História Teacher - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bleach
Personagens Byakuya Kuchiki, Kaien Shiba, Orihime Inoue, Rukia Kuchiki
Tags Byakuya, Byaruki, Rukia
Visualizações 35
Palavras 4.029
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey, primeiro hentai Byaruki!
Espero que gostem :)
Desculpem os erros de português!
Aconselho a ouvir Teacher do Nick Jonas em quanto leêm ;)

Capítulo 1 - One-Shot!


Bem quando acho que finalmente te entendi/ Você muda, e me impressiona

Tão frustrante, você me faz querer gritar/E esta música é apenas o início da noite

 

Byakuya POV’s

 

 Meu nome é Byakuya, Kuchiki Byakuya. Tenho 25 anos, e sou professor de biologia da mais prestigiada escola do país, a Karakura High School. Leciono há 5 anos no local, e o faço para poder me formar no mestrado da Sereitei University. Minha família possui muito dinheiro e apesar de ser o certo eu continuar os negócios da empresa, decidi fazer algo que me agradasse. Sempre fui um professor dedicado e exemplar, apesar dos olhares que eu recebia das minhas alunas, mantive a compostura séria e rígida para com elas durante todo esse tempo. Porém desde a chegada dela.... Algo em mim mudou drasticamente.

           

Ukitake Rukia, a filha adotiva do Diretor decidiu voltar para cá e terminar o colegial aqui perto de seu pai. O que me incomoda de verdade não é o fato dela querer passar o tempo com o pai, é o fato de eu ter me interessado por ela. Mas não haveria modo algum de não me interessar por Rukia. Ela é dedicada, meiga, extremamente corajosa, inteligente e apesar de não ter um corpo grande e avantajado... Era perfeita e possuía curvas que mexiam com qualquer homem.

 

Minha situação sempre fora extremamente delicada, ainda mais por que já faz alguns dias desde que o Diretor me pediu para instruir os vencedores de um concurso literário que como premio dava direito à 5 alunos visitarem a maior feira de desenvolvimento de projetos de Tóquio. O grupo é formado por Ichigo Kurosaki, Kaien Shiba, Inoue Orihime, Ishida Uryuu e Rukia Ukitake, os alunos mais brilhantes do 3º ano.

 

Devido aos boatos das alunas mais novas, descobri que Rukia namora com o capitão da equipe de lutas com espadas, Kaien Shiba. O que no fundo não me agradou nem um pouco devido à má fama do mesmo de galinha e pegador. Mas nem tudo são rosas, pois ultimamente venho tendo um caso com a irmã de Kaien, Kuukaku Shiba que é uma das empresárias mais influentes da região no ramo da hotelaria. Devido às parcerias de Ukitake com a empresa dela, acabamos nos conhecendo e nos envolvendo, no meu caso só fisicamente.

 

Hoje me manhã fui comunicado que a viagem até Tóquio aconteceria em dois dias, e que mais professores além de mim também compareceriam na viagem. Sento em minha cadeira refletindo sobre isso até ser chamado a comparecer na sala do diretor.

 

“Byakuya! Que bom que chegou! Decidimos algo em quanto estávamos lhe esperando!”

 

Respirei fundo quando decidem sem mim, geralmente acabo só me metendo em furada.

 

“E o que decidiram diretor?”

 

“Cada aluno escolherá um professor para acompanhá-lo individualmente em algumas partes da feira, devido aos inúmeros relatórios que terão de fazer para suprimir a falta de aulas, já que equivale a uma semana perdida de matérias.”

 

“Tudo bem”.

 

“Ótimo, alunos entrem por favor!”

 

No mesmo instante vejo Rukia entrando na sala discutindo com o Kurosaki, enquanto Ishida, Kaien e Inoue vieram conversando banalidades. Decido não encará-la, até ela me cumprimentar respeitosamente com um pequeno sorriso nos lábios, aceno com a cabeça e fico um tanto sem jeito pelos pensamentos obscenos que me vieram à mente em relação ao curto uniforme que ela vestia.

 

 

Eu fico tipo "ai meu, ai meu, ai meu, Ai meu Deus"

Eu fico tipo "ai meu, ai meu, ai meu, Ai meu Deus"

 

            “Então, gostaríamos de saber suas escolhas... Pode começar Inoue...”

 

            Comentou Ukitake sorrindo

 

            “ Eu decidi que desejo que Matsumoto sensei me acompanhe, estava querendo fazer um relatório mais sobre os projetos de recursos humanos e sei que ela é mais animada para isso!”

 

            Disse sorridente. Matsumoto é muito competente, diga-se de passagem, mas é um tanto obscena, me admira que gostem tanto dela. Vejo-a sorrindo e indo abraçar Inoue.

 

            “ Eu vou com a Yoruichi Sensei, gostaria de fazer um relatório sobre física e acho que ela apesar de louca é a mais competente sobre isso”.

 

            Comentou Ichigo corado, recebendo um aceno positivo da mesma. Vejo-a me encarando e me mandando um beijo. Ignoro-a totalmente. Outra obscena.

 

            “ Eu vou com Mayuri Sensei, quero fazer um relatório voltado mais a química orgânica e inorgânica”.

 

            Falou Uryuu.

 

            “Ukitake-sama, terei de levar Nemu junto nesta viagem, minha assistente, tudo bem?”

 

            Ele apenas acenou com a cabeça, Nemu era a mulher de Mayuri e se assumiram recentemente.

 

            “ Eu vou com Kyouraku Sensei, gostaria de fazer um relatório sobre história, e ele é o mais indicado para isso.”

 

            Comentou Kaien, recebendo um sorriso orgulhoso do professor bêbado.

 

            “ E bem... E você Rukia, com quem quer ir? Soi fon, Aizen..?”

 

            Perguntou sorridente para a garota.

 

            “Eu... Gostaria de ir com o Kuchiki Sensei... Acho que gostaria de focar em relatórios com o principal objetivo em plantas, e acho que ele é o mais indicado, isso se não for incomodo... Claro..”

 

            Disse ela corando. Meu Deus, ela me escolheu? De verdade? Vou passar a semana inteira com ela ao meu lado... Ainda não posso acreditar.

 

            “Por mim tudo bem”

 

            Respondo um tanto indiferente, mas não tão indiferente assim. Na verdade cheio de orgulho de mim mesmo.

 

            “Ótimo, estamos todos acertados! Até daqui a 2 dias!”

 

 

            Passaram-se dois dias desde que decidiram as questões de duplas, alojamentos e coisas do tipo. Ficaríamos em um dos hotéis da família Shiba, oferecido por Kuukaku alegremente por saber que o seu irmãozinho e seu ‘caso’, de acordo com ela estariam indo para lá.

 

            De Karakura até Tóquio dava 2 horas de voo, e com Yoruichi do lado era difícil de tentar relaxar.

 

            “Byakuya-boo... Estou tão cansada!”

 

            Reclamou se aconchegando no meu ombro...

 

            “Não me venha com essa...”

 

            “Kuukaku não vai ficar com ciúmes...”

 

            “Mas Urahara com certeza vai... Não esqueça que é ele que vai estar nos esperando lá.”

 

            Vejo-a bufar e virar para o lado.

 

            Apesar de toda essa marra ela realmente gosta do loiro problemático.

 

            Olho para os outros lugares e vejo Kaien acariciando os cabelos curtos de Rukia com um sorriso no rosto. Respiro fundo e miro em outra direção. Vejo Inoue sentada entre Ichigo e Ishida que discutiam algo sobre um anime qualquer.

 

            Matsumoto, Kyouraku, Mayuri e Nemu discutiam alguma coisa sobre a futura excursão que fariam separados. Mas podia-se observar que Kyouraku estava a pensar sobre a professora do colégio adversário Nanao Ise, como sempre. Matsumoto não estava longe disso, deveria estar pensando em Gin também.

 

            Após o longo voo, finalmente chegamos a Tóquio. Pegamos nossa bagagem e fomos pegar um carro para podermos ir. Apesar de eu ser meio reservado era algo pedagógico, teria que ser menos intolerante com algumas coisas. Optamos por ir de taxi até o hotel dos Shiba, e nos separamos em 3 veículos.

 

            Eu, Rukia, Kaien e Kyouraku em um, sendo que Kaien sentou-se à frente para guiar o caminho, e Ichigo, Ishida, Rangiku, e Yoruichi no outro.  Mayuri e Nemu foram em outro, pois disseram que iam passar em um lugar antes de irem para o hotel.

 

            Durante o percurso era visível a vergonha de Rukia ao sentar-se próxima de mim. Shunsui falava algumas coisas com Kaien, enquanto eu observava a janela, atento ao movimento da rua.

 

            De repente sinto o carro fazendo uma curva muito rápida e Rukia voa para o meu colo. Arregalo os olhos, mas a abraço para que não bata a cabeça no vidro ou se machuque.

 

“Rukia????? Meu amor você está bem?”

 

Gritou Kaien do banco da frente. Ela apenas assentiu um sim com a cabeça, suspirei de alivio, mas percebi que a segurava possessivamente, e que a mesma estava ficando vermelha. Senti seu perfume, extremamente viciante, algo sutil como flores de sakura durante a neve, muito calmante. Solto-a e murmuro um ‘desculpe-me’ perto de seu ouvido.  Vejo-a se arrepiar e dizer, ‘sem problema’ um tanto gaguejado. Fofa.

 

Kyouraku segurava um risinho de canto. Ele sabia a maneira que eu olhava a garota, sempre soube que me encantei por ela desde que a vi pela primeira vez. Suspirei, ainda sentindo seu aroma em mim.

 

Por que me trata assim?/Por que me trata assim?

Quando usa esse vestido/Oh, meu coração simplesmente não aguenta mais

                                                                                                

Ao chegarmos Kuukaku nos esperava no saguão, rapidamente veio nos saudar, e logo senti seu olhar nada inocente sobre mim, respirei fundo e a cumprimentei. Ela se aproximou e deu um beijo demorado em meu rosto. Fiquei com a mesma expressão de sempre, mas pelo canto do olho vi Rukia ficar sem jeito... Deve ter sido impressão minha, pois logo a vi segurar no braço de Kaien.

 

O hotel era enorme e cada quarto era o equivalente a um luxuoso apartamento 5 estrelas.

 

Subimos ao 30º andar, e ao sair nos deparamos com uma grande sala com diversos puffs e sofá, uma grande mesa de vidro, uma pequena cozinha com frigobar, e diversas portas que levavam aos quartos.

 

“ Cada quarto possui uma porta de conexão com outro quarto. E na sala possui um banheiro. Para cada dupla de quartos há um banheiro então boa sorte para se revezarem para usar!”.

 

Cada um foi para um quarto, ao entrar no meu, era um quarto cinza com uma sacada conjunta com o quarto da direita. A cama era enorme e os móveis eram escuros e rústicos, realmente bonitos. Vejo a porta de conexão, ao abri-la vejo Rukia de costas admirando o quarto, o dela era lilás com móveis brancos e delicados. Percebo que o banheiro ficava no quarto dela e que teríamos de dar um jeito de dividi-lo.

 

Vejo-a se virar rapidamente para me ver, e percebo que com a velocidade com que o fez, seu vestido descobriu uma parte de suas belas pernas, me fazendo encará-las descaradamente.

 

“Byakuya Sensei! É você que pegou o quarto ao lado? Que loucura!”

 

Disse ela sorridente, me fazendo encará-la. Graças a deus ela não percebeu que eu encarava suas atraentes pernas.

 

“Ah, mas se preferir posso trocar com uma das garotas, se você se sentir desconfortável.”

 

Ela sacudiu a cabeça e disse tudo bem, que não haveria problemas. Então a porta de entrada de Rukia abre-se e Inoue e Kaien surgem dela.

 

“Rukia-chan, meu quarto tem conexão com o de Kyouraku sensei, queria que fosse com o seu... Mas, com quem foi? Foi você Inoue? ”

 

Disse Kaien. Vendo-a balançar a cabeça negativamente, ele finalmente percebe a minha presença.

 

“COM VOCÊ KUCHIKI SENSEI???!!”

 

Grita surpreso me deixando quase surdo.

 

“Sim Shiba, desnecessário essa gritaria. Vou descontar pontos seus se o fizer novamente. Rukia vou voltar ao meu quarto. Depois decidimos sobre o banheiro.”

 

Vejo-a acenar que sim com a cabeça e corar em seguida. Fecho a porta de conexão ouvindo Inoue tentando acalmar Kaien.

 

 

Ficou decidido então que no período da manha ambos utilizariam o banheiro para suas higienes matinais. De tarde era o horário do banho dele, e logo após mais a noite seria o meu.

 

Agora já são 8 horas da noite e estamos todos jantando no salão de festas do hotel. Yoruichi está a discutir com Kisuke que a provocava, Matsumoto e Kyouraku bebiam alegres até verem Gin e Nanao no outro lado do salão acompanhados, Inoue e Rukia conversavam em um canto mais afastado do salão enquanto os garotos as observavam de longe  também discutindo sobre algo.

 

Kuukaku estava a segurar meu braço tentando me convencer a subir com ela para a suíte presidencial da mesma. Enquanto eu recusava veemente. Me vejo encarando Rukia novamente. Seus cabelos curtos em contraste com a pele branca e alva. ela usa um vestido até o meio das coxas na cor vermelha, sem mangas e tomara-que-caia. Usava uma maquiagem discreta, em tons de rosa que deixavam seus olhos violetas ainda mais em evidencia. Percebo muitos homens a encarando e encarando Inoue a ruiva peituda do seu lado. 

 

Abro mais um botão da camisa branca que uso, o que não passa despercebido pela mulher de olhos ferinos. Passando-se algum tempo decido pegar algo para comer e Kuukaku foi resolver alguns problemas referentes ao hotel.

 

Passo perto de onde Rukia e Inoue conversavam até ouvir algo extremamente suspeito.

 

“ Rukia-chan, você não pode ficar tentando enganar seu coração assim. Você sabe que não é com Kaien que seu coração deseja ficar.”

 

Vejo-a suspirar pesarosa. Como assim não é Kaien? É outro? Mas quem seria o desgraçado? Minha cabeça martelava em busca de respostas.

 

“Eu sei, mas ele nunca me notaria. Não como mulher eu acho. Além disso, ele tem uma mulher grandiosa ao lado dele, nunca serei como ela.”

 

Minha curiosidade estava aguçada, quando finalmente escutaria o nome do imbecil que não dá bola para ela, vejo Kuukaku vindo em minha direção e vou até ela, ainda pensando sobre o homem de quem falavam.

 

“ Vamos para o meu quarto? Estava com tantas saudades!”

 

Diz manhosa em meu ouvido. Ignoro-a e vou para o quarto avisando os outros professores do meu cansaço. Decido passar no banheiro e entro pelo quarto de Rukia. Observo um coelho de pelúcia rosa em cima de sua cama e pego-o achando fofo que a mesma o levasse consigo. Sinto seu doce aroma nele e o abraço calmamente imaginando-a ali abraçando o animal.

 

Sensações invadem o meu corpo e pensamentos obscenos cruzam em minha cabeça. Decido ir longo para o banheiro antes que alguém me pegue com um leve grau de entusiasmo.

 

Entro lá e consigo acalmar meus nervos. Escovo os dentes e dou uma penteada nos cabelos soltando o kenseikan. Desabotoou o restante dos botões da camisa deixando o peito nu e respiro um pouco. Ao abrir a porta vejo a visão mais proibida que poderia imaginar.

 

Rukia estava de costas tirando seu vestido lentamente, como em um strip inocente. Já podia ver seu sutiã branco de rendas e sua bunda levemente empinada em minha direção. Vejo-a então passar um creme pelas suas pernas, o que estava me deixando louco. Percebo que a mesma não notou a minha presença, pois a mesma tirara o sutiã largando em um lugar da cama. Vejo-a então vestir uma camisola lilás de alcinhas transparente estilo princesa e sem querer solto um suspiro alto. Fazendo-a se virar rapidamente.

 

“B-B-B-BYAKUYA S-S-SENSEI???!!HÁ QUANTO TEMPO ESTÁ AÍ?!”

 

Gritou ela gaguejando e ficando vermelha. O suficiente para deseja-la ainda mais, era o que eu estava quase dizendo.

 

“Saí agora mesmo do banheiro, não se preocupe eu não vi.....”

 

Não pude completar a frase, pois na mesma hora vejo-a lançar coisas em mim, gritando ‘pervertido’, estava extremamente nervosa, pois nunca a vi dessa maneira, acabo segurando o coelho que é jogado em mim e entro no meu quarto pela porta de conexão o mais rápido possível. Respiro fundo e me jogo pensando no strip privado que tive, algo que antes era só possível nos meus pensamentos.

 

     Agora sim não conseguiria dormir sem me aliviar por ela. Aquilo realmente mexeu comigo. Baixo as calças e começo a tortura lentamente, imaginando tudo aquilo que vi e senti há minutos atrás.

 

Depois de ter finalizado, o que não demorou muito devido ao estado elevado dele, decido me limpar e depois ir dormir. Ficando só de cueca, percebo o coelho do outro lado da cama ao me deitar, puxo-o mais perto pensando em devolvê-lo na manha seguinte.

 

Algumas horas mais tarde, ainda sonolento, sinto alguém no quarto, muito próximo de mim. Alarmado e atento vejo uma pequena mão perto de mim, seguro o que suponho ser o pulso e fico em cima da pessoa sobre a cama. Ao notar a maciez e fragilidade percebo ser de uma mulher... e vejo que o pulso que seguro é de Rukia.

 

Por que me trata assim?/Por que me trata assim?

Quando você age desse jeito/Parece que sua mãe nunca te ensinou a amar

 

 “O que faz aqui Rukia e a essa hora da noite?”

 

Pergunto ainda sobre ela.

 

“Chappy, não consigo dormir sem ele, e só agora percebi que ele estava com você sensei”.

 

Diz ela extremamente corada, desviando o olhar do meu corpo e olhando em meus olhos. Decido brincar um pouco, afinal tomei um grande susto.

 

“Você sabe que entrar no quarto de um homem a essa hora da noite é muito perigoso não, senhorita Ukitake?”

 

Sussurro em seu ouvido fazendo a se arrepiar.

 

“D-desculpe!! Só vim aqui por causa do Chappy”

 

Ela virou o rosto ficando ainda mais vermelha, se é que era possível. Parecia uma coelhinha inocente e assustada, sendo pega por um lobo mal.

 

“ Mas foi uma menina muito má... Acho que vou ter que puni-la...”

 

Segurei suas mãos em cima da sua cabeça e percebi que a mesma estava sem sutiã, e com a camisolinha extremamente sexy de antes.

 

“está tentando me seduzir coelhinha?”

 

“B-Byakuya sensei!! C-claro que não!”

 

Comentou com os olhos arregalados. Percebi que seus mamilos ficaram levemente enrijecidos. O que fez meu amiguinho despertar.

 

“ Não é o que parece, acho que esses seus peitinhos adorariam ser punidos por mim, que garota má você é Rukia... Está me deixando louco sabia?”

 

Falei chegando mais perto de seu rosto seus olhos me atraiam demais, eram como duas pedras preciosas.

 

“Me desculpe Rukia..”

 

E então a beijei. Como nunca havia beijado outra mulher na vida. E foi maravilhoso. Sua boca possuía gosto de baunilha, doce e envolvente. Ela tentou se desviar, mas logo acabou se entregando. Chupei sua língua com lascívia e soltei suas mãos, que começaram a acariciar minhas costas. Segurei sua cabeça e aprofundei o beijo, desejando nunca mais sair desse sonho impróprio e proibido.

 

Comecei a descer meus beijos lentamente por seu pescoço, enquanto minhas mãos passeavam pelo seu corpo sensual.  

 

“ S-Sensei!!”

 

Gemia ela, extremamente sexy entregue ao prazer dos beijos e lambidas pelo pescoço. Era extremamente errado sentir prazer ao ouvi-la gemendo sensei, sensei... mas tão bom.

 

“ Foi você quem pediu Rukia. Vindo ao meu quarto com essa camisolinha transparente... sem sutiã... com esse perfume...tão viciante”

 

Digo apertando seus mamilos sobre a ponta de meus dedos. Deixando a ofegante e com os olhos nublados de prazer.

 

“Ah...Sensei e sua namorada? E o meu namorado?”

 

Rasguei parte da sua camisola ao ouvir mencioná-los, deixando-a surpresa.

 

“Fodam-se eles, eu sempre quis você Rukia, desde o momento em que te vi pela primeira vez. Me apaixonei por você...”

 

Ela me encarou e lágrimas surgiram de seus olhos.

 

“É verdade isso?”

 

Cheguei mais perto de seus lábios não deixando de encará-la...

 

“a mais pura verdade...”

 

Ela sorri, um sorriso verdadeiro.

 

“Eu também te amo Byakuya!”

 

E surpreso e cheio de felicidade a agarro com força... sentindo suas pernas se enlaçarem em minha cintura me provocando.

 

“ Se me ama, então me beije Rukia.”

 

Então, deixa que eu te ensino


Dê um passo à frente, então nós voltamos dois/Você sabe, eu tenho que tentar te acompanhar

Esse jogo que jogamos me faz querer quebrar as regras/Não posso te deixar escapar, não não

 

            Ela me puxa pelos cabelos e me beija de maneira fogosa, me deixando completamente louco. Nossas línguas brigam por espaço se enrolando e desenrolando. Termino de rasgar sua camisola e começo a descer os beijos novamente.

 

            “O que você quer que eu faça agora Rukia?”

 

            Pergunto a encarando sensualmente.

 

            “Q-Quero que me chupe....”

 

            Diz ela louca de vergonha

 

            “Aonde você quer que eu te chupe coelhinha? Tem que ser mais especifica.”

 

            Ela pega minha mão e o leva o seu mamilo rosado, bem durinho como eu gosto.

 

“Aqui sensei, quero que me chupe aqui”

 

E sem pestanejar, comecei a mamar em seu peito, minha outra mão apertando com força o outro mamilo rijo. Meu pau estava cada vez mais duro, louco para possui-la. Rukia gemia baixinho louca de vergonha. Depois de deixar seu peito bem cuidado, fui para o outro fazendo a puxar meus cabelos com força.

 

Comecei a passar a mão em sua bucetinha, acariciando levemente por cima da calcinha. Apertei levemente, vendo a gemer.

 

“S-Sensei! Ai n-não!”

 

Vejo a protestar

 

“ Mas é ela quem está me chamando...Veja como ela está molhada Rukia...”

 

Puxo um pouco calcinha dela para o lado, e esfrego meu dedo em seu melzinho. Rukia rola para o lado ficando com a bunda para cima, e assim percebo sua calcinha.

 

“Rukia... Que safada você, usando calcinhas fio dental... que delicia.”

 

E dou uma puxada para cima fazendo-a se contorcer dengosa na casa. Logo consumido pelo desejo, rasgo-a também. Desço ao chão e coloco meu rosto entre suas pernas puxando sua intimidade para mim... Chupo-a com vontade, fazendo a morder os lençóis, tomada pelo prazer.

 

“Alguém já a possui Rukia?”

 

Ela estava ofegante e corada... sem respostas.. dou um tapa em sua bunda, deixando uma leve marca avermelhada.

 

“Rukia...”

 

Desço minha mão em sua outra nadega com um pouco mais de força arrancando um gemido carente da mesma...

 

“Não, Byakuya-sama..”

 

Fala corada.

 

Dou mais um tapa fazendo a gemer gostoso. Retiro minha cueca e vejo a corar, pergunto se ela quer brincar um pouco com ele e ela vem engatinhando. Curiosa ela o segura movimentando-o lentamente.

 

“Como faz?”

 

Perguntou ela

 

“Ponhe o na boca e chupe-o como um picóle Rukia... Um dos melhores que você já comeu em toda a sua vida”

 

E é exatamente o que ela faz, sua carinha vermelha e sexy me chupando me deixou louco e quando estou prestes a gozar retiro-o de perto dela, ouvindo-a protestar.

 

Deito-a de costas e começo a esfregar meu pau em sua bunda fazendo a gemer novamente. Levemente enfio a cabecinha na entradinha de Rukia me fazendo quase gozar com o ato. Viro-a de frente para mim

 

“Rukia... Vai doer só um pouquinho... mas prometo que depois se sentirá muito bem... você confia em mim meu amor?”

 

Pergunto receoso

 

“Sim, Bya-kun eu confio em você... Por favor me faça sua!”

 

Ela sorri e abre os braços. Seguro-a com gentileza e começo a entrar aos poucos, lágrimas caem de seus olhos, fazendo meu coração se partir, tento me afastar, mas a mesma me segura com as coxas.

 

“Rukia? Estou te machucando não? Me desculpe meu amor, me desculpe..”

 

Abraço-a e vou metendo aos poucos, sentindo meu pau latejar de tão gostoso, quentinho e apertadinho é dentro de Rukia, minha mulher. Passando-se alguns minutos ela começa a se movimentar sedutoramente.

 

“Me faça sua Byakuya!”

 

Não me aguento mais e acabo a penetrando com força sobre os lençóis agora em tons escarlate, arrancando gemidos altos de ambos. Dou chupões em seu pescoço afim de marca-la como minha e abafar meus gemidos de prazer.

 

“Rukia, eu não aguento mais... Posso gozar?”

 

Ela sorriu divertida, estava linda mesmo suada.

 

“Pode, mas com uma condição...”

 

“Qual meu amor, faço qualquer coisa...”

 

“Tem que ser dentro dela... ela quer tanto seu leitinho Byakuya...”

 

Gemeu dengosa no meu ouvido, como resistir. Aumentei as estocadas levando nos a loucura. E assim, gozei como nunca antes dentro dela, e com toda certeza era bem melhor do que em pensamentos...

 

“Ahn Bya-kun... ela está toda melada agora...”

 

Disse rindo e tocando ali em baixo vendo escorrer entre as pernas. Aquilo só deixou meu amigo excitado de novo, e durante a noite, Rukia experimentou quase todos os tipos existentes de posições quentes.

 

Na manhã seguinte...

 

“Foi real? Byakuya sensei?”

 

Vi-a acordando nua, coberta por um lençol que eu tinha trocado enquanto a mesma descansava da maratona de ontem.

 

“Foi meu amor... E não sabe o quanto estou feliz..”

 

Digo acariciando seu rosto e dando um leve beijo em sua testa.

 

“Mas e Kuukaku e Kaien...?”

 

Perguntou receosa

 

“É só terminarmos oras. Eu quero passar o resto da minha com você Rukia. Eu te amo, e não é aquele metido que vai te roubar de mim.”

 

Digo a aninhando-a em meu peito também nu.

 

“Também te amo, e quero passar o resto dos meus dias com você também!”

 

Falou subindo em meu colo... e rebolando levemente.

 

“Assim vai acordar outra pessoa também... É isso que você quer né?”

 

Falo sorrindo já segurando firme em sua cintura... A mesma sorriu sapeca e continuou a provocar. É, pelo visto seria uma longa manha e pelo visto teríamos uma longa semana para estudar juntos.

 

 

Why you do me wrong

Why you do me wrong

When you wear that dress

Oh, my heart just can't take it anymore


Notas Finais


Obrigada por lerem! Até a próxima o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...