História Te quero, só você não vê isso - Ponny - Capítulo 37


Escrita por: ~

Postado
Categorias Anahí
Personagens Anahí
Tags Alfonso, Anahi, Camila, Christian, Christopher, Dulce, Maite, Rodrigo, Romance
Exibições 33
Palavras 2.010
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello

Capítulo 37 - Eu mereço


Fanfic / Fanfiction Te quero, só você não vê isso - Ponny - Capítulo 37 - Eu mereço

Alfonso desceu as escadas da casa de Any e foi em direção ao carro da namorada, se preparou antes de dar partida no carro sabia que não seria fácil o que viria pela frente, mais estava disposto a correr esse risco, amava Any o que sua mãe ia fazer? Proibir de amá-la, era isso sua mãe só podia estar ficando louca, ligou o carro e se foi. Quando chegou a sua casa colocou o carro em frente à enorme garagem onde ele cresceu, pensou consigo mesmo quantos momentos bons já passou ali, já tinha tido varias aventuras e travessuras ali naquela casa, tinha sido travesso, respondão, teimoso, mais o que ele menos foi era triste, seus pais sempre faziam com que ele fosse feliz, lembrou quando tinha seus 4 anos e seu vizinho e amigo que tinha a mesma idade que ele tinha ganhado uma motinha elétrica, ele pediu a seu pai uma também e sua mãe disse que ele não ia ganhar uma porque ele só vinha aprontando com os vizinhos, pensou como poderia ter sido tão mal a ponto de colocar água na varanda de seu vizinho, ele era muito travesso mesmo, mais seu pai deu mesmo sua mãe não querendo uma motinha a ele, pensou que talvez tivesse um pouco de culpa se os seus pais brigavam tanto, o seu pai sempre fazia o que ele queria mais isso que dá ter um filho só não se importava em ter um irmão, lembrou se também que foi por culpa de sua mãe que ele conheceu Any, porque se não fosse a insistência dela ele nunca teria conhecido Any, seu pai queria que ele estudasse em casa, arrumando mais um assunto para ser a discussão deles da noite, quando se deu conta que já estava divagando por muito tempo ali no carro ele desceu, fechou a porta e travou o carro, foi em direção a porta e entrou dando de cara com uma sala silenciosa, chamou pelo nome de sua mãe, e ouviu a sua voz que vinha da cozinha mais percebeu que após ela gritar ela conversava com alguém que pelo tom de voz não era seu pai era uma mulher, o que sua mãe estava aprontando agora disse que precisava falar com ela e com seu pai, não queria terceiros ali atrapalhando, quando deu dois passos pra ir ate a cozinha sentiu alguém puxando seu braço para o escritório de seu pai, era Paula a empregada  quem havia lhe puxado, Alfonso olhou para a cara da mulher que estava em sua frente pensando porque ela havia feito aquilo, pensou também o porque da mulher estar ali era domingo! Decidiu quebrar o silencio já que ela não falava nada.

Alfonso: O que foi? Porque me puxou desse jeito?

Empregada: Desculpe-me senhor mais é que foi preciso, vai me agradecer depois, como eu vou te dizer é que aquela garota que o senhor trouxe quando veio aqui esses tempos atrás...

Alfonso: A Luisa?

Empregada: É senhor, a sua namorada... – Alfonso a cortou.

Alfonso: Minha ex namorada!

Empregada: Então acho que o senhor devia dizer isso a ela porque ela esta na cozinha com sua mãe.

Alfonso: Como é que é? O que a Luisa ta fazendo aqui?

Empregada: Não sei não senhor na verdade ela chegou hoje de manha e veio pra cá e desde então não saiu mais daqui, achei melhor prevenir o senhor quanto a esse pequeno infarto que o senhor podia ter tido.

Alfonso agradeceu a Paula com um beijo na testa e um na mão, ela sempre o ajudava quando ele ainda estava ali, e foi ela também que contou a Any que ele tinha viajado para o Brasil, saiu do escritório e foi ate a cozinha não podia ser fraco e ir embora não naquela circunstancia.

Alfonso: Olá bom dia! – Falou vendo a mãe vir em sua direção.

Mãe do Alfonso: Oi filho, como você esta? Porque não veio pra casa ontem em? Não precisa ficar pagando hotel quando você tem uma casa.

Alfonso: É mãe você tem razão não preciso mesmo ficar pagando hotel quando tenho uma casa e foi lá que eu dormi na minha casa!

Mãe do Alfonso: Como é que é Alfonso, que historia é essa?

Alfonso: Perdão oi mãe tudo ótimo e com a senhora, a senhora esta bem?

Mãe do Alfonso: Eu estou confusa quero que me explique como assim.

Alfonso: Então isso é uma longa historia que irei contar só quando o papai estiver aqui, mais me diz você o que a Luisa esta fazendo aqui em? – disse a ultima parte baixo pra que ela não escutasse.

Mãe do Alfonso: Ela veio te ver, disse que vocês tinham muitas coisas pra conversar, então deixei ela ficar aqui achando que você viria pra casa mais você não veio então ela dormiu aqui, não se importa se ela almoçar com a gente não é?

Alfonso: Não afinal mais cedo ou mais tarde ela ia ficar sabendo do que esta acontecendo aqui mesmo! – foi ate Luisa e lhe deu um beijo no rosto, não podia ficar com ódio dela, ele tinha uma casa não ia ter que ficar sobre o mesmo teto que ela mesmo.

De repente escutou um barulho e virou-se pra ver quem era, ficou muito feliz ao constatar que era seu pai, pensou consigo mesmo era só o que me faltava minha mãe ter chamado a Any pra vir aqui e me ver com a Luisa, não podia duvidar sua mãe só estava fazendo coisas pra que eles não ficassem juntos, imagina como Any ia ficar se soubesse que ele deu um beijo no rosto da ex, pensou antes de ir ate seu pai e lhe dar um abraço que teria que contar a Any sobre esse beijo era só um beijo nada de mais, abraçou seu pai e eles foram se sentar a mesa pra conversarem um pouco ate que a comida ficasse pronta.

Cerca de 10 minutos depois tudo já estava pronto, todos se serviram e sentaram a mesa pra comerem, Alfonso sempre pensava em Any, será que um dia poderia trazer Any ate a casa dos seus pais pra almoçarem como uma verdadeira família? Acordou dos seus pensamentos quando sentiu um beliscão na costela.

Alfonso: Que foi?

Mãe do Alfonso: Filho eu estou falando com você!

Alfonso: Perdão mãe eu estava longe!

Mãe do Alfonso: Isso eu percebi! Mais voltando ao assunto eu estava falando com a Luisa e ela me disse que você tinha abandonado a faculdade!

Alfonso: Eu não abandonei a faculdade eu vou terminá-la aqui, o reitor da faculdade do Brasil conversou com os reitores daqui e eles concordaram em me deixar terminar minha faculdade aqui por causa das coisas que vem acontecendo aqui!

Mãe do Alfonso: Que coisas? Do que você ta falando?

Pai do Alfonso: Do que ele ta falando... – Ele parou e olhou para a cara da esposa – É obvio que ele esta falando da Anahí, nunca em momento algum você percebeu o quanto os olhos do nosso filho brilha quando fala dela?

Mãe do Alfonso: Claro que não você só pode estar ficando louco, se isso fosse verdade o que a Luisa estaria fazendo aqui – Ela olhou para a cara do filho -Isso é mentira né filho?

Alfonso: Claro... – Ele olhou para a cara de seu pai que fez um sinal que ele podia continuar, e através daquele olhar Alfonso se deu conta de que qualquer que fosse sua escolha ele iria te apoiar – Que sim né mãe, eu propus que fizéssemos esse almoço pra que possamos falar dela!

Mãe do Alfonso: Nem começa Alfonso, já disse que o nome daquela garota jamais pode ser dito nessa casa!

Alfonso: Essa garota é minha namorada é preferia que você aceitasse já que tenho planos de me casar com ela!

Pai do Alfonso: Serio filho? – Alfonso balançou a cabeça positivamente – Fico muito feliz que meu garoto esteja crescendo e fazendo dos seus sonhos realidade, sabe do que eu me lembro? – Alfonso disse que não e esperou que seu pai perseguisse – me lembro que quando você era criança você sempre dizia que seu sonho era pedir alguma mulher em casamento! Aposto todo meu dinheiro que meu rapazinho tem um plano em mente arquitetado pra fazer isso ser perfeito.

Alfonso: Na verdade eu ate pensei em uma maneira surpreendente de fazer isso, mais não se preocupe não vou te decepcionar vai ser algo bem diferente mesmo!

Mãe do Alfonso:  Isso aqui só pode ser piada, como assim filho e a Luisa? Ela veio do Brasil pra te ver e pra conversar com você, você não esta disposto a ouvir o que ela tem a dizer?

Alfonso: Eu já falei com ela, não há possibilidade nenhuma de reatar com ela! Afinal eu já estou namorando a Any, na verdade desde que fui embora eu estou namorando ela.

Nesse momento Luisa levantou da mesa e saiu correndo ate um dos quartos da casa, a mãe de Poncho ficou estática sem reação alguma, e não passou nem 10 segundos pra começar o que ele não queria que começasse.

Mãe do Alfonso: Não entendo juro que eu não entendo como você pode ficar aquela garota que só te fez mal, ela nunca te amou como você tem coragem?

Alfonso: Essa garota do que você esta falando é a mulher que “EU AMO” mãe, é ela quem vai dormir e acordar todos os dias, é com ela que eu vou ter filhos, é com ela que eu vou ter um futuro a não ser que você queira que seu filho... Seu único filho seja infeliz pra sempre, é isso que você quer?

Mãe do Alfonso: Não é isso que eu quero pra você filho mais a garota veio lá do Brasil porque ela queria arrumar esse tanto de problemas que vocês estão enfrentando, você tem que ver o lado dela também.

Alfonso: Desculpa mãe mais eu não tenho que escutar ninguém, minha namorada se chama Anahí e é só dela que eu preciso!

Mãe do Alfonso: Mais filho...

Alfonso não deixou a mãe terminar como podia ser verdade isso que estava acontecendo, não podia mais ficar ali não com sua mãe dessa forma e não aceitando que ele amava Any, o que ele podia fazer não podia obrigá-la a gostar de Any mais uma hora ou outra ela ia ter que aceitar se não a relação dos dois ia ficar cada vez pior, foi ate seu quarto e pegou algumas roupas e pois em uma mala que tinha ali no seu quarto, quando terminou de pegar algumas de suas roupas desceu as escadas e seus pais estavam na sala.

Mãe do Alfonso: Aonde você vai?

Alfonso: Eu vou pra minha casa!

Mãe do Alfonso: Como assim sua casa? Do que você esta falando?

Alfonso: Quando eu vim ao México da ultima vez eu comprei uma casa, não vou te passar o endereço por enquanto, não se preocupe eu vou estar bem eu sei me virar sozinho, quando a Luisa for embora me mande uma mensagem tem meu numero não é verdade? Não quero que ela atrapalhe minha vida com a Any!

Mãe do Alfonso: E o que eu faço com ela? Ela quer falar com você!

Alfonso: Diga a ela que eu espero por ela no restaurante em que sempre jantávamos quando ainda éramos uma família feliz! Hoje as 7:30 leve ela ate lá ou peça que um taxi a leve lá.

Alfonso saiu e se foi não podia ficar ali nem mais um segundo sua mãe estava matando ele aos poucos, decidiu ir pra casa de Any pra buscá-la pra ir a casa que ia ser deles em breve, só ela não sabia ainda que a casa seria deles, foi ate a casa dela pensando em tudo que viria ainda pela frente, e o pior teria que contar a ela que iria se encontrar com Luisa essa noite como ela iria reagir em, mais não pensaria nisso agora porque nesse momento sua tristeza já tinha passado ia ver sua princesinha o seu porto seguro.


Notas Finais


Eu estou quase desistindo da fic estou sem criatividade, não queria deixar vcs na mão mais ta difícil aqui!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...