História Teacher of Love. - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias TWICE
Personagens Dahyun, Momo, Sana
Tags Dahmo, Dana, Najeong, Sahyun, saida, Twice
Visualizações 545
Palavras 1.378
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: FemmeSlash, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


oiiii gente
desculpa pela demora amadas, mas tá aí mais um capítulo da história, agora que eu finalmente consegui me organizar, vou dar total atenção para Teacher of Love e Tomboy (que aliás, atualizarei essa noite, pra quem gosta de 2yeon, pode dar uma olhadinha)
o capitulo foi meio parado mas espero que gostem :p

Capítulo 12 - Onze.


 "Unnie!" ao pôr seus pés na casa de sua tia, foi recebida com gritos de crianças. "Vamos brincar, por favor!" foi puxada pelo seu casaco até a sala de estar, onde sua tia tomava chá junto ao seu tio. 

   "Olá, Dahyun!" a mais velha de suas primas, Chaeyoung, acenou com a cabeça. Ela estava muito maior que antes. 

   "Minha amável sobrinha, pensei que não apareceria! Tem bastante tempo que não nos vemos, estava morrendo de saudade!" sua tia levantou do sofá e encheu Kim de beijos e abraços, o que foi extremamente constrangedor. "Sente-se, temos que botar o assunto em dia!" 

    Dahyun nem sabia onde estava sua cabeça e bom senso quando aceitou o convite de sua tia - chata e irritante -, teria que atura-la falar de como seus filhos eram lindos e inteligentes e blá-blá-blá; mas, o pior de tudo é que Kim fora capaz de aceitar o convite de alguém que a humilhou a anos atrás, parabéns Kim Dahyun, você é muito inteligente. 

    Apesar de tudo, sua tia parecia diferente de antes, conseguia falar com Dahyun olhando em seus olhos, e nem falou tanto de seus filhos. Conversaram saudavelmente, como antes de toda aquela briga familiar ter acontecido, até uma certa pergunta vinda de sua querida tia:

   "E a sua namorada? Como ela está?" naquela hora, Dahyun conseguiu ouvir seu coração perdendo mais uma parte dele. "Qual o nome dela mesmo?" 

   "Sana, mãe." Chaeyoung respondeu no lugar de Dahyun, que continuava parada a encarar a parede. "Não é, unnie?" 
 
   "É, isso mesmo." despertou-se do transe que estava. "ela está bem, eu suponho." suspirou e soltou um riso, tentando disfarçar seu desconforto. 

   "Vocês terminaram?" sua tia parecia assustada - e animada. Sua prima, que estava sentada ao lado, arregalou os olhos. Ela parecia estar decepcionada.

   "Sim. Bem, na verdade não." disse "na verdade, não sei. 

   "Puxa, que triste. Espero que vocês se resolvam."

    Depois do curto diálogo, a sala permaneceu num silêncio constrangedor, mas logo depois sua dia começou a falar sobre as besteiras que acontecem em sua vida. Continuaram a conversar até o final da tarde, que foi quando Dahyun percebeu que passara da hora de ficar ali, e teve que sair correndo, se despedindo rapidamente de seus tios e primos; porém antes de ir para casa, sua tia praticamente implorou para que Kim voltasse lá, em qualquer dia da semana, óbvio que, por educação, Dahyun aceitou, depois ela pensaria melhor no assunto, assim que tivesse tempo. 

   O caminho pra casa foi rápido, e logo quando adentrou seu pequeno apartamento, jogou-se no sofá, agradecendo a todos os possíveis deuses existentes, por ter tido uma tarde tão legal e diferente do que as de costume. Teve vontade de ligar para Nayeon, mas pensou na possibilidade da amiga estar com aquela nova namorada louca. 

    Ela precisava conversar com alguém, compartilhar aquela alegria dela, só não sabia com quem. Pensou em Momo, mas a loira talvez não quisesse conversar sobre isso; então desistiu. Foi ao banheiro e tomou seu banho, trocou de roupa e se trancou no quarto. Ficou mexendo no celular até receber uma ligação de Momo, o que foi um tanto quanto estranho, até porque Hirai nunca ligava para ela - só pra avisa-la de horários de encontro. 

    "Dahyun!" a castanha pode ouvir a voz da loira ecoar no cômodo no qual ela falava. "Preciso falar com você, tipo, agora!" 

    Depois disso, a chamada foi finalizada, e Dahyun não nada. Imaginou que Momo apareceria na porta de sua casa, gritando e acordando todos os vizinhos - afinal, do jeito que ela era, haviam inúmeras chances de Hirai fazer isso. Diante disto, Dahyun continuou deitada na cama, esperando Momo chegar; era incrível como as duas se tornaram próximas depois daquela noite. Kim poderia jurar que conhecia Momo na palma de sua mão, Hirai era como uma daquelas amigas versáteis, que servem para assuntos sérios e brincadeiras aleatórias. Por mais que as duas só se falassem pessoalmente, Dahyun amava o contato que tinha com Momo. 

     Foi desperta de seus pensamentos com o barulho de sua campainha; o recepcionista de seu prédio já havia se acostumado com Momo, e nem ligava pra avisar Dahyun. Caminhou lentamente até a porta, destrancou-a e deu de cara com uma Momo extremamente alegre, segurando uma sacola enorme - que pelo cheiro que vinha de lá, Dahyun deduziu ser de algum restaurante. 

     "O que é isso?" sua barriga roncou "tenho certeza que é kimchi! Me diga que é kimchi, por favor!" mal esperou Momo se aconchegar e já foi a caminho da sacola. 

    E pra sua grande felicidade, era sim kimchi - o que fez Dahyun a mulher mais feliz do mundo naquele momento, ela amava kimchi com todas as forças. Rapidamente se sentou e abriu o pote que continha a comida, logo o cheiro da comida se instalou no cômodo inteiro. 

   "Você parece uma criança quando recebe um pirulito" riu e abriu o outro pote, também com kimchi. "como foi seu dia?" perguntou.

   "Bom, quer dizer... não sei, na verdade" deu uma pausa e começou a tentar encontrar um adjetivo decente, para definir seu dia "Foi estranho, é, extremamente estranho!" continuou a comer. 

   "Por quê? Sua tia não foi tão legal quanto você esperava?" 

   "Não, nada disso! Foi estranho, só isso. Ela nem foi tão arrogante como eu esperava, até me tratou bem" suspirou ", só teve uma parte que me deixou desconfortável pelo resto do dia." soltou uma risada. 

     "O que aconteceu?" Momo parecia preocupada, o que deixou Dahyun um pouco sem-graça. 

     "Ela perguntou pela Sana" disse "perguntou como ela estava, e eu não soube responder, porque eu realmente não sei! Desde aquele dia, ela nunca mais apareceu, nem sequer perguntou sobre mim!" sua voz estava trêmula. 

     "Meu Deus" Momo suspirou "sabe de algo? se eu fosse Sana, nunca conseguiria fazer alguém ficar assim. Nunca vi alguém ferir tanto outra pessoa" bufou irritada.

    "Momo, não fale assim." Dahyun realmente se sentiu incomodada com o comentário de Momo, afinal, ela não conhece Sana totalmente, e a maior culpada de tudo isso estar acontecendo é da própria Dahyun, bem, pelo menos era isso que a menor achava.

    "Quer que eu fale como, então?" suspirou "olha, eu desejo tudo de bom pra vocês duas, sei que vão voltar daqui há algum tempo... mas Dahyun, você sofre demais, entende? Isso é muito problemático." abriu um sorriso e logo depois voltou a comer. 

    Um silêncio estranho se habitou no cômodo. De fato, o dia de Dahyun havia sido repleto de silêncio, e aquilo era desconfortável. Terminou de comer seu kimchi quieta, assim como Momo, e foi aí que se lembrou do motivo de Hirai ter vindo a sua casa: ela queria contar algo importante, mas pelo visto, o drama de Dahyun acabou sendo mais importante. 

    "Hirai" a chamou pelo sobrenome; a loira logo a encarou com um sorriso. "o que você queria me contar?" Momo soltou uma risada fraca e abriu um sorriso mais largo.

     "Era só uma desculpa para vir te ver." bocejou "É chato ficar sozinha na minha casa o dia inteiro, e eu gosto da sua companhia, Dahyun" falou a última frase com uma voz fofa, o que fez Kim corar e seu coração acelerar; mais uma vez parecia uma adolescente boba. 

     O resto da noite fora extremamente calmo, as duas conversaram enquanto observavam a chuva cair, do outro lado da janela. Momo era incrivelmente interessante e aberta a tudo, Dahyun adorava isso nela, pois Kim era totalmente o oposto; isso a fez imaginar se Momo gosta desse seu jeito misterioso. O mais engraçado de tudo era que, antes delas se conhecerem melhor, Dahyun achava Momo durona e ruim de conversa, mas aos poucos foi descobrindo como a loira realmente era. 

     Momentos depois, o silêncio se instalou novamente; desta vez nem foi tão ruim. De qualquer modo, era bom ficar abraçada com Momo, seja no silêncio ou na maior barulheira. Dahyun sentia seus olhos fecharem de sono, e pode jurar ter dormido uns cinco minutinhos bem rápidos, porém Momo a acordara apenas para levá-la até a cama, e logo após deitar em seu lado. 

    "Dahyun" a chamou, depois de se aconchegar na dura cama de casal de Kim "amanhã, vamos ao cinema, tá?" avisou, e só escutou um murmuro da menor ao seu lado. 


Notas Finais


peço desculpas se houver algum erro!!
até a próxima <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...