História Teach Me || Sterek - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Brett Talbot, Cora Hale, Decaulion, Derek Hale, Hayden Romero, Isaac Lahey, Jackson Whittemore, Jennifer Blake, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Melissa McCall, Peter Hale, Scott McCall, Sheriff John Stilinski, Stiles Stilinski, Theo Raeken
Tags Sterek, Steter
Exibições 352
Palavras 1.357
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 22 - •°• And I Do Not Want It To Hold Me To This Place Again •°•


Depois de levar alguns pontos no corte de tamanho e profundidade quase razoáveis, Stiles repousou as costas na ambulância, fechando os olhos calmamente e tentando digerir tudo que havia acontecido. Não era uma tarefa muito fácil, ainda mais quando se tinha completa visão de sua amiga na outra ambulância, tremendo e tentando ligar para alguém sem sucesso.

Ele ajeitou a postura quando a viu se aproximar, o corte doía um pouco mesmo com a anestesia. Ela encarou o torso nú de Stiles, e depois o grande curativo.

— A tatuagem deve ser grande. — brincou, suspirando de nervoso.

— Mediana. — o menino riu — Como você está?

— Bem... Eu quase perdi você hoje... — Lydia se sentou ao lado do amigo — Mas eu vou ficar bem. E você?

— Eu matei um cara, nada muito... Muito emocionante. — sussurrou —as eu vou ficar bem.

A ruiva agarrou as bochechas de Stiles, seus rostos ficando próximos o bastante para sentirem as rajadas de sua respiração acelerada.

— Você me salvou. — disse firmemente — Se não fosse por você, eu nem sei onde eu estaria agora. Stiles, você não é o vilão da história.

— Mas também não o completo mocinho... — suspirou, encarando a menina — Você avisou para o meu pai?

— Não! — lembrou-se — Espera, eu vou ligar para ele!

— Não, não... — disse — É melhor ele não ficar sabendo de nada disso. Para o seu próprio bem.

— Você acha?

Depois da pergunta de Lydia, Stiles apenas assentiu e andou até seu jipe com a janela rachada, o sangue do homem estava no chão, o cheiro e o som eram desagradáveis, e para se livrar disso, Stiles começou a repetir para si "o fui eu quem puxou o gatilho". E com essa frase, ele juntou forças para entrar em casa. Mas parou na porta antes, pensou em algumas pessoas, em Lydia... Toda vez que algo ruim acontecia, todas as lembranças de tormenta voltavam para lhe tirar o pouco de sanidade que restava. Se é que restava. A verdade, é que Stiles era apenas uma máscara, como aquela que ele usou no baile. A verdade, é que ele nunca era sem por cento ele. Nunca foi.

O menino entrou em casa e parou na porta, tentando pôr no rosto o melhor sorriso que podia, e gritando o "Pai, chegue." de sempre. Ouvindo uma resposta animada do homem, que não via desde sexta passada, foi quando lembrou que estava com um hematoma bem atraente na lateral do rosto, e aí lhe veio a questão: "O que eu vou falar?", então, tentando não pensar demais ele andou lentamente até a sala, encontrando seu pai rindo com o programa da Tv, mas o riso parou ao ver o rosto do filho. Ele se levantou rapidamente, chegando ao garoto em segundos, segurando seu rosto com a expressão fechada.

— Quem fez isso? — perguntou.

— Eu me meti em uma briga... Nada demais. Está tudo bem. — sussurrou.

— Stiles.

— Eu disse que está tudo bem! — disse em um misto de calmaria e agitação.

— Eu não acredito em você.

Stiles suspirou, saindo de perto do pai e andando até a escada, parando antes de pisar no primeiro degrau.

— Às vezes, eu também não.

°°°

Derek estava sentado no sofá da sala enquanto assistia um seriado; sentia algo em seu peito, um peso... Esse peso se tornara constante desde que trocara a primeira palavra com Stiles, era como se ele sentisse que o menino corria perigo constantemente. E não um perigo qualquer, na verdade, certas vezes ele pensava que tal perigo estava próximo dele. Era um sensação estranhamente inexplicável, e as únicas coisas que ele sabia sobre eram. 1) Que não queria sentir mais. 2) Que nunca havia se sentido assim.
Tal coisa lhe causava arrepios, arrepios ruins.

Ele pensou em voltar para a cidade durante a semana, mas a verdade, era que estava adorando viver na reserva de novo; o silêncio, ausência de pessoas, o vento... Tudo era muito relaxante para ele, menos o fato de viver na casa de Laura. Quando lembrava da irmã, pensava no caso que nunca fora solucionado, e isso era o que mais doía. O fato de nunca ter tido a chance de ver a justiça sendo feita.

Muitas coisas rondavam a mente de Derek naquele momento, e ele jurou ter escutado uma voz. Era uma lembrança, uma lembrança um tanto imprópria, mas noventa por cento das coisas que envolviam seu nome eram impróprias, então não sentiu vergonha.

Ele fechou os olhos e apoiou a cabeça no sofá, e conseguiu ver perfeitamente o rosto vendado de Stiles; a boca entreaberta emitindo o perfeito som de seus gemidos. Derek se arrepiou. Riu. Abriu os olhos novamente. Dando de cara com Boyd, com uma expressão um tanto preocupante.

— Seja lá o que aconteceu, foi muito importante. — disse, se referindo a hora e o fato do homem estar ali.

— Para o senhor, creio que sim. — suspirou, e Derek o encarou sério. — O Stilinski e uma amiga acabaram de sofrer uma tentativa de assalto.

Derek se ajeitou no sofá, boquiaberto, esperando por mais detalhes.

— Parece que o assaltante acabou morrendo.

— E o Stiles? — o barbado não estava nem aí para o assaltante.

— Calma. — Boyd estralou os dedos — A garota está bem, traumatizada, mas bem. O Stiles acabou lutando com o homem para proteger a amiga, e cortou o peito. Mas está bem! Já está em casa.

Derek arregalou os olhos; sentiu seu coração acelerar, e pegou seu celular, que estava descarregado. Xingando e taxando o celular longe, ele se levantou e correu até o telefone mais próximo. Boyd observava aquela cena um tanto intrigado, não havia notado tal mudança no comportamento do amigo (e chefe).

O barbado discou o número de Stiles diversas vezes, não obtendo resposta em nenhuma. Lá se foi outro telefone.

Derek se sentou no chão e respirou fundo, desde quando se importava tanto? Mas que pergunta era essa? Ele não era um monstro. Só um pouco.

— Sr. Stilinski? — ouviu a voz de Boyd, tinha um tom surpreso, então levantou a cabeça, dando de cara com olhos âmbar, hematomas e pintinhas.

Se levantou rapidamente e foi até o menino, abraçando-o não tão apertado, o mesmo abraçou de volta.

— Você é um imã para eventos traumáticos ou é só primeira impressão? — perguntou baixinho, ouvindo a risada de Stiles.

— Costuma ser pior. — sussurrou.

— Acho que eu já vou. — Boyd se manisfestou. — Boa noite para vocês.

— Boa noite. — disseram em perfeita consonância.

Os dois se encararam. Derek segurou a mão de Stiles e os dois andaram até o sofá, sentando-se ainda se encarando duvidosamente.

Não conseguiam para de se olhar, era como se estivessem tentando ver o que o outro escondia pelo olhar, pois era verdade, tudo que um corpo escondia, um olhar revelava.

— Você está triste. — Derek disse.

— Mais do que imagina... — concordou.

— Por quê?

— É melhor não...

— Não é porque você não quer se prender a mim, que você não pode desabafar. — murmurou — Não me veja como um... Seja lá o que somos...

Stiles riu.

— Não é esse o problema, Derek... — disse.

— Então qual é?

— Eu vou embora... — suspirou — O problema, é que cada vez que eu penso em ir, algo me prende a esse lugar novamente.

— E o que te prende a Beacon Hills agora?

— O medo de ir embora e perder algo que pode crescer...

— Tipo?

— Eu não sei... — soluçou — Talvez não seja só uma coisa.

— Stiles, o que te tirou daqui? — perguntou — O que fez você tomar esse pavor de Beacon Hills?

— Um amor... — sussurrou — E eu não quero que isso me prenda a esse lugar novamente.

Derek sentiu seu coração apertar com as palavras de Stiles, aquilo doeu mais do que imaginava. Aquilo não deveria doer. Mas doeu. Doeu como da primeira vez.


Notas Finais


Só quero bater no Sti... Daqui a pouco o sourwolf desperta, e ele fica assustado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...