História Taboo love... - Capítulo 64


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Gêmeos Yaoi, Hard Lemon, Incesto Irmãos, Long-fic, Shotacon, Threesome
Exibições 423
Palavras 2.185
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Lemon, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Heyy povo! Gente, esse cap ficou meio grande então perdão se tem algum erro perdido ae, ignorem... Boa leitura!

Capítulo 64 - Festa...


Fanfic / Fanfiction Taboo love... - Capítulo 64 - Festa...

Pov. Anna - On

~Algumas horas antes~

Pov. Chamada - On

-- Uma festa na sua casa? - Perguntou Alex do outro lado da linha.

-- Isso aí, meus pais não estão em casa, eu não queria ficar aqui sem fazer nada sendo que eles só voltam pela manhã... - Falei me sentando no sofá da minha sala enquanto seguro meu celular contra meu ouvido.

-- Mas quanta gente vai estar nessa festa? 

-- Eu liguei pra todo mundo que conheço na escola e olha que eu conheço muita gente, já liguei pra uma mulher vir aqui organizar as coisas e talz, tá quase tudo pronto. - Falei enquanto fito a mulher loira falar com algumas pessoas que estão decorando minha casa.

-- Pff... tá bom loira, que horas vai ser?

-- Umas 9 da noite... 

-- Tá, agora é 8:30, 8:40 eu tô aí. Tchau.

Pov. Chamada - Off

Logo após desligar o celular me deitei no sofá cansada e me espreguicei.

— Com licença Anna, já está tudo pronto. - Disse a mulher morena com grandes cabelos lisos até a cintura e uma pinta pequena no canto de seu olho direito enquanto se aproxima do sofá.

— Hum, ok Yuno.  Ah e não se esqueça, não é pra contar pra minha mãe entendeu? 

— Sim eu entendi, não é porque eu trabalho com ela na mesma empresa de moda que vou contar tudo pra ela sendo que você é minha amiga. – Falou ela me fitando com um sorriso de canto enquanto segura sua prancheta com as anotações.

— Hum, ok. – Falei sorrindo meigamente também, foi quando ela se aproximou de mim.

— O que está fazendo? – Perguntei surpresa ao vê-la se aproximar demais. 

— Eu queria que me desse uma recompensa. – Falou ela se inclinando para próximo do meu rosto, foi quando eu a empurrei pelos ombros.

— Q-Quantas vezes tenho que te dizer... Não quero esse tipo de relação com você Yuno. – Falei fitando o chão. 

— Eu sei... Só tinha a esperança que você pelo menos me desse um beijo de agradecimento. – Falou ela se afastando de mim lentamente; suspirei.

— Não posso fazer isso. – Falei me levantando do sofá e me dirigindo até a escada que leva ao meu quarto.

— Obrigada pela decoração, você é muito boa nisso. – Falei enquanto subo a escada.

(...)

Cheguei no quarto e fiquei esperando o tempo passar mexendo no celular pro tempo passar mais rápido e povo começar a chegar logo. Quando eu vi já era 8:40.

— Vish, o Alex já vai chegar... – Falei pra mim mesma ao ver a hora no celular.

Foi quando meu celular começou a tocar Monster do Eminem e da Rihanna. Logo vi que era o Alex.

-- Tô aqui na frente. – Disse ele do outro lado da linha.

-- Já vai. – Falei desligando na cara dele.

Me levantei da cama que nem uma múmia e fui até a porta da minha casa pra poder abri-la. Não sei por que inventei de fazer essa festa, vou ficar essa merda toda sem fazer absolutamente nada enquanto o povo se come pela minha casa, afe.

(...)

— Entra. – Falei um pouco irritada com uma cara de cu logo após eu abrir a porta para o ser loiro entrar.

Alex sorriu e me abraçou.

— Eu estava com saudades de você. – Falou ele se afastando de mim pra poder entrar na minha casa, dei passagem pra ele entrar.

— A gente se viu hoje seu escroto. – Falei fazendo uma cara confusa; Alex riu e fechou a porta da minha casa.

— Se tá pistola hoje ein, o que aconteceu? Tá de tpm?–Brincou Alex cruzando os braços e rindo.

— Nada disso, nem sei por que eu tô assim, acho que queria dormir. – Falei bocejando um pouco enquanto Alex comia alguns salgadinhos da mesa como se fosse uma criança em uma festa de aniversário. Fiquei olhando ele comer com os braços cruzados.

— Que foi, também quer? – Perguntou ele de boca cheia me fazendo erguer uma sobrancelha.

— Quero, na verdade todos vão querer, deixa também pros convidados seu guloso. 

— Comida é vida, mas se você quer eu te deixo provar um pouco. – Disse Alex só pra logo em seguida se aproximar de mim e me puxar pela cintura, fiquei surpresa com seu movimento repentino, logo ele me beijou carinhosamente segurando meu queixo me fazendo sentir o gosto de frango do salgadinho.

Ele então deslizou sua mão delicadamente pelo meu rosto me fazendo fechar os olhos lentamente enquanto retribuo o beijo carinhosamente, coloquei minha mão atrás de sua cabeça e comecei a acariciar seus cabelos dourados enquanto movo meus lábios junto a Alex.

— Anna sua loka cadê você?! Abre saporra aqui agora! – Gritou uma garota do lado de fora da minha casa, logo em seguida me separei do beijo com Alex que ficou com a boca toda vermelha por conta do batom que eu estou usando.

— Você tem que parar de fazer isso enquanto eu estiver de batom... – Murmurei com os olhos entreabertos ainda com meu rosto bem próximo ao de Alex que está na mesma situação que eu.

— É mais divertido assim. – Disse ele sorrindo de canto e se afastando um pouco de mim.

Então eu limpei minha boca com um guardanapo que estava na mesa e fui na direção da porta a abrindo.

— Garota sê não tem noção, eu to toda fudida em história, se acredita que eu vou reprovar nessa budega?! Se eu reprovar meu pai vai comer meu cu! – Disse uma amiga minha apelidada Gabi já entrando na minha casa.

— Nossa, nem digo nada pra você, eu avisei que você ia reprovar, quem mandou ficar saindo com os boy um dia antes da prova? – Falei e logo em seguida várias pessoas começaram a entrar e começar a comer, Yuno que acabou de chegar com a caixa de som logo colocou uma música bem alta e animada pra tocar, ela também desligou às luzes e deixou alguns neons dentro da minha casa junto as portas para a piscina abertas.

Se passaram uns 30 a 40 minutos deis de então e várias pessoas já se encontram na minha casa, eu estava tão entretida mexendo no celular com a Gabi que quando eu vi a minha casa já estava lotada.

— Hum? Cadê o Alex? – Perguntei a Gabi que está mexendo no seu celular ao meu lado.

— Quê? – Gritou a garota tampando os ouvidos pois a música está muito alta já que estamos perto da caixa de som.

— O Alex estava aqui do meu lado... Cadê ele? – Gritei no ouvido da Gabi enquanto as luzes de Neon passam por nós junto as pessoas que estão falando demasiadamente alto, realmente vieram pessoas que eu nem se quer conheço nessa festa.

— Ah o Alex? Tá ali com os amigos dele. – Falou Gabi apontando para o Alex que está ainda com a boca cheia do meu batom conversando animadamente com alguns garotos de sunga que estão tomando alguma coisa, todos eles estão perto da piscina.

Vi que Alex estava acompanhado por seus amigos e resolvi deixar ele se divertir mesmo.

— Hum, ok. – Falei me virando pra ir até a cozinha. – Vô pegar alguma coisa pra beber. – Falei já começando a andar até a cozinha, Gabi assentiu com a cabeça enquanto mexe fissurada em seu celular.

Chegando na cozinha, eu vejo várias garrafas de todo tipo de bebida junto a várias coisas de vidro quebradas no chão, mas já tá assim? Quando minha mãe chegar amanhã eu vou morrer. Vejo que não tem ninguém; ótimo, posso ficar aqui fazendo nada, ganho mais já que aqui tem comida e se eu for pra festa, vou ficar lá fazendo nada também, porém sem comida.

— Hey garota. – Disse um homem jovem de cabelos negros e cumpridos até os ombros, ele tem um olhar de tédio e uma postura despojada. Olhei pra ele com um olhar confuso, me perguntando se ele tinha falado comigo. — Se é surda garota? – Disse ele se aproximando de mim de um modo repentino, me assustando um pouco com sua proximidade.

— Hum... Quem é você? – Perguntei pois eu nunca tinha o visto na escola, na verdade eu nunca tinha o visto ma vida, ele deve ter entrado de penetra.

— Não te interessa. –Disse ele ainda com sua feição apática e sem vida. Ele então se inclinou um pouco sobre mim ficando muito perto do meu rosto, arregalei os olhos ao perceber o quão próximo estamos e fui inclinando meu corpo pra trás me segurando na mesa da cozinha a medida em que ele se inclina sobre mim, posso até sentir a respiração calma dele batendo contra meu rosto.

Fechei os olhos com força quando achei que ele fosse me beijar mas não aconteceu nada, estranhei, então abri um de meus olhos e vi o cara tomando um copo de vodka lentamente.

— Mas oq...

— Só queria pegar isso que estava atrás de você garota, eu não vou te estuprar não. – Falou ele com uma de suas mãos no bolso, se afastando de mim pra se aproximar da porta da cozinha, me deixando com cara de idiota. — Talvez mais tarde. – Disse ele já saindo da cozinha.

—... – Fiquei sem saber o que responder.

Alguns minutos depois que eu fiquei na cozinha sozinha sem fazer absolutamente nada como eu já suspeitava deis do princípio, começo a escutar uma gritaria muito alta no quintal. Estranhei, então abri a porta dos fundos da cozinha que dá para o quintal.

— Então era você que tava beijando a Anna?! – Escutei a voz do Alex completamente alterada, ele parece estar bêbado; arregalei os olhos tentando me enfiar no meio da multidão que tá fazendo uma rodinha.

— E se eu for, vai fazer o quê? – Essa voz...Já ouvi antes... Ah já sei! É do garoto de hoje mais cedo na cozinha.

— Se você for eu vou arrebentar sua cara filho da puta! – Escutei a voz do Alex um pouco mais alto, as pessoas começaram a gritar e eu finalmente consegui adentrar a rodinha.

— Mas o que tá acontecendo aqui?! – Perguntei  entanto fito Alex completamente cambaleante na frente do cara estranho de mais cedo, olhei em volta e percebi que todos da festa estão meio alterados, acho que estão todos bêbados... Quando tempo eu fiquei comendo na cozinha e mexendo no celular?

— Descobri que esse babacah estava teh beijando mais cedo... – Disse Alex tentando acertar um soco desajeitado no cara que desviou com facilidade, foi aí que eu percebi que ele é o único que não está bêbado.

— O quê?! – Falei com a voz meio alterada.

— Já chega, não tô com paciência pra você. – Disse o cara cabelos longos só pra logo em seguida acertar um soco bem no meio da cara do Alex; arregalei os olhos com a tamanha força que esse cara usou pra acertar o Alex que logo em seguida caiu na piscina.

Me desesperei quando vi ele se debatendo na piscina.

— Ei! O que você fez idiota! – Gritei empurrando o cara que fez uma feição irritada.

— Eu tava querendo mete o murro na cara dele faz anos. – Disse ele de uma maneira fria, já se afastando da piscina.

Quando eu vi que Alex estava parando de se mover e ninguém estava fazendo nada por estarem todos bêbados eu pulei na piscina sem hesitar, nadei até Alex e o puxei pela camisa até a borda, todos se afastaram e começaram a se desesperar também ao perceber que ele não está se movendo.

— Hey, o garoto não está se movendo? – Disse uma garota do meio das pessoas.

— Meu deus, chama um médico! – Gritou outra garota.

Com as minhas mãos tremendo eu peguei meu celular e liguei pra pessoa que mora mais próximo de mim, Yuri.

(...)

~ Atualmente.

Fiquei sentada ao lado de Alex tentando fazer respiração boca a boca com ele mas eu simplesmente não sei fazer isso, começo a jogar um monte de saliva na boca dele e a única coisa que não sai é ar.

Logo após alguns minutos o Yuri chega com Hiro que veio correndo na direção do Alex.

— Quanto tempo ele tá assim?! – Perguntou Hiro me fitando com um olhar sério. 

— Alguns minutos... – Murmurei sentindo as lágrimas rolarem pelo meu rosto.

Logo Hiro colocou ambas as suas mãos, uma em cima da outra no peito de Alex e começou a forçar pra cima e pra baixo, ele fez isso repetidas vezes bem forte no peito de Alex e logo em seguida fez uma coisa que me fez arregalar os olhos em surpresa, agarrou o maxilar de Alex e começou a fazer boca a boca nele de um modo certo e calmo. Algumas pessoas começam a se sentar no chão, vendo o que Hiro faz enquanto algumas pessoas vão embora.

Logo após alguns segundos Alex começou a tossir água de um modo frenético me fazendo sorrir internamente e abraça-lo com força logo em seguida pelo choque. Coloquei minha cabeça no peito dele e comecei a soluçar por conta do choro enquanto o abraço, logo senti os braços de Yuri em volta de mim, ele está me abraçando por trás.

— Ainda bem... Idiotia! – Gritei deferindo um soco fraco no peito de Alex que meio trêmulo passou seus braços pela minha cintura.

Pov. Anna - Off

Continua...

 


Notas Finais


Qual relação que Anna tem com essa Yuno?
E esse cara misterioso? Por que ele queria bater no Alex a anos? Foi algo que ele fez? Veremos 🌝


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...