História Talvez Não (Imagine Taehyung) - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, Suga, V
Tags Colegas, Colegas De Quarto, Hetero, Imagine, Imagine Bts, Imagine Taehyung, Imagine V, Kim Taehyung, Taehyung, Vizinhos
Exibições 181
Palavras 1.058
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Annyeong haseyo! Mas um cap. Pra vocês! !! Boa leitura ^^

Capítulo 21 - Você esta sorrindo muito


POV's Taehyung


Desde aquele dia no chuveiro, as coisas mudaram entre nós.


Não que ela tivesse tido essa mudança de personalidade milagrosa ou que ela seja realmente boa durante o dia.


Na verdade, ela ainda é muito má comigo a maior parte do tempo.


Ela também ainda pensa que Wendy é surda, o que é quase inacreditável que o trote já dure há tanto tempo. 


Então eu nem posso dizer que a minha emoção sobre dar trote nela mudou.


O que tem mudado são as nossas noites juntos.


O sexo.


Agora é diferente.


Mais Devagar.


Mais contato com os olhos.


Mais beijos.


Mais preliminar.


Muito mais beijos, e não só na boca.


Ela me beija em todos os lugares, e ela leva o seu tempo, quando ela faz isso


E ela gosta.


Ainda não é do tipo que quer abraçar depois, e ela sempre me chuta para fora da cama antes do sol nascer.


Mas, ainda assim, é diferente. 


Aquela noite, no chuveiro, derrubou um muro entre nós. Porque eu sei que todas as noites, quando eu a tenho na cama, ela me dá uma parte de si que ninguém jamais viu.


E isso é o suficiente para me manter feliz por um maldito longo tempo.


Eu só espero que hoje não estrague isso.


Nós dois temos o dia de folga, o que não acontece muito frequentemente por causa dos nossos trabalhos e faculdade.


Eu tenho algumas coisas para fazer e eu pedi a ela que fosse comigo, o que pode ser um pouco estranho.


Nós estamos dormindo juntos há alguns meses agora, mas esta é a primeira vez que nós faremos algo que não envolva sexo.


O que também me faz pensar se eu deveria convidá-la para um encontro eventualmente.


Eu sei que ela não é uma garota típica, mas com certeza ela gosta de algumas das mesmas coisas que as outras garotas gostam, como ser convidada para encontros.


Mas nunca deu a entender que quer que eu a leve em um, e, francamente, eu estou com medo de perguntar


Sinto que a nossa configuração está perfeita para nós dois e se começarmos a colocar encontros na mistura, vai estragar tudo.


Isso inclui encontros diurnos. 


Como o de hoje.


Como o que estamos prestes a fazer.


Merda.


— Então. — diz Wendy. Ela está sentada no sofá ao meu lado.


Eu estou vendo pornografia, naturalmente, porque (S/N) ainda se recusa a me dar o nome do que ela estava.


Wendy não se importa, no entanto.


Está concentrada na sua lição de casa, alheia ao fato de que eu estou, tipo, surtando por dentro, com o fato de que eu possa ou não pode ter apenas convidado (S/N) para um encontro durante o dia, para fazer algumas coisas. 


— O que há com (S/N)?


Eu olho para S) Wendy e ela ainda está concentrada em seu livro, tomando notas.


— O que você quer dizer?


Ela dá de ombros.


— Ela é tão... quer dizer.


Eu rio, porque é verdade. Ela pode ser terrível.


— Ela não consegue evitar. — eu digo. — Ela tem uma vida difícil.


— Hoseok também tem. — Wendy diz. — Mas ele não morde a cabeça das pessoas quando tentam falar com ele.


— Isso é porque ele é surdo. Ele não pode gritar com as pessoas, é fisicamente impossível para ele.


Ela olha para mim e revira os olhos, rindo. Ela me dá uma cotovelada nas costelas, bem na hora que (S/N) sai do seu quarto. 


Olha pra Wendy, e odeio que ela ainda suponha que poderia haver algo entre mim e ela.


Eu gosto dela, e acho que ela é legal, mas eu tenho um sentimento que Hoseok iria pôr um fim nisso em um piscar de olhos.


O que não é uma coisa boa, considerando que tem Maggie. 


Mas esses são problemas com os quais não quero me envolver no momento, porque o meu problema está olhando diretamente para mim.


— Por favor, não me diga que você convidou a sua namoradinha. — diz ela movendo os olhos para Wendy.


Ela é realmente boa nessa coisa de trote.


Ela nem sequer pisca um olho quando (S/N) fala sobre ela. apenas finge que não pode ouvir uma palavra que ela diz.


Tenho certeza de que ela foi tão longe com a brincadeira, porque é muito mais fácil do que ter que falar com (S/N)


— Ela não vem. — eu digo, levantando. — Ela tem planos.


Se vira, dando a atenção para a bolsa que ela acabou de pendurar no ombro.


Eu ando até ela e meus braços a envolvem por trás.


— Eu estou brincando. — eu sussurro em seu ouvido. — Eu não convidei ninguém para fazer as coisas comigo hoje, exceto você.


A mão dela encontra a minha testa, e me afasta


— Eu vou ficar aqui se você espera que hoje seja assim.


Eu dou um passo para trás.


— Como o que?


Ela aponta para mim.


— Você. Me tocando. Me beijando.


Caminha até a porta da frente e eu coloco a minha mão no meu coração e estremeço para Wendy


— Boa sorte. — ela faz mímica com a boca, enquanto saio.


Uma vez que estamos no meu carro e estamos distanciando do apartamento, finalmente fala.


— Então, onde é que vamos primeiro? Eu preciso ir à farmácia, antes de voltar.


— Primeiro, vamos à casa da minha irmã, então vamos ao banco, então Rudy, em seguida vamos almoçar, depois vamos para casa.


Sua mão voa para cima e ela levanta um dedo.


— O que foi que você disse? Eu repito.


— Primeiro vamos à casa da minha irmã, então vamos ao...


— Por que no inferno você vai me levar para a casa da sua irmã? Eu não quero conhecer sua irmã, Taehyung. Nós não somos esse tipo de casal.


Eu reviro meus olhos e agarro a mão que está levantada em protesto.


— Eu não vou te levar como minha namorada. Você pode ficar no carro que não me importo. Eu só preciso deixar um pacote na casa dela.


Isso realmente diminui a sua apreensão. Relaxoi no banco e vira a mão para que eu possa deslizar meus dedos com os dela.


Olho para as nossas mãos e as vejo unidas no assento entre nós, parece que eu acabei de ir mais longe com a mão dela, do que na primeira noite em que transamos.


Ela nunca teria me deixado segurar sua mão naquela época. 


Inferno, ela nunca teria me deixado segurar a sua mão no mês passado.


Mas estamos de mãos dadas agora.


Talvez eu devesse convidá-la para um encontro.


Puxa a mão da minha e eu imediatamente olho para ela. Ela está olhando diretamente para mim.


— Você estava sorrindo muito. — ela diz.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...