História Tão profundo... - Capítulo 41


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shawn Mendes
Exibições 49
Palavras 1.383
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 41 - Luzes


A caminho do médico, meu celular tocou. Era Dwayne: 

- Olá Kathe. 

- Dwayne, olá. Quanto tempo! 

- Sim, muito. Está tudo bem por aí? 

- Claro, todos estamos bem. E você, sua esposa, como estão? 

- Bem, obrigado. Escute Kathe, essa semana se inicia o 9º mês de gravidez da minha esposa, e eu gostaria que você comparecesse ao chá de bebê. 

- Oh Dwayne, meus parabéns. Quando será o chá? 

- Na quinta feira, às 15hrs. 

- Hmm, Okay. Eu irei então. Obrigada pelo convite. 

- De nada. Lhe mando o endereço por e-mail. 

- Obrigada. Até quinta então. 

- Até. 

Entrei na clínica, e sentei-me para esperar o doutor me atender. Enquanto eu estava ali, resolvi ler uma revista, já que ver meu Twitter não seria uma boa ideia. 

Passada uma meia hora, andaram pela sala, uma mãe e sua filha que aparentava ter 16 anos. Percebi que a menina me reconheceu e, enquanto a mãe dela falava com a secretária, sentou-se ao meu lado. No começo ela não disse nada, mas depois sussurrou: 

- Sua sem caráter. Você gostaria se fosse ele beijando outra garota? 

- Eu não o traí. 

- Eu sei, então aquilo tudo que está na internet é uma montagem neh?!- ela disse em tom arrogante. 

- Não é montagem, mas o beijo foi roubado. Eu não queria beijar aquele garoto. 

- Aham... 

Aquela garota estava me irritando.- Olha, não quero ser chata, mas você está me incomodando. Pode fazer o favor de parar? 

- Claro, apenas se confessar o que fez. 

- Eu já disse perfeitamente o que aconteceu. Agora, se me der licença.- virei para frente e continuei minha leitura. Logo depois, a mãe a chamou e ela saiu do local. 

- A próxima paciente é a senhorita. Pode entrar.- disse a secretária. Assenti e bati na porta do consultório. O doutor a atendeu e me deixou entrar: 

- Boa tarde, senhorita Katherine. 

- Boa tarde doutor. Prefiro ser chamada de Kathe, se não se importa. 

- Não, por favor. Sente-se.- disse, me indicando o divã. 

- Com licença. 

- Então, pode me contar. O que está acontecendo com essa cabecinha?- ele riu de leve. Eu retribui o riso. 

Contei-lhe tudo sobre os pesadelos, como eles aconteciam, em que frequência. Tudo. Ele pareceu sereno o tempo todo, apenas ouvindo minhas palavras. Assim que concluí, o doutor escreveu alguma coisa em sua prancheta e me disse: 

- Esses pesadelos senhorita Kathe, provém de algo que a senhorita passou e que agora pesa na sua mente. 

- Como assim doutor?

- Digamos que você tenha passado algo bem difícil, assustador ou doloroso. Com o passar do tempo, você acaba "esquecendo" daquele sofrimento, porém o seu subconsciente não. E ele manifesta essa dor através de pesadelos. 

- Mas, pensando na situação mais difícil que eu passei, esses pesadelos tem um cenário totalmente diferente. Porque? 

- Acredito que seu subconsciente esteja te mostrando algo que seria mais doloroso para você que a situação que está pesando, entende? 

- Sim. Faz até sentido. 

- Bom então, tudo certo. Pode se levantar. 

- Claro.- disse, sentando-me na cadeira recostada à mesa dele. 

- Bom, o que eu posso recomendar é, seja feliz, preencha sua cabeça com memórias felizes. Acredito que isso vá melhorar e os pesadelos acabarão sumindo. 

- Okay então doutor. Muito obrigada.- disse apertando sua mão. 

- De nada, senhorita.

Saí da clínica, passei no centro para comprar o presente do chá de bebê de Dwayne e encontrei James caminhando sozinho. O abracei forte, causando um leve estranhamento: 

- Aconteceu alguma coisa Kathe? 

- Você me ajudou mais uma vez James. 

- Ajudei?- fingiu desentendimento. 

- Sabe do que eu estou falando. Muito obrigada.- lhe abracei outra vez. 

- De nada. Era o mínimo que eu podia fazer. 

- Como posso te retribuir? 

- Não precisa. 

- Mas eu quero. Insisto que venha jantar comigo e Shawn uma noite. 

- Nossa, eu adoraria, Kathe. 

- Combinado então. Verei uma data e lhe aviso assim que tiver acertado tudo. 

- Okay, então, até depois. 

- Até. 

Caminhei para meu carro e voltei para casa.

Nós tomávamos café quando avisei a Shawn do chá de Dwayne e do jantar que planejei com James. Ele ficou empolgado com a ideia e aceitou na hora. Quando eu acabei meu café, voltei a pensar no que a garota havia me dito na clínica e, sabe se lá Deus como, Shawn sentiu que havia alguma coisa errada e resolveu perguntar: 

- Amor, algum problema? Você parece incomodada com alguma coisa. 

- Se lembra que eu havia dito que ia ao médico para ver o assunto dos meus pesadelos? Então, lá na clínica, uma garota, provavelmente sua fã, começou a me interrogar e pressionar para que eu confessasse que traí você. 

Shawn não falou nada, apenas saiu da cozinha em direção ao nosso quarto. O segui e falei: 

- More, o que foi? O que você está procurando? 

- Meu celular. Preciso fazer uma ligação. 

Pressenti o que ele ia fazer e resolvi impedir. Observei-o procurar o telefone por todo o quarto, até que ele parou e se sentou na cama, virado para a cabeceira. Eu continuei olhando o ambiente, e avistei o celular na pia do banheiro. Fui deslizando de fininho até lá, enquanto Shawn falava: 

- Kathe, eu me preocupo com isso sabia? Pode parecer algo normal para você mas para mim é algo diferente. 

- Como assim diferente? 

- Eu tenho receio de que minhas fãs a machuquem.- ele se virou e eu me encontrava recostada na porta do quarto, escondendo seu telefone.

Caminhei até ele e parei bem à sua frente. Ele continuou: 

- Elas podem querer te machucar apenas por você estar namorando comigo, ou até porque mal-interpretam uma noticia que sai na internet. Temo por sua saúde. Temo por você. 

- Shawn, eu sei me cuidar sozinha. 

- Sei disso, mas ainda assim me preocupo. Se elas resolvem formar grupos para te perseguir ou agredir, você fica obsoleta. 

- Sim. Você tem razão.- o envolvi com os braços.- Mas lhe digo uma coisa. Por você, eu corro todos os riscos. 

- Eu também.- ele me abraçou mais forte e colou nossos lábios. Quando o beijo cessou, senti sua mão correr minha barriga e descer levemente até o começo da virilha, retirando o celular que estava preso na calça. Shawn ligou para seu agente afim de marcar uma coletiva de imprensa, já que nós queríamos esclarecer o escândalo. 

Marcamos as entrevistas para amanhã mesmo, na sede da Billboard. Também marquei o jantar com James para sábado. 

O pesadelo se manifestou outra vez, porém o torturador era uma garota, que aparentava ter 19 anos. 

*No dia seguinte*

O auditório principal da revista ficou lotado de gente, incluindo fãs e repórteres, que esperavam a coletiva começar. Assim que eu e Shawn fomos anunciados, todos se sentaram e a sessão começou: 

- Kathe, pode nos responder quem era o homem que estava beijando a senhorita nas fotos que vimos circularem a internet? 

- Ele era um dos convidados da festa. 

- Você já o conhecia? 

- Não.

- Como foi que a situação resultou naquele beijo? 

- Eu estava sentada em uma mesa, ele se aproximou, me puxou do assento e roubou um beijo. Mais alguém? 

Silêncio. 

- Abertas as perguntas para o Shawn.- disse o agente. 

Não fizeram muitas perguntas à ele, o que acabou acarretando no rápido fim da coletiva. Voltamos para casa e eu decidi preparar algo na cozinha, para relaxar um pouco. Quis agradar Shawn e fiz seu doce preferido. Quando terminei, ele estava tomando banho e eu lhe falei pela porta: 

- Amor, já está acabando o banho? 

- Quase. Porque? 

- Tenho uma surpresa para você. Me avise quando acabar aí. 

- Está bem.- ele disse, com um tom malicioso. 

Alguns minutos depois, ele me chamou e eu o vendei. O coloquei sentado na cama apenas de toalha mesmo: 

- Kathe, o que você está planejando? 

- Quieto Mendes.- disse, colocando um pedaço de muffin em sua boca. 

Ele mastigou por algum tempo e sorriu. 

- Uau está delicioso. Quem fez? Lúcia? 

- Não bobo. Fui eu que fiz. 

Ele riu.- Eu sei linda. Adorei a surpresa.-tirei a venda dele e continuamos comendo o muffin. Estava delicioso.

 

 

 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado desse novo capítulo.


Bjs Padmé <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...