História Te encontrei - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camp Rock, Cinderela, Rebelde
Tags Amizades, Colegial, Drama, Romance
Exibições 21
Palavras 992
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Genteeee boa leitura. ^_^

Capítulo 17 - Capítulo 17


    P.O.V. da alynna.
  
...... Conversando com o Guilherme no corredor, ele caiu do nada na minha frente ainda com os olhos abertos parecendo um desmaio eu me assustei  pensando que era uma brincadeira , ele caiu na hora que ele fecha o olho ainda no chão eu vi que não era brincadeira e comecei a gritar... Viraram vários alunos e uma loca pulando em cima de mim.
    _ O que você fez com o meu namorado ? Sua loca sai de perto dele . _ fala a desmiolada me empurrando.
    _ Você namora com ele ? _ pergunto enquanto o Vitor e o professor de álgebra tira o Guilherme inconsciente dali.
    _ Lógico que não , ele ficou com ela uma vez mais ela não vê que ele não quer nada com ela . Deus me livre irene como minha cunhada._ Se intromete Pócha .
     Quando colocam Guilherme na ambulância junto com Vitor e o professor de álgebra eu me intrometido na frente .
     _ Eu vou também. _ falo decidida.
     _ você tem que continuar aqui para assistir a aula.  _ fala o professor.
    _ Não tem aula esse horário. _ falo. Balançando a cabeça.
   _ Como não ? _ pergunta o professor.
   _ E que o senhor era nesse horário. _ fala Vitor já dentro da ambulância.
   _ Anda Lya entra logo ante que a diretora te vê ._ fala o professor fechando a porta da ambulância.
   No hospital chegou um pouco depois Vitória e  a Pócha Vitor se ofereceu para ficar la dentro enquanto a Pócha ligava para o pai dela .
    _ Esse menino não  poderia ser normal , ah qual é ne ? _ reclamo sentada no sofá do hospital.
   _ Se ele fosse normal , não seria o Guilherme . _ fala Vitória  .
    _ Você gosta dele né ? _ pergunto curiosa.
    _ gosto, mais não desse jeito que você me perguntou ele é como um irmão tá ligada ? Ele e a Pócha são meu melhores amigos . _ fala Vitória seguindo o Vitor com o olho vindo na nossa direção .
   _ O Guilherme pedindo que você apareça lá no quarto e não me pergunte pra que . _ fala Vitor comigo .
    _ Meu pai já está vindo para cá._ fala Pócha.
        Entro lá no quarto vejo Guilherme cheio de aparelho eu fiquei com medo de que fosse algo grave mais não demonstrei , ele veio com uma papo estranho de namoro ficar comigo sei lá mas depois ele acabou pegando no sono me pedindo para que fique com ele no quarto...
       Algum tempo depois o pai do Guilherme entra no quarto junto com alguns enfermeiros me tirando de lá e o Guilherme junto com a maca .
   _O que está acontecendo ? _ pergunto  a enfermeira mais próxima .
  _ Nos si vamos fazer alguns exames nele calma garotinha , você é a namorada dele . _ me pergunta sorridente .
    _ E.... NÃO , sei lá nem sei mais quem eu sou . _ falo saindo do quarto.
    Chego só ta Pócha sentada Vitor mais a vitória foram embora eu disse que saia Dalí sem saber que estava acontecendo e Pócha disse o mesmo .liguei para minha mãe para avisar porque a demora .
    _Manhê...
    _ Oi,alynna !
    _ vou demorar a chegar em casa por que o Guilherme estar no hospital e eu vim acompanhar.
   _ Nossa o que ele tem ?
   _ Não sei ne mãe, se eu soubesse acha que eu estaria aqui ?
  _ ta bom beijo e se cuida .
  
   Depois de algumas horas o pai da Pócha passa numa pressa indo até a saída do hospital , disse a Pócha que deve ser trabalho eu também não duvido nada "deve ser trabalho , ele ama mais o trabalho do que os filhos dele " fala Pócha comigo quando a enfermeira nos pergunta de a gente quer vê como o Guilherme ta , meu coração vai a 567.789.00 , entramos no quarto o garoto tava até sentado na maca ja sem aparelho mais ainda estava pálido de tanto remédio disse a enfermeira que  a pressão dele caiu , disse que no estômago dele nao tinha nada além de porcaria e bebidas alcoólicas, e teve que fazer uma limpeza  por isso a demora . Eu ao entrar no quarto vejo ele sentado na maca sem aparelho eu fechei os olhos e do nada começou a sair lágrimas dele sem querer...
      _ Não me dê susto assim não garoto, nunca mais . _ ainda com lágrimas falo ele olhando pra mim rindo .
    _ Aí que fofa ela chorando e toda preocupadinha por mim._ fala Guilherme ainda sentado na maca .
    _ Vai tomar no cu Guilherme ._ falo seca e secando minhas lágrimas.
    _ Vou deixar bem claro que eu me lembro do nosso papo. _ fala Guilherme ainda rindo da minha cara .
    _ Que papo gente ?, to boiando _ fala Pócha .
    _ Eu a Lya estamos namorando . _ fala Guilherme apontando com o olho pra mim.
   _ Acho que só que não tô sabendo dessa novidade . _ falo levantando da poltrona que eu tinha sentando .
    _ Quero saber não , agora você tá namorando comigo e pronto . _ fala Guilherme me puxando e me dá um beijo .
    _ Awnt... Que lindo , também quero um namorado. _  fala Pócha durante o beijo.
   _ NÃO ! _ fala Guilherme parando o beijo rapidamente . _ Então Lya quer dizer que é oficial ? . _ pergunta Guilherme enquanto ainda estou entre o peitoral dele . Aceno com a cabeça que sim e um sorriso de lado e do um beijo nele .
     _ iiihih carai ! _ fala Guilherme Feliz , tadinho ! .
    _ olha aqui se você come..... _ antes de eu terminar de falar ele me puxa e me dá mais um beijo ...

                            ................
  
  
 


Notas Finais


Genteeee ue fofo ne até o próximo ne desculpa algum erro . Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...