História Talvez


Escrita por: ~


Sinopse:
Yoongi entendia a preocupação de seus amigos, afinal sua vida era dedicada ao trabalho e ao filho, mas não achava que precisava encontrar outra pessoa, estava tudo bem do jeito que estava.
Mas sempre que se pegava pensando em Hoseok pensava que talvez, só talvez, devesse tentar mais uma vez.
Iniciado
Atualizada
Idioma Português
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Baby!jimin, Domestic!au, Hopega, Sobi, Yoonseok
Exibições 3.373
Comentários 50
Palavras 19.034
Terminada Sim

Fanfic / Fanfiction Talvez
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Lista de Capítulos

Capítulo
Palavras
1.
Um.
7
533
1.760
 
2.
Dois.
3
469
2.004
 
3.
Três.
3
443
3.242
 
4.
Quatro.
6
468
2.570
 
5.
Cinco.
9
510
3.597
 
6.
Seis.
7
500
3.756
 
7.
Sete.
15
450
2.105

Gostou da História? Compartilhe!

Comentários em Destaque

Postado por ~Miyean
Capítulo 7 - Sete.
Usuário: ~Miyean
Usuário
Sabe, eu estava com saudade de abrir a tag e me deparar com histórias assim, simples. E eu gosto pra caramba de tudo que é leve, carregado de simplicidade e tem um jeitinho meio despretencioso e surpreendente de acabar sendo aquilo que faltava pra melhorar seu dia. Eu a li no domingo, pouco depois do último capítulo ser postado, então seria mentira negar que praticamente devorei cada palavra de cada capítulo. Quando terminei, não conseguia parar de me perguntar o motivo pelo qual eu não tinha lido esta coisinha tão gostosa antes.

Eu adoro o fato de que tudo aqui parece ter sido escrito com extrema diversão e boa vontade. São poucos capítulos, mas eles são inteiros e não sinto que a história tenha corrido demais e faltado alguma coisa nela. Ficou tão bom do jeitinho que está. O único problema mesmo é esse gostinho de quero mais aqui na ponta da língua, mas fora isso foi uma leitura e tanto. Sério. E hoje, após ter topado com ela na minha biblioteca novamente, resolvi reler e quis deixar um comentário. Ou tentar, porque digitar no celular requer paciência e atenção para não acabar saindo algo bizarro por culpa do corretor. Mas esta história merece, então aqui estou eu.

Acho interessante o jeito que você tratou os personagens. É como se eles tivessem vida própria, cada qual com uma linguagem única e uma forma independente de ver o que acontece ao redor. Você deve ter lido isso mil vezes, mas eu realmente fiquei apaixonada pelo Jimin. Acho que não tem como não se derreter só de imaginar as bochechas rechonchudas e o rostinho de dar inveja a qualquer bebê, uma gracinha. Mas mesmo que ele seja a coisa mais adorável do mundo, ter um filho não deve ser fácil.

Quando vi que se tratava de uma história em que Yoongi seria pai de uma versão bebê do Jimin, fiquei me perguntando como isso poderia funcionar. Nunca tinha lido algo assim antes, mas eu realmente amo domestic Yoonseok, então não custava nada dar uma olhada. Acabei apaixonada pelo enredo, a construção natural do envolvimento entre o casal principal e sua escrita. Ela convence e torna o "só uma olhadinha" em "meu Deus, eu preciso de mais". Fiquei caída de amores por esta história como não ficava há tempos.

Seu enredo acabou acontecendo e dando muito certo mostrando um Yoongi que é casado com seu trabalho e filho, colecionando encontros arranjados desastrosos no currículo amoroso. Acho que qualquer um ficaria frustrado com amigos que vivem tentando te arrumar um par, mas que no fim nunca dá em nada e pessoas legais acabam virando só mais um número na lista de fracassos. Afinal, quem quer algo sério com um viciado em trabalho que vive em função de trabalhar e cuidar do filho pequeno? Ele até poderia ser alguém totalmente entediante e sem graça por isso, mas você deu vida, cor e mostrou traços que mostram que ele é o oposto de tédio e chatice. E Hoseok sabe disso.

E por falar nele, acho que a palavra que mais o descreve nesta história é: persistência. Qualquer um teria desistido depois do primeiro fora, ainda mais quando acabaram se conhecendo de forma cômica quando Jimin puxou seu cabelo e depois ficou na temida zona de amigo. Mas não. Ele também tinha uma experiência ruim com o amor, mas mesmo assim estava se permitindo gostar do hyung difícil e de seu filho-puxador-de-cabelo. Eu gosto do Hoseok que você criou tendo como base uma coisa mais realística e que eu me senti confortável lendo, sem exagerar e lapidando para que ele fosse do jeitinho que tem que ser. Quem não acabaria gostando dele?

Mas acontece que Min Yoongi e Jung Hoseok são uma linha tênue entre amigos e algo mais. Têm uma relação que nasce torta, meio sem jeito, mas que se arruma e endireita conforme Yoongi aprende que ter tempo para alguém é algo relativo e não precisa sacrificar sua vida amorosa agora que gosta de alguém pra valer. A verdade é que todos somos um quebra-cabeça completo até sentirmos que falta uma peça. E Hoseok era a que faltava para Yoongi. Como Seokjin disse, estar num relacionamento é mais que dar e receber, trata-se de dividir. E talvez ele estivesse pensando de forma muito fechada e individualista ao relutar sobre estar apaixonado, mas é compreensível. Amor é um assunto complicado.

Eu gosto muito de como tudo se desenvolve devagar, mesmo em poucos capítulos. Você une pontas soltas e as amarra com inteligência e doçura, formando um fluffy muito adorável e que te faz querer mais sem pecar no excesso. Apesar de ser fofa, ainda tem sua intensidade e retrata os lados da paternidade não planejada, a dificuldade em se encaixar e encaixar alguém no meio das responsabilidades. Até mesmo nas cenas mais quentes você conseguiu deixar tudo de um jeito diferente e totalmente seu, doce e com propósitos maiores. Eles não se desejaram da noite pro dia, não se apaixonam num passe de mágica e tudo se desenrola com delicadeza. Essa é uma das coisas que mais gostei aqui. Foi a sutileza e a simplicidade que anda em falta por aí, mas que você trouxe de sobra aqui. Foi esse romance gostoso e sossegado, mas que ainda está crescendo conforme aprendem a contar um com o outro, deixando que o talvez vire certeza.

E talvez, apenas talvez, mas com uma probabilidade enorme de certeza, está história tenha virado meu xodó.

Não há mais nada a dizer a não ser parabéns e muito obrigada por Talvez. Então, parabéns e muito obrigada. ♡

[Edit] Acabei de descobrir que você é autora de Touch, Comfort e Sobre sóis, luas e universos, dentre outras. Gosto ainda mais da sua escrita depois de descobrir que também está por trás dessas histórias que eu particularmente amo. Você realmente escreve muito bem, espero que um dia se sinta segura com suas histórias e sua escrita tão única e gostosa de ler.