História Talvez sim, talvez não. Talvez amor. - Capítulo 52


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Drama, Romance
Exibições 144
Palavras 3.365
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá pessoas. eu voltaria só amanha, mas estarei ocupada... então haha
espero que gostem desse Cap. Ele está um tanto quanto grande, e tem algumas passagens te tempo. Porque... bom, porque sim. eu poderia mostrar todo o sofrimento da Camz, mas já teve sofrimento demais dela rs
Boa leitura.
Deixem seus comentários.

Capítulo 52 - Formatura. de volta ao inicio.


POV Camila

“Lauren, por favor, não vai” eu chorava enquanto a via saindo pela porta. “Por favor, meu amor, por favor. Nós podemos passar por isso” Eu implorei enquanto corria até ela. As lagrimas saiam de meus olhos e escorriam por meu rosto sem permissão. Ela olhou em meus olhos e sorriu triste. Deixou um beijo em minha cabeça e disse que era o melhor a se fazer, então ela pegou o carro e saiu.

 Eu entrei em desespero, um choro compulsivo começou a sair de meus lábios. Então eu agarrei a chave do meu carro e fui ao seu encontro. As lagrimas que desciam furiosamente, estavam embaçando a minha visão. Mas não importava. Só me importava ter ela. Então sai com o carro atrás dela.

Quando eu estava quase chegando ao meu objetivo, um caminhão apareceu e então eu senti um impacto e tudo ficou escuro.”

Sentei-me assustada. Eu estava suando e com a respiração ofegante, e então me dei conta. Foi um sonho. Como todos os outros que eu tenho tido desde que deixei o hospital.

Acendi minha luminária e respirei fundo tentando acalmar minha respiração.

E então me veio a realização de que sim, Lauren havia ido embora. Mas do contrário de meu sonho, ela não conversou comigo pessoalmente.

Isso me machuca terrivelmente.

Eu sinto falta dela. Muita. Mas eu passo o dia todo sem falar sobre isso, primeiro porque as pessoas já estão preocupadas suficientes comigo. Segundo porque meu pai e Dinah estão bastante chateados com ela. Não quero ficar enchendo eles com isso. Deixaria os mesmos ainda mais chateados.

Veronica fala com Lauren ainda. Mas eu pedi para que se ela não tivesse contado sobre o acidente, que ela não contasse.

Lauren se sentiria culpada e independente de qualquer coisa, ela não tem culpa disso. Fui eu quem pegou o carro e saiu como uma louca. Então, ela não precisa de mais essa culpa.

Mas também não disse esse motivo em voz alta. Dinah me daria um sermão de horas me dizendo todos os motivos do porque ela tem culpa.

Ás vezes eu falo com Ally sobre isso, sobre a falta que eu sinto dela. A baixinha me compreende, mesmo estando chateada com Lauren pela forma como ela terminou nosso namoro, ela é a mais calma. Então ela sorri para mim e diz que o tempo resolve todas as coisas. Eu prefiro acreditar que sim.

Normani tem ignorado a existência da minha ex-namorada desde o dia em que a mesma foi embora.

“Ex-namorada” é tão ruim falar isso. Automaticamente quando penso nisso, meus olhos já se enchem de lagrimas.

Ela se sente mal por Lauren nem ter a comunicado que estava indo embora. Comunicou a Keana que conheceu em menos de um ano.

Ninguém comenta o nome de Lauren quando eu estou por perto, o que eu agradeço. Sinto que vou desmoronar a cada vez que ouvir o nome dela, como estou fazendo agora.

Logo Dinah aparece aqui para me abraçar e dizer que tudo vai ficar bem, e então eu vou sentir segurança em suas palavras, porque ela nunca mente para mim.

1

2

–Chancho – Ouvi a voz de Dinah do outro lado da porta. Eu disse.  – Você está bem? – questiona enquanto coloca a cabeça para dentro do meu quarto. Eu apenas sorrio triste e a mesma entra em meu quarto e caminha em direção a minha cama. Sentando-se ao meu lado e passando o braço pelos meus ombros.                                                                                                                         

– Estou bem, só perdi o sono. – Disse secando os olhos e ela sorriu triste                       

– Outro pesadelo? – questionou e eu apenas assenti. – Vou ficar aqui com você. – disse calma e me aconchegou mais ao seu corpo. – Se você quiser dormir, eu estou aqui. Não vou deixar nada de ruim acontecer mais.                             

– Chee? – chamei depois de um tempo em silencio, com os olhos fechados. Ela fez um som nasal indicando que estava ouvindo. – Obrigada.                                  

– Pelo que? – questionou surpresa, olhando para mim.                                                     

– Por ser você. Acho que nunca agradeci por isso. – eu falei e ela sorriu.                           

– Obrigada também. – Pediu e eu fiquei confusa. Afinal, pelo que ela estava agradecendo?                                                                                                                  

– Pelo que? Por te dar trabalho? – Perguntei divertida. E ela revirou os olhos.      

– Por ter sobrevivido. – disse e eu senti meus olhos marejarem. – Eu não sei o que teria acontecido sem você. – eu sorri e a abracei apertado.                                    

– Você ficaria bem                                                                                                             

– Não, eu não ficaria. – suspirou e me apertou em seus braços, me passando segurança. – Agora, dormir.   – disse e eu ri.

E então eu dormi na segurança de seus braços.

 

2015

10 de Dezembro

Formatura

Narrador Pov.

–Meu Deus China, sossega. – Camila disse impaciente vendo a melhor amiga andar de um lado para o outro. Até eu já estava impaciente.

Dinah parou de andar, bufou e sentou-se no sofá.

Hoje é a formatura delas, por isso Dinah está tão ansiosa.

Camila está sentada em uma cadeira na sala, arrumando o cabelo. Lucy está sendo maquiada e Dinah já está pronta, apenas andando de um lado para o outro impaciente.

Passou-se cinco anos desde que todas as coisas aconteceram, e nesses cinco anos, mais coisas aconteceram.                 .

– Dinah, Jesse está lá em baixo com verônica e Corbin. – Normani disse enquanto entrava no apartamento. – Nossa, você está linda. – elogiou a ex-namorada                                                                                                                             

– Obrigada, Moni – a loira sorriu e abraçou a negra.                                                     

– Veronica já esta vestida? – questionou Lucy enquanto levantava-se da cadeira passando a mão pelo vestido.                                                                          

– Yep. Todos estão. – Normani disse. – Quem diria, verônica namorando – disse pensativa e Camila riu.                                                                                         

– Quem diria verônica namorando Lucy – disse brincalhona e a garota citada revirou os olhos rindo em seguida.                                                                          

– É mesmo. “Eu nunca vou namorar verônica.”  – Dinah disse em deboche afinando a voz fazendo todas rirem.                                                                                

– E agora estão noivas. – Ally disse.

Lucy e verônica começaram a namorar em 2012. Em 2014, verônica a pediu em casamento.

Lauren e verônica são sócias de uma empresa que elas tinham vontade de abrir desde que começaram a cursar a faculdade. E mesmo que ela tente resolver tudo por vídeo conferencia, algumas situações exigem que a garota, agora mulher de olhos verdes apareça, as únicas pessoas que a veem são Troy e verônica.

Keana não concluiu a faculdade. Foi chamada para fazer umas sessões de fotos e nunca mais parou. Ela ainda mantém contato com as meninas.

O que aconteceu entre Normani e Dinah? Bom, o relacionamento delas esfriou, principalmente após o acidente de Camila. Elas se tratavam somente como amigas, então Normani decidiu terminar o relacionamento e a loira concordou. Afinal, ambas acharam que confundiram os sentimentos e que se amam como amigas e elas dão certo como amigas.

Dinah está namorando há um ano um cara chamado Jesse. Moreno, alto, olhos verdes. Também fez medicina. Conheceu-o no hospital onde estagiava.

Normani está namorando também. Corbin. alto, moreno, sorriso lindo. É dono do restaurando onde Ally trabalha.

Ally e Troy não estão mais juntos. Embora mantenham sexo causal algumas vezes. A loira menor namorou dois garotos após o término, mas não durou muito. Ela focou-se em si mesma e agora mantém relacionamentos casuais. Aquela famosa frase se aplica a ela “Enquanto não acho o homem certo, me divirto com os errados.” E ela está feliz assim.

Camila, bom, a latina fez dois anos de fisioterapia e faz acompanhamento psicológico ainda hoje. Não pelos mesmos problemas de antes, mas agora por ela gostar de desabafar com alguém além de suas amigas. Então vez ou outra ela tem encontros com seu terapeuta. Os pesadelos pararam. A fala melhorou quase 100% só falhando em situações de muita tensão e nervosismo. Mas a mesma sempre sabe dar a volta por cima.

Diferente da maioria, Camila não se fechou. Não ficou fria e cruel. Não magoa pessoas para não ser magoada. Não. Na verdade ela é bem cuidadosa e se importa demais com os sentimentos alheios. Ela não se fechou para o amor, apesar de ter certo medo. Ela namorou um garoto após o término com Lauren.

Duraram seis meses.

Ela terminou por não conseguir retribuir os sentimentos do mesmo.

Focou-se em seu relacionamento consigo mesma, em sua recuperação e em sua faculdade. Tirou as melhores notas, conheceu novas pessoas.

Ela viveu.

– Camila, quem vai te acompanhar? – Questionou verônica quando todas chegaram ao lado de fora do prédio.                                                                               

– É uma formatura, não um baile do colegial – respondeu Camila. – Mas de qualquer forma. Ally está comigo. – disse e a menor sorriu assentindo.                       

– Com certeza.

Chegaram ao auditório da universidade, e já tinha bastante pessoas andando por lá. Camila, Lucy e Dinah logo foram colocar a beca e sentar-se em seus devidos lugares.

A cerimonia correu perfeitamente bem, Camila olhava para sua melhor amiga com um sorriso gigantesco no rosto, como se dissesse “conseguimos!” e Dinah não ficava para trás. Quando finalmente deu-se fim a cerimonia, e todos receberam seus diplomas. Jogaram seus chapéus para o alto e começou uma gritaria no auditório, acompanhada de assovios e palmas.

Camila e Dinah se abraçaram fortemente felizes, logo incluíram Lucy no abraço. Jesse, o namorado de Dinah aproximou-se e puxou a mesma para um beijo. Veronica estava com Lucy, Normani abraçada com seu namorado, e então naquele momento, Camila sentiu saudades de Lauren. Ela queria que ex-namorada estivesse presente, como sempre imaginou que seria.

Ally notando isso, aproximou-se da amiga e a abraçou. Pouco tempo depois, Sofia, agora com seus 13 anos chegou correndo e pulou abraçando  a irmã de surpresa.

– Foi lindo Kaki – disse Sofia e Camila ainda a olhava espantada.                                

– Quando?... o que... você – confusa e olhando para todos os lados, logo viu seus pais se aproximando e sorriu largo. – Eu não sabia que viriam.                             

– Não perderíamos por nada. – disse sua mãe e a abraçou. – Parabéns hija. – beijou sua cabeça. Logo seu pai se aproximou e beijou-a também.                                

– Estou orgulhoso de você – disse e olhou em volta procurando a afilhada, que estava abraçada com a mãe e o pai.

Os alunos formandos fecharam uma boate para a festa de formatura, então elas seguiram para lá.

O pai de Camila e o pai de Dinah os levaram de carro. Desde o acidente, Camila não dirigia, apenas pegava Taxis ou as amigas a levava para os lugares.

Ela estava traumatizada, mesmo que não assumisse. Provavelmente é uma das coisas que a fez continuar na psicóloga.

 Ao chegarem ao local, despediram-se dos pais. Entraram logo na boate que estava cheio de formandos e convidados. Camila e Ally seguiram para o bar junto com Jesse e Corbin. Normani e Dinah correram para a pista de dança junto de Lucy e verônica.

Camila não bebia muito, pois ficava tonta com muita facilidade desde o acidente, então apenas um ou dois copos eram suficientes para a latina.

A noite correu assim, todas juntas dançando e bebendo. Pouco tempo depois Troye chegou abraçando a latina.

–TROYE – Exclamou feliz. – Você veeeio – abraçou o garoto que riu.                       

– Claro que eu vim – disse. –Parabéns – parabenizou pela formatura.

Camila e Troye se conheceram em uma das idas da latina ao fisioterapeuta. Ele cursava faculdade e fazia estagio no mesmo lugar onde a menina tinha suas sessões. Teve uma grande importância nos incentivos para a latina, desde então se tornaram grandes amigos.

A noite passou divertida para os amigos. Troye era extremamente alegre e fazia a latina rir o tempo todo. Ally estava ficando com Melanie em um canto da boate. Isso foi um novo lado que descobriram da baixinha, vez ou outra quando bebe ela acaba beijando garotas também.

Camila havia ido ao banheiro e quando estava voltando, sentiu seu braço ser segurado por um garoto. Ela olhou para ver quem era e notou que era Alex, sorriu para o mesmo de forma simpática.

– Finalmente acabou – exclamou e ele concordou.                                                      

– Nem fale. – disse. – Camila... Eu te acho muito linda. – comentou e olhou para a latina que riu divertida.                                               

– Obrigada.                                                                                                                                             

– Eu quero muito fazer uma coisa. – disse e olhou para a boca da latina, que mordeu os lábios.

“Por que não?” ela pensou.

– O que está esperando? – disse e sorriu. Em seguida a única coisa que sentiu foi os lábios brutos de Alex sobre os seus.

Eles se engoliam basicamente, a latina estava excitada, mas não tão excitada quanto ficava com Lauren.

“Merda” ela não queria pensar em Lauren, então apenas ignorou e continuou a beijar o garoto.

Não eram os lábios que ela queria, não eram as mãos que ela queria em seu corpo. Mas no momento ela estava pouco se importando.

Fazia tempo que ela não tinha relação intima com alguém, fazia meses.

Ela precisava disso agora.

– Me leve para casa. – disse rouca e ele sorriu.

Caminharam em direção a saída, Camila parou somente para avisar á Normani que estava indo e para cuidarem das melhores amigas. A morena lançou- um sorriso malicioso e apenas concordou.

Pegaram um Táxi e foram em direção ao apartamento da Latina. Ela esqueceu completamente que seus pais estavam lá junto com os pais de Dinah. 

“Pela hora, já devem estar dormindo” pensou a latina quando se lembrou desse detalhe.

Quando chegaram, Alex pagou ao taxista e entraram no elevador aos beijos. Chegaram ao ultimo andar e Camila pediu para que ele ficasse quieto para que ela abrisse a porta. Quando entraram, notou que estava na sala somente seu pai na sala, mas estava dormindo no sofá com um livro em mãos.

Ela negou com a cabeça e puxou o menino para dentro fechando a porta atrás de si. Subiram em silencio e quando estava abrindo a porta de seu quarto, sua madrinha vinha saindo do quarto de hospedes. Olhou para a afilhada e depois para o garoto ao lado da mesma, Milika sorriu maliciosa e Camila corou.

– Não faça muito barulho. As crianças estão dormindo. – Disse maliciosa e piscou. Camila abriu logo a porta do quarto e puxou Alex para entrar trancando a porta em seguida.

Alex a pegou no colo e começaram beijos urgentes.

A noite seria longa.

Na manhã seguinte, Camila abriu os olhos assustada, sabendo de tudo que havia feito ontem, afinal, ela não estava bêbada. Olhou pelo quarto e não encontrou Alex, suspirou aliviada, mas logo ouviu o barulho de água no banheiro e fechou os olhos com força.

–Merda – Praguejou e levantou-se logo colocando uma roupa. Quando se olhou no espelho do armário, praguejou mais uma vez ao ver marcas roxas em seu pescoço.

Pouco tempo depois Alex saiu do banheiro e sorriu para a mesma, que retribuiu o sorriso.

 – Bom dia                                                                                                                      

– Bom dia.  – disse e foi em direção ao banheiro tomar um banho. Ao sair, encontrou Alex a esperando. Escolheu uma roupa e voltou para o banheiro para se trocar.

Desejava que não tivesse ninguém acordado a essa hora, mas duvidava disso. Seus pais sempre acordavam cedo. Principalmente quando estavam todos reunidos.

Quando saíram do quarto, foram em direção ao andar de baixo, nas escadas podia-se ouvir a voz de Sofia e Regina brincando. A voz de sua mãe com a madrinha. E Ally dizia algo para Dinah.

–Bom dia  – disse de uma vez e sentou-se a mesa ao lado de Dinah que olhou-a sorrindo. – Esse é Alex. – disse e apontou para o rapaz que estava constrangido. – vem – Chamou e o menino aproximou-se totalmente envergonhado.

Alejandro olhou para o rapaz de cima a baixo e olhou para a filha.  Dinah soltou um riso malicioso e Ally...

– Ainda bem que cheguei morta e não ouvi nada. – Disse deixando Camila vermelha. A latina lançou um olhar mortal para a mesma que apenas gargalhou junto de Dinah.

–Por que Alex pode dormir aqui e Jesse não? – questionou a Loira.                           

– Eu nem sabia que Alex estava aqui. – Disse Alejandro sério. – Vocês...?                

– Papa. – Camila repreendeu.                                                                                         

 – Alê, não constranja a menina. – disse sinu.                                                              

– Ela tem 24 anos Ale. Não é como se ainda fosse um bebê. – Milika disse – Filhos crescem e fazem S-E-X-O. – soletrou. Regina e Sofia trocaram rápidos olhares e gargalharam. Dinah cerrou os olhos para a irmã.                                       

– Espero que não estejam fazendo sexo. Vocês duas. – Disse e todo mundo na mesa olhou-as.                                                                                                                 

– Eca – Sofia reclamou fazendo cara de nojo e Camila riu e apontou para a irmã como se dissesse “isso ai garota”.                                                                                 

 – Camila dizia a mesma coisa na sua idade. – Dinah disse – Olhe ela agora. – a amiga fuzilou-a com os olhos.                                                                           

– um pouco mais que sua idade, Camila e eu pegamos Dinah... – Ally começou provocadora, mas Dinah deu-lhe um tapa. E Camila gargalhou.                                    

– Passado no passado. – disse a polinésia. – Vamos comer e deixar isso para lá. – resmungou quando o pai estava lhe olhando sério.

O café da manhã passou-se assim, animado como sempre era quando a família estava reunida. Alex rapidamente perdeu a vergonha. Mais tarde despediu-se de Camila, sabendo que provavelmente não teria outra chance com a mesma.

E de alguma forma ele tinha razão.

 

Camila Pov

 

2016

Era uma manhã ensolarada quando eu adentrei as portas daquela cafeteria as pressas a procura de minha melhor amiga quando meus olhos encontraram quem eu menos esperava encontrar. Ela continuava como eu me lembrava. Olhos verdes intensos, pele clara, sorriso... ah aquele sorriso que tantas vezes me tirou o folego, hoje eu tive certeza que pode se passar anos que aquele sorriso ainda será meu favorito.

– Karla, esta atrasada – meus pensamentos foram interrompidos por uma Dinah impaciente me chamando.                                                                          

Cheechee desculpa. Eu meio que perdi a hora  –  respondi me aproximando com a melhor cara de cachorro que caiu da mudança que eu conseguia fazer e ela simplesmente revirou os olhos e sorriu me abraçando.                                 

–  Você viu quem voltou?  –   ela sussurrou e eu apenas acenei em concordância, ela ia começar a falar algo...                                                                                     

–  Dinah  –  interrompi antes que ela começasse com o questionamento. – eu estou bem –  ela me analisou e eu sorri calma pra que ela tivesse certeza de minhas palavras

                                   ~  Flashback on      ~

“Camila, não dá mais. EU não consigo mais” - Era o que estava escrito naquela mensagem. E no momento em que eu li, eu senti tudo doer, era como se tivessem arrancado uma parte de mim, e eu tinha vontade de gritar, de correr, de chorar, mas meu corpo não obedecia. Eu passei trinta e cinco minutos encarando aquelas palavras antes de simplesmente responder um “ok”. Eu não quis saber o motivo porque eu já imaginava então eu simplesmente preferi fingir que não me afetou e que eu poderia voltar a minha rotina sem ela.                                                                    

                                      ~  Flashback of   ~

Depois desse dia algo em mim mudou.

Você não deve estar entendendo muita coisa, bom, deixa eu me apresentar. Meu nome é Karla Camila Cabello, mas não uso muito o Karla. Eu tenho 25 anos. Dinah Jane ou Cheechee como eu prefiro chamar, é a minha melhor amiga desde que eu me entendo por gente.

O fato importante é que aquela é Lauren Jauregui, minha paixão de  adolescente e motivo do meu grande medo de me apaixonar.

– Camilaaaaa. –   Me assustei com o grito de Dinah e a olhei com um sorriso culpado  - você não ouviu nada do que eu falei não é? - ela me perguntou já sabendo a resposta e eu mais uma vez dei um sorriso culpado.                          

 – Desculpa, eu ando com a cabeça no mundo da lua ultimamente  –  eu respondi a ela que soltou uma risadinha debochada na qual eu sabia que viria uma piadinha                                                                                                                   

–  No mundo da lua, ou no planeta dos olhos verdes? – ela disse com ar de riso e eu apenas a olhei e revirei os olhos. Dinah tinha essa mania de fazer piadinhas com tudo, mas ela é uma excelente amiga e a minha vida não teria muita graça sem ela. 

–  Mila, sério. Você precisa parar de encara-la. Você ainda sente algo por ela. Mesmo depois de anos (?) –  Ela me perguntou meio afirmando.                              

Eu a olhei por um momento e por fim neguei. 

– Não Dinah, eu não sinto. Eu nem a conheço mais. – Ela cerrou os olhos procurando algum resquício de mentira em minhas palavras e sorriu convencida                                                       

–  Ótimo, porque eu não confio muito nela. Não mais. Ela foi uma covarde.  –  Dinah disse e eu apenas engoli em seco lembrando novamente de como ela terminou tudo que não chegou a começar e de como tudo terminou nada bem comigo.

 apenas sorri e neguei com a cabeça dissipando esses pensamentos.                                                                                                                       

– Esta tudo bem Cheechee, já faz anos. – A assegurei  –  E muita coisa aconteceu não é mesmo?  – perguntei sem esperar uma resposta.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...