História Take Me Home Before You Go - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Fanfiction, Jhope, Jimin, Jin, Jungkook, Kpop, Namjoon, Romance, Taehyung, Yoongi
Exibições 17
Palavras 2.944
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente, eu to um pouco nervosa pq essa é "a primeira fic que eu posto" e principalmente do bts, então me perdoem qualquer coisa espero que não os decepcionem

Capítulo 1 - In The Storm


 A chuva caia forte na cidade de Seul. Eu estava sentada na janela, admirando as gotas batendo na mesma e escorregando até outra gota cair por cima da primeira, em um loop, por quase uma hora. 

 Era legal, admirar o desespero das pessoas lá embaixo, correndo, tentando se esconder da chuva. Havia também um festival de guarda-chuvas de todas as cores e tamanhos, e pra mim, que observava de cima, eram apenas detalhes coloridos passando afobadamente em meio aos grandes prédios. Era assim todos os dias, na mesma hora. 

 Meus pés vestidos por meias balançavam ritmadamente na outra parte da janela e meus braços, que por sua vez sustentavam minha cabeça, pendiam sobre meus joelhos, me fazendo ficar numa posição o tanto quanto desconfortável, mas eu já havia me acostumado. 

 Ouvi passos em minha direção, cada vez mais perto e por fim, senti uma mão em meu ombro, me fazendo sair dos meus pensamentos, mas ainda estava olhando as gotas de chuva chicoteando a janela com força.

 - Hyun? Tudo bem? - Uma voz um tanto quanto conhecida ecoou nos meus ouvidos e eu suspirei lentamente. 

 - Tudo ótimo, Namjoon. Nada de novo desde que Yoongi veio me fazer a mesma pergunta quinze minutos atrás.

 Namjoon e Yoongi eram alguns dos meus "médicos", eu tinha cinco, na verdade, para diferentes problemas. Eu já era acostumada o suficiente com eles para chama-los pelo primeiro nome e não de doutor. A preocupação dos cinco comigo era demais, fofa, eu sentia que podia contar com qualquer um deles sempre que precisasse, porém era sufocante as vezes. Eles se preocupavam tanto sem necessidade. Talvez não sem necessidade assim, mas acabava me chateando toda essa coisa de ficar em cima de mim quando na verdade tudo que eu queria era ficar sozinha na minha janela, observando Seul na sua movimentação rotineira. Sozinha. Sem perguntas. 

  - Eu sei, eu sei.. - ele suspirou e tirou sua mão de meu ombro. Deu alguns passos e ficou de frente pra mim, que ainda olhava para a janela. Ele cruzou os braços e ficou em silêncio por alguns instantes. - É que já vamos começar, não quer participar? Você sempre participa e- ele parou de falar assim que eu o encarei. 

  - Namjoon, eu vou participar, já que eu não consigo nem mais respirar dentro desse hospital sem que vocês venham me mimar. É triste e deprimente. - O olhei para que saisse de perto das minhas pernas para que pudese tira-las da janela e ele se afastou um pouco para o lado. Dei um leve sorriso. 

  - O que é deprimente? Você? - ele disse quando eu já estava em pé e arrumava meu vestido claro de hospital no meu corpo. 

 - Engraçado, muito engraçado. Seria mais engraçado se não fosse verdade. Meça suas piadas. - revirei os olhos enquanto andávamos em direção a roda feita de cadeiras já formada no centro da sala. 

 - Desculpa, eu precisei - ele disse rindo.

 A questão é que esses certos tipos de coisa, quando saia da boca de Namjoon, não me afetava. Pelo contrário, eu até gostava dessas piadinhas - que vinda de outras pessoas seria o fim. 

  Me sentei em uma das cadeiras despreocupadamente, como sempre fazia, entediada. Cruzei minhas pernas e observei Namjoon dar a volta no circulo e se sentar ao lado de Hoseok, meu outro médico. Era "meu médico". Eu não tinha contato frequente com ele para classifica-lo assim, mas sempre que podia ele se encontrava comigo para conversarmos, mais como amigos do que "médico e paciente". Mas ainda sim eu sentia uma ligação forte com ele. Hoseok, ou JHope como gostava de ser chamado - I'm your hope, frase que fazia todo sentido nessa ala -, tinha uma aura especial. Sua energia era contagiante e ele era perfeito no que fazia exatamente por isso. Ele conseguia me deixar pra cima só com duas palavras e por isso eu o adorava tanto. Ele deu um sorriso pra mim e eu retribui e assim ele voltou a atenção para outros pacientes. 

 Eu olhei em volta o procurando, mas ao invés, encontrei Yoongi, que estava encostado despreocupadamente em uma outra janela, sua roupa branca vestida sobre sua pele também muito branca sempre me dava vontade de rir. Parecia um fantasma e se o encontrasse a noite, no escuro, pelos corredores do hospital eu teria um ataque de pânico. Sorri com esse pensamento e percebi que ele me encarava. Sorriu de volta e deu uma piscadinha. Ele não era médico, assim dizendo, e sim um enfermeiro, mas ainda sim eu tinha uma relação forte com ele, assim como os outros. Apesar de Yoongi ser mais devagar e preguiçoso. Ele servia pra quando eu não queria fazer nada e fico deitada o dia inteiro. Sempre, nessas ocasiões, ele vai até meu quarto e fic comigo, conversando sobre coisas aleatórias. Era o que eu estava afim de fazer no momento e era o que ele gostava de fazer, então nós entediamos bem.

 Desviei meu olhar do enfermeiro para meus pés que estavam vestidas com longas meias coloridas. Eu adorava aquelas meias por algum motivo não especial, mas essas meias já se tornaram minha marca registrada. Todos sabiam, todos me conheciam, pelas minhas meias. Engraçado né? Meias. E havia uma pessoa em especial que também adorava minhas meias, mais que as outras. 

 Eu já estava ficando impaciente e pelo visto Namjoon também, já que começou a cochichar algo no ouvido de Hoseok que concordou com a cabeça e se levantou para começar a reunião. Ele sorriu e abriu a boca para começar a falar quando um barulho alto ecoou na sala e todos nós olhamos na direção do mesmo. Consequentemente, eu sorri. "Até que enfim", pensei e respirei aliviada.

 O rapaz fez uma careta ao perceber todos os olhares sobre ele e se virou fechando a porta atrás de si calmamente e voltando novamente pra frente. 

 - Desculpa, desculpa. Podem comecar. - ele disse rindo do seu feito e se sentou em uma cadeira de frente pra minha, do outro lado da roda - Desculpa. - sussurou - E ai Jhope. Namjoon - ele cumprimentou os médicos que sorriram em resposta - Suga - disse para o enfermeiro que ainda estava encostado na janela e estava com os olhos um pouco arregalados devido ao susto que provavelmente levou com o barulho da porta. Ele lançou um olhar raivoso para o mais novo, parte pelo susto, parte pelo Suga, mas todos sabiam que era em brincadeira, já que eles eram amigos. 

  Ele se sentou e sorriu para todos na sala, inclusive pra mim. Seu olhar desceu até meus pés e eu sabia o que ele observava. Sorri de lado, os balancei levemente e olhei para ele que tinha as sobrancelhas arqueadas. Poderiamos continuar naquilo o resto da tarde mas Jhope nos interrompeu, começando devidamente a reunião. 

  - Vejo que Taehyung hoje, pra variar, se atrasou. Mais que o normal. - ele disse e o mais novo deu de ombros desviando o olhar de mim para o médico. - Bom, agora acho que podemos começar nossa reunião, a última da semana. Boa tarde? - Hoseok falou em tom de pergunta e foi respondido por todos em uníssono. 

Menos por mim. 

 A verdade é que eu detestava essas reuniões desde o primeiro dia em que compareci. São chatas e monótonas e eu sempre inventava uma desculpa pra faltar. Não pelos meus médicos, não pelos outros pacientes. Por mim. Eu nao tinha saco pra aguentar sempre a mesma coisa de sempre, essa coisa de reflexões sobre como controlar quanto temos uma crise, e sempre saía mais frustrada de quando entrei. 

 Mas um dia, quando eu não queria mesmo ir, Yoongi me disse que deveria, que seria divertido e que eu precisava. Que ficar deitada no quarto o dia todo não iria me fazer bem e que eu iria acabar enlouquecendo de vez. Ele tinha razão e eu fui, e foi a melhor das reuniões. Nunca um assunto tinha me prendido tanto. Nesse dia Hoseok estava inspirado e em uma concentração muito grande com aquele assunto. Além disso, ele apareceu, pela primeira vez. Kim Taehyung. O garoto que acabara de chegar, atrasado.

 Taehyung - ou V - chegou naquele dia com os cabelos bagunçados e um conjunto de calça e casaco de moletom cinzas, engraçado. Ele entrou na sala afobado e a reunião tinha começado há alguns minutos, mas todos se calaram quando ele entrou na sala e perguntou um pouco alto demais e com sua voz grossa demais. 

  - Essa aqui é a turma de reunião da ala psiquiátrica? - Namjoon assentiu e ele fechou a porta atrás de si e se sentou rapidamente na cadeira. Não pude deixar de rir de todo o jeito meio desengonçado dele. 

  - E você é? - Namjoon perguntou 

  - Kim Taehyung. 

  - Taehyung, você não é dessa ala, é? -  O rapaz balançou sua cabeça negativamente. Simplesmente balançou a cabeça e depois das "boas vindas", Hoseok continuou sua reunião. A melhor de todas. 

  A partir desse dia de seis meses atrás, V participou de todas as reuniões sem faltar nenhuma e começamos a ter uma relação. Não, parem, não éramos nada, nada além de amigos. Na verdade, acho que nem isso. Taehyung era mais amigo das minhas meias do que meu. Sempre as encarava e sussurrava algumas coisas pra si mesmo. No final de cada reunião, eu me sentava em minha janela e ele ia atrás, sempre pra fazer algum comentário sobre elas. 

 Dessa vez não foi diferente. 

Ao final da reunião, fui até minha janela e pude perceber que ele vinha logo atrás, sorri. 

- Elas estão mais simpáticas hoje, mais alegres, mais vivas - ele disse ainda caminhando atrás de mim e eu me sentei na janela o encarando. 

 - É? - perguntei sorrindo e ele concordou com a cabeça - É que elas foram lavadas. 

  - Quer dizer que das outras vezes não estavam? - dei de ombros e ele fez uma careta que achei extremamente fofa. Kim Taehyung era fofo mas parecia não saber disso, era tão natural. Eu me sentia atraída por ele. Ele era engraçado, simpático e bonito. Sim, ele era perdidamente bonito e o sorriso... ah, aquele sorriso. 

Talvez eu tivesse uma paixonite por ele, mas poxa, quem não teria? 

 Eu queria me aproximar mais, ser mais amiga dele. Não sei se eu nunca tentei o suficiente ou se o afastava, mas nunca tivemos mais que 15 minutos de conversa depois das reuniões, que eram duas vezes na semana e a maioria das vezes envolvia minhas meias. As únicas coisas que sabia era. seu nome, sua idade - 22 anos - e que ele sempre chegava atrasado nas reuniões. Eu nem mesmo sabia qual era sua ala nesse hospital. 

 Havia um silêncio entre nós mas não parecia o tipo constrangedor, por incrível que pareça. 

 Tae estava com as mãos no bolso do casaco e ele olhava pra janela, provavelmente observando as mesmas coisas que eu observava uma hora atrás. 

 Mordi o lábio e criei coragem pra começar a falar. 

  - Tae? - o chamei e ele me olhou instantaneamente. 

 - O que é? 

 - Por que nós, não sei, nunca conversamos? 

 - Estamos fazendo isso agora, não? - Idiota. Ele tinha razão, mas não era isso que eu queria dizer. 

  - Estamos mas... Você sabe, por que nunca saímos disso? De conversas de quinze minutos sobre minhas meias duas vezes na semana? Quer dizer, eu não sei nada sobre você. - falei rapidamente antes que perdesse a coragem. Ele inclinou a cabeça um pouco pro lado como se estivesse analisando a pergunta e suspirou antes de responder. 

 - Porque não tem nada de interessante que você deva saber sobre mim. - eu recolhi meus ombros e olhei em direção a janela, decepcionada. Eu queria conhecer mais Kim Taehyung mas acho que não vai ser possível. Ele não quer.

 Eu tentei. 

  - Olha - ele suspirou, se aproximou de mim e segurou em meus pés. Eu me assustei e ele sorriu levemente. O maior se sentou do lado oposto da janela e colocou meus pés na sua perna. - realmente não sou uma pessoa interessante, posso te contar sobre mim, se quiser. Eu me surpreendi com sua pergunta, honestamente, porque pensei que você sempre me evitava. Então quer dizer que não? Você realmente se interessa? Quer mesmo que, hmm, viremos amigos? - ele falou um pouco desajeitado a última parte e novamente eu achei fofo, tudo nele era fofo. Ah Taehyung, não faz assim, né. 

 - Eu quero. 

 Eu não sabia mais o que fazer, dei o primeiro passo, mas e agora? O que tem agora? Comecei e senti que deveria ser da minha obrigação continuar, mas eu só tinha pensado até ali. Será que podia perguntar qualquer coisa pra ele a partir de agora?

 Antes que pudesse continuar, Tae apertou meus pés e me olhou, sorrindo abertamente. 

  - Eu gosto delas, são alegres. 

  - Novidade, Tae. É só sobre o que conversamos durante, hm, 5 meses? -  Ele deu de ombro

 - Por que a janela?

 Me surpreendi com essa pergunta e talvez nem tenha entendido direito. Por quê? Não sabia a resposta. 

 - Não posso sair daqui, Taehyung, como provavelmente você deve saber. Mas olhar pra essa janela e observar Seul, as pessoas passando lá embaixo, dia após dia, me faz sonhar. Refletir. Queria saber se seria diferente se eu não fosse tao eu. Eu seria uma dessas pessoas lá embaixo e teria alguém me observando aqui de cima, como eu faço? Sentir o Sol batendo no meu rosto ou observar os pingos de chuva batendo na janela, não sei, me dá uma certa paz, gosto de ficar sozinha aqui apenas organizando meus pensamentos. 

 Não percebi mas estava olhando pra janela de novo, dessa vez não observa a chuva ou a movimentação lá embaixo. Apenas olhava. Tae me observava com o semblante curioso e ainda apertava meu pé. Fiquei com uma certa vergonha, acho que falei demais e o assustei.

 - Você é muito interessante - ele disse por fim e soltou meu pé, se levantando em seguida. - Vem. - colocou as mãos no bolso da blusa novamente e fez sinal com a cabeça para que eu o seguisse. Fiz cara de quem não estava entendendo e ele só me olhou como quem diz "confia, só confia".

 O segui em passos largos. Passei por Yoongi que dessa vez estava conversando com um outro enfermeiro e ele me olhou confuso, provavelmente por estar saindo essa hora e acompanhada, por Taehyung. 

 Ficamos por uns 10 minutos conversando mas foi o suficiente para que juntassem todas as cadeiras e alguns pacientes voltassem aos seus quartos. A sala não estava tão cheia quanto antes. Namjoon e Hoseok também tinham saído. Uns ou outros permaneciam ali conversando ou apenas estavam ali. Era horário de café também e talvez seja esse o motivo.

 Andamos em silêncio pelo corredor e chegamos ao elevador, onde Tae apertou o botão para o sexto andar. Não demoraria tanto já que estávamos no décimo.

 - Onde vamos? - já estava curiosa e ansiosa, não podia esperar, mas ele só me respondeu um "você vai ver" e assim que o elevador chegou, nós entramos. Estava vazio. Encarei Tae e ele estava olhando pra frente e ainda mantinha as mãos nos bolsos. 

 Ele era tão alto. Tão lindo. Estava tão sereno. Kim Taehyung me intrigava e mexia comigo desde o primeiro dia, e cá estou eu, saindo com ele e podendo observar cada detalhe do seu rosto. 

 - Por que está me encarando? - perguntou ainda olhando pra frente.

 - Nada. - virei meu rosto pra qualquer direção que não fosse ele e me senti envergonhada.

 - Estava me encarando por nada? - ele estalou a língua no céu da boca - Não sei, ninguém faz isso - não percebi mas ele me encarava e deu um passo pra frente. 

 Nono andar 

 - Hyun? - ele inclinou sua cabeça e eu respondi um "hum?" sem encara-lo. - Por que não pode sair daqui?

 Ah, era isso? Bufei decepcionada.

 - Você sabe, pra minha segurança.

 - Sei. - ele balançou seu corpo de um lado pro outro - Mas e se tivesse acompanhada, poderia? E se pudesse, onde gostaria de ir? 

  De novo, perguntas que eu não tinha respostas. Nunca pensei em "o que fazer quando sair desse hospital?". A questão mais certa também, era SE. 

Oitavo andar.

 - Tae, eu nunca pensei, de verdade. Eu tinha uma vida antes daqui, sabia? Eu estudava, saía, ia no cinema, beijava, tinha amigos. Mesmo com meus problemas. Eu sempre, sempre fui assim, como você está vendo agora, mas não todos os dias. Você não sabe como é ruim... Eu fazia coisas, não é como se eu fosse uma alienada, só que eu não sei mais como está Seul agora, já se passaram cinco anos. Não sei mais o que eu gosto de fazer. - mordi o lábio. 

 Sétimo andar.

 - Bom, você lembra o que fazia antes? Com seus amigos, família e.. - ele fez uma breve pausa - namorados?

 - Eu não tinha namorados. Nao tinha nem mesmo um.

 - Você disse que beijava. 

  - Mas não disse que namorava.

 - Então você beijava caras que não eram seus namorados?

 - Tem algum problema nisso? - o encarei seria e percebi que ele estava se divertindo com aquilo. 

  - Nenhum, pelo contrário. - ele sorriu e se aproximou. 

Um passo. 

Dois.

 Ele estava próximo.

 Tae colocou uma mão na minha bochecha e antes que pudesse perceber, selou nossos lábios. 

Eu estava sentindo os lábios de Kim Taehyung nos meus.


Notas Finais


Gostaram? bom eu queria dizer que as coisas nessa fic vão rolar um pouco rápido entre eles, vai ser necessário, espero q entendam. É isso, até o próximo cap


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...