História Tá Rolando Amor? - Capítulo 66


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Seleção
Personagens America Singer, Eadlyn Schreave, Kile Woodwork, Maxon Calix Schreave
Tags A Herdeira, A Seleção, Eadlyn, Kile, Romance
Exibições 509
Palavras 1.358
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Caramba, hoje eu estou tão boazinha. Quantos capítulos já postei? Não faço a menor ideia.

💖 Boa leitura 💖
💜 Desculpa qualquer erro 💜

Capítulo 66 - Biblioteca...


Fanfic / Fanfiction Tá Rolando Amor? - Capítulo 66 - Biblioteca...

Eadlyn: Sério? — Ironizo.   

Kile: Você que pediu para mim te apresentar a casa! — Lembra. — Aqui é a cozinha, que você já conhece. Aqui nessa porta fica a lavanderia. — Diz apontando para uma porta que ficava no canto da cozinha. Eu e ele saímos da cozinha e voltamos para a sala novamente, ele me leva até um corredor onde havia algumas portas. Kile me mostra todos o inúmeros cômodos da casa, apenas faltava alguns do segundo andar da casa.   

Eadlyn: Que sala é essa? — Pergunto pondo a mão na maçaneta de uma porta branca, mas ao tentar abri-la, percebo que estava trancada.   

Kile: Não, você ainda não pode vê-la!   

Eadlyn: Quê? Ah não, Woodwork!    

Kile: Logo você verá ela, só preciso arrumar alguns detalhes! — Informa. — Vamos ver nosso quarto?   

Eadlyn: Você não presta, Woodwork! — Afirmo movendo a cabeça de um lado para o outro, com um sorriso nos lábios. Ele abre uma porta totalmente branca, revelando um amplo quarto, com paredes na cor creme. Uma enorme cama de madeira branca estava ao centro do quarto, acima, havia vários pequenas molduras espelhadas com desenhos de vestidos e casas distribuídos pela parede creme, eram os nossos desenhos. Em uma das paredes havia uma enorme porta de vidro, que dava para à sacada, com enormes cortinas azuis acinzentadas, combinando com as duas enormes poltronas da mesma cor que estavam no lugar. Havia uma TV na parede em frente à cama, abaixo dela havia uma pequena estante baixa, com livros com capas em vários tons de azuis bagunçados, alguns em pé, outro deitados, propositalmente. Dando um ar mais descontraído ao quarto. Havia mais duas portas no quarto, uma do closet e outra do banheiro. O quarto estava lindo, mas o que me surpreendeu foi que Kile conseguiu reunir um pouquinho da essência de cada um de nós em um só cômodo. — Ficou lindo, Kile.    

Kile: Que bom que você gostou, tentei por algumas coisas parecidas com o seu antigo quarto para você se sentir mais em casa. Minha mãe me ajudou a decorar. — Comenta. — Mas eu quero que você logo ponha um pouco da personalidade e bom gosto de Eadlyn Schreave nessa casa, ela precisa ficar menos Kile, menos certinha! — Brinca.   

Eadlyn: Até que eu me surpreendi, achei que a sua casa seria com um estilo mais... séria.    

Kile: Como você está educada hoje, me chamou de velho de uma forma delicada. — Brinca me empurrando até a cama, fazendo eu cair deitada no macio colchão, logo depois cobrindo meu corpo com o seu, sem depositar seu peso sobre mim. — Acho que merece até um beijo.   

Eadlyn: Só um beijo? — Ergo uma das sobrancelhas. — Acho que eu merecia mais que isso. — Ele abre um enorme sorriso e gruda nossos lábios, o beijo mal havia começado quando o celular de Kile começa a tocar. — Dessa vez não foi o meu celular. — Reclamo.    

Kile: Mas continua sendo o seu pai. — Diz olhando no identificador de chamadas. — Alô senhor Schreave. — Atende. — Ham? Regras? — O quê? Pego o celular da mão de Kile e ponho viva-voz.    

Eadlyn: Nem inventa pai, essas suas regras idiotas de novo não! — Intervenho. — Eu não vou segui-las, não adianta.    

Maxon: Só algumas querida.   

Eadlyn: Mamãe está em acordo com isso?   

Maxon: Ehh... não. Mas são só algumas regras. Apenas três. — Insisti. — A primeira é que o Kile não pode me chamar de sogrão.   

Kile: Juro que irei tentar, sogrão.   

Maxon: Você está brincando com fogo garoto! — Avisa. — A segunda é que vocês não podem fazer carícias exageradas na minha frente. Nada de beijos exagerados!   

Eadlyn: Para a imprensa. Lembra... — Provoco.    

Maxon: Você me intendeu, Eadlyn! — Afirma. — A ultima é não vão ficar se agarrando debaixo do meu nariz.    

Kile: Ah, droga! Isso já estava virando uma modalidade esportiva para nós.   

Maxon: Tá me chamando de trouxa, garoto? — Esbraveja.   

Kile: Eu? Jamais, senhor Schreave. Juro que não foi a minha intenção. — Tapo a boca para não rir. — Senhor Schreave, atrapalhar nós na hora H virou o seu hobby?   

Maxon: Do que você está falando?    

Kile: Nada, foi um prazer falar com o senhor. Até logo!   

Eadlyn: Tchau, pai! — Me despeço. — Kile... — Mexo a cabeça de um lado para o outro lentamente, o repreendendo.    

Kile: Nós iremos seguir mesmos essas regras?   

Eadlyn: Podemos tentar, mas não podemos garantir que não quebraremos nenhuma.   

Kile: Minha linda, já que seu pai fez o lindo prazer de nos interromper, será que eu poderia te mostrar um lugar especial para mim, o meu preferido dessa casa.    

Eadlyn: Que lugar? — Pergunto entusiasmada. — Vem, vamos logo. — Digo dando um salto da cama e em poucos segundos eu já estava na porta do quarto, esperando o Kile.    

Kile: Calma, Eadlyn! Seja menos curiosa. Vamos trocar de roupas e depois vamos. — Olho para as minhas roupas e percebo que elas eram pesadas e quentes demais para ficar em casa. — Suas roupas já estão no closet. — Ergo uma das sobrancelhas. — Neena venho até aqui e arrumou tudo da forma que você gosta. — Sorrio ao lembrar de Neena. — Você gosta muito dela, né? — Pergunta enquanto tirava seus casacos.    

Eadlyn: Sim, muito! Ela foi como uma mãe para mim enquanto minha mãe não estava, ela sempre foi minha amiga e me apoia em tudo. Mas ela, diferente de muitas pessoas, me questionam e não ficam com medo de dizer que eu estou errada. Ela, no dia do casamento, me ajudou muito. Ela que me falou que não havia brecha e me aconselhou a não negar me casar com você. Ela ficou repetindo que eu havia entendido errado as suas palavras, e afirmava que você não queria me ver longe. Ela me fez perceber que eu não conseguiria ficar longe de você. — E me fez perceber que eu te amo. Acrescento mentalmente.    

Kile: Me lembre de agradecer a ela. — Pede. — Pronto, vamos? — Pergunta quando nós dois havíamos vestido roupas mais confortáveis.   

Eadlyn: Sim, vamos logo. Estou ansiosa! — Digo saindo do quarto. — O lugar que você vai me mostrar é aquela sala que você não me deixou ver?    

Kile: Não, aquela sala você só verá depois. Vem, é por aqui. — Diz me puxando até o fim do enorme corredor. Não havia nada ao fim do corredor, a não ser uma pequena mesa com um vaso com belas flores. Kile olha para cima e puxa uma cordinha, fazendo uma escada descer.    

Eadlyn: Não sabia que você tinha um sótão. — Ele sobe primeiro e depois me da uma das mãos, me ajudando a subir. — Meu Deus! — Exclamo. — Kile, esse lugar é incrível! —  Era um sótão enorme, no lugar do piso, havia futons, com muitas almofadas espalhadas por eles, deixando o lugar muito aconchegante. Nas paredes, haviam estantes de madeira rústica que iam do chão até o teto cheias de livros, as estantes cobriam todas as paredes exceto uma, onde havia uma lareira.     

Kile: Eadlyn, olha para cima!    

Eadlyn: Caramba! — Perco o ar ao ver que o teto era completamente de vidro, estava entardecendo, o céu estava uma mistura de rosas e roxos. Caramba, eu não conseguia achar palavras para descrever aquilo. — Kile, esse lugar é maravilhoso! Como você não me mostrou isso antes?   

Kile: Eu esqueci.   

Eadlyn: Kile, sério. Esse lugar ficou incrível!  

Kile: Acho que esse lugar foi o que eu desenhei mais devagar. Cada detalhe dele foi planejado!    

Eadlyn: Você já leu todos esses livros?    

Kile: A maioria. — Eu passeava pelo lugar fascinada, eu havia tirado meus sapatos e pisava sobre as fofas almofadas. Não resisto e passeio com os meus dedos pelas lombadas dos livros.    

Eadlyn: Esse lugar é um sonho! — Confesso pegando alguns livros antigos, com capas de couros, que apesar de aparentar ter bastante idade, tinha suas capas e páginas impecáveis. — Você leu mesmo esses livros?   

Kile: Sim, esse eu acabei a pouco tempo. — Afirma ficando próximo a mim, vendo o livro que estava nas minhas mãos.    

Eadlyn: Sério, eu ainda não acredito que você nunca me falou desse lugar antes. — Eu estava completamente fascinada com aquele lugar, aqueles livros, aquele teto de vidro. Esse lugar é perfeito!    

Kile: Que bom que você gostou! — Ele me abraça por trás e me dá um beijo carinhoso na bochecha. — Eu vou lá embaixo pegar café para nós.  


Notas Finais


💞"Um dia frio...
Um bom lugar para ler um livro...
E o pensamento lá em você..."💞


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...