nós o olhamos. _o que foi? – Ele perguntou nos olhando. _estou com fome. – Comentou fazendo todos rirem. 

_se quiserem sair podem ir, eu com certeza não quero ir a lugar nenhum. – Comentei respirando fundo. Estava sem ânimo para nada. 

_podem ir comer, eu vou ficar com ela. – Beatriz disse e eu a olhei. 

_claro que não, Bia. Pode ir almoçar com eles. – Eu disse e ela negou com a cabeça. 

_eu com certeza não quero encontrar nenhuma fã com esse rosto inchado. – Ouvimos T3ddy dizer entrando na sala. _ainda bem que gravei vídeos ontem. Gravar vídeo assim geraria muita polêmica. 

_mano, acho melhor pedirmos comida e almoçarmos todos aqui mesmo. – Mauro disse olhando para Christian que assentiu. 

_ainda tem aquela bolsinha com cartões para pedidos, Gabi? – Christian perguntou e eu assenti. 

_na cozinha. – Respondi e ele saiu em direção a cozinha. Mauro o seguiu.

_amiga, falou com sua mãe? – Beatriz perguntou ligando a TV e eu a olhei. _acho melhor ligar para ela. – Eu assenti e puxei minha bolsa para perto de mim. Abri e peguei o celular. Eu já tinha esquecido de todas as fãs de T3ddy, mas assim que desbloqueei o celular, as mais de 5 mil notificações me fizeram lembrar. Abri o facebook e os pedidos de amizade já tinham triplicado, pessoas me seguindo, curtindo e comentando minhas fotos. E isso não parava. Mais três mil pessoas tinham me seguido no Snapchat. Abri o Twitter e meu user já tinha sido marcado em 4 mil twitts, fora as pessoas que estavam me seguindo. Tinha terminado o dia com cerca de 300 seguidores e agora estava com mais de 5 mil pessoas me seguindo, aquilo era loucura. O instagram estava tão louco quanto os demais, eu já estava com 8 mil seguidores e não parava de crescer, eu não queria toda aquela atenção. Nem conseguia controlar isso. Entrei na foto que T3ddy tinha me marcado, estava com 52 mil curtidas e mais 10 mil comentários que ainda iam desde pessoas perguntando se estávamos namorando, pessoas me elogiando e pessoas me xingando. 

_seus fãs me odeiam. – Eu disse mostrando a T3ddy os comentários da foto. Tinham várias pessoas falando que eu era feia para ele, que não era boa para ele, que não tinham gostado de mim ou várias outras coisas. 

_não odeiam não. – Ele disse pegando o telefone de minha mão. _olha aqui, tem vários comentários dizendo que você é linda e te elogiando. – Ele sorriu me olhando. 

_eles acham que estamos namorando. – Comentei e T3ddy não deixou de sorrir. 

_eles sempre acham. – Ele comentou e eu sorri com ele sem olhá-lo. 

Ficar vermelha com Lucas me olhando era fácil.

_depois gravamos um vídeo esclarecendo tudo. – Ele disse e eu o olhei assustada. 

_não. – Eu disse rapidamente o olhando assustada. _eles já me odeiam por uma foto, se gravar um vídeo com você vou ser perseguida. – Eu disse e T3ddy deu uma gargalhada alta e eu ri com ele. 

Entrei no WhatsApp e não havia mais nenhuma mensagem de Thiago. Respirei fundo aliviada e alterei seu nome nos contatos de “amor” para “Thiago”. Era isso o que ele era na minha vida, apenas um número nos meus contatos agora. 

Abri a conversa de minha mãe que tinha me mandado mensagens perguntando se eu estava bem e escrevi:

WHATSAPP ON

GABRIELA 10:23 AM: Mãe, eu estou bem. 

GABRIELA 10:23 AM: Estou no meu apartamento. Thiago já saiu daqui. 

GABRIELA 10:24 AM: A Bia está comigo. 

GABRIELA 10:24 AM: Se precisar de algo eu te aviso, mãe, mas eu estou bem, fique tranquila. Te amo. 

WHATSAPP OFF

Respirei fundo e olhei para a televisão ligada, mas não consegui me concentrar no que estava passando. Minha cabeça estava a mil por hora e eu estava me sentindo fraca e sem ânimo para nada. 

_espero que todo mundo coma bife à parmegiana por que pedimos isso para todo mundo. – Christian disse voltando para a sala com Mauro. Ninguém comentou nada. O clima estava meio pesado no apartamento, mas não era de se estranhar, afinal, tudo o que tinha acontecido era muito pesado.

Estávamos assistindo série todos juntos. O clima tinha melhorado e já estávamos dando risadas e comentando a série. Era uma série de humor, então tinha melhorado bastante o clima. Já estávamos brincando e quando a comida chegou o clima continuou bom, nos divertimos bastante aquela tarde e mais ou menos 15 horas todos foram embora. Beatriz se ofereceu para cancelar seus compromissos e ficar comigo, mas eu sabia que ela estava ocupada com o filme e jamais faria ela cancelar seus compromissos por mim. Eu estava em casa e ficaria bem, pelo menos eu achava. 


Notas Finais


Você chegou até aqui, obrigadaaaa ❤

Gente, como esse Thiago é chato, né? Não se manca... Mas o T3ddy está sendo muito fofo e amoroso, não é gente?! Ele defendeu a Gabi ❤

Hei, se você está lendo isso aqui é por que gostou, então deixa um comentário aí para eu saber sua opinião. Me diga o que achou e favorita aí, não sai daqui sem comentar e favoritar não. Me faça FELIIIZ

Nos vemos amanhã de novo e espero que estejam gostando! ❤

A história ainda tem muita reviravolta para dar, gente, acreditem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...