História Teacher - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Min Hyuk, Show Nu
Tags Aluno, Colegial, Escola, Lee Minhyuk, Lemon, Minhyuk, Monsta X, Professor, Showhyuk, Shownu, Son Hyunwoo, Yaoi, Yoongizzz
Visualizações 1.622
Palavras 3.161
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Lemon, Yaoi
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá amores!
Leiam as notas finais (LEIAM MESMO), vou falar tudo lá.
Boa leitura.

Capítulo 1 - Único.


Fanfic / Fanfiction Teacher - Capítulo 1 - Único.

 

Hyunwoo tinha a vida perfeita. Era professor de matemática de uma das melhores escolas da cidade, bem sucedido, sem problemas com alunos e uma boa aparência que arrancava suspiros de muitas meninas durante suas aulas. Tudo era perfeito, até Lee Minhyuk aparecer em sua vida.

O garoto estava no terceiro ano do ensino médio, e Hyunwoo era professor dessa série em questão. Nunca negou que sentia mais atração por homens, mas não pensou que um garoto alguns anos mais novo que si lhe chamaria tanto a atenção. E ele nunca deixou de reparar durante todo o ano letivo que o mesmo lhe provocava até nos menores detalhes.

Minhyuk lhe lançava olhares, realizava atos com teor um tanto sexual para a mente do professor, como pro exemplo passar a caneta entre os lábios e vez ou outra seus dedos. Não deixava de reparar em como Minhyuk empinava sua bunda quando ia resolver um exercício na lousa, ou em suas coxas que ficavam quase totalmente expostas quando o mesmo ia com um shorts mais apertado. Mas tentava mandar para longe qualquer pensamento impuro com o menino, pelo menos na escola.

Mas em alguns momentos era impossível. Hora ou outra se pegava duro por pensar no menino, e o nome de seus gemidos enquanto se masturbava no banho era o do mesmo. Estava ficando louco e desejava Minhyuk como nunca. Toda vez que via o menino nos corredores da escola seu coração virava uma escola de samba, e não gostava nem um pouco como Minhyuk era grudado com um outro aluno, Chae Hyungwon.

As coisas começaram a piorar quando ficava depois da aula para resolver algumas coisas e o menino vez ou outra aparecia na sala dos professores, pois era ajudante do grêmio estudantil e tinha total direito de transitar por ali. E o loiro parecia pedir para ser fodido de todas as formas possíveis. Num dia aleatório, quando estava corrigindo as provas bimestrais, Minhyuk sentou-se na mesa junto a ele e puxou papo, e como não era rude, Hyunwoo se jogou na conversa. E fora ali que uma das maiores provocações aconteceu: Minhyuk sentou-se em seu colo e rebolou, beijando seu pescoço com vontade. E Hyunwoo não se conteve, quase fodeu o garoto ali, mas o mesmo fora mais esperto e saiu depois de deixar o professor excitado ao extremo.

E como se quisesse acabar com Hyunwoo, Minhyuk passou a ter dúvidas nas aulas de matemática, ficando um pouco depois da mesma para tirar cada uma com o professor. E provocava ainda mais. Ficava em posições tentadoras, colocava uma mão ou outra na coxa do professor e ameaçava subir a mesma, e aquilo estava acabando com a sanidade de Hyunwoo.

Numa sexta feira, Minhyuk disse que estava com dúvida em alguns exercícios e pediu para ficar depois da aula. Hyunwoo aceitou, anotando mentalmente que naquele dia, o loiro não se aproveitaria dele e que mostraria quem manda ali.

Minhyuk estava apoiado a mesa com o corpo quase deitado na mesma, tentando resolver o exercício depois da explicação de Hyunwoo. O professor estava em pé, observando o menino escrever os números como se já soubesse tudo e rebolar sugestivamente o quadril. O maior mordeu os lábios, aproximando-se do corpo de Minhyuk e se colando ao dele, fazendo questão de mostrar o quão duro estava.

– Não precisa fingir que não sabe as coisas Minhyuk... – ele sussurrou, debruçando-se sobre o loiro. – Sei o porque de estar aqui e quero tanto quanto você quer.

– Mas professor...

– Não se faça do anjinho... Isso só me deixa com mais vontade de te foder.

Minhyuk engoliu em seco e rebolou com mais intensidade contra o corpo do professor, sentindo o membro do mesmo encaixar-se certinho entre suas nádegas bem marcadas pelo shorts. As duas mãos do maior foram de encontro ao seu quadril, puxando o corpo para ainda mais perto, suspirando alto com o ato.

– Dentro da classe você é obrigado a obedecer o professor, ouviu bem Minhyuk?

– Sim, professor Hyunwoo. – Minhyuk respondeu suspirando.

O maior sorriu malicioso, soltando o menino e sentando-se em sua cadeira assim que a afastou da mesa. Minhyuk o observou atentamente com os olhos inocentes e brilhantes, vendo o mesmo apontar o dedo para sua calça, segurando logo depois sua ereção evidente.

– Venha aqui Minhyuk... – chamou o aluno que se aproximou com timidez. – Mostre o que sabe fazer.

O loiro abaixou-se e ficou de joelhos sem muito saber o que fazer. Viu Hyunwoo abrir a calça e descê-la o necessário, para assim puxar sua mão até o membro pulsante por cima da cueca. Minhyuk acabou por se soltar, apertando o falo observando o pré-gozo molhar a cueca do professor. Deixou selares por toda a extensão e puxou o elástico da cueca com os dentes, descendo-a por completo, observando o membro teso a sua frente.

Segurou-o com a destra e lambeu o líquido transparente da glande, sentindo o gosto amargo invadir sua boca, mas não pestanejou em colocar toda a glande rosada na boca e suga-la com certa intensidade. Girou a língua dentro da boca e depois tirou-o da boca, lambendo da base até o topo, colocando pouco a pouco na boca. Hyunwoo acariciava os fios de Minhyuk, gemendo baixo enquanto sentia o músculo molhado trabalhar em seu falo com destreza.

O membro de Hyunwoo desaparecia pela metade na boca de Minhyuk, que a cada chupada tentava ir mais fundo, conseguindo alguns engasgos e toques em sua garganta, coisas que causavam arrepios intensos no professor. O maior começou a segurar com mais força os fios loiros e empurrar um pouco o quadril para cima, fazendo Minhyuk ir mais fundo ainda. O menor acompanha o ritmo das estocadas em sua boca, apertando os olhos quando sentia o membro lhe tocar a garganta, trazendo uma sensação de que iria vomitar, mas nada tão incomodo.

Os movimentos foram aumentados, assim como os gemidos do professor, que estava chegando ao ápice, e assim, Minhyuk sentiu o membro em sua boca pulsar ainda mais e subiu a boca na extensão, ficando somente com a glande dentro da cavidade. Os pequenos e quentes jatos do gozo atingiram seu céu da boca e sua língua, enquanto ouvia os gemidos roucos do professor. Levantou os olhos até ele com o rosto mais inocente que conseguiu e retirou o membro da boca, chupando qualquer resquício do líquido ejaculatório que fora expelido, engolindo logo em seguida, fazendo uma careta pelo gosto.

– Porra Minhyuk... – Hyunwoo mordeu os lábios.

Assim que o loiro ficou de pé, Hyunwoo o colocou em cima da mesa, afastando os materiais ali em cima. Levou as grandes mãos até a blusa do garoto e subiu o pano até retirá-lo do corpo pequeno. Observou o peito nu todo imaculado e os mamilos rosados durinhos em excitação. Tocou-os com o dedo, sentindo o corpo de Minhyuk tremer e o mesmo soltar um gemido baixo, apoiando-se na mesa com as mãos. Fez alguns movimentos giratórios e apertou-os entre os dedos, levando os lábios ao pescoço do loiro, onde antes de fazer qualquer coisa, cheirou com intensidade, sentindo o cheiro de Minhyuk que era tão doce quanto o próprio menino. Sorriu pequeno e então mordeu a pele sensível, sentindo Minhyuk agarrar seus ombros e apertá-los enquanto soltava gemidos altos.

– Minhyuk... shiu... – sussurrou contra a pele agora marcada. – Você tem que fazer silêncio.

– Desculpe professor. – Minhyuk suspirou.

– Pode descontar tudo em mim, todo o prazer que sentir, tudo bem?

– Ok...

Assim voltou a alternar entre chupar e morder a pele, tratando de soprar o lugar ainda molhado de saliva para causar ainda mais arrepios em Minhyuk. Sentia o loiro arranhar suas costas e gemer baixinho em seu ouvido, hora ou outra segurando seus cabelos negros com força. Hyunwoo desceu as mãos de seus mamilos até a bunda arrebitada de Minhyuk, apertando-a com certa intensidade, o que fez o mesmo rebolar em cima da mesa.

– Me deixa rebolar em você... – ouviu o pedido do loiro em seu ouvido e logo depois o mesmo sugar seu lóbulo.

Não acreditara no que o menino havia dito, apenas o segurou nas coxas e sentou-se novamente na cadeira com o menino em seu colo. Minhyuk mantinha um sorriso carregado de malícia, e assim Hyunwoo sentiu suas mãos serem amarradas ao apoio de braços da cadeira pelas mãos delicadas de Minhyuk. Olhou para Minhyuk querendo mata-lo, pois Hyunwoo queria mais do que tudo tocar seu corpo.

– Eu não sou o anjinho que pareço ser.

– Disso eu sei há muito tempo. – Hyunwoo disse sincero.

– Eu sou pior do que você imagina.

Minhyuk rebolou com intensidade contra Hyunwoo, roçando as duas intimidades intencionalmente. Hyunwoo observava o quadril ondulando para os lados enquanto ia para cima com o seu, necessitando de mais contato com o loiro. O viu, então, abrir o shorts e tirá-lo de si, ficando apenas de cueca no colo do professor, que mantinha um sorriso malicioso no rosto. As duas mãos de Minhyuk correram seu próprio tronco e adentraram em sua cueca sem pudor algum, e assim o loiro começava a se masturbar na frente de Hyunwoo.

– Minhyuk... – Hyunwoo sussurrou tentando mexer suas mãos, mas não obtendo sucesso.

– Hyunwoo-ah... – Minhyuk gemeu pendendo a cabeça para trás enquanto sentia o pré-gozo molhar seus dedos.

O ato fez com que  intimidade de Hyunwoo pulsasse forte, e Minhyuk não parou. Levou a outra mão até sua boca, chupando dois de seus dedos enquanto encarava o maior a sua frente, e assim se levantou, virando-se de costas e deitando o tronco na mesa do professor. Abaixou a cueca e deixou-a cair em seus pés, e assim, se auto-penetrou com os dedos molhados, gemendo num tom audível. Hyunwoo encarava a cena xingando Minhyuk de todos os nomes que conhecia, estava frustrado por querer tocar o loiro, e estava a ponto da loucura. Seus pulsos doíam por tentar se soltar a todo custo, estava ficando louco.

– Hyunwoo... – Minhyuk gemia arrastado, o encarando por cima dos ombros.

– Minhyuk... A hora que eu me soltar você vai se arrepender de ter feito isso. – Hyunwoo ditou suspirando pesado enquanto mordia os inferiores.

E fazendo isso, conseguiu afrouxar um dos pulsos presos, libertando sua mão e logo depois a outra. Levantou-se e viu Minhyuk parar com o que fazia ao perceber isso. Sabia que estava fodido, literalmente. Hyunwoo fez Minhyuk tirar os dedos de dentro de si e segurou as duas mãos bem juntas nas costas do garoto, encaixando seu membro duro entre as nádegas fartas de Minhyuk. Puxou a régua que estava ao lado de Minhyuk e a passou lentamente pelas coxas do menino, subindo até deixar um tapa fraco com a mesma na nádega direita do loiro, o que fez o mesmo gemer baixinho.

– Você foi um aluno muito desobediente Minhyuk... – Hyunwoo bateu mais uma vez com o objeto, só que desta vez com mais força. – Sabe que terá de lidar com as consequências.

– Sei professor Hyunwoo. – Minhyuk respondeu baixo.

– Espero que isso sirva de lição para você.

Deixou apenas mais um tapa na coxa direita, o que fez Minhyuk tremer abaixo de si. O objeto fora deixado de lado e as mãos grandes de Hyunwoo escorregaram de volta para as coxas fartas de Minhyuk, indo para a parte interna das mesmas e subindo até o membro duro do loiro, começando uma masturbação lenta, espalhando o pré-gozo que escorria em grande quantidade por toda a glande.

– Professor... – Minhyuk gemeu arrastado.

– Diga Minhyuk...

– Eu tenho uma dúvida. – ele ofegava, e assim direcionou seu olhar ao de Hyunwoo.

– E qual seria? Eu posso resolve-la?

– Queria saber o quão fundo consegue ir dentro de mim. – Minhyuk disse sorrindo malicioso.

Minhyuk sentiu o membro de Hyunwoo pulsar contra suas nádegas, e assim rebolou, indo para cima e para baixo, fazendo o professor gemer um pouco alto. Logo fora obrigado a parar, sentindo as mãos quentes em seus quadris, girando seu corpo rapidamente, deitando-o completamente em cima da mesa. Seu shorts agora se encontrava jogado ao lado da mesa, juntamente a sua cueca e sua blusa era retirada com brutalidade. Minhyuk estava, agora, completamente nu e entregue a Hyunwoo. O loiro estava corado,  e mantinha as pernas escondendo seu membro.

– Vamos esclarecer a sua dúvida Minhyuk. – Hyunwoo disse. – Mas antes, você vai ter sua punição.

O professor afastou as pernas de Minhyuk, deitando-se sob o mesmo para alcançar os mamilos rosados que queria tanto maltratar. Sugou um deles e mordeu com certa força, sentindo o corpo abaixo de si se contorcer todo enquanto Minhyuk soltava gemidos altos. Levou uma das mãos até a boca do loiro, fazendo-o ficar quieto, o que frustrou Minhyuk por completo. Alterou para o outro mamilo e brincou com o outro com a mão livre, maltratando o local sensível. Sua boca desceu subiu até a clavícula exposta e ali deixou chupões que no momento ficaram vermelhos em contraste com a pele branca, mas logo se tornariam roxos. Trilhou beijos até a barriga contraída do loiro e também deixou chupões e mordidas, sentindo Minhyuk agarrar seus cabelos com força e bufar contra sua mão que ainda se encontrava tampando a boca do loiro.

– Chupe. – tirou a mão de cima da boca do menino e lhe apontou dois dedos.

Minhyuk os chupou sem pestanejar, passando a língua por entre os dedos e os molhando bem, sabendo o que estava por vir. Quando quis, Hyunwoo levou os dois dedos até a entrada de Minhyuk e a tocou levemente, sentindo-a contrair-se toda. Circulou o dedo ali e riu ao ver Minhyuk arquear as costas. Penetrou um dedo e sorriu gostoso ao sentir o interior de Minhyuk tentar expulsar o corpo estranho. Moveu os dedos com rapidez, fazendo o loiro gemer alto e acabar por morder seus dedos para conter os gemidos.

Logo, o segundo fora adicionado, a velocidade aumentada, e os gemidos foram ficando incontroláveis. Hyunwoo alternava o vai e vem com movimentos de tesoura, preparando Minhyuk como podia. Por mais que quisesse foder Minhyuk até ele não ter mais como sentar, não queria que ele sentisse tanta dor. Aumentou a velocidade de seus movimentos e quando achou que já era o necessário, retirou os dois dígitos de Minhyuk, recebendo de volta um gemido desaprovador do menino.

Posicionou seu membro na entrada pulsante de Minhyuk e antes espalhou o pré-gozo por seu membro, e deixou um pouco na entrada enrugada, fazendo o menino arquear as costas ao sentir aquilo. Colou seu corpo ao de Minhyuk e se abaixou, roubando um beijo dos lábios maltratados do loiro, vermelhos e inchados por ele tanto ter mordido para segurar os gemidos.

– Bom Minhyuk, agora vamos ver o quão fundo consigo ir em você. – sorriu doce para o menino e o penetrou.

Penetrou-o por completo, chocando os dois corpos produzindo um som alto com o baque. Os dois gemeram alto, enquanto Minhyuk arranhava a madeira da mesa e sentia seus olhos marejarem pela dor que estava sentindo, e Hyunwoo suspirava pesado com a sensação gostosa de estar dentro do loiro. Apertado, quente, aquilo era demais para o maior, que sentia seu membro pulsar dentro do interior de Minhyuk, que tentava a todo custo expulsá-lo dali.

Esperou com certa impaciência o menor se acostumar com o volume dentro de si, mesmo estando louco para se mover ali. Minhyuk ofegava e contorcia-se por ainda sentir dor, era como se estivesse rasgado, e aquilo o incomodava. Rebolou com lentidão e gemeu baixo ao sentir arrepios fortes correrem seu corpo. Hyunwoo ao sentir o movimento, moveu-se lentamente para fora de Minhyuk, voltando a penetrá-lo com toda a força que podia, fazendo o loiro gemer alto. Repetiu o movimento, acertando em cheio e com facilidade a próstata do menor.

– Hyunwoo-ah... – Minhyuk gemeu tão alto que o professor temeu que alguém podia ter ouvido.

– Então é aqui? – Hyunwoo repetiu o movimento, saindo lentamente e voltando a penetrar o loiro com força, arrancando um gemido gostoso do mesmo.

– S-sim... – Minhyuk mal abria os olhos. – Me fode professor.

E aquilo foi o que bastou para a sanidade restante em si fosse mandada para a puta que pariu. Segurou a cintura fina e investiu forte sem pensar duas vezes, atingindo uma velocidade rápida em poucas estocadas sem deixar pausa entre nenhuma delas. Teve de tapar a boca de Minhyuk, o que frustrava o loiro ao extremo, mas ele não conseguia se conter, alguém já havia descoberto aquilo sem dúvida alguma.

Minhyuk sentia-se indo ao céu e ao inferno, revirava os olhos em puro tesão e se não fosse a mão em sua boca, já haveria dito palavras sujas e provocações só para aumentar a falta de sanidade de Hyunwoo. Segurava com força as laterais da mesa, que assim como ele se mexia como nunca, o professor lhe estocava forte, e a dor já não era mais sentida por seu corpo, tudo havia sido substituído por um prazer indescritível.

Hyunwoo parou com a velocidade rápida, estocando agora lentamente no corpo magro, suspirava forte e estava perto do ápice, mas queria aproveitar mais com o loiro, não achava que era uma boa hora para parar. E queria acima de tudo provoca-lo e testa-lo.

– Será que você chega ao seu limite sem eu te tocar? – perguntou a Minhyuk.

– Isso só depende de você, professor.

– Você me chamando de professor só me deixa mais louco ainda.

– Eu sei. – Minhyuk se levantou, alcançando os lábios do maior e os mordendo levemente.

Hyunwoo segurou os dois pulsos de Minhyuk e o deitou com certa brutalidade, segurando-os ao lado da cabeça do loiro, voltando a estocar numa velocidade rápida, quase mais rápida do que a que havia atingido no ato recente. O loiro gemia pausadamente, deixando os lábios entreabertos, coisa que fazia a mente de Hyunwoo lembrar-se dos mesmo em seu membro. Sentiu suas pernas tremerem e um calor horrível se apoderar de seu corpo, denunciando que havia chegado ao ápice e que deixava tudo dentro de Minhyuk. Não parou, aumentou a velocidade das estocadas ao máximo e não parou até ver o loiro se desfazer e jatos pequenos atingirem o peito nu do mesmo, soltando um gemido rouco e quase sem som.

Hyunwoo parou e observou a cena: Minhyuk ofegante e cheio de gozo em seu peito, mas com a face angelical que o mesmo sempre teve. O professor jurou que podia ficar duro ali mesmo. Retirou-se do interior quente e abaixou-se, lambendo lentamente todo o líquido ejaculatório, ação que fez Minhyuk agarrar seus cabelos com força. Não deixou resquício algum ali e quando terminou, fitou Minhyuk com um sorriso nos lábios.

- Até nesse ponto você consegue ser doce.

Hyunwoo colocou suas roupas, ajudando Minhyuk a se vestir com todo o cuidado do mundo. O loiro o olhava sem dizer uma palavra ou esboçar um sorriso. Quando foi descer da mesa, sentiu seu corpo todo doer e aquilo acabou preocupando Hyunwoo.

– Desculpe pelo seu castigo ter sido tão bruto, Lee Minhyuk.

– Eu mereci professor, fui um aluno mal-criado.

– Comporte-se melhor, ou serei obrigado a te dar mais castigos.

– Se é assim, eu irei me comportar ainda pior.

– Lee Minhyuk... Você não existe. – Hyunwoo concluiu.

 

.


Notas Finais


Espero que vocês tenham gostado.
Essa fanfic é dedicada pra linda da @letsbocca que é minha showhyuk shipper favorita ❤ amovc
Essa oneshot era pra sair na terça, não saiu, ai era pra sair ontem, não saiu.
But, aqui está! Depois de séculos, eu trouxe essa oneshot, aleluia, glória, amém.

Aconselho a lerem Loved, minha oneshot Changki: https://spiritfanfics.com/historia/loved-6682322
Aconselho também a lerem meu jornal falando dos meus novos projetos: https://spiritfanfics.com/perfil/yoongizzz/jornal/triology-d-6722916
Aviso aos amiguinhos: logo eu vou reescrever Policeman, uma outra oneshot minha, só isso mesmo.

Tapas, gritos, abraços, reclamações, berros, beijinhos: https://twitter.com/foolmonstax
Um beijo, um abraço, e até ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...