História Talvez Não (Imagine Taehyung) - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, Suga, V
Tags Colegas, Colegas De Quarto, Hetero, Imagine, Imagine Bts, Imagine Taehyung, Imagine V, Kim Taehyung, Taehyung, Vizinhos
Exibições 157
Palavras 1.532
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Annyeong! mais um BOA LEITURA!

Capítulo 25 - Oi?


POV's Taehyung

Ok, não foi tudo ela

Eu participei de uma parte enorme nisso, também.

Meu peito dói.

Eu não gosto disso.

Eu não gosto do silêncio, e eu não gosto do fato de que eu estou a ponto de ter que ir acertar isso.

Coloco minhas mãos em meus joelhos e começo a ficar de pé.

— Bem, lá se vai minha chance de atuar todas as cenas de fantasia que eu imaginei. Muito obrigado, Wendy

Ela empurra seu livro do seu colo e se levanta.

— Foda-se, Taehyung. Ai. Dano duplo.

Caminha na direção da porta e bate no quarto de (S/N). Depois de alguns segundos, ela cautelosamente desliza para dentro e fecha a porta atrás dela.

Se de alguma forma ela corrigir isso, eu vou ficar em dívida com ela para sempre.

Eu suspiro e passo a mão pelo meu cabelo, sabendo que isso é culpa minha.

Olho para hoseok e ele está olhando para mim.

— O que eu perdi? — ele sinaliza.
Eu balanço minha cabeça lentamente com vergonha

— (S/N) descobriu que Wendy não é surda e agora me odeia. Wen foi ao quarto dela para tentar consertar as coisas, porque ela se sente culpada.

Confusão nubla o rosto dele

— Wendy? — ele sinaliza. — Ela tem que se sentir culpada por quê?

Eu dou de ombros.

— Continuar com o trote, eu acho. Ela se sente mal por isso ter envergonhado (S/N)

Hyung balança a cabeça.

— Ela mereceu. Se alguém deveria estar se desculpando, devia ser ela. Wendy.

Por que ele está defendendo ela como se fosse seu namorado superprotetor? Eu olho para porta do quarto onde elas estão, chocado que eu realmente ouço uma conversa acontecendo, em vez de uma briga.

Hoseok acena com a sua mão no ar para chamar minha atenção novamente.

— (S/N) não está gritando com ela, não é? — ele sinaliza. Ele parece preocupado e, sinceramente, isso me preocupa.

— Tem certeza que não parece se importar muito com o bem-estar da Wendy — eu sinalizo.

Seu maxilar cerra, e eu sei que eu provavelmente não deveria ter dito nada.

Eu não consigo evitar, no entanto. Eu já passei por muita coisa com ele e Maggie, e eu não quero que ele estrague as coisas só porque deve achar outra garota atraente.

Posso dizer que ele não quer levar a conversa para aquela direção, então eu a redireciono de volta para mim.

— Não, nenhuma delas está gritando. — sinalizo.— Mas (S/N) vai, assim que ela sair do seu quarto. Ela mais do que provavelmente vai sair agora, e eu nunca vou ser capaz de rastejar para fora da cama de novo, por que...

Eu aperto minha mão no meu peito.

— Ela vai levar o meu coração com ela.

Ele sabe que eu estou sendo dramático, então ele revira os olhos e ri, virando- se para o seu laptop de novo.

A porta do quarto de (S/N) se abre, e ela marcha para fora.

Eu não me preparei para isso.

Eu sabia que ela estaria brava, mas eu não tenho certeza se posso me defender dela fisicamente se estivéssemos em uma briga real.

Sento-me em linha reta e assisto com medo quando ela caminha rapidamente para mim.

Ela se ajoelha no sofá e desliza sua perna em meu colo, escarranchando em mim.
Eu estou tão confuso.

Suas mãos seguram as minhas bochechas e ela suspira.

— Eu não posso acreditar que eu estou me apaixonando por um estúpido, idiota tão estúpido.

Meu coração quer se alegrar, mas minha mente está puxando as rédeas.

Se apaixonando. Por um idiota. Um, estúpido, idiota tão estúpido.

Puta merda! Sou eu!

Eu envolvo minhas mãos em volta da cabeça e puxo a boca dela para a minha, ao mesmo tempo que me levanto e começo a fazer o meu caminho para
o meu quarto.

Eu fecho a porta atrás de nós e vou até a cama e deixo-a cair sobre ela.

Eu tiro minha camisa e jogo no chão.

— Diga isso de novo. — eu deslizo em cima dela e ela sorri, tocando meu rosto com as palmas das suas mãos.

— Eu disse que eu estou me apaixonando por você, Taehyung. Eu acho.

Eu tenho certeza que é isso.

Eu a beijo novamente, freneticamente. Essas são as palavras mais bonitas que eu já ouvi sair de outro ser humano. Eu recuo e olho para ela novamente.

— Mas você queria me matar a cinco minutos. O que mudou?

Eu me levanto em minhas mãos.

— Será que Wendy te pagou para dizer isso? Isso é um trote?

Meu coração para. Ela balança a cabeça.

Eu morreria. Eu literalmente morreria se ela retirasse o que disse.

Eu morreria muito melhor do que Jimim morre, porque a minha morte seria uma morte de verdade.

— Eu só... — (S/N) faz uma pausa, procurando as palavras certas.

— Eu estive pensando o tempo todo que talvez você estivesse tendo um rolo com Wendy. Mas depois de falar com ela, eu sei que não é verdade. E ela também mencionou que uma noite quando estava bêbado, você disse que provavelmente me ama. E isso só... eu não sei Taehyung

Deus, eu amo isso. Eu amo o seu nervosismo.

Eu amo sua hesitação.

Eu amo que ela esteja falando comigo de forma tão aberta.

— Diga-me, (S/N) — falo baixinho, pedindo a ela para terminar o que estava dizendo.

Rolo para o meu lado e me apoio no meu cotovelo. Eu tiro o cabelo da sua testa e inclino para frente para beijá-la.

— Quando ela disse isso, me fez sentir... feliz. E eu percebi que eu nunca estou feliz. Eu era uma criança infeliz e eu sou uma adulta infeliz e nada na minha vida me faz sentir do jeito que você faz. Então, eu só... eu acho que é esse o sentimento. Eu acho que estou me apaixonando por você.

Uma pequena gota de lágrima escapa do canto do olho dela e, tanto quanto eu quero pará-la e guardá-la para toda a eternidade, eu finjo não notar, porque eu sei que é o que ela prefere.

Eu beijo seus lábios novamente antes de me afastar e olhar diretamente nos seus olhos.

— Eu estou me apaixonando por você, também.

Ela sorri e estende a sua mão até a parte de trás da minha cabeça, puxando lentamente minha boca na dela.

Me beija suavemente e em seguida, delicadamente me empurra para as minhas costas.

Sobe em cima de mim e pressiona as mãos contra o meu peito.

— Eu acho que eu deveria esclarecer que eu nunca disse que eu estava apaixonada por você. Eu só disse que estava me apaixonando por você. Há uma grande diferença.

Eu a agarro pelos quadris e a puxo para mais perto.

— A única diferença entre estar se apaixonando e estar apaixonada é que seu coração já sabe como você se sente, mas sua mente é teimosa demais para admitir isso.

Então eu sussurro em seu ouvido.

— Mas tenho todo o tempo que você precisa. Eu não tenho nada, exceto paciência para você.

— Bom, porque eu não estou dizendo que eu te amo ainda. Porque eu não sei. Eu poderia estar chegando nesse ponto, mas qualquer coisa poderia atrapalhar isso.

Eu não posso deixar de sorrir e beijá-la depois desse pequeno aviso.

Depois de mais alguns minutos de beijos, ela vira a cabeça para o lado e levanta um dedo, em silêncio, me pedindo para parar.

Se afasta e senta na cama, abraçando os joelhos.

Deita a cabeça em seus braços e fecha os olhos com força.

Está quieta por vários minutos, e sua reação é incomum para ela. Ela parece culpada.

Nunca parece culpada porque sempre está zangada demais para sentir qualquer sentimento de culpa.

— Qual é o problema? — eu pergunto.

Ela rapidamente balança a cabeça.

— Eu sou a pior pessoa do mundo. — ela sussurra.

Vira a cabeça em direção à minha, lentamente. Eu não gosto do olhar em seu rosto.

Ela começa a fugir para fora da cama e eu sinto meu coração arrastando atrás dela.

— Foi um trote, Taehyung. — ela fala suavemente quando levanta.
Eu me levanto em meus cotovelos.

— O que você quer dizer?

Ela se vira para mim e seus olhos estão tão cheios de vergonha, ela não pode sequer olhar para mim sem pestanejar

— Eu estava tentando me vingar de você por me deixar pensar que Wendy era surda.

Ea abre a porta do banheiro e olha para seus pés.

— Eu disse tudo isso porque eu estava com raiva de você, não porque é realmente o que eu sinto. Eu não estou me apaixonando por você, Tae

Eu acho que você está esmagando meu coração, (S/N).

Ela olha por cima do ombro, para dentro do banheiro, e depois de volta para mim.

— Eu não tive a intenção de levar isso tão longe. Isso é realmente estranho. Eu vou voltar para o meu quarto agora. — ela fecha a porta atrás dela.

Eu estou muito dormente para sentir.

Dormente demais para me mover.

Dormente demais para processar as palavras que acabaram de sair da boca dela.

Minha garganta dói, meu estômago dói, meu peito dói, até mesmo a porra dos meus pulmões doem e oh, meu Deus, dói muito.

Eu caio de volta para a cama e coloco dois punhos na minha testa.


Notas Finais


NÃO ME MATEM!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...