História Te esmagarei no Carvalho - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Looney Tunes
Tags Pica-pau
Exibições 46
Palavras 832
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Romance e Novela, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Sangre, meu querido Porco


Enquanto Barbara corria desesperada pela floresta, não se dava conta do caminha que percorria em meio a escuridão do lugar, invés de chegar ao chalé, chegou a um ponto da estrada, quase sendo atropelada por um Corvette antigo, de cor azul claro, com o desenho de um gato no capô, Barbara parou na frente do carro, implorando ajuda, e as pessoas que estava lá dentro, saíram para ver a situação, apenas mais jovens despreocupados

Rafa: o motorista, usando uma camiseta de futebol azul com o símbolo de seu time, melhor atleta entre eles

Vitor: Melhor amigo de Rafa

Toni: o escravo do time, o pior jogador entre ele

Todos portando a mesma camiseta, e fazendo parte do time “Os Gatos a Jato”

Chegando perto de Barbara, notando sua roupa, que a deixava quase nua, ela começava a implorar

- Vocês tem que me ajudar, por favor – disse ela

- Calma, gracinha – Rafa disse tentando conforta-la - entra no carro e a gente conversa – Rafa e todos já estavam tendo segundas intenções com Barbara vestida daquele jeito

- O que aconteceu? – Vitor perguntou

- Tem a porra de um monstro atrás de mim, ele atacou meu namorado na cabana aqui perto – Barbara respondeu afastando-se deles

- Calma, gracinha – respondeu Rafa – a gente te ajuda

Barbara viu ao fundo, no escuro, a silhueto do monstro

- QUE MERDA – ficando mais nervosa, ela correu de novo para a floresta, esquecendo os garotos

-Calma, volta aqui – Rafa correu atrás dela, e os garotos foram logo depois, ela corria bem mais rápido, e quando se perderam dela, pararam

- Que saco, ela fugiu – Rafa estava nervoso, seus amigos chegaram logo depois

- Que maluca era aquela? – perguntou Toni – a gente ia mesmo colocar ela no carro?

- Claro que ia –disse Rafa – o carro é meu, e gostosas não caem do céu toda hora...mentira, pra mim aparecem toda hora, elas adoram o carro

O ambiente ficou mais frio, ouviram barulhos esquisitos, acompanhados da terrível risada

HE HE HE HE HE

-O que foi isso? –perguntou Toni

-Não sei – respondeu Rafa – voltem para o carro agora – todos começaram a correr desesperados, não sabendo o que estava acontecendo, ou se tinha algo perseguindo eles, e quando chegaram ao carro, não podiam ter visão mais assustadora, os pneus estavam furados, e os vidros quebrados, e em cima do carro, o infame Pica-Pau estava os aguardando

-QUE MERDA É ESSA? – Rafa gritou assustado, enquanto corria novamente na direção oposta, para onde Barbara estava correndo, não existia mais homens naquela hora, os valentões agora, eram as caças, gritando desesperados

Barbara, estava correndo a minutos, perdida, sem se lembrar a direção do grande Chalé, enfim chegou perto, vendo o celeiro que ficava próximo do chalé, então, correu para lá, para se esconder

Entrando no celeiro, percebeu que aquele lugar era cruelmente bizarro, tendo ganchos presos a correntes nos tetos, para pendurar carnes, aquele lugar já estava abandonado, tendo várias ferramentas espalhadas por todos os lugares, como marretas a machados, mais uma vez, barbara ouviu passos, e barulhos na madeira daquele lugar, a criatura, já estava próxima, desesperada e quase chorando, barbara correu para trás de um pequeno trator para se esconder, enquanto ouvia passos, a criatura estava à procura da jovem, do nada, os passos pararam, Barbara, preocupada, estava imóvel, seu coração praticamente parou de bater, mas, ouviu diretamente em seu ouvido, a lenta risada

HE HE HE HE HE

Seu coração voltou a bater forte quando a criatura surgiu ao seu lado, a pegando pelos cabelos e a puxando

- Veio como um porco para o abate – disse a criatura, olhando diretamente para a jovem, assustada, vendo a terrível face da criatura, Barbara notou que a criatura tinha dois mínimos dentes em baixo do bico

A criatura continuou puxando a jovem pelos cabelos, até o gancho, levantando Barbara, a criatura pegou um dos ganchos no teto, e enfiou por baixo da mandíbula da jovem, o gancho começou a arranhar o céu da boca da jovem, que não conseguia gritar, apenas dar pequenos gemidos de dor

- Você minha querida Barbara, é a porca mais imunda que eu já vi – a criatura foi para uma mesa, onde estavam jogadas várias ferramentas, mas invés de pegar um machado, ou qualquer faca jogada na mesa, a criatura pegou uma serra elétrica, ligando ela, a lamina da serra estava enferrujada, o que deixava tudo mais divertido para a criatura, se aproximando da jovem com a serra ligada, começou a gargalhar da forma mais bizarra e assustadora possível, e finalmente começou a cortar Barbara, colocando a serra em sua cintura, a jovem, gemia mais alto, enquanto ainda estava viva, a criatura, partiu Barbara, separando suas pernas do resto do corpo, enquanto ela estava pendurada ao gancho, as pernas da jovem, caíram no chão, e seus órgãos começaram a cair do corpo, a criatura ficou coberta do sangue da jovem, ele jogou a serra elétrica no chão, continuando a gargalhar, apenas finalizou dizendo

- Sangre, meu querido porco

 

 


Notas Finais


Se estao gostanda da serie, comentem oque estao achando, e divulguem para os amiguinhos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...