História Take Care of the Baby - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Personagens Originais, Suho
Tags Baekyeol, Chanbaek, Kyungsoo Bebê
Exibições 47
Palavras 1.452
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Shonen-Ai, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Vivo pelo conceito do Kyungsoo sendo um bebê maléfico e Chanyeol sendo sua vítima.

Capítulo 1 - Capítulo Único


"Aonde vocês estão indo?" Baekhyun perguntou da entrada do corredor enquanto observava seus pais apressados na porta da frente.

"Houve uma emergência no nosso trabalho. Voltamos o mais rápido possível," seu pai explicou enquanto colocava o casaco.

"Baek, querido, nosso vizinho Junmyeon precisava que nós cuidássemos do filho dele hoje. Você pode fazer isso enquanto estivermos fora?" sua mãe perguntou e Baekhyun suspirou, acenando com a cabeça antes de sua mãe o dar um beijo e fechar a porta atrás de si.

O garoto ligou a televisão e se deitou no sofá, assistindo algum programa aleatório.

 

Quando Junmyeon chegou com o bebê, ele também estava apressado. Em meio a pedidos de desculpas e agradecimentos ele entregou o bebê a Baekhyun, que o segurou no ar, longe do corpo. 

O homem deu um leve beijo na testa do bebê antes de entregar a ele um urso de pelúcia marrom e se despedir. 

Baekhyun nem ao menos teve tempo de perguntar coisas necessárias como o que o bebê comia antes do homem entrar no seu carro e desaparecer no fim da estrada. Ele apenas sabia que seu nome era Kyungsoo. 

O garoto foi deixado em pé e confuso na porta de sua casa com um bebê nos braços, que o olhava atentamente com olhos grandes e escuros. 

"Oi, amiguinho," Baekhyun tentou se comunicar com o pequeno ser humano, mas logo em seguida o bebê começou a chorar, fazendo Baekhyun entrar em pânico. 

 

Ele tentou de tudo. Até fazer vozes para o urso de pelúcia, mas parecia que isso só fazia Kyungsoo chorar ainda mais. 

Baekhyun suspirou e se levantou, indo em direção à geladeira. O mais velho pegou um pote de sorvete que havia ali e uma colher. 
Assim que abriu o pote, Kyungsoo parou de chorar. Baekhyun olhou para o bebê, que olhava fixamente para o pote em suas mãos.
Baekhyun sorriu. 

 

Agora ele estava sentado em uma das cadeiras da mesa de jantar, Kyungsoo sentado na mesa a sua frente. Ele tentou o dar sorvete com uma colher, mas Kyungsoo se recusou. Antes que Baekhyun pudesse pará-lo, ele enfiou a mão rechonchuda dentro do pote de sorvete, decidindo que seria melhor comer desse jeito. 

Baekhyun suspirou e fez o mesmo, comendo da parte que Kyungsoo ainda não havia tocado. 

O bebê o olhou de canto de olho mas não fez nada pra impedi-lo, e o mais velho interpretou isso como um sinal de que Kyungsoo estava começando a aceitar sua existência. 

Eles continuaram assim, em silêncio, até que o celular de Baekhyun tocou. 

Ele atendeu com sua mão limpa, ouvindo a voz grave de seu namorado do outro lado da linha. 

"Hoje é sábado, você quer sair para fazer alguma coisa?" Chanyeol o perguntou e Baekhyun olhou para Kyungsoo, que o encarava com o rosto melado de sorvete. 

"Não posso, estou cuidando do bebê," Chanyeol ficou em silêncio, e depois de um tempo o mais velho começou a se perguntar se ele teria o ouvido. 

"Q-que bebê? Tenho certeza que usamos camisinha e–" Baekhyun riu do tom confuso de Chanyeol. 

"Não é nada disso, seu idiota. Meus pais me deixaram responsáveis pelo filho de Junmyeon hoje," Kyungsoo desistiu de tentar entender o que eles falavam, e voltou sua atenção ao sorvete de chocolate entre suas pernas gordinhas. 

"Um bebê?!" Chanyeol soava animado. "Estou indo ajudar você, espere por mim!" antes de Baekhyun poder dizer que não precisa, Chanyeol já havia desligado. 

Baekhyun colocou o telefone na mesa e olhou para o bebê, que parecia muito absorto no que fazia. 

"Você se importa de conhecer meu namorado?" ele perguntou para Kyungsoo, que apenas o olhou rapidamente e voltou a comer o sorvete. 

 

Vinte minutos depois a campainha tocou, e Baekhyun teve uma breve esperança que fossem seus pais ou Junmyeon, mesmo que ele soubesse que era Chanyeol. 

Ele abriu a porta e viu Chanyeol sorrindo aprazivelmente para ele. 

O maior o abraçou, avistando seu alvo assim que o soltou. 

"Aí está o bebê!" Chanyeol direto foi em sua direção para o pegar no colo. 

"Chanyeol, não!" o menor tentou avisar, mas já era tarde demais. 

 

"O que você está fazendo aí?" Baekhyun perguntou do sofá que estava sentado, depois de ter encontrado um filme que o interessava nos vários canais da televisão. 

"Estou mantendo uma distância segura do monstrinho," Chanyeol o respondeu do outro lado do cômodo, a seis metros de distância do bebê, que já estava com o rosto e as mãos limpos e brincava com seu urso de pelúcia no chão da sala. 

"Ele não é um monstro," Baekhyun tentou defender Kyungsoo e o mais alto o olhou desacreditado. 

"Ora essa, sinto muito se os ofendi, mas foi o que me pareceu quando ele tentou me matar cinco minutos atrás," Chanyeol apontava acusadoramente para o bebê sentado no chão, alheio à conversa. 

"Você assustou ele. E pelo que me parece ele não é um bebê muito... sociável," ele olhou para Kyungsoo e então para Chanyeol. "Não precisa ficar nervoso, senta aqui comigo.

Chanyeol hesitou por um momento antes de andar até Baekhyun e se sentar ao seu lado, evitando fazer barulhos para que Kyungsoo não percebesse sua presença. 

Baekhyun segurou a mão do maior, olhando as marcas dos pequenos dentes de Kyungsoo onde ele o havia mordido minutos atrás. 

"Relaxa, não é como se ele fosse te atacar," Baekhyun tentou tranquilizar Chanyeol, o que pareceu funcionar. O maior entrelaçou os dedos com os do mais velho, relaxando no sofá.

Ambos assistiram o filme enquanto ouviam Kyungsoo brincando. 

 

Baekhyun estava quase pegando no sono deitado no ombro do maior, quando sentiu os músculos de Chanyeol tensionarem. 

"Baekhyun," Chanyeol sussurrou. "Ele está vindo na nossa direção," ele parecia estar entrando em pânico e Baekhyun abriu os olhos, avistando o bebê andando até eles com a pelúcia na mão, tentando se equilibrar em suas pernas pequenas. 

"É isso. Eu sabia que esse momento chegaria," Chanyeol estava apertando a sua mão com força demais. "Adeus Baek, eu te amo. Por favor deixe flores e batatas fritas na minha lápide."

Quando Kyungsoo os alcançou, parou na frente do maior e o encarou. 

"Por que tenho essa impressão que ele está encarando o fundo da minha alma?" Chanyeol sussurrou ainda mais baixo para o menor, e antes que Baekhyun pudesse responder, Kyungsoo começou a tentar escalar as pernas do maior. 

Chanyeol hesitou por um momento, antes de apreensivamente pegar Kyungsoo no colo. O bebê tocou a mão dele, como se pedisse desculpas. 

"Viu? Ele não está tentando te matar," Baekhyun deitou no ombro do maior novamente, apreciando as bochechas rosadas de Kyungsoo. 

"Talvez seja tudo parte de seu plano maligno," Chanyeol sorria, parecendo bem mais calmo agora. 

O menor tentou cochilar um pouco, algo que parecia estar sendo impossível com Chanyeol brincando com o bebê em seu colo, tentando o fazer rir. 

Quando o maior pegou a pelúcia e atribuiu vozes ao brinquedo, o bebê riu entusiasticamente. 

"Os lábios dele formam um coração quando ele sorri, que gracinha!" Chanyeol colocou uma mão em seu peito, acima do coração, e Baekhyun riu. 

Mas ele não pode deixar de sentir uma pontada de inveja por Chanyeol ter conseguido o fazer rir fazendo algo que Baekhyun havia tentado horas atrás. 

 

Quando os pais de Baekhyun retornaram, ele e Kyungsoo estavam dormindo no peito de Chanyeol, que ainda estava assistindo ao filme. 

"Chanyeol, que surpresa!" o pai de Baekhyun exclamou em um sussurro ao vê-lo, tentando não acordar os dois que dormiam pacificamente. 

"Desculpe se esses dois te causaram algum trabalho," a mãe se desculpou, aparecendo ao lado do marido. Chanyeol sorriu para eles. 

"Não se preocupe, foi uma das melhores noites que já tive," Baekhyun se mexeu do seu lado direito, tentando ficar mais confortável.

O casal sorriu para os três garotos em seu sofá. 

 

Junmyeon chegou para buscar o filho algumas horas depois. O bebê ainda dormia nos braços de Chanyeol quando o jovem homem os agradeceu, em seguida levando um Kyungsoo exausto para casa. 

'Ele deve ter se cansado de tanto me agredir', Chanyeol pensou consigo mesmo enquanto fechava a porta, mas logo sorrindo ao se lembrar do sorriso de Kyungsoo para ele. 

Chanyeol foi convidado a passar a noite, e Baekhyun arrumou um colchão da sala para ambos dormirem assistindo filmes juntos. 

O menor pegou no sono pouco tempo depois, Chanyeol admirando o garoto adormecido em seus braços. 

Ele perguntou-se como seria ter uma família com Baekhyun, sorrindo com a ideia. 

Chanyeol deu um breve beijo na testa do menor, sussurrando um 'eu amo você' e sentindo Baekhyun o abraçar mais forte. 

O sorriso do maior se abriu ainda mais, e ele mal podia esperar para passar o resto da vida ao lado de Byun Baekhyun. 
 


Notas Finais


A ideia era escrever uma história engraçada, mas o final ficou tão meloso que tive que tomar insulina quando terminei


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...