História Taboo love... - Capítulo 72


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Gêmeos Yaoi, Hard Lemon, Incesto Irmãos, Long-fic, Shotacon, Threesome
Exibições 403
Palavras 1.573
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Lemon, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


PV DO LYAAAN, aqui podemos ver claramente o que se passa na cabeça desse pequeno pervertido durante o dia, espero que gostem.

Boa leitura 💋

Capítulo 72 - Fome


Pov. Lyan- On

" Mas o que é isso? Que menina escrota, essa blusa tá muito ridícula nela, meu deus, pra que usar blusa de frio nesse calor? E ainda uma blusa tão brega." Pensei fitando o look de uma garota enquanto ando pelos corredores da escola com o Ryan e o Eddy, tudo bem que eu também estou usando blusa, mas a minha é da escola, e não de oncinha. Havia acabado de bater o sinal para o encerramento das aulas, hoje é sexta feira! Vou me divertir pra caramba no final de semana.

— Que cara de cu é essa? – Eddy me perguntou pois ainda estou fitando a garota com desgosto enquanto ando.

— Nada... – Falei desviando a minha atenção para a frente.

Logo nós chegamos perto do nosso carro e encontramos o Yuri na frente dele, ele está de braços cruzados fitando a multidão de alunos que saem da escola. 

Quando estávamos nos aproximando, eu avistei um mini ser de cabelos loiros se aproximar de Yuri, esse garoto só não é tão fofo quanto eu, pois não existe ser mais fofo que eu no universo, eu sou quase um deus.

— Hm... Yuri, te vejo amanhã... – Escutei o garoto murmurar com o rosto corado, ele quase deu um abraço no Yuri mas o mesmo o impediu o afastando de um modo gentil, o garoto parece que ficou extremamente triste com isso e se afastou quase de imediato, posso ver nas feições dele o quanto ele está triste e quase chorando com os olhos cheios de lágrimas enquanto desvia o olhar. 

Essas me parecem lágrimas de decepção por não conseguir uma boa foda, eu choro assim quando não consigo transar, esse garoto é dos meus. Yuri e o garoto ainda não perceberam a nossa presença, nós três fitamos a cena em silêncio.

— Ok, te vejo amanhã Arthur. – Yuri falou com um sorriso e um aceno. Arthur, pera, esse não é o Arthur que entrou novo na nossa sala? 

— Esse garoto quer dar muito o cu, eu vejo só pelo olhar dele, ele quer muito dar o cu.. – Falei com um sorriso sacana no rosto enquanto fito a cena. Vi os olhos do Eddy de arregalarem com o que eu disse, disse algo de errado por acaso? 

O garoto então foi embora com uma cara de decepção muito evidente em sua face por não conseguir o que queria, bom, pelo menos eu vejo assim, ele queria o corpo do Yuri nu.

Então Ryan se aproximou mais do carro e finalmente Yuri nos notou.

— Oi, o que está fazendo aqui? – Ryan perguntou com sua costumeira cara de cu enquanto destrava o carro com o controle.

— Eu queria que vocês me levassem pra casa sabe. – Yuri falou coçando a nuca meio constrangido.
— Meu irmão meio que sumiu. – Quando Yuri disse isso, percebi um clima meio estranho entre ele e o Eddy que fita Yuri com a sobrancelha erguida e braços cruzados, o que tá pegando?

— Tudo bem cara. – Ryan falou entrando no carro, Yuri logo entrou junto ao Eddy no banco de trás e eu fui no banco da frente.

— Onde tu se meteu em... Parece que você magoou alguém, parabéns gênio. – Eddy murmurou ao Yuri de um modo sério enquanto fita a janela. Não entendi muito bem o sentido da frase, mas quando olhei pelo espelho retrovisor, Yuri está estático de olhos arregalados enquanto fita o Eddy, parece que ele se abalou um pouco com isso.

— E-Eu não fiz nada porra! – Yuri falou meio irritado, fiz uma feição confusa.

— O que aconteceu? – Perguntei, porém ninguém respondeu e eu fiquei muito no vácuo. "Vão tomar no cu também." Pensei meio irritado, odeio quando escondem as coisas de mim ou me deixam de fora da conversa.

Ryan não perguntou nada como sempre e acabou que ficou por isso mesmo, ninguém respondeu a minha pergunta e eu fiquei no vácuo eterno.

Deixamos Yuri em casa e logo seguimos o nosso caminho.

No meio do caminho, me incomodei com algo que eu estava sentando em cima já a algum tempo mas tive preguiça de tirar, o papel tava quase entrando na minha bunda, então me remexi e retirei debaixo de mim um envelope com um laço, um laço feio e brega. 

Logo me lembrei que a Riko tinha convidado todos da escola para a festa de aniversário da Akemi que será amanhã a noite. Amassei o papel e joguei no chão do carro.

— Que isso amor? – Ryan perguntou fitando a estrada com a maior concentração do mundo.

— Um papel idiota. – Falei e me encostei na janela do carro enquanto fito os carros passarem por nós com a maior facilidade.— Pela mor de deus Ryan, você dirigindo parece uma tartaruga ou uma lesma andando. – Falei sem paciência.

— É verdade, acelera um pouco aí... – Eddy falou no banco de trás.

— Devemos dirigir em uma velocidade segura. – Ryan falou não tirando a sua atenção da estrada.

— Dou meu cu pra você se você for mais rápido. – Falei na esperança dele acelerar um pouco.

— Hahaha! Vou ter seu cu de qualquer jeito, não se preocupe, chegaremos na hora que temos que chegar, em segurança. – Ryan falou com a maior calma do mundo, ele até diminuiu a velocidade dessa porra! Não consegui responder essa, o pior é que é verdade, vou dar o cu pra ele de qualquer jeito.

— Nossa, você parece um velho falando. – Eddy disse se encostando na janela do carro distraído.

Ryan não disse nada, só continuou dirigindo que nem um caramujo.

(...)

Quando chegamos em casa eu tive fome, minha barriga roncou de fome.

— Alguém faz comida pra mim? – Perguntei soltando um bocejo enquanto ando em direção a porta de entrada da casa.

— Pode deixar que eu faço. – Ryan falou e eu assenti positivamente com a cabeça.

Entramos em casa e eu logo me deitei no sofá com tédio.

— Vai tirar a roupa da escola não? – Eddy perguntou retirando sua gravata, eu não sei pra que ele usa essa coisa brega.

— Tô com preguiça, me ajuda. – Falei erguendo meus braços, Eddy suspirou meio irritado e se aproximou de mim só pra logo em seguida começar a retirar minha blusa de frio da escola.

— Você não é mais uma criança Lyan. – Eddy falou dobrando a minha blusa.— Você pode muito bem tirar sua própria blusa de frio sem ajuda.

— Prefiro que você tire. – Falei com um sorriso malicioso. Eddy desviou o olhar.

— Não começa. 

— Não comecei nada ué, pare de tirar conclusões precipitadas. – Falei cruzando as pernas ainda com um sorriso malicioso no rosto.

— Vem aqui, deixa eu tirar seus óculos. – Falei me ajeitando melhor no sofá para ter melhor visão do Eddy constrangido, adoro ver as pessoas assim por mim.

Meio relutante e desconfiado, Eddy se inclinou na minha frente, então retirei os óculos dele bem devagar enquanto fito fixamente os olhos verdes dele, ele também tem seus olhos grudados nos meus, não sei o que acontece, mas quando eu vejo os olhos do Eddy assim sobre mim eu sinto uma sensação tão boa de excitação que eu acabo não sabendo lidar, é tão excitante!

Senti meu rosto corar e passei a língua por minha boca pra umedece-la. Eddy percebendo o meu ato, logo tentou se afastar mas eu fui mais rápido e aproximei meus lábios roubando assim um beijo dele. Eddy ao sentir meus lábios contra os seus, não resistiu, ele logo cedeu e retribuiu o beijo. Então comecei a mover meus lábios em sincronia com ele que se sentou no sofá me colocando sobre seu colo, coloquei ambas as minhas pernas uma em cada lado de seu corpo e voltei a beija-lo agora de um modo intenso enquanto toco seu rosto o acariciando, pedi passagem com a língua que logo foi concedida para a minha alegria, Eddy então agarrou bem forte a minha cintura me causando um arrepio instantâneo de excitação.

Ah... Como eu amo essa sensação! Não consigo lidar com meu corpo se aquecendo tanto assim em segundos! Um beijo, só precisou de um beijo pra me deixar completamente excitado, parece magia!Quero mais, quero muito mais, quero nunca mais parar de me sentir assim, é tão doce e viciante beijar o Eddy que meu corpo treme.

Comecei a dar pequenas mordidas em seu lábio inferior entre os beijos enquanto faço leves movimentos com meu quadril, arrancando leves suspiros do Eddy entre o beijo, o maior então foi descendo suas mãos lentamente, até que elas chegaram na região das minhas nádegas me deixando inquieto, quando senti suas mãos ali, apertando levemente as minhas nádegas em meio ao beijo, apertei bem forte a camisa do Eddy com as duas mãos e suguei com força sua língua que está dentro da minha boca. Ele quer me enlouquecer? Eddy soltou um leve gemido contido enquanto volta a me beijar normalmente.

— O jantar está pronto! – Escutei Ryan chamar, logo encerrei o beijo com selinhos e sorri malicioso ao afastar meu rosto do de Eddy que está corado e arfando com os lábios entreabertos e avermelhados.

— Você ficou muito bom em segurar o fôlego, foi um beijo e tanto. – Falei mordendo levemente o lábio inferior. Eddy corou mais ainda desviando o olhar.

Ele ficou tão constrangido que nem sabe o que dizer, Eddy nem se moveu quando o Ryan chamou tadinho.

Logo saí de cima dele e segui até a cozinha com a maior calma do mundo, o que será que tem pra comer hoje? Que fome da porra.

Pov. Lyan - Off

Continua...

 

 


Notas Finais


AHSUSJAJHSHS COMO SE ELE NÃO TIVESSE DEIXADO UMA PESSOA DE PAU DURO PRA COMER COMIDA KKKK Super normal isso né Lyan.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...