História Take Me Away - The Liar - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Kylie Jenner, Shawn Mendes
Personagens Justin Bieber, Kylie Jenner, Personagens Originais, Shawn Mendes
Tags Justin Bieber, Kylie Jenner, Romance, Shawn Mendes
Exibições 5
Palavras 2.110
Terminada Não
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Verbatim


Fanfic / Fanfiction Take Me Away - The Liar - Capítulo 7 - Verbatim

"Won't you say what's on your mind?
Say what's on your mind verbatim
Tell me that you're mine
Show me what you're made of
Say what's on your mind"


"Entendi a referência." Diria Steve Rogers agora.


Encaro aquilo tudo como uma grande disputa, bem acirrada, onde o mais forte vence. Vou demostrar convicção e sair por cima desse embaraçosa situação. Me recuso a elucidar qualquer palavra, mas vendo a sua impaciência, obrigo-me a falar.


— Do-do que está falando? - gaguejo, impotente.

Droga! O que aconteceu com a minha convicção? Vamos para o plano B. Se não funcionar, tenho todas as outras vinte e quatro letras do alfabeto. Ser otimista é tudo. Claro, que até um certo ponto.

— Não seja burra, Katherine! Você sabe muito bem do que eu estou falando. Me diz. - insiste.

— Eu não sou burra não! Eu não dou coice nenhum! - murmuro.

— Fala. O que está escondendo de mim e de todos? - diz sério, jogando meu caderno no chão e coloca bruscamente minhas mãos acima da minha cabeça apenas com uma de suas mãos.

Ai. Não faz isso comigo...

Hora do plano C? Esquece. Não dá para passar debaixo das pernas dele com as mãos ocupadas.

— Você é doido. - falo sem argumentos para desviar o assunto e ele sorri diabólico.

Essa seria uma ótima hora para a princesa gritar mas esse sorriso dele me desconcerta, me deixa entorpecida... Fazendo uma confusão exponencialmente grande na minha cabeça. Fico quieta o encarando.

— Por que você fica se fazendo de ingênua o tempo todo? - ele questiona e eu não consigo tirar meus olhos de seus lábios, e mordo os meus, imaginando os nossos lábios se movendo em sincronia.

— Por que está tão interessado na minha personalidade? - retruco.

— Não interessa. - diz rude me prensando ainda mais. A distância entre nos fica menor, bem menor.

— Se não interessasse, você não estaria aqui me perguntando. - falo num sussurro e umedeço meus lábios.

—  Porra... Kate... - Justin posiciona sua mão em minha nuca e aproxima nossos lábios, fazendo-os logo se chocarem em fração de segundos.

Suspiro e como não consigo me debater, deixo que sua língua dance calmamente junto à minha. Não retribuir, seria torturante para mim. Inevitável é ele não fazer o que quiser comigo. Eu sempre cedo aos seus encantos.

Me surpreendo comigo mesma. Como não me arrepiei ao seu toque ou como deixei que ele me tocasse até agora? Por que ainda não o deixei ser meu?

Acho que sinto o que as pessoas dizem quando se está tão envolvida com alguém, borboletas no estômago. Bobagem. É só uma dor de barriga.

"Você não vai dizer o que está em sua mente?
Diga tudo o que está em sua mente
Diga-me que você é meu
Me mostre o que você é feito
Diga o que está em sua mente"


Torno o beijo envolvente o suficiente para distraí-lo, ele afrouxa sua mão que prendia as minhas e retomo forças de algum lugar do meu corpo e lhe dou uma joelhada bem no meio de suas pernas, me soltando. Ele geme de dor e põe as mãos onde eu fiz o estrago.


— Filha da puta! - diz bravo.


Sorrio vitoriosa. Pego meu caderno do chão e arrumo a mochila em meu ombro, saio dali e dou uma olhada em Justin. Ele está se contorcendo de dor. Coitado. Ele vai precisar de uma geleira inteira para aliviar. O que eu fiz... Como ele vai ter filhos, agora?


Me direciono à quadra para encontrar as meninas. 


— Cheguei! - vou até elas.


— Kate! - Hope grita e me abraça.


— Tá atrasada. Onde estava? - ela pergunta colocando o pen drive no som.


— Estava resolvendo sobre as matérias que eu perdi. - minto e deixo minhas coisas em uma das cadeiras da arquibancada. - Qual a música de hoje?


— Toxic. Da Britney. - diz.


Assinto com um maneio de cabeça e começo a me alongar com as outras líderes de torcida.


— Por que você ficou tanto tempo sem vir a aula? - Anne pergunta.


Anne também é uma das minhas amigas, mas nem tanto quanto Hope. Ela é uma pessoa muito gentil, comunicativa e eu adoro estar perto dela.


— Primeiro: por causa do acidente, eu estive um tempo em coma. No total foram sete meses e segundo: eu não quero mais vir para a escola. Tudo é sempre a mesma coisa. As mesmas pessoas, as mesmas matérias, as mesmas comidas. É tudo igual! Isso cansa! E só vim hoje porque uma pessoa me obrigou, na verdade ela conseguiu fazer uma proeza em me convencer.


— Pelo menos aqui tem os boys gatos do time para dar aquele ânimo. Se não fosse por isso, eu também nem viria. - ela diz olhando para o treino deles.


Anne tem uma obsessão doentia com o Lucca, o zagueiro. Ele é um pedaço de mal caminho, na verdade é o caminho inteiro. Muito gato... Lucca é moreno, cabelos bem pretos, para fazer charme ele sempre fica mexendo neles e um corpo de deixar qualquer uma ouriçada. É fato que Justin ocupa o primeiro lugar dos garotos bonitos do time, não é porque estou me envolvendo com ele, mas sempre foi assim desde o oitavo ano. Ninguém é tão gato quanto.


Se Justin não fosse um pegador babaca, seria bem mais interessante. Ele é vazio. Até demais. Não têm valores como a lealdade ou paciência. Não o vejo como isso tudo que a maioria das pessoas dizem, a não ser sua beleza. Infelizmente, Bolton é aquele típico playboy que tem tudo o que quer, e quando consegue, joga fora. Isso é revoltante, porque não é todo mundo que merece esse tipo de tratamento.


Os pais dele são ricos e donos de uma empresa, a qual compete com a Johansson's Enterprices. A família Bolton é toda alienada. Pessoas sem intelecto, não são capazes de se destacarem na vida, pois ela pode puxar seu tapete, sem avisos.


Hope, a capitã, passa os passos da primeira parte da música e eu coloco os passos finais. Assim que todas já praticaram e entenderam, começamos o ensaio direto e sem pausas.


— Intervalo de dez minutos garotas, depois serão as acrobacias. - Hope anuncia.


— Ai... Acho que eu estou enferrujada... - estralo o pescoço e elas riem.


— Que nada! É só voltar a praticar. Você vai ficar no topo da pirâmide no jogo de sexta. - bocejo entediada quando Hope diz.


— Tá bom, mas eu vou colocar um passo novo na apresentação e uma acrobacia solo. O duplo carpado. - falo pegando a garrafa de água e tomando um gole.


— Tem certeza disso, Kate? O duplo carpado é muito perigoso... Tem que colocar colchão então... - Anne sugere.


— O perigo torna mais instigante, sabia? O natural as pessoas veem, mas o diferente é o que elas se sentem mais atraídas. - dou uma piscadela.


— Kate! Kate! - me assusto com a gritaria de Hope.


— O que foi?


— É ele!


— Ele quem? Fala logo, menina! - Anne diz sem paciência.


— O gatinho novato! Não olha agora! Ele está olhando para cá. Ai meu Deus... - rio dela e pego meu celular ao escutar o toque de notificação.


Número desconhecido. Estranho...


* Está disponível depois da aula?


Mordo meu lábio indecisa. Devo responder? A teimosia fala mais alto.


** Depende. Quem é você?


Olho ao redor, observando quem está com o celular na mão. Os nerds, as garotas góticas do segundo ano e... Justin! Só pode ser ele...


Nova notificação.


* Quem acha que eu sou?


Bufo ao ler a mensagem. Quem quer que seja, não dará o braço a torcer.


** Sou eu quem faz as perguntas aqui. Ou você me diz quem é, ou estarei ocupada depois da aula.


Em menos de um minuto o desconhecido responde.


* Eu sou quem você menos espera, Katherine, vou tirar tudo de mais precioso de você princesinha. Quero que você pague o que me deve.


— Espera sentado. - salvo o número como Maníaco da Mensagem solto uma risada debochada do projeto de ameaça. Bloqueio a tela do celular e o coloco em minha mochila.


— Com quem estava conversando? - Anne pergunta curiosa.


— Nem eu sei quem é. Lembra quando a Hope estava recebendo mensagens anônimas com ameaças?


— Lembro. Isso foi no primeiro ano né?


Foi. Acho que estão fazendo a mesma coisa comigo, mas não vou nem perder o meu tempo com isso. Seja la quem for, está perdendo tempo em me perturbar.


— Acorda!!! - Anne cutuca Hope, que estava viajando em seu novo crush.


— Que foi? - ela desperta.


— Limpa a baba... - aponto para o canto da sua boca.


— Eu babei? - ela esfrega a mão.


— Não né! Modo de falar, lerda! - Anne diz e rimos. - Epa! Se segura, porque seu boy está vindo para cá!


— Ai meu Deus! - ela dá um grito estridente andando em círculos - Meu cabelo tá atrapalhado? - diz se arrumando.


— Tem um chifre aqui... - coloco a mecha de seu cabelo no lugar - Pronto.


— Olá, garotas. - me viro para ver quem é. Ah não! É o Scott.


Se Hope descobrir sobre nós dois, estou perdida e então finjo não conhecê-lo.


— Olá. - respondemos em uníssono, menos Hope que faz sua voz se sobressair dentre as demais.


— Que horas te levo para casa? - ele pergunta todo fofo para mim, sorrindo.


Como se eu não soubesse que o plano daria errado...


— Vocês se conhecem? - Hope pergunta incrédula.


— É... - ele fica nervoso e todas olhas para mim, esperando uma resposta cabível.


— Scott se ofereceu para me ajudar a repor as matérias - explico e olho para ele que respira aliviado. - Você pode ir lá em casa às seis? Eu te passo o endereço por mensagem.


— Às seis? Fechado. - ele sorri e acena para as garotas dando as costas.


Essa foi por pouco... Já sei que Scott vai querer explicações mais tarde e não vou mentir para ele.


— Como assim você conhece o Scott Morgan - Hope diz o nome dele como se fosse um deus - e não me contou? Muito amiga você... - cruza os braços fazendo um bico enorme enquanto bate seu pé esquerdo no chão sem parar.


Como uma mãe brava, quando seu filho faz algo de errado. Só falta o chinelo na mão e começar a dar umas palmadas.


— Você não me deu a chance de falar. Se você tivesse falado o nome dele, falicitaria as coisas.


— Ah! Desculpa. Você me ajuda com ele? - ela implora juntando as mãos e piscando suas pálpebras rapidamente -  Diz que sim, vai?


Como vou ajudar Hope sendo que eu estou com ele? Ou pelo menos algo do gênero? Já demos um beijo. Isso conta na Lei Oficial de Amarração de Garotos.


— Ajudo - minha boca trabalha antes do cérebro.


Isso que dá ter a língua maior que a boca...


Ela dá pulinhos e me abraça.


— Te amo! Te amo! - diz me dando beijos na bochecha.


— Tá. Eu sei... Agora me dá um pouquinho de espaço? - a afasto endireitando meu uniforme.


Não gosto muito de contato corporal, apenas quando é do meu interesse. Meu pai dizia que sou manipuladora, que uso as pessoas para meu próprio benefício, o que não é verdade. É bem mais fácil alguém me manipular do que eu ser manipulada. Não sou esperta o suficiente para perceber quem faz isso comigo, e quando percebo, já é tarde demais.


Esse é um dos motivos de eu não ter um relacionamento sério. Além de ter medo do sexo tenho medo de ser facilmente influenciada e de me iludir a ponto de acabar comigo. Por mais que eu me mostre sendo forte, eu não sou. Não tenho tanto aprendizado sobre a vida que eu possa para colocar em prática.


Não preciso que ninguém me derrube. Eu posso fazer isso eu mesma.


Me permiti sair dos devaneios quando Hope coloca a música para que iniciemos novamente o ensaio, mas somos interrompidas quando a vice diretora Duncan chega.


— Senhorita Johansson?


— Sim? - respondo, não gostando nada da cara dela para mim.


— O diretor Bright quer que você compareça na sala dele imediatamente.


Eu e as garotas nos entreolhamos. O diretor só chama alguém em sua sala  
para dar algum punimento quando as regras são rompidas.


Mas qual delas eu rompi?


Notas Finais


Muita coisa aconteceu nesse capítulo. O que será que Justin está pensando sobre Kate? Quem será o Maníaco da Mensagem? E o diretor? O que ele tem a dizer? Acompanhe a história para descobrir!

Espero que tenham gostado desse capítulo de hoje!

Não esqueçam de conversar comigo. Love, Valentina Bloom ❤

✨ Fanfic disponível na plataforma Wattpad

✨ Contato direct Instagram:  @take_me_away_fanfic


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...