História Te quero, só você não vê isso - Ponny - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias Anahí
Personagens Anahí
Tags Alfonso, Anahi, Camila, Christian, Christopher, Dulce, Maite, Rodrigo, Romance
Exibições 33
Palavras 2.114
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Espero que vocês gostem!

Capítulo 36 - Casa


Fanfic / Fanfiction Te quero, só você não vê isso - Ponny - Capítulo 36 - Casa

Quando acordou Poncho catou seu celular que estava em cima do criado mudo e checou as horas só não caiu porque ainda estava deitado eram 18:27, pensou consigo mesmo como pode dormir por tanto tempo, quando foi se mover percebeu que Any ainda estava ali aconchegado nele, ele então começou a mexer em seu cabelo pra que ela pudesse acordar, o que não demorou pois logo aqueles olhos azuis estavam o fitando.

Alfonso: Boa tarde ou eu devo dizer boa noite?

Anahí: Como é que é? Que horas são?

Alfonso: São 18:28 a gente dormiu a tarde toda!!!

Anahí: E nem comemos nada né – disse rindo – como eu sou mal educada nem te ofereci nada, como é que pode?

Alfonso: Tudo bem princesa eu nem estou com fome, na verdade tem algumas coisas que eu preciso fazer então me perdoe mais eu tenho que ir, e dentre essas coisas esta devolver o carro do seu pai que esta lotado de coisas minhas.

Anahí: Vamos comer alguma coisa comigo primeiro vai por favor.

Alfonso: Vamos fazer assim eu vou com você ate La embaixo e depois você me leva ate a porta e vou embora e você vai comer algo, eu tenho muita coisa pra fazer, e fora que o Tomy já deve ter quebrado a casa toda. – disse rindo sendo seguido por Any.

Any levantou da cama e Alfonso ainda ficou deitado ate que ela saísse do banheiro.

Alfonso: Não esta chateada comigo né?

Anahí: Só queria que você comesse alguma coisa comigo, só isso.

Alfonso: Ta bom amor mais tem que ser rápido porque você sabe quanta coisa eu tenho que fazer e alem disso tenho que comprar um carro pra mim, acho que minha mãe não vai me deixar ficar com o que era meu, ela só falta dizer que não sou filho dela.

Anahí: Não gosto quando você fica brigado assim com ela, e alem só mais é por minha causa! – Poncho saiu puxando Any do quarto pra que fossem comer algo pra ele ir embora.

Alfonso: Mais você nem precisa se preocupar com isso uma hora ela se dá conta que a minha vida não pode ser como ela quer e sim como eu quero.

Eles sentaram na cozinha e comeram um pedaço de bolo que estava na cozinha, logo Alfonso foi embora pra que pudesse falar com sua família, precisava dizer que tinha voltado e que dessa vez era pra sempre e que não tinha trazido o encosto da Luisa. Se despediu de Any e foi ate o carro e seguiu ate a sua casa que Any não sabia que era dele pois achava que era do seu amigo, quando chegou e soltou  Tomy ele fez a festa, Alfonso imaginou que pelo menos o cachorro estava feliz, sua felicidade tinha ficado com Any, arrumou algumas coisas e quando era por volta da 20:30 decidiu tomar um banho e deixar pra amanha o resto da bagunça, depois que tomou o banho decidiu ligar pra sua casa e perguntar se poderia ir ate lá agora ou se era melhor amanha, quando desbloqueou o celular tinha uma mensagem de Any, não hesitou em ler antes de fazer a ligação “Oi meu príncipe, saudades já! Eu amo você não volta pra Brasil não ta! Eu só queria saber como esta indo aí e sua mãe ela ficou muito brava por você ter voltado por minha causa? Me manda respostas eu não vou dormir tão cedo hoje né, Beijos eu já falei que eu te amo? Aha não importa porque eu vou falar de novo mesmo, eu te amo não esquece disso, qualquer problema me liga!”

Ficou uns 10 minutos sentado na cama pensando como ia dizer a Any sobre sua mãe se ela não sabia que ele não estava em casa, e agora? Discou o numero de sua casa e logo uma voz se fez presente do outro lado.

Empregada: Casa da família Herrera em que posso lhe ajudar!

Alfonso: Paula o meu pai ta ai? Eu preciso falar com ele!

Empregada: Seu pai não esta senhor, esta apenas sua mãe quer falar com ela?

Alfonso: Sabe me dizer que horas ele volta?

Empregada: Então senhor na verdade ele teve um jantar e não disse que horas volta mais se quiser eu posso perguntar a sua mãe vai que ele disse alguma coisa a ela.

Nesse momento a mãe de Poncho descia as escadas e se aproximou da empregada quando ouviu que era seu filho.

Mãe do Alfonso: Deixa-me falar com meu filho!

Empregada: Perai senhor sua mãe quer falar!

Alfonso fez careta sabendo que vinha bomba ela queria falar com ele o que esperar coisa boa que não ia ser.

Mãe de Alfonso: Filho ta doido porque ta ligando do Brasil? A ligação vai sair caro pra ambos os lados.

Alfonso: Achei que não se importava com a conta que seria uma honra em pelo menos falar com seu filho!

Mãe de Alfonso: É uma honra sim filho mais é que depois você sabe como seu pai fica!

Alfonso: Com o papai depois eu converso, mais não se preocupe eu estou no México!

Mãe de Alfonso: E cadê você? Porque não veio pra casa? Ta em algum hotel?

Alfonso: Não mãe estou em casa achei que depois do nosso papo sobre doar a grana que deveria ficar pra mim como herança eu precisa se de alguma casa né.

Mãe de Alfonso: Como é que é filho? Você comprou uma casa aqui no México? Porque não contou isso pra sua mãe?

Alfonso: Olha mãe me desculpe mais eu acho que isso não deveria ser falado pelo telefone, pede para o papai não sair de casa porque vou ai amanha almoçar com vocês ai conversaremos sobre tudo!

Mãe de Alfonso: Mais filho não estou entendendo o que esta... – foi interrompido pela voz de Alfonso do outro lado da linha.

Alfonso: Boa noite mãe ate amanha!

Mãe de Alfonso: Boa noite filho!

Alfonso desligou o celular e ficou sentado na cama por mais 20 minutos pensando em uma boa desculpa para dar a Any, como ela ia ficar quando soubesse que ele estava ocultando a verdade dela? Pensou tanto em como falar pra Any que tinha comprado uma casa que acabou pegando no sono acordando no outro dia por volta das 08h30min com seu celular tocando, era domingo então não teria nada pra fazer a não ser ir à casa de seus pais, foi para o seu banho matinal deixando que seus pensamentos permanecessem em Any que com certeza agora era a melhor coisa que ele tinha, saiu do banho e colocou uma calça jeans, uma camiseta que tinha o desenho do símbolo do Superman e um tênis no pé e desceu as escadas, quando chegou na cozinha lembrou que não havia feito compras então na teria nada pra comer, pegou a chave do carro e foi ate a casa de Any, tinha que devolver o carro depois pediria um taxi ate amanha, afinal ia comprar um carro pra ele só não dava pra comprar no domingo, entrou no carro e foi ate uma padaria que ficava há umas 7 quadras da casa dele, entrou pediu um café e um amanteigado,  comeu tranquilamente e pagou sua conta deixando uma gorjeta para o rapaz que o serviu, passou num posto de gasolina e completou a gasolina, devia aquilo ao sogro por estar sendo tão bom com ele, foi ate a lojinha enquanto completavam a gasolina e comprou uma caixa de chocolate para sua amada, sabia muito bem qual chocolate Any amava, voltou ate o carro e foi ate a casa de Any, chegou lá e tocou a campainha e foi recepcionado por seu sogro, esse sorriu quando viu seu genro ali.

Alfonso: Senhor, eu vim pra duas coisas, vim ver meu amor ela esta aí?

Pai da Anahí: Ela deve estar dormindo ainda, não quer tomar um café?

Alfonso: Acabei de comer numa padaria perto de casa, esqueci que não tinha comprado nada então tive que comer fora!

Pai da Anahí: Então fica pra almoçar come com a gente.

Alfonso: Vou comer com meus pais já combinei com eles, fica para uma próxima, eu trouxe um presente para a Any!

Pai da Anahí: Vai lá ao quarto dela, vê se ela já acordou já sabe o caminho não é?

Alfonso: Obrigado por confiar tanto na gente assim! – O pai de Any apenas fez um sinal com a mão dando passagem pra que ele fosse – Aha eu vim pra duas coisas né, vim devolver seu carro e te agradecer muito ajudou e muito!

Pai da Anahí: Não vai precisar mais?

Alfonso: Na verdade eu vou precisar sim, mais não se preocupe hoje eu vou andar de taxi é só por hoje eu vou comprar um amanha.

Pai da Anahí: Mais então fica com ele, amanha você me devolve!

Alfonso: Não precisa senhor, eu dou meu jeito hoje.

Pai da Anahí: Ta bom só vou aceitar porque tenho certeza que Any não vai hesitar em emprestar o dela pra você!

Alfonso subiu as escadas sorrindo como pode né sua mãe estava o tratando tão mal e nesse meio caminho achou outra família pra ele, quando chegou ao quarto de Any bateu na porta e abriu, vendo que a mesma estava deitada embaixo de alguns edredons, foi bem devagar em direção a cama. Chegou perto e ela estava dormindo ainda como um anjo, ele beijou seu rosto e essa foi abrindo seus lindos olhos vagarosamente.

Alfonso: Bom dia minha princesa! – Any se jogou contra os braços de Poncho e começou a chorar, fazendo com que Poncho se assustasse um pouco – O que foi princesa, o que houve?

Anahí: Eu... – disse entre as lagrimas que cismavam em ainda descer pelo seu rosto – Eu sonhei que isso tudo que a gente esta vivendo fosse um sonho e que não era real!

Alfonso: Mais eu estou aqui princesa e isso aqui é real – disse secando as lagrimas no rosto da namorada – e... Eu trouxe isso pra você.

Anahí quando viu o chocolate que ela tanto gostava abriu um sorriso enorme no rosto e agradeceu beijando Alfonso.

Alfonso: Eu vim também pra contar pra você uma coisa!

Anahí: Contar-me o que – disse comendo um pedaço do chocolate – Você quer?

Alfonso: Eu não quero não princesa obrigada, eu preciso te dizer que não respondi sua mensagem ontem por que... – Any o interrompeu.

Anahí: É bom você falar sobre isso mesmo, porque não respondeu minha mensagem em?

Alfonso: É exatamente o que quero falar, eu não estava na casa dos meus pais – Any fez uma cara querendo saber onde ele esteve então  e com a mão mandou que ele prosseguisse – Lembra quando eu te disse que o Tomy ia ficar com você e caso seu pai não o quisesse aqui  era só levá-lo pra casa do meu amigo? – Any balançou a cabeça positivamente – A casa não é de um amigo... É minha! Eu comprei quando briguei com a minha mãe sei que quando ela souber que estamos juntos vai fazer o escarcéu não quero ser mandado embora daquela casa, então comprei uma pra mim... Quero dizer pra nos, afinal você vai morar comigo em breve peço que espere só eu arrumar algumas coisas na casa.

Anahí: E eu posso conhecer sua casa?

Alfonso: É claro que sim princesa, só que não pode ser agora, tenho que ir pra casa dos meus pais agora vou almoçar lá!

Anahí: A tudo bem eu posso ir lá outro dia, mais quero que você me ligue quando sair de lá se precisar venha pra cá, não fique sozinho não! Você promete se der algo errado você me procura?

Alfonso: Sim amor, qualquer coisa eu venho pra cá ta bom? – Any balançou a cabeça positivamente e deu um selinho em Poncho – Mais eu tenho que ir, quero dizer tenho que chamar um taxi porque devolvi o carro ao seu pai e não tenho como comprar um... Não hoje e nem agora! – disse rindo.

Anahí: De jeito nenhum – disse tomando o celular de sua mão – Você fica com o meu carro ate amanha não é? – Alfonso balançou a cabeça – Então amanha você me trás o carro de volta, pega a chave com o meu pai.

Alfonso: Já estou com ela seu pai te conhece muito bem, ele me disse que você ia me emprestar seu carro, mais eu já vou então depois a gente se fala assim que terminar lá eu te ligo e venho te pegar pra poder conhecer sua futura casa. Aha e antes que eu me esqueça o Tomy amou a casa e aquele quintal gigante dele.

Alfonso beijou Any e saiu pra poder ir ate sua casa.


Notas Finais


To postando muito tarde


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...