História Taboo - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carrossel
Personagens Alícia Gusman, Diana Ayala, Jaime Palillo, Jorge Cavalieri, Kokimoto Mishima, Marcelina Guerra, Margarida Garcia, Mário Ayala, Paulo Guerra
Tags Amizades, Amor, Briga, Crimes, Defeitos, Desejo, Fachada, Gangue, Guerra, Incesto, Pecados, Sexo, Tortura, Turma Do Terror
Exibições 117
Palavras 1.054
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Hentai, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Raphagleek espero que goste pois parte desde capítulo foi feita pra você. Como agradecimento pelos seus comentários motivadores, intensos e enormes.

espero que você e todos os leitores gostem do capitulo

Capítulo 8 - From The Angel's Tongue Comes The Way To Hell


Diana

 

Eu sempre ouvi falar que a maquiagem faz milagres, achava um exagero, nunca fui muito de usar maquiagem então na sabia muito sobre o assunto, mas sempre achei que só servia pra destacar você.

Eu mordi minha língua. As maníacas 1 e 2, me levaram pro quarto e após uns 5 minutos minha pele ficou perfeita. Cada hematoma, e chupão ficou coberto. 

 

(Marcelina)- A saia e a camisa vão cuidar de esconder os cortes e caso alguém note é só ela falar que se arranhou. O problema é esse olho, o Mário caprichou. Tá parecendo uma bola preta de sinuca.

(Margarida)- Podemos suavizar pra não parecer tão grave e ela inventa que bateu em algum lugar. O que acha?

(Marcelina)- É só o que dá pra fazer.

(Diana)- Vocês não deviam falar comigo?

(Margarida)- Achei que você havia aprendido, bonequinha. Você não tem mais vontade própria, ou já se esqueceu do que o Jaime te falou pela manhã?

 

Depois disso fiquei quieta, vestindo meu uniforme e fomos todos para a mundial. Quando estávamos perto da porta a Margarida me puxou para o lado.

 

(Margarida)- A coleira tem sistema de fechadura e distância se você tentar sair da escola sem nós, ou tentar abrir a coleira, ela envia um sinal pro controle e se eu não apertar esse botão aqui. -Ela sorriu- Ela vai liberar a carga máxima de eletricidade no seu corpo.

 

Dito isso ela me largou e foi pro pátio com eles, enquanto eu fui pra minha sala. Me sentei no fundo e me distrai ouvindo música.

 

 

Paulo

 

(Paulo)- Vocês tem certeza que tá pronto? 

(Jorge)- Claro. Eu e o Jaime usamos ele de vez enquanto e tudo funcionou corretamente.

(Jaime)- É o próprio paraíso -eles riem da piada interna- está na hora?

(Paulo)- Agora que temos a putinha sob o nosso controle, podemos começar.

(Marcelina)- Já sabem quem vocês querem chamar pra passear? 

(Jaime)- Daniel

(Marcelina)- Carmen

(Margarida)- Maria Joaquina

(Jorge)- Cirilo

(Koki)- Bibi

(Mario)- Dudu

(Paulo)- Todos são ótimas idéias, mas precisamos de uma pessoa mais importante pra Representar nossos colegas.

(Jorge)- Sabia que ele ia achar um jeito de colocar ela na história.

(Paulo)- Você discorda?

(Jorge)- Nem um pouco.

 

############################

 

Narrador

Sexta-feira à noite

 

Ela estava em casa estudando pras provas quando o celular tocou. Ela encarou a tela sem saber de quem era o número. Depois de esperar um tempo ela atendeu. 

 

ligação on

No começo ela não ouvia nada a não ser uma respiração entrecortada.

- Quem é ?!

- Alicia? -a voz era infantil e estava claramente assustada- Sou eu Diana, a irmã do... Ma..Mário. 

- Diana? o que houve? porque você tá me ligando?

- Eu não tinha pra quem ligar. Meu irmão e os amigos dele... Eles... eles - agora ela chorava desesperada- Eu preciso de ajuda...

- O que aconteceu, Di? 

- Eles... eles... Eu me escondi na velha casa abandonada, lembra dela? Eles vão me achar aqui... me ajuda, Alicia. Você já foi amiga do meu irmão, talvez possa me ajudar.

-tô indo prai.

Ligação Off 

 

Alicia inventou qualquer desculpa pra mãe e correu pra casa abandonada. Era verdade que ela um dia já foi muito amiga do Mário, mas no 6° ano ele se juntou a turma dos Guerra. 

Porém eu vivia na casa dele e meio que me acostumei a pensar na Diana como uma irmãzinha. O medo na voz dela fez a Gusman se decidir.

Ao entrar na casa abandonada ela viu a garota encolhida que ao encará-la se jogou em seus braços e envolveu seu pescoço. 

 

(Diana)- Desculpa... -Ela sussurra e se afasta da mais velha.

(Alicia)- O que houve, Di? Porque você está pedindo desculpas?

(Paulo)- Provavelmente por isso. -Ele aperta o botão fazendo com que uma descarga de eletricidade fosse liberada no corpo da Gusman- A coleira n°2 finalmente está funcionando direito, Loiro.

(Jorge)- Eu disse pro Koki que o problema era o cabeamento, mas não ele tinha que teimar.

(Koki)- Ok, Jorge,  mas agora acho que devíamos apreciar a cena: A poderosa e superior Alicia Gusman, a imponente representante de turma do 2° ano, de coleira e no chão.

(Marcelina)- Eu esperei tanto tempo pra te ver assim, vadia. -Ela sorriu malévola- Eu vou gostar muito disso.

(Paulo)- Jaime, por favor vire à nossa convidada.

 

O mais velho de todos, a segurou pelos cabelos e a virou pro canto da sala onde Paulo analisava uma estátua de anjo. Todos sorriam, deliciados com o show, exceto Diana que estava encolhida em um canto.

 

(Paulo)- Anjos. Seres incríveis, todo-poderosos e luminosos, tem tudo para serem benevolentes, né?

(Alicia)- O que é isso? -Ela estava grogue pelo choque- o que vocês... estão fazendo?

(Paulo)- Sabe quem foi o mais bonito e perfeito dos anjos? -ele aperta o botão e começa a sufoca-la- Eu fiz um pergunta, cadela!

(Alicia)- O Diabo...

(Paulo)- Exato. Lucifer, a estrela da manhã. Ele possuía uma lábia poderosa: Com suas palavras ele convenceu um terço do exército celestial a se virar contra Deus. Com a mesma lábia,  ele convenceu Eva a desobedecer a lei de Deus. Por seus crimes ele e seus seguidores foram jogados nas profundezas do inferno. Podemos dizer, então, que dá lingua do anjo, surge o caminho para o  inferno.

 

Ele mexeu na boca da estátua e imediatamente uma abertura quadrada surgiu no chão. Os olhos da Gusman se arregalaram. 

 

(Alicia)- O que é  isso?

(Paulo)- Você não ouviu a minha explicação? Essa é a entrada para o inferno.

 

Ele a jogou pela entrada e encarou os amigos. A animação de todos era palpável.

 

(Paulo)- Tenho que te aplaudir, Caipira. Você adestrou a pirralha muito bem. E por isso vai ganhar um presente.

(Margarida)- Que seria?

(Paulo)- A pirralha.  Eu e minha irmã temos contas particulares com a Gusman antes de começar o julgamento. Durante esse período pode fazer o que quiser com a garota é o resto de vocês prepararem o equipamento.

 

Todos desceram deixando apenas a ex-caipira  e a pobre inocente. Margarida se aproximou e ergueu a cabeça da menor pra que ambas se olhassem nos olhos.

 

(Margarida)- Você tem fogo nos olhos, gosto disso. 

(Diana)- Você vai me pagar.

(Margarida)- Ainda não aprendeu a lição, não é mesmo? -Ela acerta um tapa na cara da menor- tudo bem, acho que falta um toque feminino no seu aprendizado. 


Notas Finais


Diana sendo corajosa. Margarida preparando uma lição pra ela. O que será o Julgamento a que Paulo se referiu? Aonde leva aquele alçapão? Essas e outras respostas no próximo capítulo de Taboo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...