História Teacher of Love. - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias TWICE
Personagens Dahyun, Momo, Sana
Tags Dahmo, Dahmos, Dana, Sahyun, saida, Twice
Exibições 161
Palavras 729
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: FemmeSlash, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


qUEM TÁ VIVO SEMPRE APARECE NÃO EH MESMO

enfim, to aqui:) queria pedir desculpas pela milionésima vez, tô com um bloqueio sinistro nessa fanfic e esse capítulo ficou pequenininho (também deu o maior trabalho pra fazer;-;)

EEEEE NÃO ACREDITO Q BATEMOS 100 FAVORITOS!!!!! MUITO OBRIGADA MESMO GENTE, NUNCA PENSEI QUE CONSEGUIRIA CHEGAR A TANTOS FAVS!!! AMO VCS

Capítulo 12 - Dez.


O resto do dia fora exaustivo o suficiente para Dahyun dormir até às oito da noite. Momo tinha ido embora cedo, precisava resolver problemas pessoais e profissionais, e saiu logo após comer. Dahyun não fez nada, só hibernou até não poder mais, e logo acordada, ligou a tevê para caçar algum programa de entretenimento capaz de prender sua atenção, o que foi difícil, e no final, acabou optando por assistir um drama adolescente, mesmo não tendo mais idade para fazer tal coisa. De pernas para o ar - literalmente - ficou até o fim do episódio, não tinha absolutamente nada fazer, pensou em sair de casa porém o tempo nada ajudava: o mundo parecia desabar do lado de fora, impossibilitando qualquer um de por os pés na rua. Até mastigou a ideia de ligar para Nayeon, mas lembrou-se que a mesma poderia estar com a sua nova namorada. 

     A única coisa que restou para fazer foi ficar em casa e dormir, ou assistir alguma novela ou série. Não havia nenhum livro para ler, e mesmo se tivesse, sua preguiça era tão grande que provavelmente a impossibilitaria de realizar aquela ação. Andou calmamente até o banheiro, e olhou-se no espelho. Estava com olheiras gigantescas, e cabelos desgrenhados, ficou feliz ao menos por não demonstrar tanto cansaço em seu rosto. Tirou sua roupa lentamente e entrou ao box, precisava de um banho quente e relaxante, para tirar o estresse e aliviar-se de seus pensamentos e frustrações diárias. Dahyun estava começando a achar  que havia ficado maluca. 


  
    Doutro lado da cidade, Momo se irritava ao olhar as contas de sua casa. Tudo tão alto e insano, quase impossível de se pagar, aquilo a frustrava de um jeito que só poderia ser curado de uma forma bem conhecida pela loira: bebida. A noite acinzentada e fria combinava com o clima do pequeno apartamento de Hirai; estava tudo tão triste e desanimador. Momo bufou e continuou a encarar a pequena pilha de papéis à sua frente, frustrada e irritada, se sua mãe ainda a considerasse da família, provavelmente estaria decepcionada. Levantou-se e caminhou até a geladeira, pegando a primeira bebida alcoólica que vira, seus olhos reviraram automaticamente. Odiava embriagar-se mas só isso a acalmava, assim toda frustração e estresse eram esquecidos por um momento. Se ela soubesse que a situação na casa de sua paciente não era diferente, escolheria ter passado a noite lá, teria alguém para conversar e passar o tempo, ao menos.

    Seus dedos gélidos encontraram a garrafa de cerveja, que logo fora levada a boca. Com um careta de nojo, Momo soltou um baixo arroto. Aquela era a bebida mais nojenta que havia bebido em sua vida inteira. Largou o recipiente e saiu de perto dali, caminhou lentamente até seu quarto e se tacou na cama de casal quase quebrada. Deixou-se invadir pelo cheiro do cômodo: doce e intenso. O barulho da chuva a fazia refletir seriamente em sua vida, e como a mesma havia mudado com a chegada de Dahyun. Não, Momo não era de se apaixonar por suas pacientes, isso só acontecera uma única vez, e não aconteceria de novo. Mas sua nova paciente trazia uma pequena felicidade na monótona vida de Momo, e isso era mágico! Era incrível como um simples diálogo - até os mais tristes - faziam Momo viajar até a lua e voltar, já tinha muito tempo que ela não se sentia deste jeito. 

     E por algum motivo, lembrar que Dahyun reataria com Sana, partia o coração de Momo, isso a deixava tão confusa e culpada. Por quê? Nem ela sabia ao todo, era incrível sua capacidade de se apaixonar por pessoas erradas, desde sempre fora assim, e não seria agora que mudaria, não é? 

     Estava cansada de ficar frustrada daquele jeito, há alguns dias atrás até pensou em desistir do caso de Dahyun e inventar alguma desculpa esfarrapada, mas seria tão ruim de sua parte que excluiu essa ideia absurda. Momo queria mudar. Mudar seu cabelo, seu estilo e sua casa. De preferência, queria mudar de cidade. Morar em Busan não seria nada ruim, e até supôs morar em Tóquio novamente, mas para isso, precisaria de dinheiro, e ela tinha apenas a sua poupança para construir seu escritório de psicologia. Pensar em tudo isso deixava a loira nervosa de verdade, então a mesma forçou a fechar seus olhos e pegar no sono.

//-//


Notas Finais


<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...