História Teacher - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Colegial, Lolicon, Michelle Hatcoxx, Original, Teacher
Visualizações 46
Palavras 1.977
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oi GENTE! Tudo bem!
Eu sei que esse capítulo ta mega atrasado, mas recentemente eu tive que ajudar em muitas, MUITAS COISAS!
E eu estou tendo que fazer TUDO SOZINHA. To com uns projetos que eu ou falar em breve, mas esse projeto é meio trabalhoso, então ele também está consumindo um pouco meu tempo. Finalmente, eu consegui terminar o final de capítulo e trouxe um capítulo MUITO ENGRAÇADO! ESPERO DO FUNDO DO CORAÇÃO QUE VOCÊS GOSTEM!
MUITO OBRIGADA PELOS ÚLTIMOS REVIEWS RECEBIDOS MEUS AMORES. EU AMO VOCÊS E EU ACHO QUE NUNCA VOU PODER SER GRATA PELO FEEDBACK POSITIVO DE VOCÊS. Vocês são a motivação e a razão de eu estar aqui!
TAMBÉM MUITO OBRIGADA AOS RECENTES FAVORITOS! ESPERO QUE ACOMPANHEM E CURTAM A HISTÓRIA. NÃO ESQUEÇAM DE COMENTAR, SERIA ÓTIMO RS.
Amanha ja que o dia ta um pouco livre, eu prometo comentar a fanfic de alguns amigos que eu devo dar uma passadinha, e sim! Eu sei disso, eu não me esqueci de vocês! QUANDO EU COMENTAR VAI SER BÁRBARO!
Não esqueçam de deixar a opinião de vocês sobre a fic! Opiniões sinceras!
NOS VEMOS LA EM BAIXO, BOA LEITURA!

Capítulo 35 - Angels


" Angels descending, bring from above 
Echoes of mercy, whispers of love. 

When our hearts listen angels sing  
I never knew the feeling her love would bring
." 

Um barulho me assusta e cerro meus olhos com força. Ao abrir meus olhos vejo Arthur parado em frente a cama: Segurando o celular, como se estivesse acabado de tirar uma foto.  

-Desculpa, eu só queria tirar uma foto. Ficou linda, olha! -  Arthur me mostra a imagem no celular - Estou nua, coberta pelo edredom e dormindo de bruços. 

-Ficou bonita. 

-Vai ser meu papel de parede. E ai, dormiu bem? 

-Muito... Graças a você. 

-Queria ter ficado mais na cama com você - Ele lamenta e acaricia meu couro cabeludo - Mas... To com a panela no fogo! Se você quiser tomar um banho antes de almoçar...  

-Depois –Resmungo ainda preguiçosa, rolando pela cama. 

-Suas roupas estão na parte direita do guarda roupa. - Meu professor diz e vai para a cozinha. 

Me sento na cama e olho ao redor do quarto ainda preguiçosa. Eu não me lembro muito do que aconteceu, mas a umidade dos lençóis não nega. Me levanto enrolada pelo edredom e pego minhas roupas que estão penduradas ao lado direito. Meu velho jeans, minha camiseta branca e a sapatilha preta com lacinho vermelho. Coloco as roupas em cima da cama e atravesso a casa, coberta pelo edredom enquanto Arthur cozinha. 

No banho, fico pensando na comida que ele está cozinhando. O cheiro é de carne assada, que faz meu estomago roncar. Enquanto esfrego meu couro cabeludo, a lembrança do momento sozinha com Rafael no pátio me assombra. E se ele tivesse tentado alguma coisa comigo? Ainda devo esconder do Arthur? 

Depois de seca, me sento e tento colocar a calça. E pro meu desespero, ela não sobe nas minhas coxas. Tento uma, duas, três vezes, deito no chão, mas ela não sobe. Arthur aparece na porta e me encara de braços cruzados. 

-O que você tá fazendo Julie? 

-A calça... Não serve mais. 

-Ué, e porque tá se matando? Porque não pega um vestido então? Não demora, o almoço tá na mesa. 

O vestido desta vez cai bem no meu corpo e termino de me arrumar. Depois de espirrar algumas gotas de perfume no pescoço e no colo, atravesso a sala e Arthur está colocando sua comida. 

-Vestidos marcam mais o seu quadril, e a sua bunda fica consideravelmente maior. 

-Eu sabia que era carne assada!  - Respondo me servindo. 

-Eu também fiz um molho de mostarda, se você quiser... 

-Eu não entendo. Eu comprei aquela calça há três meses atrás! Será que eu engordei tanto assim? - Indago e me sento. 

-Eu coloquei a roupa pra lavar esses dias! As minhas e as suas! Talvez elas encolheram... 

-Você acha que eu engordei? 

-Santo Cristo... Eu não to dizendo que você tá gorda gorda, mas você tá em fase de crescimento!  É normal perder as roupas! É normal a gente sofrer do efeito sanfona... É normal você ganhar um peso a mais porque você toma anti-concepcional, e isso engorda! 

-Tem razão... De qualquer jeito, é melhor eu fechar a boca por um tempo. 

-Isso não se inclui a mim né? 

-Besta! A sua comida tá ótima! Tá melhorando! 

-Eu espero aprender algumas coisas com você. O professor também aprende com os alunos. Seria interessante fazer isso com você... 

-É melhor você comer. 

Depois de comer,  Arthur lava os pratos enquanto escovo os dentes. Enquanto penteio o cabelo, o escuto cantarolar na cozinha. Como é bom ver ele feliz assim. Com todos os seus momentos de loucura que eu também tenho, eu ainda sinto o frio na barriga e o 'perigo' de ter um 'relacionamento' escondido. 

-Tudo pronto Julie? 

-Sim, ah... - Digo guardando a escova - Pra onde a gente vai? 

-É uma surpresa. Não quero que fique assustada, mas vai ser divertido! 

Já à caminho do 'lugar desconhecido', a mão direita de Arthur descansa em cima da minha perna e eu distribuo carinho pelas mãos dele. Estamos em algum lugar perto da 'cidade grande', os prédios são maiores do que o normal, e há muita gente atravessando a rua no horário de almoço. Os raios do sol estão perdendo força e dando lugar a nuvens  grandes. A melodia de Healed do Tom More me deixa relaxada, e deito no banco. 

-É muito longe? Quer dizer, você tá dirigindo há trinta minutos... 

-Estamos quase lá, é na próxima direita.  

-O que você vai fazer comigo? 

-Haha! Você vai me agradecer.  

Poucos minutos depois, Arthur estaciona o carro em frente a uma loja pequena, mas que tem um letreiro rosa-piscante "Sex Shop". 

-Você me trouxe num Sex Shop, Arthur? - Indago espantada. 

-Você não gostou? - Ele questiona com o olhar desapontado. 

-Eu? Num Sex Shop! 

-Não precisa ter medo! É uma loja onde pessoas ou casais vão comprar coisas pra melhorar a relação! Eu pensava que você queria! Por ser algo novo! 

-Eu tenho 16 anos. Eu tenho 16 anos pra entrar num Sex Shop, Arthur! 

-Julie! Para com isso! Ninguém pede a sua identidade num Sex Shop! Mas se você quiser ir embora eu entendo!  

-Você dirigiu, gastou gasolina, gastou dinheiro! Só por isso que eu vou entrar nesse... Nesse lugar ai! 

A loja é discreta, com as paredes em pintadas de rosa e o piso preto. Perto da porta há uma prateleira com várias coisas organizadas, umas maiores, outras menores, e alguns ursinhos de pelúcia. Por sorte, o lugar está vazio, apenas eu, Arthur e a vendedora atrás do balcão.  

-Oi! Boa tarde! 

-Boa tarde – Arthur responde. 

-Procuram por algum produto específico? 

 -Óleos de esquentar ou esfriar. 

-Óleos? - Questiono abismada. 

-Eu vou ver no estoque! - A vendedora sai detrás do balcão e entra por uma porta na direita do bebedouro que fica perto do balcão. Ela volta com duas embalagens pequenas nas mãos e dá para Arthur, apoiado no balcão. 

-Isso! Exatamente dessa marca! 

-Ultimamente óleos assim estão vendendo bastante! As pessoas querem queimar por dentro, literalmente! 

-Curioso né? E quanto a lubrificantes? 

-Com ou sem sabor? 

-O que?!  

-Sem sabor! Julie vem aqui! Você não pode agir como se isso fosse estranho. Isso foi feito pra dar prazer as pessoas! Você não é a única que vem aqui pela primeira vez!  

A vendedora volta com um creme menor dessa vez e Arthur pede pra ver a sessão dos vibradores.  Os formatos e os tamanhos são de todos os tipos que se possa imaginar. 

-O que é isso aqui? Essa parte em cima? 

-Esses vibradores estimulam tanto a vagina quanto ao clitóris ao mesmo tempo! E esses daqui maiores estimulam só o clitóris! Mas esse maior, comparado os outros menores que servem só pra estimular o clitóris, é mais potente. Tem oito velocidades! 

-Oito velocidades?  

-Garota isso faz um estrago massivo! 

-Qual você quer?  

-Vamos testar, esse estrago massivo, e esse aqui! -Coloco os produtos na cestinha.  

-Mais alguma coisa? 

-Eu deveria ter feito uma lista, mas eu queria velas comestíveis, fitas de pulso e uma venda. 

-Ah não pera ai.... Velas dói! 

-Não dói, são pequenas! Mas você aguenta. 

-Arthur... 

-Acredita em mim! Eu não faria nada pra te machucar. Certo? Ah obrigado! Viu? Velas são pequenas, e olha! De chocolate, você vai gostar! 

-Mais alguma coisa? Preservativos especiais?  

-Só isso mesmo. - Arthur justifica, apesar de estarmos com duas cestinhas cheias. 

A vendedora registra os produtos enquanto sorri. Ela deve estar caçoando de mim. Ela deve ter uns 37 anos no máximo, tem o cabelo louro cacheado na altura do pescoço, e sua testa é marcada por algumas rugas da idade que está perto de vir. 

-São 298,90. 

-O que? 

-Eu vim pra gastar. Vocês aceitam cartão? 

Chegamos em casa antes da chuva começar. Abro a porta e Arthur entra com as sacolas dos brinquedos, e a coloca em cima da mesa. O relógio de parede marca 15:11. Coloco as chaves numa mesinha próximo a porta e noto: A agenda bege que Arthur costuma rabiscar as vezes. 

-Eu esqueci de pagar o boleto da faculdade. Inferno! - Arthur resmunga e deita no sofá. 

-O que é isso? - Indago com a agenda e ele pula do sofá assustado. 

-Me dá isso! 

-O que é isso? Agenda com numero de outras mulheres? - Brinco escondendo o objeto. 

-Não é uma agenda Julie! É meu diário! Me da isso! 

-Um diário! Deixa eu ler? 

-Não! Julie! Me da isso aqui! - Ele se esquiva e finalmente consegue pegar o diário de mim – Isso não é brincadeira. 

-Ai tá! Desculpa! Eu não ia ler! Eu só tava brincando! Mas... Qual seria o problema se eu lesse? Eu também escrevo um diário! E eu acho que nós não somos muito diferentes... Diários são feitos de besteiras. 

-Isso não é besteira! A minha psiquiatra que me deu, e ela me mandou escrever pelo menos uma página por dia. Isso também ajuda a aliviar o estresse e a ansiedade! 

Arthur vai para o quarto e esconde o tal diário. O sigo e aproveito para tirar  os brinquedos da sacola, e eles caem na cama.  

-Onde vai guardar eles? 

-Nessa gaveta do meio! Ela tem chave: Uma fica com você e outra comigo – Meu professor diz e vira as costas – Você viu aquele boleto que tava em cima do microondas? 

-Não! - Grito de longe. 

-Ah! Aqui! - Ele diz e volta para o quarto – Eu vou ter que ir lá pagar o boleto da faculdade... 

-A gente acabou de sair!  

-Eu esqueci... E o pior é que já tá cinco dias atrasado! Mas fica tranquila, hoje não vou pra faculdade. 

-Arthur, eu não quero você pegando DP na faculdade por minha causa. 

-Fica tranquila! Eu conversei com meu amigo, ele disse que não vai ter nada hoje. E eu não to a fim de dormir sozinho hoje – Ele diz e me beija na testa – Não se empolgue com os brinquedos! Quero usar eles na viagem pra Castelhanos! Volto num pulo! 

E ele fecha a porta e se vai. Volto a mexer com os brinquedos, rindo como se não fizesse parte desse mundo tão sexual e adulto. Ao abrir a gaveta, a minha gilete de depilação desliza pela madeira. Ela ainda não foi usada, e eu a olho sorridente.  

-Hora de uma surpresa... 

Arthur sai pelo portão do condomínio e vê Samantha com muitas apostilas nos braços. 

-Samantha! - Arthur diz e entra no carro. 

-Professor Arthur! Boa tarde! - A aluna balança a cabeça. 

Inesperadamente, um garoto atrás de Samantha derruba suas apostilas e a encurrala. 

-Uou! Parece que a CDF tá  fraca! Tá se alimentando bem? 

-Porque você fez isso? - A garota pega as apostilas 

-E o que você vai fazer? Vai chamar seu irmãozinho viadinho? 

-Ei! - Melissa corre até os dois - Deixa a menina em paz Mike! 

-Sabia que eu tenho uma coisa muito melhor pra esfregar na sua cara do que essas apostilas? Minhas bolas... 

-Oh seu cuzão de merda! Porque você não se mete com gente do seu tamanho?  

-E porque você não sai da minha frente? A gente não tá mais junto! 

-Você quer apanhar e passar vergonha no meio da rua? Acha mesmo que eu tenho medo de um cuzão de pau torto? Hein Michael? 

-Que pena que você agora quer bucetas... - Mike diz segurando os labios de Melissa - Sua boca vai sentir saudade do meu pau...  

Melissa cospe no olho de Michael e ele se afasta. 

-Você cuspiu na minha cara! 

-Uma buceta é mil vezes melhor do que o seu pau torto. E alias, eu tô te devolvendo! Na cara, lembra? 

-Isso não vai ficar assim! Ouviu? 

-Eu to louquinha pra cuspir em você de novo! Babaca... E ai, você tá legal? 

Samantha abraça Melissa desesperada e se põe a chorar. Arthur dá a partida no carro e segue seu caminho. 


Notas Finais


O PRÓXIMO CAPÍTULO VAI SER ÉPICO. UM DOS MELHORES CAPÍTULOS.
NÃO TO MENTINDO GENTE, MEU SONHO ERA POSTAR O CAPÍTULO 36, MAS EU ESTAVA ESPERANDO O MOMENTO CERTO. E ELE CHEGOU, EM BREVE: ESTEJAM PREPARADOS PARA MUITAS 'AVENTURAS'.
Espero que tenham gostado do fundo do meu <3

Músicas tocadas no capítulo :

Llyod - Angels : https://www.youtube.com/watch?v=8vopvpTzmDg (tocada no início do capítulo)
Tom More - Healed : https://www.youtube.com/watch?v=86AEMgQhBek


Muito obrigada a todos que leram! Espero que vocês tenham se divertido tanto quanto eu me diverti escrevendo! Não esqueçam de deixar o review pra fortalecer essa nossa relação maravilhosa de autora = leitores. Obrigada por lerem, e boa noite!
MAL POSSO ESPERAR PRA POSTAR O CAPÍTULO 36
BEIJOS E ABRAÇOS FORTES DA TIA QUE AMA VOCÊS, MICHELLE H. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...