História Teacher - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Demi Lovato, Miley Cyrus
Personagens Demi Lovato, Miley Cyrus
Tags Diley, Memi
Exibições 276
Palavras 3.841
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpem pela demora. Eu irei reescrever a fanfic, fazendo uma adaptação com história diferente, pois essa daqui não foi o que esperava pois eu não a planejei tanto antes de fazê-la.
Bom, como eu disse, vou terminá-la, para só então, modificar o que tem de ser modificado. Boa leitura.

Capítulo 26 - Capítulo 2.4


­­­­­­— Princesa, olha para mim ­­­— iniciei uma massagem em seu rosto com meu polegar. ­­­— Eu sou controlada, tudo bem? Não vou te decepcionar. Nunca, espero ­­­— dei um selinho demorado em seus lábios. ­­­— Então tira essa coisa da cabeça de que eu vou beber muito, okay? Só vou beber um pouco, para experimentar. Todos meus amigos sabem que eu sou viciada em refrigerante ­­­— murmurei em seus lábios e iniciei um beijo.

   Demetria colocou a mão em minha nuca, me grudando mais ainda nela. Ouvi um gemido seu durante o beijo, e quando nossas línguas se tocaram, senti uma falta de ar.

   Sempre tenho a mesma sensação quando a beijo. A sensação de que estou nas nuvens quando a beijo.

­­­— Eu confio em você. Agora eu tenho que falar com Lauren e Camila e agradecer de joelhos por elas cuidarem de Marie enquanto nós vamos para a festa ­­­— sorriu e me deu um selinho. ­­­— Meu Deus, meu batom!

   Demetria se soltou de mim rapidamente e se olhou no espelho. Eu gargalhei quando vi a forma exagerada que ela reagia à um simples batom borrado. Tempestade num copo de água. Típico de Demetria.

   Ela retocou a maquiagem enquanto eu observava tudo que ela fazia com cautela. Demetria trajava um vestido vermelho grudado no corpo, ressaltando suas curvas esplêndidas, junto a um salto alto ­­­— também ­­­— vermelho. Seu cabelo estava liso, típico. A diferença é que estava bagunçado propositalmente, dando um ar sexy à garota a minha frente. Ela veio em minha direção e entrelaçou nossas mãos uma nas outras, e nós fomos até meu quarto. Abri a porta, dando de cara com uma Camila de cara feia enquanto Lauren e Selly riam da cara dela.

   Se eu fosse Lauren, não ousaria rir da namorada.

­­­— Camila, Lauren, Selly ­­­— cumprimentou Demetria enquanto entrava no quarto, atrapalhando o clima "zoando Camila" que elas estavam. ­­­— Meninas, obrigada por ficar com ela por mim ­­­— agradeceu pegando Marie no colo. ­­­— Se comporte, hun? Beijo ­­­— deu um beijo na bochecha de Selly.

­­­— Tudo bem mama ­­­— Selly se agarrou em Demi.

­­­— Obrigada você, professora. Selena é uma garotinha amável, eu até adotaria, adoraria ter uma filha ­­­— disse Camila e Lauren engoliu a seco. ­­­— Tirando o fato dela rir da minha cara junto com a Lolo, ela é amável.

­­­— Isso não é verdade. Ela rir comigo só a faz mais amável ­­­— argumentou Lauren.

­­­— Depois vocês tem uma DR, tudo bem? Agora eu e Demetria vamos indo. Beijo Selly ­­­— beijei a bochecha dela. ­­­— Juízo ­­­— apontei para o casal Camren.

­­­— Não era para ser para ela? ­­­— perguntou Lauren apontando para Selly.

­­­— Não. Ela sabe ter juízo, vocês que não ­­­— mostrei a língua. ­­­— Vamos? ­­­— perguntei para Demetria.

   Nos despedimos de Camila e Demetria cruzou os braços na minha cintura. Passei meu braço por seu ombro e deu um beijo em sua nuca, trocando algumas carícias com ela enquanto descíamos até o pátio. Assim que chegamos, vimos o enorme lugar, com muitos alunos. O bom do pátio ser grande, é que davam muitas pessoas, e sobrava muito espaço. Vi a Barbie vir em nossa direção e me separar de Demetria abruptamente.

­­­— Miley, você não vai ficar de chiclete na Demetria hoje não, vai? ­­­— perguntou colocando os braços na cintura. ­­­— Olha que eu não sou obrigado.

­­­— Não, não vamos ficar de grude hoje não, Niall ­­­— disse Demetria antes que eu formulasse uma frase digna. ­­­— Eu vou passar a noite com Harry, Louis e Ariana. Divirtam-se crianças ­­­— sorriu e me deu um selinho.

­­­— Poxa princesa, não precisa disso, você sabe ­­­— abracei seu corpo. Realmente, não era porque eu iria beber que ela teria de se afastar.

­­­— Tudo bem, baby. Só vou curtir com meus amigos, só isso ­­­— me deu um selinho longo, que Niall afastou. ­­­— Tchau baby.

   Demetria foi andando e eu tive a visão ampla de sua bunda coberta pelo tecido fino do vestido. Céus, ela estava me excitando antes da hora. Niall arrastou-me até um canto com Ally, Normani, a professora Katy e Dinah. Tinham algumas garrafas de cerveja em cima da mesa e meu estômago revirou ao ver aquelas garrafas. Nunca fui fã de bebida. Pelo menos eu iria experimentar, mas não garanti que eu fosse embebedar. Sentei-me e cumprimentei as garotas, para não passar uma de mal educada.

­­­— Miley, cerveja. Cerveja, Miley. Agora se casem ­­­— disse Niall abrindo uma delas e dando na minha mão. ­­­— Você bebe normal, bebe direto ­­­— disse fazendo um gesto com as mãos. ­­­— Não é tão difícil.

­­­— Tudo bem Niall, não enche o saco, está bem? ­­­— bufei. ­­­— Vou beber um pouco disso. Só um pouco.

   Respirei fundo. Contei até três e coloquei a garrafa na minha boca, sentindo um líquido amargo descer pela minha garganta.

   Quase que eu cuspo isso na cara de Niall.

   Senti as bolhas na minha garganta, e esse era o único fator bom daquela bebida. Não havia sentido direito o gosto, então tomei mais um gole, sentindo um gosto semelhante a Guaraná misturado com Coca Cola. A diferença é que tinha um amargo no final.

­­­— Não gostei, não quero­­­ ­­­— fiz careta. ­­­— Quero refrigerante.

­­­— Miley, você é uma puritana mesmo. Toma seu refrigerante, eu sabia que você ia ficar de gracinha e não ia querer tomar a cerveja ­­­— estendeu uma garrafinha de Guaraná para mim. ­­­— Acho que você terá que fazer o papel de cuidadora essa noite ­­­— sorriu sapeca.

   Depois de mais de uma hora aguentando meus amigos se embebedando, eu tive que aguentar piadinhas sem graça.

­­­— Tinham dois patinhos no lago. Um patinho falou "quack" e o outro disse: eu ia falar isso ­­­— disse Normani quase morrendo de tanto rir.

   Qual foi a graça?

   A única coisa engraçada que eu vejo­­ é que eles riem de qualquer coisa. Eu começo a passar a mão no meu cabelo e eles riem. Bastava você se mover e eles iriam rir. Céus, eu não sirvo para festas, definitivamente. Niall me abraçou e se acomodou em meu pescoço igual um gato se acomoda nos pés do dono.

   Nota de hoje: bêbados parecem bebês.

­­­— Eu vou rodar a festa, tudo bem? ­­­— avisei levantando-me da rodinha.

­­­— Sabem quem eu vi pela festa? ­­­— perguntou Dinah. ­­­— Eu acho que eu vi o Elvis Presley ­­­— começou a gargalhar.

   Saí daquela roda de loucos e encontrei Harry sozinho em um canto. Sua feição era um pouco... Preocupada. Ele balançava as mãos em ritmo acelerado, enquanto mordia os lábios de forma nervosa. Aquilo estava me dando ansiedade. Quando vejo pessoas ansiosas, me dá súbita vontade de fazer igual.

­­­— Harry, o que houve? Para de se mover como se fosse uma britadeira ­­­— ri e coloquei a mão em seu ombro. ­­­— Cadê Demi?

­­­— Sabe o que é Miley? ­­­— perguntou nervoso. ­­­— Deixa. Quer dançar comigo? ­­­— sorriu amarelo. ­­­— Essa é minha música favorita, vem!

   Ele nem me deu chance de falar. Apenas me puxou para a pista de dança enquanto tocava Flawless da Beyoncé. Essa bixa era prendada mesmo, sabia a coreografia direitinho. Eu e ele estávamos dançando conforme o ritmo, ele quase caía uma vez ou outra, até que eu esbarro em um corpo.

­­­— Louis! ­­­— puxei sua mão. ­­­— Vai dançar com seu namorado porque ele está louquinho ­­­— falei jogando ele em cima de Harry. ­­­— Acho que eu vou subir ­­­— falei fazendo menção de ir embora.

   Louis mordeu os lábios e lançou um olhar conivente à Harry. Harry balançou a cabeça e bufou, para em seguida abrir um sorriso forçado.

­­­— Não Miley, você vai dançar comigo. Pelo menos até que toque Partition! ­­­— Harry puxou meus braços.

POV Demetria

Minutos atrás...

­­­— Harry ­­­— chamei-o. Harry estava tomando um refrigerante sentado numa cadeira perto da grade. O mesmo me olhou e abriu um sorriso.

   Talvez por ele saber que eu não viria. Só vim por Miley, porém a deixei com seus amigos. Só de pensar no que ela podia fazer, me deu um aperto no coração...

­­­— Demi, que bom que veio ­­­— me abraçou. ­­­—­­­ Quer? ­­­— estendeu o refrigerante­­­.

­­­— Não, obrigada ­­­— bufei quando vi que Miley estava bebendo, já estava se matando.

   Meu sangue subiu. Céus, eu queria muito aquela bebida da mão dela.

   Comecei a beber junto a Harry. Porém, enquanto ele bebia refrigerante, eu bebia cerveja. Bebi por Patrick. Bebi por saber que quando o passeio acabasse, eu teria que voltar ao mundo real e deixar Marie ir. Bebi por Miley, não queria que ela bebesse. É tão complicado. Eu bebi por saber que Miley poderia ficar com alguém da festa a qualquer momento por culpa da inconsciência que a bebida causa. Bebi porque eu não bebia a muito tempo. Eu estava com sede de bebida. Tal sede que eu não tinha há anos. Era tão bom sentir o líquido gasoso descendo pela minha garganta, me lembrava muitas coisas, estava matando minha saudade.

­­­— Demetria, pare de tomar isso ­­­— pediu tirando a garrafa da minha mão. ­­­— Isso já estragou sua vida uma vez, não vai querer que estrague outra, vai? ­­­— perguntou arqueando as sobrancelhas.

­­­— Harry, eu vou para a pista ­­­— avisei bufando com o moreno tagarelando no meu ouvido. Peguei o copo de sua mão e mandei um beijo no ar à ele. ­­­— Eu quero me divertir.

­­­— Demetria, acho melhor você ficar aqui comigo, você já está bem... Bem bêbada. Sem contar que você já não é mais nenhuma adolescente. Eu não vou te impedir de nada, apenas pense nos que estão a sua volta.

­­­— Deixa de ser chato ­­­— revirei meus olhos. ­­­— Parece até meu pai ­­­— ri em desgosto. ­­

­­­— Você está me comparando a Patrick? ­­­— perguntou Harry, de boca aberta. ­­­— Demi, depois dessa eu juro que não vou mais te ajudar. Muito obrigado pela consideração ­­­— balançou a cabeça negativamente. ­­­— Se eu sou mesmo igual seu pai, devo deixar você ferir Miley. Vai que ela entende que você é uma vadia e te deixa? ­­­— disse com o rosto vermelho em raiva.

   Mandei o dedo do meio à Harry e me afastei. Comecei a dançar sozinha no meio da pista, Harry até tentou me impedir, mas estava tocando minha música favorita do momento. A culpa é da Britney.

­­­— Ei ­­­— disse um ser humano que acabara de esbarrar em mim. ­­­— Desculpa Demi, eu não te vi ­­­— reconheci a pessoa. Nina.

   Nossa, ela estava muito gostosa. Usando um shorts curto e um cropped, deixando sua barriga e coxas à mostra. Não sei o que houve, mas eu tive uma vontade imensa de agarrar ela. E foi o que eu fiz. Comecei a beijar ela, sendo retribuída pela mesma. Seus lábios eram diferentes dos de... Esqueci o nome, mas eu lembrei de alguém. Sua língua entrou em minha boca e eu segurei sua cintura com uma mão, já que a outra estava ocupada com a 6° garrafinha de cerveja da noite. Apertei a bunda dela e tive que ficar nas pontas dos pés, ela era muito alta.

­­­— O que acha de irmos para o quarto agora, hun? ­­­— perguntei sugestiva, passando minha língua pelo seu maxilar, descendo ao seu pescoço, dando uma mordida no mesmo. ­­­— Quero gozar ­­­— minha voz saiu como um gemido. Céus, eu estava tão molhada e excitada no momento. Acho que a bebida tinha feito um mega efeito em mim.

   Tomei toda a garrafinha de cerveja e puxei Nina pelo braço, nem escutando o que ela estava dizendo. Eu já estava entorpecida pelo efeito da bebida. Meu coração batia em forma acelerada, assim como as músicas que tocavam. Meus ouvidos pareciam estar lacrados, só ouvia as batidas do meu coração. Joguei a latinha em uma lixeira aleatória enquanto eu e Nina subíamos até meu quarto. Entramos no quarto e eu a prensei na porta, beijando seus lábios de forma veroz. Desci os beijos aos seu pescoço e comecei a dar lambidas, voltando ao seus lábios. Ela segurou minha cintura e inverteu as posições, colocando suas mãos nas minhas coxas e me impulsionando para ficar em seu colo. Nina era forte, tão forte que me machucou quando me prensou contra a porta com força.

   Coloquei minhas mãos em seu pescoço e subi, puxando seus cabelos, ouvindo-a gemer. Ela me jogou na minha cama e tirou sua blusa, sendo acompanhada por mim, fazendo o mesmo, só que com meu vestido. Fiquei apenas de lingerie, enquanto ela usava um sutiã e continuava com seus shorts colado. Nina passou a me beijar, mordendo meus lábios e descendo os beijos ao meu colo, barriga, e quando ela iria chegar lá, a porta do quarto foi aberta e eu tive a visão de uma morena. Eu acho que eu conheço ela de algum lugar.

­­­— De... D-demi? ­­­

   Eu não conseguia falar nada. Quem era aquela garota? Minha visão estava embaçada por conta da claridade que se instalou quando a luz foi acesa. Nina saiu depressa de cima de mim e eu me sentei na cama, coçando os olhos. Quando eu estava prestes a ver a pessoa, a minha visão ficou turva e eu apaguei.

(...)

   Acordei com Marie do meu lado. Minha cabeça estava doendo a nivel extremo. Sem nem ter como raciocinar como eu fui parar ali ­­­— já que eu apenas me lembrava de ter ido à festa com Miley ­­­—, levantei-me e fui em direção ao banheiro. Quando eu entrei, senti uma pontada na barriga e automaticamente me ajoelhei perto de sanitário e coloquei tudo para fora, sentindo uma mão no meu cabelo. Não me preocupei em olhar para a pessoa, eu sabia que era Miley. Seu toque é inesquecível. Quando terminei de colocar tudo para fora, ela me ajudou a levantar e pude perceber seus olhos vermelhos e inchados. Dei descarga e abaixei a tampa, me virando para ela.

   Será que ela chorou? Ou ela bebeu muito? Prefiro nem pensar na possibilidade dela ter ingerido drogas ilícitas.

   Escovei meus dentes e senti uma pontada na cabeça, indicando uma dor terrível. Ressaca. Teria eu bebido na noite anterior?

­­­— Bom dia baby ­­­— fui abraçá-la, porém ela se esquivou. ­­­— O que foi? Não vai me abraçar? ­­­— fiz biquinho.

­­­— É melhor eu não te abraçar mesmo. Só vim aqui para te chamar pra tomar café da manhã, e quando cheguei, vi você aqui passando mal. Já era o de se esperar ­­­— riu sem humor. ­­­— Trouxe remédio para você. Talvez você se lembre da noite anterior. Agora, tchau Demetria ­­­— seus olhos estavam tristes.

   Ela me deu uma caixinha com comprimidos e suspirou quando eu segurei forte seu pulso, a puxando para mim. Ela desceu o olhar para meus lábios e eu sorri cínica, dando um beijo em seus lábios, porém não durou muito, já que Miley nos separou, limpou a boca e saiu do banheiro batendo os pés.

   Droga. Eu bebi na noite anterior. Certeza absoluta. Sintomas de ressaca, Miley chateada, eu acordando de... Não, se bem que eu acordei de pijamas. Espero que eu não tenha feito uma merda muito grande. Não a ponto de Miley estar bolada comigo. Saí do banheiro e peguei uma garrafinha de água no frigobar do quarto, tomando os remédios que Miley trouxera. Senti o amargo dos comprimidos em minha boca e fiz uma careta. Aquele gosto pareceu aumentar minha dor de cabeça.

(...)

   Depois de ter tomado banho, me arrumado com um vestido preto colado no corpo, saltos altos e minha bolsa, eu estava amarrando os cadarços de Marie enquanto ela ajeitava seu boné na melhor posição em sua cabeça.

   Sinceramente, desisto de entender essa paixão louca por bonés.

   Peguei-a no colo, e saímos do quarto, descendo as escadas em direção ao refeitório. Ele já estava cheio, e quando eu entrei, o falatório simplesmente quase me matou. Pareciam metralhar palavras na minha cabeça. Argh, droga! Me aproximei o mais rápido possível dos meus amigos e sentei-me com Marie no meu colo.

­­­— Bom dia ­­­— sorri para Harry, que me olhava com cara feia. ­­­— Cara feia pra mim é fome.

   Ele revirou os olhos e saiu da mesa, junto a Louis, Niall, as harmonias e Miley levantou seu corpo, porém sentou-se novamente. Por que demônios eles saíram da mesa quando eu cheguei? E por que eu e Miley recebíamos olhares?

­­­— Baby, por que... ­­­— hesitei em falar, Miley me olhou com os olhos... Decepcionados? ­­­— Por que eles estão com essa cara? Por que Harry me olhou daquele jeito?

­­­— Depois eu te explico, só... Não fala nada agora, tudo bem? Fica quieta porque eu não quero ouvir o som da sua voz ­­­— disse em tom baixo. ­­­— Bom dia meu amor ­­­— falou com Selly e a pegou do meu colo.

­­­— Bom dia Miles ­­­— Marie disse e abraçou Miley e elas engataram em uma conversa que eu não estava prestando atenção.

   Tudo bem. Miley está bolada comigo. Na verdade, meus amigos estão bolados comigo e me olhando de cara feia pela outra mesa. Eu já estava com muita dor de cabeça para pensar. Apoei meus cotovelos na mesa e fechei meus olhos, na tentativa de espantar essa dor, mas não ia embora. Droga.

­­­— Quer que eu pegue café para você, Demetria? ­­­— perguntou Miley sem olhar para mim.

­­­— Se você puder eu agradeço, baby.

­­­— Não... Não me chama de baby, tudo bem? Não agora ­­­— pediu e se levantou.

   Encolhi meus ombros e peguei Selly no colo. Olhei de canto de olho para Harry, e o mesmo estava balançando a cabeça negativamente para Miley, logo então, virando seu olhar para mim. Me encolhi mais ainda. Seu olhar era tão intimidador, porém era um olhar de... Pena? Talvez. Ele falou algo com Louis e bufou revirando os olhos e cruzando os braços. Vi Louis sorrir para mim e dar um beijo na bochecha de Harry, e então Harry levantou-se da cadeira, vindo em minha direção. Os demais sentados na mesa, evitavam ao máximo olhar para mim.

­­­— Demetria ­­­— Harry sentou-se de frente para mim e mordeu seus lábios. ­­­— Você já olhou seu celular hoje? ­­­— perguntou apreensivo.

­­­— Não, por que? ­­­— perguntei tirando meu celular da minha bolsa. ­­­— Donald Trump morreu? Se for isso eu vou comemorar ­­­— sorri de canto.

­­­— Não estou aqui para brincadeiras, Demetria ­­­— revirou os olhos.­­­ ­­­— Vai no nosso grupo, agora.

­­­— Ui, que mandão ­­­— retruquei sorrindo.

   Senti mais uma pontada na cabeça. Cadê Miley com a droga do meu café? Acho que vou morrer de dores.

Grupo das Panteronas.

Taylor: Meu Deus do céu. Olhem isso.

Taylor enviou mídia

Marissa: Demi protagonizando pornô. Meu Deus, prevejo muito aluno dela batendo punheta para esse vídeo ehuahauehshsha.

Harry: Menos Marissa. Não tem graça. A Demetria deve estar mal.

Roxanne: Vish, falou Demetria, já vi que estão brigados.

   Quando eu vi o vídeo, lá estava eu. O vídeo que o maldito que o Justin gravou. Esse era o menor de meus problemas, eu acho. Já sabia que uma hora ou outra, isso se espalharia.

­­­— Harry, isso já caiu na mídia? ­­­— perguntei calma.

­­­— Já. O pior é que Miley foi zoada, foi espalhado por toda escola, também. Não apareceu o rosto dela, mas vocês tinham uma relação ­­­— disse. ­­­— Agora se você já está informada, vou ir.

­­­— Espera! ­­­— pedi. ­­­— Tínhamos? Ainda não temos uma relação? ­­­— perguntei confusa. ­­­— Miley terminou comigo?

­­­— Terminar o que, Demetria? ­­­— bufou. ­­­— Tchau porque eu não quero papo com você ­­­— revirou os olhos e se levantou.

­­­— Não precisava gritar ­­­— falei baixinho enquanto o observava ir até sua mesa.

­­­— Mama, o tio Hazza não gritou ­­­— falou Selly.

­­­— Ah, desculpa filha, é que eu não estou em um bom dia ­­­— suspirei. ­­­— Estou com dor de cabeça. Mas me conte, como foi ficar com Lauren e Camila? Elas se comportaram? ­­­— sorri apertando sua bochecha.

­­­— Sim. Elas são fofas, mama. Miles parece triste, o que aconteceu?­­­ ­­­— perguntou colocando sua cabeça em meu pescoço.

­­­— É impressão sua, meu amor ­­­— beijei sua nuca.

   Miley chegou com uma bandeja de café da manhã, e se sentou ao meu lado, lançando um olhar cúmplice com Niall. Comecei tomando café, na esperança que a dor de cabeça passasse. Enquanto eu e Marie comíamos, Miley olhava pro nada. Ela estava começando a me assustar. Ela nunca ficara assim antes.

   O sinal tocou e então minha cabeça doeu mais ainda, droga.

­­­— Demi ­­­— ouvi uma voz fina. ­­­— Vim pegar Marie, já que você não apareceu lá na enfermaria antes ­­­— virei meu pescoço e vi Ariana.

­­­— Oh, desculpe Ari ­­­— levantei-me com Selly no colo. ­­­— Te vejo depois, meu amor ­­­— beijei sua testa e então Ariana a pegou.

­­­— Tchau mama, tchau Miles ­­­— disse Marie mandando um beijo para nós duas, e pude ver Miley sorrir pela primeira vez no dia.

  Seu sorriso é encantador.

­­­— Tchau Demi, tchau Miley ­­­— Ariana acenou.

­­­— Até ­­­— disse Miley.

   Elas se foram e ficamos nós duas em pé, olhando uma para a outra. O olhar de Miley estava distante, eu não conseguia me conectar com ela como antes. Niall se aproximou de nós duas, sem me olhar nos olhos, e falou algo no ouvido dela, eu não entendi nada, estava perdida olhando seus olhos azuis ­­­— agora, um tanto quanto tristes. Miley acenou com a cabeça e fez menção de se retirar, mas eu segurei em seu braço, impedindo-a.

­­­— Miley, o que aconteceu, hein? Você está assim porque eu bebi? ­­­O que houve? ­­­— coloquei a mão em seu rosto para ela me olhar direito. ­­­— Ou você está com nojo de mim? ­­­— senti uma pontada no coração ao perguntar isso.

­­­— Quer mesmo saber o que eu tenho, Demetria? ­­­— falou calma, tirando minhas mãos de seu rosto. ­­­— Não foi nada não, princesa ­­­— suspirou e balançou a cabeça. ­­­— É... É só saudade dos meus pais, só isso.

   Soltei o ar dos meus pulmões e abracei-a. E eu pensando que eu tinha feito besteira. Passei a mão em suas costas na esperança que ela se sinta melhor. Peguei seu queixo e fiquei na ponta dos pés para ficar na sua altura, dando um beijo em seus lábios macios. Ela hesitou um pouco, mas acabou cedendo ao beijo.

   Ainda sinto que algo está errado.

­


Notas Finais


Então... Vou passar uns meses no próximo capitulo, para sair dessa zona, para explorar mais, para consertar os erros dos caps antigos. A realidade é que eu perdi foco nessa fic, e vou tentar consertar tudo no próximo cap okay?
Obrigada por tudo, todos os coments, os favs, e...

COMENTEM ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...