História Tattooed Heart - Capítulo 60


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, One Direction, Zayn Malik
Personagens Ariana Grande, Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Ariana Grande, Criminal, One Direction, Zariana, Zayn Malik
Visualizações 142
Palavras 3.103
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olha quem voltou! ❤️ Olá!

Como vocês estão? Bem? Então tá.

Demorei um pouquinho, né? Sorry, tô bem enrolada com as coisas da escola e etc...

Enfim, quero agradecer a todos os comentários e favoritos novamente! OBRIGADA!

Mas aqui está o capítulo de hoje!

AH, NOTAS FINAIS PLEASE!

Espero que gostem e boa leitura! ❤️

Capítulo 60 - Crazy


Fanfic / Fanfiction Tattooed Heart - Capítulo 60 - Crazy

Isabella's Point Of View 

 

Um Mês Depois:

 

— Eu sinceramente não sei de nada na minha vida, mas sei que nós não deveríamos estar aqui. — A loira diz, enquanto eu a puxava até a entrada do hospital.  

 

— Cala a boca, Cassidy! — Reclamei, pois ela disse isso o caminho inteiro. — Você acha que eu vou conseguir passar mais um dia sem saber o que realmente aconteceu com Caleb? É claro que não. Se depender de Zayn, eu sou a pessoa mais desinformada do planeta. 

 

— Ele só quer te proteger, Ella. Enfim, por que eu tenho que vir junto? Eu confesso que tenho medo desse cara. — Ela disse, enganchando em mim assim que entramos pelas portas automáticas de vidro. 

 

— Eu não viria sozinha aqui. E outra, ele não vai nos machucar, Cassey. Ele está preso em uma cama de hospital. E aliás, eu sei me defender muito bem. — Me gabei, esperando que alguém nos atendesse na secretaria. 

 

— É claro que sabe, ainda mais carregando um menininho de quatro meses na barriga. — Ela diz, se apoiando no balcão. 

 

Assim que ela diz aquelas palavras, automaticamente levei as minhas mãos até a minha barriga e sorri. 

 

Deus, pode parecer precipitado mas eu já amo essa criança tanto sem nem mesmo ter visto o seu rosto ainda. É um amor incondicional, daqueles fortes que eu jamais imaginei que sentiria isso por um ser humano tão pequenininho. 

 

Mas eu sinto. E muito. 

 

— Você já é uma mãe maravilhosa, Ella. — Eu sorri para a loira a minha frente, logo a abraçando. Eu estive e ainda estou bem carente nesses últimos dias. 

 

— Posso ajudar? — Tiro os meus braços do pescoço de Cassidy assim que ouvimos uma voz feminina se dirigindo à nós. 

 

— Ah, claro. — Eu disse, sorrindo. — Eu gostaria de visitar Caleb Malik. — Disse, tentando evitar fazer uma careta ao dizer aquele nome. 

 

— Certo. Quem é você? — A mulher morena pergunta, brincando com os seus cachos pequenos. 

 

— Meu nome é Isabella Malik. Caleb é primo do meu marido. — Ouço a mulher resmungar alguma coisa inaudível, checando algo em seu computador. 

 

— É o cara que foi agredido, não é? — Suspiro e assinto com a cabeça, não gostando de como aquilo soou. — Hm, ele está em coma. Nada de visitas por tempo indeterminado. 

 

— Mas... — Tentei dizer, mas o choque daquela frase me fez ficar estática. — Coma?! 

 

— Sim. O cara quebrou duas costelas, além dos vários ossos fraturados do rosto, claro. O rosto dele ficou irreconhecível. — Ela diz, nem imaginando que a pessoa que fez tudo aquilo era o meu próprio marido. 

 

— Nossa... — Sussurrei, sem saber o que dizer. Senti as mãos de Cassidy pelas minhas costas, me consolando, e por isso soube que eu precisava falar algo para a mulher a minha frente. — Ahm, mesmo assim, obrigada. — Sorri agradecida, logo me retirando dali juntamente com Cassidy. 

 

— Wow, tem noção disso? O Zayn deixou uma pessoa em coma! Com as próprias mãos! — A loira diz, enquanto caminhávamos em direção ao meu carro no estacionamento do hospital. 

 

— É, eu tenho. — Disse, um pouco irritada com isso. Não queria que Zayn soubesse que eu estive aqui, por isso mesmo trouxe Cassidy comigo, mas deixar Caleb em coma parece ser demais. 

 

— Você vai brigar com ele, não é? — Ela pergunta, revirando os olhos azuis. 

 

— Ah, se vou. — Falei, já entrando no carro, assim como Cassey fez. 

 

...

 

O trânsito estava horrível. Quando o carro andava dez segundos, logo precisava parar por dois ou três minutos. Cassey estava praticamente gritando no meu ouvido para que eu não falasse para Zayn que passei no hospital para ver Caleb porque ela mesma iria levar uma baita bronca dele, mas eu não escutava. Ou melhor, eu tentava não escutar.  

 

— O Zayn pediu pra mim cuidar de você e não deixar você fazer alguma besteira, Ella. Não pra mim, mas pra todas as meninas. Se ele souber we eu deixei você fazer isso... — A loira disse novamente, e para a irritar um pouco, aumentei o volume do som do rádio, no qual tocava Galway Girl do Ed Sheeran, fazendo ela arregalar os olhos e bufar. 

 

— Quer ficar surda, sua louca?! Você vai causar um acidente se continuar assim! — Ela disse, tentando de todas as maneiras abaixar o volume do rádio, mas eu não deixava, enquanto ria. — Meu Deus, eu estou lidando com uma criança. 

 

Quando o sinal finalmente abriu, acelerei o carro mas freei o mesmo bruscamente assim que vi um homem passando na faixa de pedestres. Ele estava todo vestido de preto e usando um boné da mesma cor na cabeça. Ele se assustou um pouco, mas não chegou nem a sair do lugar. 

 

Esperei alguma reação dele, mas o homem apenas olhou na minha direção com os óculos escuros, e levei um pequeno susto ao compará-lo com alguém que eu já julguei ter visto uma vez. 

 

As vestes pretas, o jeito de andar, a altura e os ombros largos e os cabelos escuros me lembravam muito de Zayn, por isso foquei ainda mais a minha visão nele e arregalei os meus olhos assim que me dei conta. 

 

Não pode ser. 

 

Ele também pareceu me reconhecer, de alguma maneira desconhecida, mas antes que eu saísse do meu choque atual, ele saiu andando rapidamente. Sem nenhuma outra ideia, saí do carro e corri atrás dele até a rua onde ele havia desaparecido, deixando o meu carro onde estava. 

 

Mas nada. 

 

Procurei muito e olhei para todos os lados, mas ele parecia ter evaporado.

 

— Droga. — Sussurrei pra mim mesma, puxando os meus próprios cabelos. 

 

— VOCÊ FICOU LOUCA, GAROTA?! — Escutei Cassidy gritar da rua e olhei em sua direção, que dirigia o meu carro e logo o estacionou na minha frente, saindo do mesmo como um furacão. — QUASE ATROPELA O HOMEM E DEPOIS SAI CORRENDO ATRÁS DELE! O QUE DEU EM... — Eu a interrompo, levemente desesperada.  

 

— Cassey? — A chamei baixinho, tentando controlar a minha respiração ofegante. 

 

— O QUE FOI?! — Ela exclamou, estressada. 

 

Eu acho que vi o pai do Zayn! 

 

[...]

 

— Eu juro pra você que eu não estou ficando louca! — Disse para Cassidy, enquanto nós duas andávamos rápido pelos corredores da empresa. — Eu vi uma foto do Yaser na casa da Trisha! Tudo bem que a foto era antiga, mas o homem era muito parecido com ele! 

 

— Isso mesmo! Parecido! Existem pessoas que se parecem no mundo! O pai do Zayn morreu há uns sete ou oito anos, Isabella! — Ela diz, gesticulando com as mãos enquanto eu praticamente corria em direção do elevador. — Está tudo tão bem agora, Ella. Pra que ficar cismando com isso logo agora que você precisa focar na sua gravidez? Você parece ligada no 220, precisava parar e relaxar um pouco. — Cassey fala, ficando na minha frente para que eu não entrasse no elevador. — Por favor, pense bem. Se você botar caraminholas na cabeça do Zayn, ele não vai parar por um segundo. Ele já é agitado e estressado e vai ficar ainda mais se você contar esse tipo de coisa pra ele. 

 

Ela tem toda a razão. Com certeza a gravidez estava mexendo comigo, e durante todos esses 4 meses em que lidamos com Caleb, eu não fiquei quieta em momento nenhum e parece que eu me acostumei a isso. Mas agora eu posso e devo ficar em repouso. Tenho que deixar os meus instintos de lado porque agora tem alguém dentro de mim que necessita disso, e eu estou disposta a me sacrificar para deixar o meu filho bem, como qualquer outra mãe faria.  

 

— Você está certa. — Suspirei derrotada, olhando para baixo. — Eu preciso parar. — Ela sorriu, amigável, e me abraçou, percebendo o meu estado. — Eu só vou dar um oi para ele. Já estou com saudades. 

 

— Ok. Vai lá. — Ela abre o caminho para mim, e logo eu entro no elevador, apertando o botão de número 19.

 

Me escorei na parede do elevador e bufei, fechando os meus olhos por alguns segundos tentando acalmar os meus pensamentos. Só de pensar em ter que resolver mais alguma coisa perigosa, a minha cabeça começa a apitar em alerta. Talvez isso seja mesmo o chamado "instinto materno". 

 

Depois de alguns poucos segundos, a porta prateada se abre na minha frente e eu saio de lá em passos rápidos, acenando para Lily, que sorriu envergonhada assim que me viu, empurrando Niall para o lado que tentava esconder que eles estavam aos beijos no meio do horário de trabalho. 

 

Acabei rindo da cena dos dois pombinhos e pisquei para os dois, fazendo um sinal de silêncio com a mão para mostrar que eu não contaria para ninguém. 

 

Bom, apenas por enquanto. 

 

Bati na porta de Zayn três vezes e ouvi um "entre" com a sua voz rouca. Abri a porta e a empurrei, me encostando no batente da mesma, enquanto ria internamente ao ver que ele não menos se deu o trabalho de olhar quem era, apenas continuou com os olhos fixos no seu computador enquanto escrevia algo em um papel sem olhar para o mesmo. 

 

— Será que eu vou precisar tirar a roupa pra você me dar atenção? — Eu ri, já entrando no escritório e fechando a porta atrás de mim.  

 

— Não sabia que era você, amor. — Zayn disse, se levantando da cadeira de couro e vindo até mim, segurando a minha cintura como sempre e me beijando. O beijo acabou se aprofundando, e quando eu percebi, as suas mãos já estavam na minha bunda. — A ideia de tirar a roupa ainda está de pé?

 

— Você é muito tarado! — Tirei as suas mãos da minha bunda e bati em seu braço, me afastando dele e deixando a minha bolsa encima do pequeno sofá preto de couro. — Não esqueceu que eu estou grávida? Não vou ter mais disposição pra esse tipo de coisa daqui pra frente. 

 

— Não foi isso que você gemeu pra mim duas noites atrás. — Zayn me abraçou por trás e sussurrou no meu ouvido, e uma onda de arrepios passou por mim. Ouvi a sua risada e revirei os meus olhos, me desfazendo de seu abraço e ficando de frente para ele. 

 

— Eu disse daqui pra frente. — Falei, mas um sorriso rasgou o meu rosto. Eu não conseguia ficar séria perto dele. 

 

— Você sabe que antes de mim, você também não resiste. — Zayn continuou sussurrando, dessa vez, aproximando os nossos lábios. 

 

Sorri atrevida ao constatar que aquilo era a mais pura verdade. Da última vez que passamos a noite juntos, quem o provocou e começou com tudo fui eu. Não posso o culpar de nada. 

 

Aproveitei o momento e beijei os seus lábios, abraçando o seu pescoço enquanto sentia as mãos do moreno na minha cintura novamente. 

 

Mas assim que as coisas ficaram mais quentes e Zayn me fez sentar no sofá ali perto, olhei em seus olhos e lembrei instantaneamente dos do homem que eu quase atropelei hoje mais cedo. Ele possuía olhos azuis, assim como Zayn já me contou inúmeras vezes do seu pai, mas fora isso, os cílios curvados e longos e o cantinho dos olhos puxadinhos era típico dos Malik.   

 

Sinto que isso ainda vai me intrigar muito até eu ver com os meus próprios olhos aquele homem novamente e tirar as minhas próprias conclusões. 

 

— Está tudo bem? — Ele perguntou, confuso ao perceber que eu simplesmente parei. 

 

— Ahm, sim, Zayn. — Disse, me atrapalhando inteira para não o deixar preocupado. — É claro que está. Eu só...fiquei um pouco enjoada. 

 

— Você me disse que os seus enjôos passaram há algum tempo. Está tudo bem mesmo, Ella? — Ele pergunta, com o olhar cauteloso de sempre. 

 

Ah, Deus, o que seria de mim sem ele?

 

— É claro que eu estou bem, amor. — Falei, deixando um selinho em seus lábios. — Mas como eu disse: talvez eu não tenha tanta disposição daqui pra frente. Mesmo que eu queira muito. 

 

— Eu sei. — Ele deixa um beijinho no meu nariz. — Só estou preocupado. E louco pra chegar em casa e ficar a noite inteira abraçado com você vendo televisão. — Ele fez uma careta que me fez rir. 

 

— Olha só, quem diria, Zayn Malik. — Eu continuei rindo. 

 

— Viu o que você fez comigo? 

 

— O que eu fiz com você? — Perguntei, me fazendo de desentendida. 

 

— Você fez com que eu me apaixonasse por você e agora tudo que eu mais quero é ficar com você pra sempre. — Zayn beijou a minha bochecha repetidamente, me fazendo sorrir abertamente. 

 

— Você já terminou o expediente, Zayn? Eu estou morrendo de fome e...vontade de ficar em casa com você. — Sorri, arrumando a sua gravata, e observei o dele crescendo. 

 

— Bom, faltam apenas alguns minutos. Só preciso arrumar algumas coisas aqui. Pode me esperar? 

 

— Claro. Vou lá fora. — Deixo um selinho em seus lábios e saio do escritório, indo até a mesa de Lily. 

 

Assim que a morena me vê, suas bochechas ficam vermelhas e ela tenta não fazer contato visual comigo enquanto segurava o seu sorriso. 

 

— Pode parar, eu já sei o que rola entre você e o Niall. Nem precisa fingir. — Eu sorri, me apoiando na sua mesa. — Me conte todos os detalhes. 

 

— E.ele... droga, Ella, ele me pediu em namoro. — Ela disse sorrindo largo, com os olhos azuis brilhando. — Eu nunca consigo te esconder as coisas. Tem noção disso? Eu estou flutuando!

 

— E o que você disse?! — Perguntei, entusiasmada. 

 

— Eu aceitei, é claro! — Ela disse, mostrando o anel prateado com uma pequena e delicada pedra no mesmo em seu dedo. — Meu Deus, isso é louco, não é?! 

 

— Não! É fofinho, Lily! — Disse, adorando aquele sorriso apaixonado no rosto dela. 

 

Eles conversaram e ficaram juntos durante todo esse mês, e todos nós fingimos não ver para os deixar à vontade. 

 

— O que é fofinho? — Escutei a voz de Zayn atrás de mim e logo ele me abraçou por trás, beijando a minha bochecha. 

 

— Vocês dois! — Ela diz, nos fazendo sorrir, mas eu nego, me virando para ele. 

 

— Niall e Lily estão namorando. — Eu disse, passando as minhas mãos pelo paletó dele, o alisando. 

 

— É sério? — Ele perguntou, e logo um sorriso apareceu em seu rosto. — Wow, é oficial, todos nós estamos em um relacionamento. 

 

— Bom, a Cassidy e o Liam ainda não tem nada oficial. — Dei de ombros. 

 

— Não ainda. — O moreno disse. Pegou uma das minhas mãos e beijou a mesma, me fazendo sorrir mais ainda. — Bom, vamos pra casa? 

 

Assenti e segurei a mão dele, me despedindo de Lily e desejando felicidades ao mais novo casal. 

 

Como todos os dias em que eu vinha aqui, quando saíamos do elevador e íamos até a recepção, eu e Zayn éramos barrados várias vezes. Algumas das secretárias e outras funcionárias simplesmente paravam o que estavam fazendo para tocar a minha barriga e perguntar coisas relacionadas ao bebê e a gravidez. Eu adorava responder tudo com um grande sorriso no rosto enquanto Zayn ficava ao meu lado ou às vezes saía para resolver alguma coisa mas logo voltava. Mas assim que toda aquela farra passava, nós finalmente conseguimos ir para casa e almoçar. 

 

[...]

 

— Theodor? — Zayn repetiu, fazendo uma careta. — Não parece ser o nome de uma criança. 

 

— Mas ele também não vai ser criança pra sempre, Zayn. — Falei, apontando para a minha barriga. — O que você sugere? 

 

Zayn tirou o seu olhar de mim e o levou até a televisão da sala, onde passava Star Wars. 

 

Já era noite e já faziam umas duas horas que estávamos tentando decidir o nome para o nosso filho. Não é a primeira vez que tentamos, mas nunca chegamos a uma conclusão. 

 

Ele mantinha o seu olhar na televisão, pensativo, enquanto a cena épica de Darth Vader dizendo para Luke Skywalker que ele era o seu pai. Todas as nossas noites eram assim: Zayn no meio das minhas pernas, beijando e passando as mãos pela minha barriga enquanto tentávamos dar um nome para uma criança enquanto assistíamos algum filme. 

 

E eu confesso que estava amando. 

 

— O que acha de Luke? — Assim que Zayn sugere o nome, sinto algo inédito dentro de mim. 

 

O bebê pareceu se mexer por alguns segundos, e consegui sentir até um leve chute dele. Era a primeira vez que eu o sentia, e por isso, instantaneamente os meus olhos se enchem de lágrimas. 

 

— Você sentiu isso?! — Perguntei, eufórica, enquanto me sentava melhor no sofá. Pressionei as mãos de Zayn contra a minha barriga com mais força, fazendo ele sentir alguns dos chutes mais fortes. 

 

A reação de Zayn foi até mais surpresa que a minha. Seus olhos se arregalaram e pude ver um brilho a mais que os mesmos adquiriram. Ele continuou prestando atenção na minha barriga, sem nem piscar por um segundo, e assim que o bebê parece se acomodar lá dentro, eu e ele soltamos alguns sorrisos e risadas. 

 

Aquilo foi tão...mágico! 

 

— Foi o primeiro chute, Zayn! — Eu disse, toda chorosa e empolgava. Podia sentir o meu coração pulando em meu peito. Com certeza eu não estava esperando por aquilo.  — Então é Luke? — Eu perguntei, gostando da maneira que aquele nome soou da minha boca. 

 

— Você gostou? — Zayn perguntou, com um sorriso tão lindo que fazia algo crescer em meu peito. Talvez era mais amor ainda amor ele. 

 

— Eu amei, Zayn. — Sorri levemente para ele e segurei o seu rosto, beijando os seus lábios várias vezes. Eu estou tão, mas tão feliz! — Quais vão ser as suas primeiras palavras para o seu filho, Malik? — Zayn alternou o seu olhar de mim para a televisão novamente, e logo riu de algo que ele mesmo pensou. 

 

"Luke, eu sou o seu pai!" — O moreno tentou imitar a voz de Darth Vader com os lábios próximos da minha barriga, o que simplesmente nos fez explodir em risadas. Cobri o meu rosto com as mãos, sentindo os meus olhos lacrimejarem. 

 

— Eu não acredito que você fez essa piada. — Disse, ainda tentando acabar com a minha crise de riso, vendo que Zayn se encontrava na mesma situação que eu. — Essa foi péssima, Z. 

 

— Você gostou que eu sei! — Ele diz logo antes de deixar vários beijinhos pela minha barriga. — Então...Luke Theodor Malik. É um ótimo nome! 

 

— Mas você disse que... — Tentei argumentar, mas Zayn apenas sorriu e me interrompeu. 

 

— Ei, contanto que você esteja feliz, eu topo qualquer coisa. E esse nome é legal, caiu bem com Luke. — Ele sussurrou, olhando em meus olhos e só com aquilo eu senti como se eu me derretesse inteira em um dois segundos. — Você já é a melhor mãe do mundo. — Zayn disse e um sorriso bobo gigante cresce no meu rosto. — E eu nem consigo dizer o quão sortudo eu sou por ser pai dessa criança, e nem o quão sortuda essa criança é por ter você como mãe, Ella. Pode saber que nós dois te amamos muito. Mais do que você pode imaginar.

 


Notas Finais


Grandes mistérios por aí, não acham???

Amores, o que eu queria perguntar era se faz algum mal os capítulos estarem sendo, a maioria, de tempo em tempo, tipo "um mês depois" e etc, mas é porque se eu não fazer isso, a história não anda! QUERIA SABER A OPINIÃO DE VOCÊS SOBRE ISSO!

Mais uma vez, desculpe pela demora :/ Prometo que não vou demorar tanto no próximo! :)

Flores, eu realmente espero que vocês estejam gostando! Me digam!!!

Beijinhosss e até o próximo capítulo! ❤️❤️❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...