História Tales - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, One-shot, Revelaçao, Suspense
Exibições 46
Palavras 4.139
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OIEEE SHUSHUSSSS
Olha eu aqui de novooo
Demorei? Foi preciso, desculpinha.
Se vocês me conhecem ( leem outras histórias minhas) sabem que eu to com um problema HORRÍVEL aqui e tá f*da pra escrever os capítulos das minhas histórias.
MAS EU SOU LOUCA E COMO HJ N TEVE AULA, EU DEI A DOIDA É ESCREVI FEITO UMA MALUCA
PQ eu amo vcs e quero que vocês leiam esse segundo capítulo <3
Eu sei que era pra ser do nosso príncipe Rosa (ALIÁS, QUE MV FOI AQUELEEEEEEEEE), mas saiu do Jiminho delicinha, então se contentem com ele por enquanto :)
E FELIZ ANIVERSÁRIO PARK JIMINNNNN
MEU DELICINHA TÁ FAZENDO ANIVERSARIOOOOOO
OK, já dei a louca posso segurar o c* agora.
Sem mais interrupções, vão ler ^^

Capítulo 2 - ...in a far off kingdom...


Hoje é o dia, a funcionária nova vai chegar. Segundo seus chefes, a menina tinha um currículo maravilhoso, com todas as habilidades que a empresa precisa, e tê-la na equipe faria com que as coisas fossem melhores para todos... menos para Park JiMin.

Ele se lembra muito bem de como foi para ele entrar na empresa. Foi o mesmo discurso e a mesma animação. “Currículo perfeito”, “grande melhora na companhia”, “talento exuberante em negócios” e “maior número de vendas” também foram frases ditas para ele, elogios direcionados para ele. Apenas para ele.

E o melhor de tudo? Quem terá que apresentar o prédio para a novata será ele. Por que o JiMin? É porque ele é a mulher vão trabalhar na mesma sala, fazendo a mesma coisa, com os mesmos chefes e competindo pela mesma promoção.

“Se ela pensa que vai passar por mim assim...”

E ela ainda está atrasada! A empresa é muito fechada, então não é muito comum terem novos funcionários. Quando acontece, todos ficam muito animado e param tudo o que estão fazendo para poderem recebê-lo, e neste caso, recebê-la. Acontece que não podem ficar sem fazer nada para sempre, 30 minutos já é demais.

Onde está o profissionalismo?!

— Desculpa! — Ouviram uma voz feminina e abafada vinda pelo fundo do corredor.

JiMin e os outros presentes na sala se levantaram de seus assentos, animados em finalmente conhecer a jovem. Todos imaginavam como ela era, já que o único que realmente a viu foi o chefe Kang, que a contratou.

Comentavam como queriam que ela fosse fisicamente. Muitos disseram “loira”, já que não é muito comum verem loiras naturais pela rua. Outros preferiram ruiva, o que também era bastante difícil encontrar. Poucos a queriam com os fios escuros, já que assim era o mais comum e tradicional.

Mas isto pouco importava para JiMin. Por ele, a mulher podia ser careca! Estava tão chateado por ter que dividir seu cargo que nem se importava com a aparência que ela teria, o que é algo bastante raro.

Todos se surpreenderam quando a figura feminina apareceu, no fim do corredor. Quanto mais ela chegava perto, mais era possível ver seus traços finos e delicados. Min HeRa tinha um rosto limpo e desprovido de imperfeições.

Sua pele era pálida, fazendo com que muitos pensassem que talvez a jovem estivesse doente. HeRa odiava ter que explicar que a tonalidade natural de sua pele era aquela mesmo, e torcia para que os seus novos colegas de trabalho não a perguntassem a mesma coisa que todos sempre perguntam.

Seu rosto fino dava a impressão de que ela era uma mulher frágil e sensível, feita por um dos vidros mais delicados já apreciados. Mas, diferente de sua pele de porcelana, seu cabelo era muito rebelde. Parecia uma juba cor de mel com mechas douradas desarrumadas e naturais. Tentara arrumá-las num rabo de cavalo, mas a rebeldia ainda estava exposta, de um jeito mais “sofisticado”.

Era uma cena engraçada para o Park. Ao seu ver, a mulher não sabia o que estava fazendo. Min HeRa andava rapidamente, olhando para os lados e certificando-se se aquele era mesmo o local marcado para se apresentar. A sua confusão divertia JiMin, fazendo com que o ódio que sentia por ela sair de sua cabeça por alguns segundos.

Ainda sentia raiva, não sabia o quanto está novata era bobinha mesmo, e o quanto que era encenação. Para que JiMin comece a confiar 100% em mulheres, muitas coisas teriam que acontecer.

— Mil perdões! Eu não queria me atrasar! — HeRa chegou na sala, pedindo desculpas gesticulando com as mãos e fazendo inúmeras reverência aos seus superiores — E-eu me perdi aqui dentro... é um prédio realmente muito grande...

— Bom... — Começou o diretor Kang — A nossa sede é grande, sem dúvidas. Então, para não se perder, o JiMin irá lhe acompanhar e lhe mostrar o prédio. Explicará como funcionamos e o que terá que fazer. Considere-o um... “colega de sala”, já que irá trabalhar com você também — Terminou a frase sorrindo para JiMin. Ele estava ciente da angústia que ele tinha, mas não podia fazer nada além de mandá-lo ser simpático com a nova funcionária.

— Obrigada, senhor..., mas é que e-eu queria me apresentar aos outros f-funcionários...

Gagueja demais... como vamos aumentar as vendas se a nossa ‘garota-propaganda’ é assim?!

— Não se preocupe. Você chegou atrasada, o que fez com que o nosso movimento parasse por muito tempo para que pudéssemos esperá-la — Enquanto o dono explicava, JiMin sorriu discretamente. Adorou ver a mulher se sentir envergonhada por um erro que cometeu — Ajeitaremos nossos horários para que esta nossa reunião aconteça em breve... por hora, acompanhe o JiMin.

HeRa assentiu com a cabeça. Olhou para o JiMin que estava em seu lado, perguntando se podiam ir, e começou a analisá-lo, olhando de cima para baixo.

Queria saber quem era o seu “novo concorrente”. Ela queria olhá-lo, saber quem seria seu adversário. Não tem nada de errado em encará-lo deste modo, não é?

***

—...e por fim, a nossa sala.

JiMin estava exausto. Já bastava para ele ter que mostrar o prédio inteiro ao lado do ser que mais o irritava no momento, e ainda tinha que responder às milhares de perguntas que ela o fazia.

Achava que esta “excursão” pela sede demoraria uns 40 ou até 50 minutos pela grande extensão..., mas 2 horas? Não...

— Ai meu Deus! Aqui é enorme! Vamos ser só nós dois aqui, sozinhos, nesta sala tão grande? Isto é fantástico!

Arqueou as sobrancelhas, fingindo não entender exatamente o que ela quis dizer. Já estava de saco cheio de ouvir os gritinhos animados que ela dava de 5 a 5 minutos, e se tentasse explicar mais coisa, provavelmente seus tímpanos seriam explodidos.

— Não seremos só nós dois... o funcionário Jong também fica aqui. Mas eu concordo que seja bem grande, normalmente os nossos clientes vêm aqui também, então precisa ser grande para que fiquem confortáveis.

— Quem é o “funcionário Jong”? Ele é tipo o nosso mentor?

Mentor? De onde está mulher saiu?

É verdade que tinham alguém para observar o trabalho deles, já que o nível dos dois na empresa não eram muito melhor do que o de simples estagiários, mas “mentor” chegava a ser ridículo.

— Ah... é. Tipo isso... enfim..., pode entrar na sala, é melhor que se acostume logo com ela.

Encarou HeRa por um instante. Ela não era “feia”, como desejava que fosse. A fascinação e a curiosidade dela em explorar cada canto daquela sala o deixava intrigado. HeRa tinha uma alma infantil dentro daquele corpo evoluído.

Corou por instantes e se repreendeu por pensar em coisas sujas como esta no local de trabalho.

— Ah... não se preocupe com isto. Não está em meus planos me acostumar com esta sala.

Sua fala acordou JiMin de seus pensamentos impróprios. Ele a encarou com vara de dúvida, sem entender com o que quis dizer. HeRa bufou, impaciente. Achava que já tinha entendido.

— Eu não sou burra, senhor Park. Sei muito bem em que posição estamos. Não quero trabalhar num cargo tão baixo como este a minha vida inteira, quero subir no ramo — Ela dizia com olhos determinados para ele, que estava impressionado com a formalidade que o chamara e a infantilidade que em instantes, saíram de seu corpo — Eu quero aquela promoção, está bem? Eu a quero, e eu a terei.

— E como pode dizer isto com tanta certeza assim? Não sei se notou, mas ainda existe minha pessoa aqui. Trabalho a mais tempo que você aqui dentro, sei mais coisas do que você também.

— Ora... — Disse, dando uma risadinha de lado. HeRa não estava preocupada tendo aquela conversa, estava super tranquila por se posicionar logo para o “adversário” — Você não será problema.

— Como é?

— Eu vi você, senhor Park. Te observei enquanto me instruía a andar por aqui. Estava com uma cara enfadada, parecia chateado ou entediado com alguma coisa, parecia que... estava me explicando aquilo tudo à força. Como acha que um funcionário pode pegar uma promoção se está trabalhando com tanta raiva de tudo?

“Você ainda é jovem, senhor Park. Não precisa se preocupar com tantas coisas assim. Não gosta desta empresa? Então não se preocupe em ficar desempregado, peça demissão e vá procurar um emprego que o deixe realmente feliz e pare de sair atrapalhando a vida das pessoas, como se fosse pedra no sapato delas, como você está fazendo comigo! É um fato que você trabalha a mais tempo que eu aqui dentro, e que tem mais intimidade com o chefe Kang do que eu, mas eu também tenho meus truques, senhor. Por que acha que eu enchi seu saco com aquelas perguntas, Huh? Eu preciso conhecer este lugar e me familiarizar logo, não vou perder para você por uma coisa boba como intimidade.”

JiMin se assustou, de início. Não sabia que aquela mulher falava tanto assim. Ficou chocado com a coragem que ela teve e, jogar tudo em sua cara deste jeito. Depois que o susto passou, começou a encher a boca para poder falar também. Não iria, de jeito nenhum, levar desaforo para casa..

— Olha só, eu não sou de discutir com mulheres, quando eu o faço, é porque já esgotaram minha paciência, e olhe que isto não é comum de acontecer.

— Hum, estou vendo, senhor Park... É sempre tão calmo assim?

— Então... — JiMin continuou, fingindo não ter ouvido a interrupção de sua fala pela Min — ...é melhor que você pare de tentar me intimidar, porque eu não brinco em serviço, senhorita.

— Pare de se iludir, senhor Park. Mesmo tentando, sabe muito bem que aquela promoção vai ser minha.

— Não acha que você se acha demais não? Você est-

— O que está acontecendo aqui?

Antes que pudesse terminar sua frase, o funcionário Jong entrou na sala, encarando JiMin com o olhar por trás de seus óculos pequenos. Seu olhar era tão intimidador quanto o do chefe Kang. Tudo o que ele fazia de errado, o funcionário Jong sabia, e com certeza isto influenciaria na escolha de quem subiria de cargo.

— Nada, senhor — Começou Min HeRa, impressionando JiMin. Ele não esperava que ela o ajudasse, principalmente depois da “briga” que tiveram — O senhor Park apenas estava me explicando algumas coisas sobre o nosso trabalho. Ele me explicou que o senhor vai nos orientar um pouco, mas não custa saber mais... não é?

O sorriso sínico que se formava no rosto da mulher ao seu lado, deixava JiMin furioso. Como ela podia ser tão falsa assim? Em poucos minutos, tinha praticamente dito que faria tudo possível para consegui o que queria, não importa o que, e agora é meiga?

Que ódio desta mulher...” 

— Claro, claro. Você está completamente certa... — Disse o funcionário Jong, sorrindo envergonhado — Ah, JiMin... o diretor Kang quer você na sala dele. Agora.

— Sim, senhor....

***

— Relaxe, JiMin... não precisa ficar nervoso. 

— Desculpe, senhor Kang. Só estou irritado...

— Não fique. Beba o café, irá deixá-lo melhor.

— Obrigado, senhor.

JiMin pegou o copo quente de café puro, e sem pensar duas vezes, jogou o líquido todo em sua boca, afim de tirar toda a frustração que sentia de sua cabeça.

— É a senhorita Min que lhe incomoda?

— O senhor... o senhor viu tudo?

— Não gosto de olhar a vida de meus funcionários pelas câmeras do prédio, prefiro conversar com eles, assim como estou fazendo com você. Mas não precisa olhar pelas câmeras para saber que ela não lhe agrada.

JiMin assentiu com a cabeça, irritado por ter as lembranças da mulher gritando com ele voltando em sua mente. Com um olhar, pediu para que o chefe lhe servir mais café, que foi o que ele lhe fez.

— Ela me irrita, diretor.

— Não seja amargo, JiMin. Tente ver o lado dela. Ela é nova, e parece ser bem sensível..., não viu como ela gaguejou lá em baixo, na sala de reuniões?

Concordou com o chefe, mas ela apenas parecia sensível, porque de sensível, ela não tinha nada.

— A senhorita HeRa só deve estar sentindo a pressão. Todos os funcionários que trabalham aqui são mais experientes do que ela, ela deve estar apenas nervosa pela falta de experiência, se contarmos com os anos de todos trabalhando aqui.

— Aham... 

— Tente falar com ela... Não como adversários, mas como amigos. Eu não gosto de ver meus funcionários brigando, tente conversar com ela.

— O senhor é mesmo muito otimista se acha que apenas uma conversa serve para deixar aquela mulher agradável, senhor...

— Tenho que ser, JiMin... tenho que ser.

***

As palavras do chefe Kang parece que fizeram efeito. Quando JiMin voltou para a sala naquele dia, pediu desculpas á HeRa por ter ficado tão entediado quando foi instruí-la, e por ter falado de um jeito grosseiro com ela. A jovem aceitou os pedidos de desculpas dele com um sorriso gentil, mas diferentemente dele, não pediu desculpas também.

Mas JiMin não a culpava. Era uma mulher, e era sensível. JiMin pensava que ela devia ter explodido daquele jeito porque ele próprio a deixou irritada. Ela quis a devida atenção necessária naquele momento, e ele não a deu.

Deixou este assunto de lado e foi sentar em sua mesa para trabalhar. Nos dias seguintes, só a dirigia a palavra quando era para tratar de um assunto importante sobre o trabalho, tirando isto, mal a olhava nos olhos.

De vez em quando, JiMin podia sentir que o olhar da jovem caia em si. Sentia que o observava e que o encarava repetidas vezes. Sentia-se incomodado com isto, mas não iria mandá-la parar, não sabia se olhava diretamente para ele, também.

Depois de semanas, suas dúvidas foram sumindo. Enquanto estavam no horário de almoço, HeRa vinha lhe ver, e tentava puxar algum assunto com ele sempre que possível, mas logo era interrompida pelo Park, que lhe dava alguma desculpa para poder sair.

Ficava constrangido em ter a mulher dando em cima dele todos os dias, o que o motivou a trabalhar melhor para conseguir aquela bendita promoção e sair logo daquela sala, para não ter que dividir seu espaço com aquela mulher.

— As suas desculpas estão acabando...

— Hein?

Min HeRa falava consigo, tinha batido o horário de almoço e ele estava terminando de arrumar sua mesa para finalmente sair dali, mas ela foi rápida demais dessa vez.

— Por favor, senhor Park. Acha que eu não percebi que me evita?

— Não lhe evito, HeRa. E por favor, pare de me chamar de “senhor Park”, só meu nome serve.

— Se não me evita, JiMin... — Enfatizou o nome que agora tinha a autorização de usar — Por que nunca vem falar comigo? Todos os outros homens neste prédio já vieram querer me conhecer, menos você... por quê?

— Não tenho tempo. Sou atarefado, HeRa. Assim como você, eu trabalho.

— Sim, mas não em horário de almoço. Vamos comer juntos hoje?

Antes que pudesse responder, HeRa andou em direção de sua mesa, sentando sobre a mesma e deixando suas pernas a mostra, por conta da saia vermelha e respeitosamente curta que usava.

JiMin olhava para os lados, como se estivesse procurando alguém para lhe ajudar a fugir daquela situação, mas não tinha ninguém. O funcionário Jong já tinha saído, deixando-os sozinhos.

Não queria comer com ela, ainda não gostava totalmente dela. Todo o ódio que possuía não existia mais, já que se acostumou a conviver com ela. Mas ainda não o agradava a ideia de que podia ficar sozinho num cômodo, tendo conversas amigáveis sobre sua vida, com uma mulher como HeRa.

— Ah, eu acho que não vai dar, HeRa... — Evitava encará-la nos olhos, porque sabia bem que cederia a proposta se a olhasse, então tentou se concentrar num ponto, que foi a saia dela — Que tal... que tal outro dia, Huh?

Por que tem que vir com saias tão curtas?

Logo quando percebeu para onde olhava, balançou a cabeça levemente, afim de tirar estes pensamentos de sua cabeça de novo, pegou se material e levantou de sua mesa, tentando ir miseravelmente em direção da porta.

Para sua infelicidade, ela tinha reparado.

— Olhando para minhas pernas, JiMin? Não sabia que você era assim...

— O que disse?

— Vamos... pare de ficar na defensiva assim... — Levantou da mesa e puxou um dos braços de JiMin que não estavam ocupados carregando papéis e documentos — Vamos comer juntos...

— Eu não sei s-

— Por favoooorrr... Só hoje...

JiMin olhou para ela, fazendo birra como criança, e lembrou de quando ela exclamava de surpresa ao ver os cômodos “enormes” que o prédio tinha quando foi levá-la para conhecer a sede. Ele abriu um sorriso ao lembrar de como ficara encantado ao ver como ela parecia uma menininha, e por fim suspirou, cedendo.

Talvez não seja tão ruim assim... Talvez ela seja ruim só na minha cabeça

Lembre o que o chefe Kang lhe disse, JiMin... Converse com ela.

— Prometo que não irá se arrepender! Vem, vamos comer...

E ele saiu da sala, junto com Min HeRa que puxava seu braço, ansiosa em conhecer o seu grande “colega”.

***

Min HeRa surpreendeu totalmente o Park. Ela foi tão amigável e gentil com ele, que nem parecia a mesma mulher que o tinha gritado antes. Depois deste almoço, eles praticamente almoçavam todos os dias juntos, e não só almoçavam, mas conversavam durante o trabalho, como amigos normais.

Depois daquele “almoço milagroso” que tiveram, JiMin se repreendeu por ter afastá-la tanto anteriormente. HeRa era praticamente uma garotinha, era brincalhona e tirava totalmente a tensão de qualquer lugar, em qualquer pessoa.

Sua presença começou a ser bastante reconfortante para ele, todos os dias, JiMin começou a pensar num lugar em que podiam se encontrar no almoço. Começou a pensar mais nela do que deveria, e começou a pensar também em como deveria impressioná-la.

JiMin começou a se focar mais na mulher do que no próprio trabalho, o que lhe trouxe consequências. Errava o tempo todo, e se o diretor Kang não fosse seu amigo, tinha certeza que já teria levado uma bela de uma ameaça de demissão.

— HeRa, JiMin... – O funcionário Jong os chamou, fazendo com que a atenção deles fosse transferida  para ele — O diretor Kang mandou eu vir aqui e lhes dar a boa notícia! Ele acabou de decidir quem irá subir no cargo...

JiMin prendeu a respiração. Estava muito nervoso. Tinha total consciência de que seus erros recentemente foram por conta de sua nova “paixão” por HeRa, mas não achava que pequenos erros podiam afetar tanto seu trabalho.

— O diretor percebeu que você, JiMin, tem estado um pouco avoado estes dias, e todos sabemos que não se pode ficar vacilando, não no mundo dos negócios.

Não...

— Você tem errado bastante ultimamente, JiMin. Erros graves que, se você fosse de um cargo maior, poderiam custar os clientes da nossa empresa.

Não!

— Então, por conta destes erros, o diretor achou melhor dar a promoção para a senhorita HeRa, que mesmo com pouco tempo trabalhando aqui, mostrou-se completamente focada no trabalho e decidida no que realmente queria aqui dentro.

NÃO!

— Parabéns, senhorita... agora você deve me acompanhar até a sala do diretor, para que ele lhe explique o seu novo cargo no emprego, que eu posso lhe garantir... é bastante importante.

HeRa batei palmas, animada com a notícia. Arrumou todos os documentos de sua mesa e colocou em sua maleta, que logo ficou pronta. Quando ia se levantar o funcionário Jong a interrompeu.

— Oh não, minha cara... Estes documentos não lhe serão mais necessários. Pode entregá-los ao JiMin, já que ele ficará encarregado disto por conta própria agora.

— Ah, certo.

Andou saltitante até a mesa dele, e jogou a maleta em seu colo, fazendo-o acordar de seus devaneios. Sentiu o peso da mala em seu colo, sem nem acreditar que tudo aquilo era a papelada que tinha que resolver.

Esperava um consolo, ou apenas um olhar gentil vinda da parte de HeRa, mas nada veio. Ela apenas lhe deixou com os papéis, e logo foi atrás do funcionário Jong, deixando-o sozinho na sala.

Estava perplexo. Não sabia o quanto tinha errado para que esta oportunidade escapar de suas mãos deste jeito. Sentiu-se um idiota por colocar tudo a perder, principalmente por uma mulher que já sabia desde o início que não era boa coisa.

Afastou estes pensamentos da cabeça e voltou a trabalhar, como se nada tivesse acontecido. Min HeRa era boa demais, e ele sabia que ela merecia qualquer cargo que receberia. Não ficou bravo, no fim das contas. Até ficou sorridente, imaginando a felicidade da mulher.

Passou-se alguns dias para que descobrisse o cargo em que ela ficou. Quase caiu no chão quando ouviu as palavras “Vice-presidente da empresa” sair da boca do funcionário Jong. Não acreditava que ela foi escalada para um cargo tão alto, em tão pouco tempo.

— Ela é objetiva, JiMin. HeRa é focada. Todos os relatórios que ela me intrigou foram feitos com perfeição, e depois de que ela entrou na empresa, nossas vendas aumentaram 20%. Diferente de você, meu jovem... ela fez algo de útil.

As palavras duras do funcionário acabaram com o restinho de alegria que sobrara em seu corpo. Já estava bastante ruim o fato dela ter ignorado todas as suas tentativas ridículas de chamar sua atenção, agora ser humilhado desse jeito, o deixou em pedaços.

Disse a si mesmo que iria almoçar com ela nesta tarde. Queria conversar, ouvir suas piadas e saber como foi seu dia, provavelmente bem alegre, sabendo que ela estaria trabalhando na mesma sala do diretor Kang, uma das pessoas mais simpáticas que ele conhece.

Quando foi chamá-la, ouviu um “O que é?” bem bravo vindo para sua direção. Não importou com a forma grosseira que lhe foi falada e a chamou para comer, assim como era todos os outros dias.

— Você é cego, JiMin? Acha mesmo que eu vou lá? Com você?

— O qu-

— JiMin, eu convivo com gente importante agora, deu para entender? Chefes de empresas e clientes riquíssimos que se quisessem, fariam minha carreira econômica decolar! Acha que eu vou perder meu tempo com você, enquanto posso ficar com eles?

— M-mas o que você...

— Eu deixei minha posição bem clara no meu 1º dia de trabalho aqui, não foi? Então pronto. Não me incomode mais, vai trabalhar, JiMin. Isto é o melhor que você pode fazer agora.

— Senhora Min? O Chefe Kang lhe aguarda.

— Já vou, senhor... — Virou o rosto para JiMin, e terminou sua frase da pior maneira possível para ele — Não me procure mais.

***

O chefe Kang tinha viajado a negócios, o que significa que Min HeRa tomou a liderança da empresa. Os dias de JiMin tinham virado chatos e entediantes. Não pelo silêncio que sua sala ficava agora que não tinha mais HeRa para alegrar o ambiente, e sim porque cada vez mais JiMin se remoía por dentro, odiando a si mesmo por ter consideração a aquela mulher.

Falsa...!

Tudo estava indo “bem”, até o funcionário Jong chegar e dizer que a “Diretora Min” o aguardava em sua sala.

O que aquela bruxa quer?

Cada passo que deu em direção de sua sala, pensava em voltar e fingir que não ouviu o aviso da “Diretora”. Não queria olhar para a sua cara, porque era capaz dele fazer algo que com certeza se arrependeria depois. Quando chegou na porta, bateu de leve e logo que recebeu sua autorização, entrou.

Viu Min HeRa sentada na cadeira de couro do chefe Kang, analisando os papéis que estavam em sua frente. Quando ela levantou o olhar para JiMin, seu rosto endureceu.

— Senhor Park, eu serei direta com você. Está demitido.

Não importava de quantas maneiras JiMin arrumasse isto em sua cabeça, no fim, daria o mesmo. Arregalou os olhos, em busca de uma explicação, pelo que sabia, não tinha feito nada de errado.

— Seus erros causaram danos graves a esta companhia, e acho que ter você aqui será um erro enorme de minha parte.

— M-mas que ficará no meu lugar se eu sair? Não pode me demitir assim, tem que falar com o diretor Kang, e tenho certeza que ele nã-

— Silêncio! Eu sou a diretora. Eu mando aqui. Se eu digo que você será demitido, então você será demitido. Sua cabeça de vento não consegue entender? — Min HeRa olhou-o com impaciência, então suspirou, para logo continuar a falar — Não se preocupe, JiMin... Eu já arrumei novos funcionário para substituírem você. Só quero que saia deste prédio. Agora.

— Mas... E o meu plano de saúde? E o meu seguro? Se eu sair, não terei nada disto... minha vida estará arruinada.

— Problema seu. Arrume outro emprego que cumpra todas as suas necessidades, só quero que saia da minha vista já.

JiMin não conseguiu sair do lugar, viu toda a ruína diante de seus olhos. Este emprego significava a vida para ele, e demitido, é como se estivesse no próprio caos.

— Não entendeu não? Vai embora! O que foi? Achou que sua vida seguiria perfeitinha aqui? Não é assim que acontece, querido. Entenda, JiMin: a vida não é um conto de fadas.


Notas Finais


BWAHAHAHAHAHA @eu_shippo_tudo TE AMO SUA LINDA É SÉRIO
O Próximo, eu ACHO que vai ser do Jin, mas não tenho certeza naum.
AI COMO EU ADORO ISSO SENHOR
EU TENHO UMA SURPRESA PRO JIN, ENTÃO É.... HEHEHEHEHE AGUARDEM MEUS SHUSHUSSSS
UM BEIJAO
E quem quiser comentar, fique a vontade, responderei todos como sempre ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...