História Teddy Lupin - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Exibições 10
Palavras 928
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Ficção, Magia, Romance e Novela, Saga
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Desculpem pessoal, no capitulo anterior eu disse que o próximo sairia no mesmo dia, sinto muito eu não consegui termina-lo, mais aqui esta.
Divirtam-se, se quiserem comentem, e lembrem: "Todos temos luz e trevas dentro de nós, o que nos difere é o lado pelo qual escolhemos agir"
😉

Capítulo 24 - Inimigo do meu Inimigo


Victorie correu de volta para a enfermaria, seus pés simplesmente fizeram o caminho, ela tentava compreender o que havia acontecido mais cedo, tentava entender como aquele homem tinha conseguido manipular o lugar daquela forma, como era possível que ele tivesse visto a mente dela, a voz de Noah.....
Aquele homem, as roupas negras e surradas até o chão, nada como o uniforme da escola, o olhar ensandecido no rosto, ele se parecia... Se parecia com um comensal.
A garota entrou na enfermaria perdida nos pensamentos, não havia ninguém. Ela se sentou na primeira cama que viu.
Seria possível que um comensal se escondesse na sala, ele só precisaria pedir um lugar seguro, seria possível.... Se ele continuasse ali, e enfeitiçasse a sala para que ninguém tivesse vontade de voltar, então seria o lugar mais seguro do mundo.
-Victorie? - Uma voz feminina a chamou, Mary estava parada na porta da sala segurando o antebraço enrolado por tecido, seu olho esquerdo estava vermelho e havia um corte no lábio da garota, a gola de seu uniforme estava rasgada.
-Mary, o que houve? Foi atropelada por um centauro? - Victorie se levantou e a trouxe até a cama. Ela agradeceu com uma voz rouca. Os olhos de encheram de lágrimas quando Victorie pegou seu rosto entre as mãos para avaliar o estrago. A garota vendo as lágrimas a soltou depressa.
-Me desculpe, isso doi?
-Não, é so que..... Eu, sabe eu não sou muito querida por aqui.... - Victorie arregalou os olhos, seus punhos de fecharam de uma forma que Mary não achou que fosse possível.
-Mary, o que aconteceu?
-Eu estava indo pra aula, mais no caminho tinha um grupo de garotos da sonserina, eles falavam alto pra que todo mundo ouvisse, disseram que iam se vingar, de Teddy e dos outros por terem feito aquilo com Noah, eu ia ignorar mas.... Mas eles começaram a falar sobre você, disseram que você teve o que mereceu por se achar tanto, e que você seria... 
-Eu seria o que Mary? - Victorie estava na mesma posição, mais seus olhos estavam vazios.
-...Que você seria a putinha de Noah mesmo sem a poção. - Mary contou tudo o que ouvira por que achava que Victorie tinha o direito de saber o que diziam dela nos corredores, mas tentou omitir o final da situação, esperava que Victorie não perguntasse o que houve pra que ficasse machucada.
-Isso não explica os seus ferimentos.
Droga.
-Eu.... Fiquei com muita raiva, e mandei que calassem a boca, eles me olharam com nojo e continuaram falando, ai joguei meu livro na cara de um deles, os outros me derrubaram e me bateram.
-Por Merlin!
-Tinha de ver como os outros caras ficaram - Disse Mary com o rosto sério. Victorie a olhou divertida.
-Bem melhores?
-Muito. - Disse Mary rindo o quanto podia por causa da dor nas costelas,  e se deitando na cama.
-Fique aqui, eu vou chamar a madame Pomfrey. - Mary segurou o braço de Victorie.
-Madame Pomfrey não está no castelo, ela foi chamada no S.T Mungos para avaliar um aluno.
Victorie congelou, avaliar um aluno? Isso significava que Noah ainda era um aluno? Que ele voltaria?  Ela se virou para Mary e perguntou baixo.
-Como sabe disso?
-Todo castelo sabe.
-Sabe o que significa?
-Sei.
-Por que me contou?
-Por que precisava saber.
-Eu tenho medo dele.
-Eu também. - Victorie a olhou surpresa, como ela poderia ter medo de Noah?
-Eu o conheço Victorie, bem mais do que gostaria, Noah é meu irmão.
Victorie deixou seu queixo cair, ninguém jamais soube sobre a família de Noah. Mais parecia impossível para ela que Mary, alguém tão doce e calma fosse irmã de alguém tão cruel como Noah. Mary a estudou por alguns segundos e disse:
-Não somos irmãos de sangue, mas fomos adotados pela mesma família, nossos pais morreram na guerra e tínhamos a mesma idade. Antes de entrarmos em Hogwarts, Noah me usava como cobaia, onze anos sobre as vontade dele.... - A voz de Mary falhou e ela olhou pra baixo. Victorie estremeceu não podia imaginar todas as coisas que ele devia ter feito á ela, Noah sempre teve ideais horríveis, mas ela ignorava isso, ignorava todos os sinal de psicopatia dele.
-Quando entramos e fomos selecionados para cassas diferentes, ele não quis ficar preso a mim, é por isso que Noah diz a todos o nome de seus pais de sangue, "Jenks" para que não associem a mim "Quinth" o que é um alivio, por que faz com que ele me ignore. Agora passo o natal em casa e ele aqui, ele passa as ferias em casa e eu na casa de parentes, não temos contato algum.
A mente de Victorie estava transbordando de perguntas, mais o olho de Mary ja quase não abria, e o sangue de seu braço ja tinha encharcado o tecido. Ela precisava de ajuda. Mais só uma resposta a mais precisava ser dada.
-Mary, por que você me defendeu com aqueles garotos ? Por que contou sobre Noah pra mim?
Mary fixou seus olhos em Victorie.
-Por que quero dar um fim a tudo isso, quero acabar com Noah, e você, e eu temos o que é preciso. Ódio.
Victorie pensou a respeito, á alguns dias condenaria as palavras de Mary, mas hoje ela queria a mesma coisa, queria nunca mais tremer de medo ao ouvir uma voz, queria nunca mais se sentir tão suja a ponto de querer desaparecer. Hoje ela também tinha ódio.
-O Inimigo do meu inimigo é meu amigo.
 


Notas Finais


O que acharam?
Obrigada por terem chego até aqui.
Até o próximo pessoal. Bjo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...