História Tears Of The Spy - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Aventura, Colegial, Luta, Original, Romance, Violencia
Exibições 9
Palavras 1.196
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Luta, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


estão gostando? Se não entenderem as coisas vão ser explicadas nos próximos caps, Se quiser deixe um comentário com sua opinião, boa leitura.

Capítulo 2 - Antes Tarde Do Que Nunca


A casa dos Smiths seria idêntica a da família de Shaira, isso claro se não fosse a cor, enquanto a da morena era de um tom "areia do deserto" e fora pintada por seu pai, que trabalhava com reformas de casas. Já a casa dos vizinhos tinha a cor de vermelho amor, sim essa cor existe.

 A garota estava ali parada na frente da casa de seus vizinhos pensando se teria coragem ou não de tocar a campainha, um baixo som de uma música podia se ouvir, talvez fosse The Killers, tudo bem eles até podiam ter bom gosto musical mais ainda eram chatos, sem exitar ela apertou a campanha, era melhor fazer aquilo rápido ou sem festa na próxima semana e para Shaira não ir em uma festa era como um enterro solitario em seu quarto, ela amava festas.

 — Um segundo.

 Uma voz pode ser ouvida pela menina, o seu vizinho nerd iria lhe atender, ela suspirou querendo que aquilo acabasse logo. No mesmo momento Noah abriu a porta com certa velocidade, Pela primeira vez ela o viu de óculos, tudo bem, o garoto não era meio e nem bonito, apenas alguém na média.

 — Minha mãe me pediu pra entregar isso, como boas vindas, e pede desculpas por demorar a dar boas vindas.

 Shaira disse aquilo numa velocidade impressionante, seria ela o Eminem versão feminina? A garota quase riu da expressão de perdido que o menino fazia, porém não soltou a risada, aquilo poderia gerar uma conversar e isso ela não queria.

 — Obrigado...Meus pais vão gostar.

 — Então... Tchau.

 Esse pequeno diálogo fez Shaira ter vontade de vomitar, ele não iria querer puxar conversa com ela? A menina esperava que não. Ao invés disso o menino apenas pegou a vasilha cheia de torta de pêssego, ele agradeceu novamente e fechou a porta, "mal educado" a menina pensou, pelo menos ja tinha se livrado daquilo, agora era só comemorar na festa.

 — Mãe? Pai? A filha da Sra. Jones trouxe torta de pêssego, sinal de boas vindas, antes tarde do que nunca.

 Noah soltou um sorriso maroto, pelos menos em sua casa o garoto não precisa fingir um nerd estudioso que não faz piadas e é sozinho, chegava a ser irônico, ja que o mesmo tinha vários amigos e até uma ex namorada, porém ele só os via depois da aula.

 — Que filha? Aquela que tem o namorado que te atormenta?

 A voz de seu pai era grave e parecia que falava de forma seria, Noah soltou um sorriso concordando com o homem de quem puxara os cabelos cacheados, a diferença era que os cachos do pai era menores.

 — Não zoe o nosso filho, sabe que ele apanha por causa do contrato. — A mãe de Noah era uma pessoa justa, o homem sorriu logo dando um selinho em sua mulher, enquanto isso o garoto apenas olhava a torta. — Quando a gente se mudar, você pode dar uns socos nele.

 Noah tentou rir, mas não conseguiu, odiava o fato de sempre estarem se mudando, infelizmente isso estava no contrato também.

 — A gente já vai se mudar? Mal chegamos.

 A voz do garoto soava triste assim como todas as vezes que ele fez aquela pergunta, os três se mudavam muito, Noah ja tinha morada em pelo menos trinta cidades diferentes.

 — Não vamos não, daqui à alguns meses quem sabe. — Seu pai o acalmou, Noah até que gostava daquela cidade apesar de tudo que passava.

 O garoto não demorou a ir dormir afinal havia aula no dia seguinte e ele não queria perder, deixou seus pais terem aquele momento romântico pós jantar, a vida dele era difícil e não era possível prever o dia de amanhã, ele poderia morrer a qualquer hora, ainda assim ele preferia essa vida complicada do que uma simples e sem emoção.

 Parecia que a vida gostava de botar Shaira em situações das quais ela odiava, simplesmente fazia duas semanas que seu vizinho nerd não ia à escola, e como ela era a que morava mais perto do menino, a professora de História lhe obrigou a ir ver o porque das faltas.

 — Que saco!

 A menina soltou um grito do banco do passageiro no qual estava sentada, Jack dirigia o carro a certa velocidade e poucas vezes parava nos sinais vermelhos.

 — Calma amor e só ir la e pergunta, aliás se ele tentar alguma coisa com você me diga.

 Jack era um bom garoto talvez o melhor, essa era a conclusão de Shaira, eles se conheciam a dois anos, e desde os primeiros olhares podia se notar a atração que sentiam por ambos. A menina respirou fundo querendo que tudo aquilo passasse.

 Ela estava agora na frente da casa de Noah, Jack havia tido problemas de família e não pode ficar pra ajuda-la. A morena respirou fundo, uma, duas, três vezes antes de tocar a campainha, alguns minutos e passaram e nada, até ela encostar na porta e descobri que a mesma estava aberta.

 Receosa ela entrou, no mesmo instante a garota sentiu medo, não soube o porque, talvez fosse o fato de está entrando em uma casa sem permissão, ou quem sabe fosse porque aquele local estava bagunçado, objetos quebrados, parecia uma zona de guerra.

 — O que aconteceu aqui?

 Se perguntou em voz baixa, estava com medo e agora começa a suar, e o clima nem era caloroso, até que ela tomou a decisão que mudaria sua vida começara subir a escada. A cada degrau subido parecia que o ar a sufocava mais, a madeira rangia, os olhos da menina atentos a qualquer movimento. O som de passos foi ouvido pela garota e a mesma se forçou a ficar parada, tarde demais, ela entrou de cabeça naquilo e não havia volta, ja podia sentir que algo terrível aconteceria, o fato que um homem a encarava no fim da escada e outro no começo so a fez ter certeza daquilo.

 — Oi...vocês...conhecem os Smiths?

 — A gente conhece, para sua infelicidade você tambem os conhece.

 Ela tentava entender o que acontecia ali, porque aqueles homens de terno estavam naquela casa que parecia abandonada, seus músculos se contraíram ao ver que o homem a sua frente moveu a mão até o quadril tirando uma pistola do coldre. O susto foi grande, a morena pensou em fugir mais isso não era uma opção.

 Ela pensou em uma coisa, mais ficou com medo, provavelmente morreria do mesmo jeito, porque não tentar? A garota jogou o corpo em direção ao corrimão da escada, a sala de está era abaixo com sorte sobreviveria a queda. E foi o que ela fez pulou da escada direto para o chão ou melhor na mesa de vidro, Shaira sentia como se todos os seus ossos estivessem quebrados e alguém tivesse tocado um solo de guitarra com uma caixa amplificada no seu ouvido.

 Sua visão turva não a deixava ver claramente o que acontecia apenas podia ouvir gritos e gemidos, tudo o que pode constatar era que havia mais pessoas além dela e dos dois homens, a garota não resistiu e acabou por fechar os olhos não os tornando a abrir.


Notas Finais


Gostaram? No próximo cap. Vai ter mais ação, o que acharam da escrita? E se acharem erros me digam, assim posso consertar eles.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...