História Tears Are Falling - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Drama, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Namjin, Vhope
Exibições 142
Palavras 3.793
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Musical (Songfic), Romance e Novela, Slash, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 13 - Capítulo 13


Fanfic / Fanfiction Tears Are Falling - Capítulo 13 - Capítulo 13

 

***  

1 mês depois  

JungKook durante esse tempo tentou esquecer, pra falar a verdade, fazia de tudo – ou quase tudo – para pelo menos botar de lado os sentimos platônicos. De fato, ele só tentava, porque sempre falhava. Só precisava escutar o nome do dono de seus devaneios que seu estômago se enchia daquelas famosas borboletas e faziam seu coração sair pela boca.  

Durante os 30 dias  o ruivo e o moreno não haviam se falado. Claro que Park tinha tentado de várias maneiras chamar a atenção de seu dongsaeng. Nem quando a professora Sung e o professor Lee anunciaram as três dupla, e Jimin e JungKook foram chamados, o mais novo falou direito com Park. Só uma pequena troca de palavras, uma ligeira comemoração entre si e olhares ligeiros. Que mesmo rápido e pequeno, foi o suficiente para os corações de ambos acelerassem. Os dois professores falaram que iriam iniciar o projeto – ainda desconhecido – no início das voltas aulas, já que hoje era o último dia de aula.  

Todos estavam felizes pelas férias, exceto JungKook, que fora convencido por Tae a passar não apenas duas semanas, mas, sim, dois anos ou quem sabe mais. E isso também não estava alegrando o mais velho.  

Taehyung não queria o melhor amigo longe, mas seria o único jeito de fazer o moreno esquecer, ou pelo menos manter longe, dos problemas e conflitos de sua vida amorosa. Tae sabia que isso iria ser ótimo para JungKook.  

–– JungKook, o que vai fazer nas férias? –– perguntou Yoongi. Jeon apenas deu de ombros, sabia que era falta de educação, mas também sabia que se contasse o garoto iria dizer a Jimin, que surgiria de algum canto implorando pra não ir. Não que iria desistir da viagem se o mais velho pedisse só que, possivelmente, poderia dar pra trás, ficando na dúvida de ir ou não ir. 

–– Ele vai pro Japão, vai passar um tempo com os pais. –– disse Taehyung sem pensar, fazendo JungKook o fuzilar com os olhos.  

–– Japão? Quanto tempo vai passar lá? Nem adianta me em rolar. Agora que já disse, desembucha de uma vez. –– perguntou Yoongi interessado, tirando um suspiro da parte de Kook.  

–– Eu vou ficar dois anos no Japão com meus pais. –– disse desanimado fazendo os hyungs arregalarem os olhos pela notícia repentina. Exceto de Tae, óbvio, e de Jin.  

–– E a faculdade? Você não iria avisar a nós, não?  

–– Vou pedir transferência. E eu ia, mas não agora. –– indagou sem graça.  

***  

Uma semana depois  

Havia passado uma semana desde que Jeon havia dito aos amigos que iria pro Japão. E faltava apenas seis dias pra ir para Tokio. JungKook já havia pedido transferência. E a diretora da universidade disse que se JungKook desistisse estaria de braços abertos pra recebe-lo. O que o moreno agradeceu por isso, pois não tinha certeza que queria continuar andando com essa ideia de passar setecentos e trinta dias no Japão.  

Jimin já estava sabendo que o mais novo iria pra outro país, porém não pediu pra que JungKook não fosse. Não que não queria, mas é que sabia que o moreno não o escutaria.  

  

***  

Dois dias depois  

  

Se JungKook achava que Park não iria aparecer na casa dele, ele estava enganado. O ruivo estava a meia hora a tocar a campainha.   

–– O que você quer, ruivinho? –– perguntou Tae recebendo Park com cara de poucos amigos. 

–– Quero falar com o JungKook.  

–– Ele não está! –– indagou preparando-se para fechar a porta na cara do outro. 

––  Tae? –– chamou Kook com uma voz de quem acabou de acordar. O ruivo botou o pé na frente antes que Taehyung fechasse completamente a porta. 

–– É. Realmente ele não está em casa. –– Jimin disse irônico entrando no apartamento. ––  JungKook! Eu preciso conversar com você. Vamos sair? –– o moreno suspirou ia deixar se levar de novo pelo ruivo? Mas ele não tinha nada a perder... E muito menos a ganhar...  
  

~~~~  
 

–– Então, Jimin, o que quer conversar? –– falou com um falso desanimo sentando na cadeira da cafeteria.  

–– Sobre a sua viagem. –– disse direto –– JungKook, por quê quer ir pro Japão? Você nem domina o idioma.  

–– Para o seu governo, eu sei falar em japonês, sim. Claro que tem algumas palavras que eu não sei, mas durante o tempo que eu passar lá eu vou aprender.  

–– Você não respondeu minha pergunta. Por que você quer ir para outro país? –– JungKook tentou fugir do assunto, fingindo que não escutara e respondendo outra coisa. Porém o mais velho repetiu a mesma pergunta. –– Por que você quer ir para outro país? 

Jeon suspirou e retrucou (com uma outra pergunta):   

–– Por que quer saber? –– viu o mais velho suspirar e escorando no banco. O moreno o copiou, continuando –– Eu não quero conversar.  

–– Então por quê aceitou o convite? –– Jeon ficou sem saber o que responder, não imaginaria que o ruivo iria perguntar-lhe o motivo de ter concordado em sair com ele. Pra falar a verdade, nem mesmo o próprio Jeon JungKook sabia, ele apenas queria a companhia do mais velho. Independente que fosse um tolo por querer ficar ao lado dele, mesmo que Jimin tivesse o magoado.  

–– Sei lá...   

–– Você realmente vai pra fora?  

–– Vou.  

–– Quanto tempo você vai ficar lá? –– perguntou já sabendo a resposta, todavia queria que fosse mentira, desejava que fosse coisa da cabeça de Yoongi, e que ficaria lá só umas semanas. 

–– Dois anos. 

–– Por que não fica aqui até terminar a faculdade?  

–– Por que essa pergunta? –– retorquiu. 

–– Porque eu quero que fique comigo. Eu não quero que você vá para longe. Eu vou sofrer muito se você for. –– assim que Jimin terminou sua justificativa JungKook riu forçado e irônico.  

–– Pelo menos assim vai poder sentir o que eu senti. –– proferiu irritadiço e debochado –– Eu também não queria que tivesse ido pra longe, mas realmente você fez o oposto do que eu queria. E, bem, o jogo vira, não é?! –– terminou de cuspir as palavras, pôs o dinheiro do que gastou e saiu da cafeteria.   

–– Espera, Kookie! –– por um ato involuntário, o moreno parou e virou dando de cara com o ruivo, que o puxou para um abraço. –– Eu te amo, biscoito. –– ao escutar as palavras do mais velho, foi surpreendido pelo ruivo, que deu-lhe um beijo, todavia este não durou muito tempo, o maior empurrou-o com força total e correu para longe pegando um táxi que estava estacionado mais ou menos perto de onde estavam.  

"Como pude ser tão tolo?", "Por que meu coração ainda bate tão forte com esses atos?", "Por que ainda não consegui cortar as esperanças pela raiz". Eram esses os pensamentos que rodeavam a cabeça do garoto enquanto observava a paisagem da janelo do automóvel. Virou e olhou a janela traseira do carro avistando o ruivo correndo atrás do automóvel, que parou por conta do semáforo, fazendo o garoto bufar. Logo Park alcançou o táxi e bateu na janela.

–– JungKook! –– chamou alto, porém o som fora abafado por conta do vidro. –– Abra essa janela, por favor!

JungKook apenas virou a cara pra janela oposta sentindo os olhos lacrimejarem e pediu, com a voz um pouco falha, para o motorista andar rápido, já que o sinal abrira para os carros. Após um silêncio torturante, o taxista olhou pelo retrovisor interno o moreno que estava à mercê de seus pensamentos.

–– Desculpa, sem querer ser intrometido, mas aquele garoto era seu namorado? –– o motorista quebrou a quietude.

–– Nada tudo bem. Respondendo sua pergunta: não. –– indagou suspirando –– Infelizmente, não. Porém já fomos melhores amigos.

–– Vocês brigaram? Você gosta dele, não?

–– Digamos que já estávamos brigados. E sim, eu amo ele.

–– E por que não quis abrir a janela pro garoto? O que ele fez de tão errado?

–– Ele já me magoou demais. –– disse JungKook, estava tão carente, tão desesperado assim pra desabafar com um motorista de táxi? Se bem que eles são, geralmente, ótimos conselheiros. 

–– Ele  parece gostar bastante de você. Dava pra ver o quão desesperado ele estava pra você abrir a janela pra ele, os olhos dele brilhavam. 

–– Ele tem uma namorada. –– proferiu rápido e tentando parecer indiferente.

–– Vai que ele está com ela apenas por ficar? Ele te ama, e isso está colado na testa dele. Os olhos dele já diz o quão bobo apaixonado é. Só você que não enxerga. Poderia dar uma segunda chance a ele. –– disse e Jeon apenas deu de ombros –– Chegamos!

–– Obrigado.
 

***  

Um dia antes da viagem  
 

Tae, Jin, Yoongi, Namjoon, Hoseok e Jimin esperavam JungKook chegar. Eles tinham preparado uma festa surpresa de despedida. Posicionaram nos seus lugares ao escutar a porta sendo destrancada. Todas luzes apagadas.  

–– SUPRESA! –– gritaram todos amigos em uníssono indo na direção do moreno, abraçando o mesmo, que sorria abertamente enquanto seus olhos lacrimejavam. 

Sentaram todos juntos. Conversavam, brincavam e zoavam. Relembraram das encrencas que todos se metiam. Das confusões. Relembravam dos ficantes de JungKook, que ficava levemente com um rubor em suas maçãs, e um Jimin vermelho – feito um pimentão – de ciúmes. Lembraram de quando se conheceram. Do dia a dia. 

–– Aigoo! Assim só vai ser mais difícil de deixar vocês!! 

–– Dois anos passam rápido, JungKook-ah. –– confortou NamJoon.  

–– Você vai conhecer novas pessoas, cultura, lugares, amores novos. –– minimizou Jin e novamente o medo bate na cara de Jimin. E se JungKook encontrasse alguém que o amasse mais que um simples amigo? Perderia o garoto pra sempre?

–– O problema é: e se eu gostar de ficar lá? –– perguntou o maknae do grupo, fazendo com que Tae e Jimin se engasgasse.   

Um silêncio tomou conta do cômodo. Tae ficou sem jeito. Foi ele que deu a ideia do mais novo passar dois anos fora da Coréia, mas estava se segurando pra não pedir pro mesmo desistir. Tinha toda certeza que ir pra outro país seria bom pro moreno. Não só por causa problemas, mas também pelos estudos e culturas novas. Claro que poderiam ir outro ano, porém não tinha certeza se os pais do mais novo continuariam no Japão.   

–– É... Que horas você vai ter que estar lá? –– Hoseok mudou de assunto.  

–– Eu vou chegar lá umas 10:40. Já que eu tenho que entrar no avião onze horas em ponto.  

–– Vamos nos encontrar lá? Ou passaremos aqui? –– perguntou Hobi. 

–– Então... Eu vou sozinho. Não queria que alguém me acompanhasse.   

–– Então essa vai ser a última vez que nos veremos?  

–– Não, quer dizer, se vocês quiserem passar aqui antes de eu ir pro aeroporto.  

–– Pra que isso JungKook? –– perguntou Jimin, que estava quieto dês de o momento que Jeon havia feito a pergunta, JungKook apenas deu de ombros. A verdade era que provavelmente desistiria da viagem, sabia que no momento em que morasse, mesmo que um ano ou dois anos, com seus pais, os mesmos não iriam deixar o filho morar sozinho outra vez tão cedo. Ainda mais em outro país. Por mais que JungKook fosse maior de idade, os pais são protetores – e em alguns momentos até demais –.  

–– Vamos beber? –– desconversou Yoongi novamente. Todos gritaram em favor das bebidas. Dessa vez iriam moderar e Kook não beberia.   

 

Se divertiram como se não houve amanhã. E, infelizmente, tiveram que ir embora. Um por um. Até o último ser o Jimin, que pediu pro dongsaeng o acompanhar até a portaria. E assim, JungKook fez.  

–– Tchau Jimin hyung!  

–– Tchau JungKook. Boa viagem!   

Por que ainda estava um clima tão tenso?   

Mesmo após terem se despedido não foram embora, apenas continuaram a se encarar. Jeon deu meia volta, contudo o mais velho o segurou pelo braço, virou-o e deu um selinho rápido no outro e saiu apressado, com medo da reação do moreno. JungKook ficou um pouco chateado e atordoado por ter sido pego de surpresa. Hesitou e logo correu em direção do hyung. Puxou o ruivo e tomou seus lábios em um beijo lento, demorado, que expressava paixão. "Se é pra ser o último, que seja o melhor." pensou o moreno.  Tomou a iniciativa, invadindo a boca do alaranjado com sua língua, logo ambos já desfrutavam de cada canto da boca alheia. 

Apartaram-se e ficaram se encarando novamente. Por fim Jimin o apertou num abraço aconchegante. Separaram-se novamente, JungKook deu um sorriso reconfortante, como se quisesse dizer que tudo estava bem e normal e continuaria assim. 

Todavia não necessitava esconder a verdade, os dois sabiam muito bem que não estava nada bem, parecia que a historia se repetiria.  Os dois seriam separados novamente pela distância. Separados pela imensidão do oceano. 

Ambos deram meia volta, um de costas pro outro, seguindo seus caminhos, diferentes, para casa.  

  

***  
Dia seguinte, 10:28, Aeroporto  

E cá estava JungKook no aeroporto de Seul. Pensava no que acontecerá de manhã, os cinco amigos haviam preparado um hiper café da manhã pro mais novo e entregaram presentes/lembranças para o mesmo. A choradeira de Tae e Jin foi só um dos vários motivos do moreno querer continuar na Coréia. JungKook ficou decepcionado por Jimin não ter ido. Sabia que ainda não estava um clima bom entre eles, só que o ruivo tinha aparecido no dia anterior... Mas... Soltou um suspiro longo, estava tão nervoso, tão frustado. Tantas coisas aconteceram em apenas seis meses. 

 JungKook pensava nas aventuras, rebeldias, fugas, sentimentos, alegrias, tristezas, arrependimentos, emoções. De fato os melhores momentos tinham sido na Coréia.  

"Dois anos..." Pensou.  

Dois anos sem ver os amigos pessoalmente. Dois anos sem a ruas de Seul. Dois anos sem ouvir as idiotices de Taehyung ou os conselhos e atitudes um tanto maternas de Jin. Dois anos sem ver o eye-smile do paquera. Mesmo que brigado, parecia que o sentimento só crescia, fazendo JungKook se irritar consigo mesmo.  

  

" –– JungKook-ah! Não faça mais isso! Você quase me mata do coração! Pabo–– falou Jimin um pouco chateado.  

–– Desculpa, hyung. É que pensei que eu pensei que você, depois de sair com os amigos de sua idade, iria me abandonar. –– disse JungKook envergonhado, escondendo-se nas cobertas.  

 O que aconteceu?   

Simples! 

 JungKook fingira que estava passando muito mal, a ponto que fingiu até ter uma recaída/desmaio rápidoIsso tudo pra impedir de Jimin sair com os amigos de sua idade. A verdade é que, como já dita pelo garoto, tinha medo do mais velho o esquecer e deixa-lo de lado. E como Jimin era o único que estava com JungKook, em casa, nesse momento, já que os pais de ambos haviam saídosobrou pro mesmo cuidar do mais novo.   

Isso havia deixado Jimin um pouco irritado. Não porque deixaria de sair com os amigos da mesma faixa etária, mas porque não precisava o menor ter fingido estar passando muito mau pra ele desistir. Era apenas dizer que queria que o seu hyung ficasse com ele.  

–– Claro que não, Kookie. Você é meu dongsaeng. Meu dongsaeng preferido. Meu melhor amigo. Não iria abandonar você.  

–– Nunca?  

–– Nunca. –– Jimin respondeu rindo do sorriso largo do outro.  

–– Promete que ficaremos juntos? 

–– Prometo.  

–– Promete de dedinho? –– disse Jeon fazendo um biquinho fofo e estendendo o dedo mindinho. 

–– Prometo de dedinho. –– respondeu o mais velho, elevando seu dedo mendinho também e assim os cruzaram, fazendo uma promessa de dedinho mindinho. –– Os imbatíveis melhores amigos nunca serão separados! –– completou. Por algum motivo Jeon havia se incomodado com o "melhores amigos". Se incomodou até de mais, mas ignorou. Sorriu largo e pulou nos braços do mais velho, que fez cócegas no outro. "  

  

JungKook gargalhou ao se lembrar de quando tinha uns onze anos. Nem acredita que havia feito aquilo pra ganhar atenção de Jimin, sendo que poderia ter pedido, falando uma simples frase. Por um motivo essa lembrança aquecera seu coração, fazendo o mesmo palpitar mais rápido.  

  

| | |

  

Jimin tentava não chorar, mas era impossível. Jeon está indo embora. Dessa fez não serio o ruivinho que partiria pra outro país. Se perguntava o porquê que não havia o pedido mais que uma vez pra continuar aqui. Se arrependera de ter tirado as pilhas de seu despertador. Tal ato era pra ver se acordava tarde. Quem sabe só depois de dois anos ele acordasse. Não queria acordar e viver a mesma realidade: seu ex-padrasto o agredindo, "namorando" uma garota que odeia, meses sem ver sua mãe pessoalmente e, agora, JungKook saindo do país sul-coreano. Quando acordou, desejou que tudo que viveu fosse um pesadelo e que ainda estive no tempo em que tinha catorze, quinze anos.   

Havia acordado cedo, porém enrolou e não saiu da cama. Seu corpo doía da nova agressão que levara no dia anterior. Parece que alguma amiga de Sook viu JungKook e Jimin se beijando e avisou, e Sook avisou a Choi. A única coisa que aquecia seu coração era o moreno.   

Necessitava de JungKook;  
(Uma lágrima)

Precisava dele; 
(Mais uma)   

E o mesmo estava partindo;

 

Levantou pegou apenas um suéter – velho por sinal –, já que estava sem blusa, e colocou uma calça, fez sua higiene rapidamente e saiu em disparada pro aeroporto. E odiou mais ainda o dia de hoje quando viu que começou a chover e o transito estava engarrafado.   

  

| | | |

  

JungKook andava lentamente pelas ruas de Seul. Tudo era novidade. Novos vizinhos. E quem sabe, novos amigos.   

Era o terceiro dia na cidade. Não gostava muito de um dos motivos que fizera ele ir pra capital. Andava calmamente chegando perto de uma praça até ser atingido por uma coisa dura. Uma bola. Soltou uma interjeição e um grunhido de dor. E passou a mão no local onde o objeto tinha acertado.   

–– Desculpa... Você é novo aqui? –– perguntou um garoto de cabelos castanho claro.  

–– Aish Tae! Tenha mais cuidado–– falou um garoto mais alto com cabelos negros/moreno. –– Você está bem? Tá doendo muito? –– perguntou a Jeon.  

–– Nada. Estou bem, sim. E não, não está doendo. –– mentiu –– Sou novo por aqui. Cheguei antes de ontem em Seul. Sou Jeon JungKook. Quais são os seus nomes? –– o nervosismo e timidez se faziam presente na voz tremula do garoto. Os dois garotos a sua frente, perceberam e sorriram e passaram os braços ao redor dos ombros de JungKook.  

–– Prazer, Kim TaeHyung. Mas pode me chamar de Tae.  

–– Meu nome é SeokJin, mas pode me chamar de Jin.  

JungKook sorriu. Os três conversaram até o por do sol. E quando disseram que teriam que ir para suas respectivas casas descobriram que eram vizinhos. "  

  

Riu novamente após se lembrar do dia em que conheceu o 4D, vulgo TaeHyung, e o mais velho – que aparentava ser o mais normal, porém longe de ser normal – vulgo Jin.  

Como ir pra outro país? Mas também como perder a oportunidade de conhecer um novo lugar? Iria deixar seus amigos e sua paixão.  

Continuou a relembrar dos momentos. Cada um mais estranho, constrangedor, engraçado e divertido que o outro.  

Despertou de seus devaneios ao escutar um som estridente.  
 

Passageiros do voo de 517. Por favor, aprecem-se. O avião irá decolar daqui à vinte minutos. ~  
 

Vai que ele está com ela apenas por ficar? Ele te ama, e isso está colado na testa dele. Os olhos dele já diz o quão bobo apaixonado é. Só você que não enxerga. Poderia dar uma segunda chance a ele. " JungKook lembrou dá frase do motorista do táxi. E um aconchego tomou conta de seu peito.

Você vai conhecer novas pessoas, cultura, lugares, amores novos. " lembrou-se da fala de Jin. Talvez tivesse a chance de se apaixonar por outra pessoa e esquecer de vez Jimin. Quem sabe o sofrimento acabasse?

JungKook suspirou, pegando sua mochila. Estava na hora de entrar no avião e ter uma nova vida.   

Andou em direção a uma passagem que dava a um saguão que dava ao avião. Parou em frente a essa passagem. Inspirou e respirou. Virou se de costas e olhou todos que estavam presentes no aeroporto, tanto os funcionários, os passageiros e o acompanhantes. Correu os olhos pelo local. Até encontrar uma cabeleira ruiva. Sorriu involuntariamente. Porém este logo se desfez quando percebeu que não era Jimin. Saiu de seu transe. Olhou para o avião, que estava do lado de fora, pela janela.  
 

Passageiros do voo de 517. Por favor, aprecem-se. O avião irá decolar daqui à quinze minutos. ~  
 

Decidiu o que era o melhor pra ele. Sabia o que era exatamente pra fazer. Andou em direção ao local que dava o avião entrando no mesmo. 

Uma nova vida;

Um suspiro;

Lágrimas estão caindo;

| | | |

  

Jimin correu desesperado enquanto a as gotas gélidas de chuva e as gostas de suor misturavam-se na sua pele. Chegou no aeroporto encharcado. Deveria ter pego pelo menos um suéter mais quente e um tênis invés de um casaco fino e um chinelo. Procurava JungKook com os olhos, que mostravam o quão estavam com receios de não encontrar o mesmo. Correu em direção de um funcionária, perguntando:  

–– O último avião, acho que o avião número 517, já decolou?  

–– Hã?! O voô 517? –– Jimin assentiu –– Ah sim –– a mulher disse lerdamente, fazendo o ruivo se estressar e xinga-la internamente –– Ele irá decolar... –– olhou pro relógio e logo voltou seu olhar a um tablet que segurava –– Hmm... Já está decolando. –– disse e apontou para um lugar cheio de janelas de vidro, que dava para ver os aviões, tanto os que decolavam ou pousavam.  

Jimin correu pra um lugar apontado e viu o avião voar. Gritou de raiva. Gritou de frustação. De tristeza, arrependimento, e outros sentimentos que não conseguia indetificar. 

E mais uma vez perdera JungKook. Não conseguia mais acreditar, seu pequeno dongsaeng estava indo para outro país. Andou sem pressa pro banheiro e se fechou em uma das cabines do cômodo. E deixou as lágrimas caírem de seus olhos.   

Sua paixão havia ido. E nem conseguiu provar que realmente o amava.   

Raiva, tristeza, arrependimento, medo, eram estes sentimentos que Jimin sentia no momento. Um filme das memorias que tiveram juntos passou em sua cabeça. Socou a porta da cabine sequentemente. E depois se deixou vencer pelo seu choro.  

–– Eu te amo, Jeon JungKook. –– fungou –– Eu deveria ter lutado por você até o fim. Deveria ter implorado pra ficar. –– fungou outra vez –– Eu te amo tanto, meu pequeno coelhinho. –– disse entre as lágrimas e os soluços altos. 

 

"Deixando apenas um leve sorriso  

Você saiu com um sorriso no rosto  

Eu deveria ter tentado tudo por você

Para pelo menos não viver em arrependimento, garoto  

Sua presença, sinto falta de você por toda a vida  

Eu estou chorando de novo, pensando em nosso último dia  

Por favor  

É muito triste deixar você ir

Por que você tem que ir hoje? Que tal amanhã? 

Eu realmente não quero deixar você ir  

Se você ir agora, então quando você vai voltar?

Eu tenho medo que você fique longe de mim  

Espere um minuto, você tem tempo suficiente  

Amanhã também virá  

Dê-me um dia, ou uma hora, ou apenas um minuto para uma curta palavra  

Hey Sr. Avião  

Espere um minuto…"

(AirplaneiKON)  

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...