História Tá Rolando Amor? - Capítulo 67


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Seleção
Personagens America Singer, Eadlyn Schreave, Kile Woodwork, Maxon Calix Schreave
Tags A Herdeira, A Seleção, Eadlyn, Kile, Romance
Exibições 560
Palavras 1.742
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Volteii com o último capítulo da nossa maratona. Eu iria postar mais capítulos hoje, mas eu estou morrendo de cansaço e sono.

Amanhã posto o resto dos capítulos e respondo os comentários.

❤Boa Leitura❤
💚Boa Leitura💚

Capítulo 67 - Eu estou no comando!!!


Fanfic / Fanfiction Tá Rolando Amor? - Capítulo 67 - Eu estou no comando!!!

Kile: Que bom que você gostou! — Ele me abraça por trás e me dá um beijo carinhoso na bochecha. — Eu vou lá embaixo pegar café para nós. 

Eadlyn: Tudo bem. — Ele desce pelas pequenas escadas e eu continuo parada, admirando a beleza do lugar. Kile logo volta com duas xícaras de café e com alguns biscoitos com gotas de chocolate. Nós sentamos em meio às almofadas, ele estica uma manta por cima de nossas pernas e ali ficamos admirando a noite dar os seus primeiros sinais. — Você está muito quieto, aconteceu algo?

Kile: Não. Só que as vezes, é bom ficar assim. Esquecer de tudo lá fora, de todos os problemas. Eu antigamente só tinha essa sensação quando estava quieto, com a cara enfiada em um livro, mas hoje eu tenho essa mesma sensação só pelo fato de estar com você.

Eadlyn: Será que algum dia, nós dois conseguiremos ficar longe um do outro?

Kile: Acho que não, nós já ficamos separados um bom tempo. Mas duvido que isso aconteça novamente, eu posso estar longe, mas o meu coração sempre estará com você. — Pego a sua mão e fico observando a dourada aliança. — Eu queria estar lá, estar com você.

Eadlyn: Estar onde?

Kile: Na sua adolescência, queria estar quando você completou seus quinze anos ou quando você se formou.

Eadlyn: Também queria que você estivesse. Eu gostaria de saber por que eles nos separaram quando éramos crianças. Lembro que eu fiquei muito triste, agora eu entendo porque eu nunca brinquei no jardim. Depois que você foi, não tinha mais sentido brincar ali, nós passávamos horas ali, brincando. E sem dúvidas aquele lugar me traria muitas lembranças suas e eu queria fugir delas.

Kile: Mas o que importa é que nós estamos juntos agora! E você é minha, só minha! — Ele começa a distribuir beijos pelo meu rosto e logo eu estava em seu colo, com uma perna de cada lado do seu corpo. Kile para de me beijar por alguns instantes, arqueio as sobrancelhas confusa. 

Eadlyn: O que foi?

Kile: Nada, só que as vezes não acredito que isso seja real. Nós dois juntos, me parece mais um sonho. — Ele leva uma das mãos até o meu rosto e desliza suavemente ela sobre ele, seus dedos colocam uma mecha atrás da minha orelha e deposita um beijo na minha bochecha, um sorriso nasce em meus lábios. Aquele gesto era tão simples, mas tão carinhoso. Seus olhos grudam nos meus e ele aproxima o rosto lentamente ao meu e deposita um beijo suave e demorado em meu lábio inferior. Ele desce sua mão da minha nuca pelas minhas cotas até alcançar a barra da minha blusa de malha, delicadamente ele sobe a peça pelo meu corpo. Tiro a camiseta branca dele, e desço a palma da minha mão do seu ombro pelo seu peito, passando a ponta dos meus dedos devagar pelas marcas vermelhas que minhas unhas haviam deixado nas noites anteriores em seu corpo. Ele sorri. — Sua selvagem! — Ele gruda nossos lábios, podia sentir que o sorriso permanecia em seus lábios. Prendo seu lábios inferior entre os meus dentes e puxo devagar.

Kile leva as suas mãos até meu quadril e me puxa, aproximando nossos corpos. Exploro sua boca lentamente com a minha língua, levo minhas mãos até os seus cabelos e infiltro meus dedos por ele. Kile desce suas mãos pela lateral do meu corpo me causando arrepios, ele puxa o shorts que eu vestia para baixo e logo a peça estava jogada de lado, junto à sua calça de moletom. Ele beijava meu pescoço enquanto levava as mãos até o fecho do meu sutiã, mas antes que ele pudesse abrir seguro as suas mãos, o impedindo. Mexo a cabeça de um lado para o outro em sinal de negativa. 

Eadlyn: Eu estou no comando! — Murmuro em seu ouvido. O canto dos seus lábios se ergue em um sorriso malicioso. Junto as sobrancelhas fingindo estar brava, ele logo desfaz o sorriso e eu ataco a sua boca selvagemente, enquanto começo a mover meu quadril sobre a sua ereção, o Woodwork se surpreende e um grunhido abafado pelos meus lábios foge dos seus lábios. Quando o ar nos falta desço meus beijos até o seu pescoço e começo a dar mordidas e beijos, enquanto deslizava levemente minhas unhas pelas suas costas. Ele põe a cabeça em meu pescoço, e suga minha pele ali, fazendo um grunhido fugir dos meus lábios. Encaro ele brava, e mexo a cabeça de um lado para o outro em sinal de repreensão. Levo minhas mãos até as minhas costas e tiro meu sutiã. Os olhos de Kile grudam em meus seios expostos, antes que ele pudesse ataca-los, levanto seu rosto com o indicador, fazendo seus olhos encontrarem os meus. Levo meus lábios até os seus, nossos lábios entraram em atrito, mas antes que o Woodwork pudesse ataca-los, afasto meus lábios dos dele e murmuro no seu ouvido. — Não ouse, lembre-se que eu estou no comando! — Desço minhas mãos pelo corpo do Woodwork, infiltro minhas mãos pela sua box, tocando seu membro. Um gemido foge dos seus lábios. Começo a mover minha mão devagar, e aos poucos aumento a velocidade. Kile apoia a sua cabeça em meu ombro, mas logo seu controle acaba.

Ele me deita na cama drasticamente e ataca meus lábios enquanto seus dedos exploravam minha intimidade fazendo gemidos abafados pelos seus lábios fugirem dos meus lábios. Ele desce sua boca até os meus seios, e os tocam com a boca, enquanto seus dedos continuavam a estimular minha intimidade. 

Kile: Agora eu estou no comando! — Sussurra em meu ouvido, me fazendo me perder ainda mais. Ele arranca as peças que ainda sobravam em nossos corpos e começa distribuir beijos e mordidas pelo meu pescoço, ele desce seus beijos fazendo uma trilha que parecia pequenos choques até chegar na minha intimidade. Aperto seus cabelos ao sentir a sua boca toca-la, meus gemidos ficavam cada vez mais altos, espasmos percorriam o meu corpo. Eu tentava controlar meus gemidos, mas era impossível. 

Eadlyn: Kile... Eu preciso de você... — Seus olhos procuram os meus.

Kile: Eu estou no comando. — Lembra.

Eu gemia e me contorcia, ele continuava a me provocar, agora ele estimulava a minha intimidade com a ajuda dos dedos. mas seu controle parece acabar. Ele se posiciona entre as minhas pernas e me penetra violentamente, e começa a ser mover rapidamente. Os minutos passavam, mas a única coisa que mudou foram nossos gemidos que estavam cada vez mais altos. Eu estava perdida naquele imenso prazer, coisas sem sentindo saiam dos meus lábios. 

Eadlyn: Kile... Mais rápido. — O Woodwork aumenta a velocidade e com uma estocada profunda eu chego ao meu ápice. Estava completamente perdida e submersa naquelas explosões de cores e coisas boas, até que sinto o Woodwork chegar ao seu clímax. Ele cai ao meu lado, seu peito subia e descia rapidamente. Ele tentava controlar a respiração. Kile procura a minha mão e enlaça nossos dedos, ele me puxa, enroscando seus braços em minha volta. — Você está bem?

Kile: Estou e você? — Afirmo com a cabeça. — Acho que fomos um pouco intensos demais dessa vez.

Eadlyn: Foi maravilhoso! — Digo ainda perdida naquelas sensações maravilhosas. — Foi perfeito, olha esse cenário. — Digo olhando para cima vendo o belo céu que se formou naquela noite, as estrelas brilhavam e a lua crescente estava linda. Olho para Kile e ele encarava o céu sorrindo. — O que foi? — Pergunto sendo contagiada pelo seu sorriso, logo o meu sorriso aumenta.

Kile: Nada, só estou lembrando da primeira vez que você e eu admiramos as estrelas, eu estava te ensinando a pensar. — Explica ainda ofegante.

Eadlyn: Naquele dia eu tive a certeza que você era maluco. Aquele dia foi especial, desde aquele dia tive a certeza que nós dois teríamos um ao outro na hora das dificuldades. Eu estava chorando por conta que o casamento havia sido adiantado e você me apoiou, me ajudou. 

Kile: Você fez o mesmo por mim, lembra?

Eadlyn: Como eu esqueceria daquela cena de nós dois, dois chorões, se acabando em lágrimas na sala de música. 

Kile: Depois nós saímos para beber. Até hoje lembro da seu rosto cheio de ciúmes. Mau sabia você que eu só tinha olhos para uma garota, e ela se chamava Eadlyn Schreave. — Meu sorriso se alarga.

Eadlyn: Você tem um problema com loiras, sério. Elas praticamente se jogam para cima de você, aquela loira da praia então!

Kile: Qual, a minha paquera? — Debocha. Olho para ele e reviro os olhos. — Eu não tenho problemas com loiras, elas que têm um problema comigo. Não posso fazer nada se eu sou irresistível! — Se gaba. — Meu problema mesmo é com morena, uma específica.

Eadlyn: Galanteador barato! — Acuso. — Você só deu bola para aquela garota para se vingar! 

Kile: Eu? Jamais! — Ironiza.

Eadlyn: Eu quase me afoguei por causa sua e dela. 

Kile: Minha causa? Quem falou que nós dois estávamos livres foi você! Quem ficou morrendo de ciúmes e saiu correndo pro mar foi você! Eu fiz o favor de te salvar e você falou que eu queria bancar o herói

Eadlyn: Eu já pedi desculpa, agi por impulso. Estava com ciúmes. 

Kile: Minha ciumenta! Eu queria te beijar. 

Eadlyn: Ham?

Kile: Na piscina, quando você me pediu desculpa, eu estava louco para te beijar.

Eadlyn: Deveria ter beijado... — Puxo na minha memória aquele dia, e lembro o quanto eu queria sentir aqueles lábios rosados nos meus. 

Kile: Eu tinha medo que você me afogasse naquela piscina. Eu não sabia se você também queria.

Eadlyn: Kile, você não é nem um pouco modesto e sabe que é bonito. Qualquer garota iria querer te beijar.

Kile: Menos Eadlyn Schreave! — Afirma. — Naquele dia, antes de você pedir desculpa eu já tinha te perdoado. Quando eu cheguei do mercado, você dormia tão calma no sofá. Eu te observei por alguns minutos e fiz carinho no seu rosto. 

Eadlyn: Parece que você não consegue ficar bravo comigo. — Provoco.

Kile: Não consigo mesmo, mas deveria. 

Eadlyn: Coitadinho dele! — Ironizo. 

Kile: Você não me merece Eadlyn Schreave! — Diz se virando, ficando em cima de mim sem depositar seu peso. — Mas eu já te pertenço. — Diz beijando meus lábios.
   


Notas Finais


Espero que vocês tenham gostado da maratona, amanhã tem mais capítulo.

Bjs 💚💚💚

💞“Olhe para as estrelas, olhe como elas brilham para você!"💞


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...