História Tá Rolando Amor? - Capítulo 70


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Seleção
Personagens America Singer, Eadlyn Schreave, Kile Woodwork, Maxon Calix Schreave
Tags A Herdeira, A Seleção, Eadlyn, Kile, Romance
Exibições 557
Palavras 1.590
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Voltei!!! Dois capítulos no mesmo dia, só porque estou boazinha hoje. 😄😄

Ah, daqui alguns capítulos teremos passagem de tempo e após ela, terá um acontecimento que pode mudar o rumo da história. Então, preparem-se!

Comentem leitores que eu não conheço. Ouvi dizer que algumas pessoas não comentam porque têm vergonha, não tenham vergonha não. Eu sou chata, mas dá para tolerar 😄

Adorarei conhecer vocês, e velhos leitores nem pensem em me abandonar!


💖 Boa leitura 💖
💚 Desculpa qualquer erro 💚

Capítulo 70 - A verdade!


Fanfic / Fanfiction Tá Rolando Amor? - Capítulo 70 - A verdade!

Logo Kile e eu estávamos dirigindo até a casa dos Woodwork. De longe reconheço o carro da minha família, meus pais haviam acabado de entrar na mansão dos Woodwork, Eikko estava entrando no carro, mas ao ver eu estacionando, espera.  

Eikko: Eadlyn, quanto tempo. — Cumprimenta abrindo um sorriso. Quando eu saio do carro ele me dá um abraço forte.  

Eadlyn: Eu estava viajando, voltei a pouco tempo. — Respondo sorrindo, sinto a presença do Woodwork atrás de mim. Sinto sua mão em minha cintura.  

Kile: Olá, Eikko. — Cumprimenta com o tom de voz estranha que ele utiliza para falar com o Eikko. Até hoje não entendo por que Kile fala com o Eikko com o tom de voz rude. Geralmente o Woodwork é gentil com todos, mas parece que ele tem algo contra o Eikko.   

Eikko: Olá senhor Woodwork.   

Kile: Kile, meu nome é Kile. — Corrigi rude. Encaro ele confusa. O que ele tem? Ele vai ter que me explicar essa atitude mais tarde.   

Eikko: Meus parabéns pelo casamento. — Diz me dando um beijo na minha bochecha. — Até logo! — Diz fazendo um aceno com a cabeça, entrando no carro.  

Kile: Vamos. — Diz com o seu tom de voz normal, me puxando pela mão até a mansão. A porta estava encostada, Kile entra sem bater. Encontramos nossos pais reunidos na sala.  

America: Eu estava preocupada, aconteceu algo?  

Kile: Sim, aconteceu! — Diz determinado, segurando a minha mão.  

Eadlyn: Nós descobrimos tudo! Todas as mentiras, todas as coisas que vocês não nos contaram.  

Maxon: Do que vocês estão falando? — Meu pai pergunta. Eu e Kile sentamos em um sofá em frente a eles.   

Kile: Do passado, da seleção!  

Eadlyn: Nós sabemos que era para você pai, se casar com a Marlee. Não com a minha mãe.  

Kile: Sabemos que a sua seleção Maxon, foi uma farsa e que seu pai escolheu a minha mãe, você não tinha escolha.   

Marlee: Como vocês descobriram isso?  

Kile: Não importa. Vocês vão contar toda a verdade para nós ou vão continuar com as mentiras?  

Maxon: Eu conto. — Meu pai respira fundo e começa: — No passado, como vocês sabem, as pessoas não tinham a liberdade de escolher com quem iriam casar. Porém, após um tempo surgiu as seleções. Era tipo uma competição, onde meninas competiam pelo coração do garoto que estivesse oferecendo a seleção. Meu pai quis que eu fizesse uma, seis meninas queriam me conquistar. America, Elise, Celeste, Kriss, Marlee e Natalie eram as minhas selecionadas. Todas foram sorteadas, menos uma, a sua mãe Kile. O único objetivo da seleção era para eu me casar com Marlee, o único objetivo era juntar as famílias, os nomes. Eu nem poderia cogitar a possibilidade de escolher outra selecionada, mas a America apareceu e eu me encantei por ela, mesmo com ela me odiando. Eu não poderia fazer isso, eu não poderia cogitar me casar com a America. Mas eu a amo demais, eu não conseguiria viver sem ela. Eu enfrentei o meu pai, eu enfrentei ele pela America. Mas não adiantou nada, ele...  

Eadlyn: Sem mentiras. — Meu pai encara os meus olhos, bem lá no fundo podia ver que doía nele relembrar o passado. Ele levanta e abre sua camisa branca, ele vira de costas, quando ele tira o tecido da camisa da frente meu coração se encolhe. Havia várias cicatrizes claras ali, dava para perceber que haviam sido feitas a muito tempo. — O que é isso? — Pergunto abalada, apertando a mão do Woodwork.   

Maxon: Ele me batia, eu recebia chicoteadas todas as vezes que contrariava ele.  

Eadlyn: Eu não acredito nisso, como ele era capaz?  

Maxon: Eu não sei. — Diz fechando a camisa. — Na noite que eu confrontei ele era um pouco antes do Halloween, eu tentei me afastar de America, mas eu a amava muito. Eu lembro que a cada dia que passava, mas próximo estava a escolha. No Halloween seria a nossa despedida, America partiria de volta para Carolina. Mas eu não consegui deixar ela ir, nós dois íamos fugir pela manhã, após a festa.   

Marlee: Mas antes disso acontecer, flagraram eu e Carter se beijando no armário.  

Carter: Tinha muita imprensa no lugar, todos começaram a julgar Marlee.  

America: Mas a Marlee não traiu ninguém, Maxon contou sobre o nosso plano para ela. Marlee permanecia na seleção só que ela e Maxon não se amavam e não queriam casar, os dois amavam outras pessoas.  

Marlee: Meu pai e o Clarckson ficaram furiosos, nós havíamos arruinado o plano. Eu não poderia me casar mais com o Maxon pois todos sabiam sobre eu e Carter, eu era a traíra, estava eliminada da competição.  

Carter: Nós dois íamos ser castigados, íamos ser chicoteados... — Olho para Kile e ele parecia abalado, sua boca estava aberta e seus olhos estavam sem expressão. Seguro a mão dele firme.  

Marlee: Maxon salvou a gente do castigo, ele inventou a história que eu já estava eliminada e só permanecia na mansão para o baile de Halloween.   

Maxon: Meu pai ficou possesso com isso.   

Marlee: Meu pai também, ele me disse que eu era uma vergonha. Eu era uma inútil que não foi capaz de me casar e conquistar um bom sobrenome e aumentar a fortuna da minha família.   

Maxon: Eu e Marlee fomos atacados de todas as maneira pelos nossos pais, não fomos capazes de conseguir um bom casamento.   

Marlee: Nós devíamos isso aos nossos pais. A condição para eles deixarem Carter e eu livres do castigo e deixar Maxon e America casarem era que nós uniríamos o nome e fortunas Schreave e Woodwork, que seria o meu novo nome após casar com Carter.  

Kile: Fortunas? Se meu pai era guarda ele não era rico.   

Carter: Kile, a Woodwork é a empresa da família a muito tempo, naquela época era dirigida pelo meu pai, ela já rendia muito bem. Mas eu sempre fui que nem você, sempre quis a minha independência, por isso trabalhava como guarda para conseguir o meu próprio dinheiro e mostrar pro meu pai que eu poderia ser independente.  

Maxon: Meu pai e de Marlee fez nós aceitarmos um trato. O trato era que os nossos futuros filhos primogênitos teriam que se casar e unir os nomes e as fortunas.  

America: Vocês estavam destinados a casarem desde que nasceram!   

Eadlyn: O quê? — Grito.   

Kile: Como vocês aceitaram essa proposta?  

America: Eu não queria que meus amigos fossem chicoteados e eu sabia que se nós não aceitássemos, Maxon também seria muito castigado pelo pai.  

Eadlyn: Meu avô morreu antes de eu nascer, vocês poderiam quebrar essa promessa.  

Maxon: Contratos Eadlyn. Se vocês não se casassem até completarem 23 anos nós perderíamos as empresas.   

Carter: Nós assinamos um contrato onde dizia que se até vocês completarem 23 anos a Schreave e a Woodwork não virassem uma só empresa, Maxon e eu perderíamos a posse das empresas. Ficaríamos sem nada. As duas empresas ficariam para o governo.  

Eadlyn: Quê? Como assim? Os pais de vocês iriam preferir que o dinheiro fosse para o governo, e não para vocês. Os pais de vocês eram doentios.   

Kile: Mas por que nós? Vocês não pensaram no quanto nós iríamos sofrer?  

Eadlyn: Vocês deveriam ter contado a verdade para nós!  

America: Nós tentamos impedir esse casamento. Nossa intenção era fazer vocês crescerem juntos, conviverem. Os dois eram tão próximos e tudo parecia estar caminhando pro rumo certo. Vocês se gostavam.   

Carter: Só que eu tive uma ideia. Após o falecimento do meu pai e do da Marlee não restava mais ninguém além de nós que sabíamos desse trato. Esqueceríamos esse trato e não uniríamos as empresas.   

Marlee: Só que vocês se gostavam demais, tinha uma grande chance de se casarem por vontade própria. — Kile e eu nos encaramos. — Se vocês se casassem o trato valeria, ocorreria a união das fortunas e dos nomes. Se isso ocorresse vocês não poderiam se separar nunca mais, tentamos fugir disso e por isso separamos vocês quando crianças.   

Maxon: O tempo passou, achamos que esse trato havia ficado no passado. Só que quando vocês dois completaram dezoito anos chegou uma cláusula avisando que tínhamos cinco anos para casar vocês, caso ao contrário, perderíamos as empresas.  

Marlee: Tentamos fugir desse trato, só que nossos pais registraram isso, eles deixaram isso no testamento deles.  

Maxon: O inevitável teria que acontecer, vocês dois teriam que casar!  

Eu estava sem palavras, eu não acreditava que um ser-humano como o meu avô pudesse existir. Ele espancava o meu pai e ainda o obrigou a aceitar uma proposta dessa. Eu não o conheci, logo após o casamento dos meus pais ele descobriu que estava com um tumor no cérebro, ele descobriu tarde demais e não tinha mais cura. Ele morreu devagar, sentia terríveis dores na cabeça. Já minha vó, pelo que eu sei, era muito boa. Ela o amava muito, quando o marido morreu, quando descobriu sobre a morte do seu marido teve um ataque cardíaco. A história dos meus avós é trágica.   

 Olho para o Woodwork e ele também encarava o chão, parecia tentar digerir as informações.  

Eadlyn: Se vocês contassem a verdade, eu entenderia melhor!  

Kile: Vocês deviam ter explicados essas coisas para nós antes do casamento, nós entenderíamos.   

America: Desculpa fazer vocês sofrerem.  

Marlee: Desculpa fazer vocês pagarem pelos nossos erros do passado.  

Eadlyn: Não sabia que lutar pelo amor era um erro!  

Kile: Não precisa se desculparem, eu entendo vocês. É muito difícil viver sem a pessoa que se ama, eu faria as mesmas coisas que vocês fizeram.   

America: Vocês tão sabendo bastante sobre o amor, em? — Insinua.   

Eadlyn: Livros, andei lendo bastante romances ultimamente.  

 


Notas Finais


💞"Não existe loucura mais saudável do que aquela que é cometida por amor."💞


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...