História Talvez seja você. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias CNBlue
Personagens Jung Yong Hwa, Kang Min Hyuk, Lee Jong Hyun, Lee Jung Shin, Personagens Originais
Tags Brigas, Cnblue, Romance
Exibições 26
Palavras 2.868
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Outra fic minha mds, o que eu estou fazendo com a minha vida.
Espero que gostem, pq eu demorei para escrever e desculpa os erros.
Boa leitura.

Capítulo 1 - Ódio, melhor amigo, crush e fofo.


Fanfic / Fanfiction Talvez seja você. - Capítulo 1 - Ódio, melhor amigo, crush e fofo.

Capítulo 1.

Eu odeio com todas as minhas forças... os meus vizinhos, tirando o meu melhor amigo, o Minhyuk que é um cara legal e o meu crush, que é um dos meus vizinhos também.

Sabe quando você está fazendo uma coisa que precisa de total concentração e silêncio, mas isso não acontece aqui.

Estava no meu quarto de cara nos livros, estudando para prova que vai acontecer semana que vem, e agora uns dos meus queridos vizinhos inventa de colocar música alta, ai que raiva.

Eu já tentei colocar meus fones de ouvido para ver se o som diminuía, mas não funcionou.

Me levanto saindo do meu quarto e vou até a porta do meu vizinho, ele é conhecido como Jonghyun o cara que eu mais odeio no planeta terra inteiro.

Paro em frente a porta de seu quarto e bato, mas o mesmo não ouviu por causa do barulho da música. Eu já estava perdendo a paciência com esse cara, entro no seu quarto sem bater mesmo, quando o mesmo me olha surpreso com o que eu fiz, ele estava encostado na parede me encarando. E como sempre ele se vestia de preto, não é novidade para mim ele estar de roupa preta hoje.

Vou até o seu computador e desligo a caixa de som, quando ele se pronuncia primeiro que eu.

- Ficou maluca garota - diz ele me encarando - Você entra no meu quarto sem permissão e desliga a música que eu estou ouvindo.

- O que você tem na cabeça de ouvir música alta agora - digo e cruzo os braços - Você sabe que horas são.

- São 20:34 - diz ele olhando para o relógio que estava em seu pulso esquerdo - E ainda está cedo.

- Não importa a hora que você quer ouvir música, só não escuta muito alto - digo e ele levanta uma sobrancelha - Eu estou estudando e preciso de SILÊNCIO, entendeu.

- Por que eu deveria ficar quieto - diz ele e se aproximando de mim, e eu dando pequenos passos para trás - Só por que você quer estudar e tentar ser uma das melhores alunas do seu estágio.

Ele foi se aproximando mais e mais, até o momento em que eu encosto na mesa, mas ele continuou a se aproximar, quando eu falo.

- O que está fazendo ? - digo e ele se aproxima mais - Ei, ficou maluco.

- Depende da situação - diz ele e me olha de cima a baixo, só que mordendo o lábio inferior de sua boca - Já que a minha vizinha super chata, está sexy com esse pijama.

Eu não acredito que ele estava olhando para o meus seios, eu sei que o meu pijama mostra um pouco, mas não é tanto assim.

- Pervertido - digo e empurro ele - Nunca mais se aproxime de mim e se liga essa maldita música de novo, eu vou quebrar o seu computador.

Saio do quarto dele com muita raiva, além de ele ser um idiota de segunda categoria, ele teve a coragem de dar em cima de mim, ai que ódio desse cara.

Voltei para o meu quarto, estava retomando de onde eu parei, quando eu escuto a música alta de novo.

Olhei para a porta do meu quarto e respirei fundo, eu não vou discutir com um idiota que nem ele. Eu vou para um lugar onde eu posso ficar em paz dessa peste que é meu vizinho.

Saio do meu quarto e vou para o jardim da pensão, pelo menos lá é fresco e calmo.

Me sento na mesa que tinha e começo a estudar, sabe como é estar tão concentrada no que está fazendo e nem perceber que tinha alguém te observando, eu só fui saber que eu estava sendo observada, quando o meu melhor amigo se sentou na minha frente e disse:

- Estudando de novo - diz ele e eu olho para o mesmo - Garota você não tem vida social, não é.

- Ei, Jungshin - digo e ele me olha através de seus óculos, que ele sempre usa - Eu estou ocupada agora.

Voltei a olhar para o livro, quando ele pega o livro de minhas mãos e começa a folhear as páginas.

- Ei, devolva o livro - digo tentando pegar o livro, mas ele não deixa - Eu preciso estudar para a prova, que vai acontecer semana que vem.

- Anatomia do corpo humano - diz ele lendo a capa do livro - Sério, que você ainda acha que não tem vida social, tipo de pessoa estuda medicina.

- Me deixa em paz - digo conseguindo pegar o livro de volta - Pelo menos eu estou tentando virar alguém na vida.

- Ai garota sai dessa vida - diz ele e pega de novo o meu livro - Você só estuda.

- Jungshin - digo e ele me olha - Estágio, preocupações e responsabilidade.

- Está vendo - diz ele colocando o livro na mesa - Por isso que você nunca arranja um namorado.

- Jungshin, eu não preciso de homem - digo e pego o meu livro - Eu preciso estudar para conseguir um bom emprego, apesar que no meu estágio eu ganho bem.

Ele me olha na maior decepção, como se eu tivesse falado algo errado, não liguei muito para ele e voltei a olhar para o livro.

Comecei a sentir um pouco de frio, quando de repente o Jungshin tira seu moletom e me entrega, olhei para ele um pouco surpresa, por que não é o tipo de coisa que ele faria.

- Se eu fosse você vestiria o moletom - diz ele começando a ficar vermelho e olhando para o lado - Está um pouco frio e você está de pijama.

- Eu estou bem - digo e ele olha para mim - Mais irei vestir, por que se não você vai me encher o saco.

Peguei o moletom e vesti, ficou muito grande em mim, mas não deixa de ser quentinho, quando eu sem querer acabo falando.

- Ah, o seu calor ainda está aqui - digo e ele me olha - E seu perfume masculino.

Acabei cheirando o moletom, eu amo o cheiro de perfume masculino, eu vê que ele riu um pouco, quando ele fala.

- Não fique até tarde estudando - diz ele se levantando - E não se esqueça de devolver o meu moletom.

- Espere... - digo e ele volta a se sentar na cadeira - Você não quer me ajudar a estudar.

- Choi So Hyun - diz ele e acerta o óculos no seu rosto que fica caindo - Eu não estou nem um pouco afim de ler livro de medicina.

- Você não vai precisar ler o livro - digo e dou um sorrisinho - Eu estudei a parte teórica, agora eu preciso fazer a parte prática.

- Você quer me usa como cobaia - diz ele - Só para você estudar.

- Vai me ajuda - digo e faço uma carinha fofa para ver se funciona com ele - Por favor, Jungshin eu nunca te pedi nada.

Ele me olha pensativo por um tempo, quando o mesmo fala.

- Está bem - diz ele e fico feliz - Só não me mata, por favor.

- Sério - digo me levantando e indo abraçar ele - Obrigada, fiquei aqui que eu vou buscar o kit de primeiros socorros.

Saio correndo, quando eu estava no corredor, de repente aparece o Jonghyun e caio em cima dele.

- Ai minhas costas - diz ele e eu o olho atentamente - Garota vê se não corre, se não desse jeito você me esmaga.

- Você me chamo de gorda - digo e dou um soco no seu braço - Ficou maluco, quer morre.

Tentei dar outro soco nele, mas ele segura a minha mão e me puxa para perto dele, quando ele fala.

- Eu já falei que você fica bonita, quando está irritada - diz ele bem perto de mim - E eu não estou mentindo.

- Eu preciso estudar - digo e saio de cima dele - A gente se vê depois.

Fui até meu quarto e peguei a caixa de primeiros socorros que estava de baixo da cama, saio do meu quarto na esperança de que Jonghyun não esteja mais lá, mas foi em vão por que ele ainda estava no corredor.

Passo por ele, quando o mesmo fala.

- Aproposito - diz ele e eu o olho - Eu adorei ver sua calcinha vermelha.

Eu olhei para ele indignada com o que ele me disse, que pervertido. Aquilo me deixou com raiva, mas o Jungshin está me esperando, então não dei muita atenção e saí.

Quando eu cheguei no jardim de novo, Jungshin ainda estava lá, só que mordendo no celular. Me aproximo dele e coloco a caixa em cima da mesa, ele tira os olhos do celular e começou a me observar.

- Pronto - digo pegando a minha cadeira e me sentando do seu lado - Agora me da o seu braço.

Abro a caixa e pego uma siringa, quando Jungshin se assustou e tentou sair dali, mas eu o segurei e disse:

- Não prometo que vai doer - digo e ele me olha assustado - Mais vai ser rápido.

- E-espera - diz ele e eu volto a olhar para ele - Você não me falou que ia me furar.

- Eu preciso treinar como se tira sangue - digo e ele tenta sair de novo, mas eu o segurei - Calma, eu não vou te machucar.

- Eu não confio em você com uma siringa na mão - diz ele se levantando - Então, você pode encontrar outra pessoa.

Ele saiu sem me deixar responder, então voltei aos meus estudos sozinha, claro que eu não ia tirar meu sangue eu mesma, então voltei a ler o livro. Eu fiquei tanto tempo estudando que acabei caindo no sono.

Quando eu acordo eu estava em meu quarto, passo a mão no meu rosto e vejo que tinha um papelzinho azul colado na minha bochecha, olho para ver o que estava escrito
"Você não me escuta mesmo e da próxima vez vê se não dorme, foi difícil te levar até o seu quarto.
Ass: Jungshin..."

Então foi ele que me trouce aqui, olho o horário no celular e vejo que eu acordei em cima da hora, droga eu vou me atrasar.

Me levanto e vou me arrumar rapidinho, eu literalmente saio correndo do meu quarto, quando eu esbarro com uns dos meus vizinhos, o Younghwa que é o cara que eu tenho uma quedinha por ele.

- Desculpa - digo e reverêncio para ele - Eu estou muito atrasada.

- É eu percebi - diz ele olhando pra mim - Você deveria ir, se não quiser se atrasar mais.

Nem respondo, só saí correndo, desço as escadas e vou até a cozinha, que lá a Ajumma sempre está na cozinha e ela é a dona da pensão.

Estavam todos acordos inclusive o Jonghyun, pego um copo de suco de laranja e bebo rapidinho, quando a Ajumma fala.

- Beba devagar menina - diz ela e coloco o copo em cima da mesa - Você pode se engasgar.

- Ajumma você é demais - digo e pego uma maçã - Mais eu estou atrasada e preciso ir.

Saio correndo novamente, eu corri até o ponto de ônibus, por sorte eu não perdi o meu ônibus que ia para o hospital.

Eu acabei chegando atrasada no estágio, o professor não brigou comigo por que eu quase nunca me atraso, então eu fui salva por isso.

Eu trabalho na área de emergência do hospital, quer dizer... eu faço estágio aqui, e ainda sou paga no final mês. Mais eu gosto do que eu faço, gosto de poder salvar a vida de uma pessoa, por isso que eu estudei medicina por 6 anos.

Quando eu finalmente posso ir embora, eu volto para a pensão, droga eu ainda tinha que estudar para a prova, quando eu sem tropecei no meu próprio pé e caí em cima do meu vizinho que passou bem na hora.

Eu devo estar vermelha nesse momento, por que eu estou literalmente em cima dele, e o pior é que dá a impressão de que a gente ia se beija ali mesmo, eu estou tão perto de seu rosto que eu pude sentir sua respiração.

Quando eu me toquei que ainda estava em cima dele, saio rapidamente e falo.

- Desculpa - digo reverênciando para ele - Eu tropecei e você apareceu bem na hora e...

- Tudo bem - diz ele me interrompendo - Tenho certeza de que foi um acidente e se eu não tivesse aparecido na hora, você poderia ter se machucado.

Que fofo ele está sendo comigo, ele é o meu vizinho mais gentil que eu tenho e ele é muito inteligente, quando eu falo.

- Minhyuk - digo e ele me olha - Você pode me ajudar a estudar para a minha prova.

- Posso - diz ele me encarando - Quando vai acontecer a prova.

- Semana que vem - digo e ele ri - Por que está rindo ?

- Você só tem uma semana para estudar - diz ele se levantando e me ajudando a levantar - Quero ver o quanto você consegue aprender em uma semana.

- Mais eu já sei a parte teórica - digo e ele me olha - Só preciso práticar.

Ele sorriu gentilmente para mim, desde quando ele ficou tão bonito, eu quase nunca reparo nele.

- A gente deveria começar - diz ele e eu volto para a realidade - Já que você tem uma semana para estudar.

- Ah sim - digo e ele me encara - Então vamos estudar lá no jardim.

- Tem certeza - diz ele olhando para a janela - Lá fora está ventando muito.

Olho para a janela e realmente ele tinha razão, estava ventando muito lá fora, talvez até caia uma chuvinha hoje.

- Vamos estudar - diz ele subindo as escadas - No seu quarto.

- O que! - digo começando a subir as escadas e indo atrás dele - Ei...

Ele para em frente a minha porta, quando eu falo.

- Vamos estudar na biblioteca municipal - digo e ele me olha - Lá é mais calmo que aqui e... eu não estou afim de me encontrar com um ser humano muito chato.

Olhei para a porta do quarto de Jonghyun, ele olha também e depois ri, quando o mesmo fala.

- Vocês dois não se gostam mesmo - diz ele e eu volto a olhar para o mesmo - Vamos estudar só no seu quarto.

Ele entrou no meu quarto e sentou na cama, quando ele fala.

- Você está fazendo estágio, não é mesmo - diz ele e eu me sento do seu lado - Então deve estar aprendendo Anatomia.

- Sim - digo e pego o meu livro - Mais eu ainda tenho muito coisa para estudar.

Ele pega o livro em minhas mãos e folheia as páginas, ele vê que tinha alguns papelzinho colados nas páginas, eram coisas que eu tinha que lembrar, quando ele fala.

- Você anota tudo que tem que lembrar - diz ele ainda olhando para o livro - Isso ajuda um pouco, mais não é o suficiente.

Ele fechou o livro e começou e tirou a jaqueta, quando ele estende o braço e fala.

- Você tem que tirar meu sangue - diz ele e eu o olho - Não é isso que você tem que estudar.

- Sim - digo e pego a caixa de primeiros socorros - Você tem certeza de que quer que eu faça isso com você.

- Sim, vai rápido - diz ele - Você precisa.

Pego o algodão com álcool e passo na região do seu braço primeiro, depois eu procuro a veia, que era difícil de ser achada fiquei um bom tempo procurando, quando eu consegui achar a veia, eu pego a siringa e tiro seu sangue.

- Consegui - digo ficando feliz - Meu deus, eu consegui.

- Até que você fez tudo direitinho - diz ele olhando para mim e sorrindo - Pensei que teria que te dizer alguma coisa, mas não precisei.

- Obrigada por me ajudar - digo reverênciando para ele - Sem você eu não teria conseguido.

- Mais ainda não acabou - diz ele e eu o olho atentamente - Você ainda não terminou.

- Verdade - digo e tiro a siringa e coloco um algodão para estancar o sangue - Pronto.

Eu sorri para ele, quando o mesmo fala.

- Eu ainda vou te ajudar a estudar para essa prova - diz ele - Até a semana acabar.

- Sério - digo ficando feliz e acabei abraçando ele - Obrigada.

Ele pareceu sem graça com aquilo que eu fiz, então parei de abraçá-lo, ele se reverênciou para mim e depois saiu do meu quarto.

Legal, eu vou ter alguém para estudar comigo, nunca estive tão feliz. Pelo menos o Minhyuk não é medroso igual o Jungshin.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Até o próximo capítulo.
😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...