História Teen Complications - 1° temporada - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Adolescente, Contos, Drama, Escola, Fanfic, Ficção, Ficçãogeral, Juvenil, Lésbica, Mistério, Popular, Romance, Selenagomez, Suspense, Teen
Exibições 1
Palavras 2.902
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Décimo episódio.

Capítulo 10 - Como Nos Velhos Tempos (In The Old Times)


Fanfic / Fanfiction Teen Complications - 1° temporada - Capítulo 10 - Como Nos Velhos Tempos (In The Old Times)

Anna (narração): "Do que você mais tem saudade? De quando você era criança e sua mãe contava histórias pra você dormir? De quando você era paquerada pelos garotos no ensino médio? Todos nós sentimos falta de alguma coisa, mesmo sendo ela recente ou passada. Uma pessoa, um objeto... Sentimos saudades por que somos feitos delas. Vivemos uma coisa que não volta mais, ou, simplesmente, por uma ironia do destino, ela pode voltar pra nós e nos deixar extremamente felizes. Mas será que temos que aceitar certas coisas de volta do nosso passado?".

Los Angeles

Janeiro de 1983

Lá estava eu... Uma tímida e introvertida Anna Monteiro, entrando na Gerald Statemann High School. Eu usava saias horrorosas, confesso, mas era moda na época. Naquela época, diferente de hoje em dia, ninguém ligava pra aparência. Meus primeiros dias na escola foram agradáveis, apesar de eu não falar com ninguém ainda. No quarto dia de aula, decidi sair da solidão, comprei uma bala de gengibre para mim, e dei a outra para uma garota tão tímida quanto eu. O nome dela? Amélia Vitinni.

Amélia: Pra mim?

Anna: Uhum...

Amélia: Ai, obrigada... Nunca ganhei uma bala de uma garota antes.

Anna: De nada. Anna Monteiro.

Amélia: Amélia Vitinni.

A partir daquele momento, eu e Amélia ficaríamos melhores amigas. Conversávamos sobre quase tudo. Eu já estava me enturmando com a galera da sala. Como Amélia sempre foi mais atirada do que eu... ela conseguiu atrair mais pessoas pro nosso grupo. Violet, Britney, Marcus e Thomas. Eles todos eram muito legais. Violet era maravilhosa, se vestia muito bem, e odiava ser chamada de patricinha... Já Britney, era o oposto, além de bem vestida, ela se achava superior a todos nós, mas era muito legal quando a questão era ajudar. Marcus era bonito, e eu confesso: tinha uma queda por ele. Ele jogava futebol americano e tinha um físico perfeito. Já Thomas era irmão gêmeo da Britney, e era bem nerd. Ele sabia tudo sobre Caverna do Dragão e desenhos do tipo. Bastava perguntar pra ele. Nós sempre andávamos em grupo, e logo, fomos atacados por um grupo rival.

O nosso grupo rival era composto por Regina, Elena, Maya e Wendy. Todas garotas mimadas que se achavam muito. Uma vez, ela - Regina - fez questão de nos incriminar por uma coisa que ela mesma fez. Nós tínhamos uma professora muito chata, a Sra. Zimmerman. Ela era gorda e baixinha. Era professora de geografia. Nesse dia, Regina jogou uma bolinha de papel na cabeça da Sra. Zimmerman.

Sra. Zimmerman: Quem foi o responsável por essa bolinha de papel?

Ninguém fala nada. Eu confesso que estou com vontade de falar que foi a vaca da Regina, mas me contenho. De repente, a jararaca solta o veneno.

Regina: Eu sei quem foi, querida professora.

Sra. Zimmerman: Pois então diga, senhorita Banks.

Regina: Foi a senhorita Monteiro.

Anna: É mentira.

Amélia: Não foi ela, foi a Regina.

Sra. Zimmerman: Calada, senhorita Vitinni. Minha conversa será com a Anna. Foi você quem jogou esta bolinha de papel em mim? - ela pergunta, me encarando.

Anna: Não! Foi a Regina, Sra. Zimmerman, eu vi. - respondo, apontando para Regina.

Regina: É mentira! Olhe em baixo da carteira dela, professora e verá que não estou mentindo.

Sra. Zimmerman, com dificuldade se abaixa e acaba vendo várias bolinhas de papel embaixo de minha carteira, no compartimento destinado a guardar o caderno. Aquela nojenta tinha armado pra mim. E eu, claro, me dei mal.

Sra. Zimmerman: Ora, ora, ora... Vejamos aqui. A prova do crime na sua cara e você me escondendo, senhorita Monteiro. Venha, vamos comigo a sala da diretoria. Isso é um desrespeito.

De repente, algo inacreditável. Todos os meus amigos também jogam várias bolinhas na professora.

Sra. Zimmerman: Mas o que é isso? Um complô?

Quando a professora dá por si, toda a sala está se jogando bolinhas de papel.

Denny: Mas logo vocês? Que nunca me deram problema?

Anna: Professor, não foi nossa culpa. - respondo, sentada junto com Amélia, Britney, Violet, Marcus e Thomas na sala da diretoria.

Denny: Mas e a prova do feito? As várias bolinhas de papel embaixo de sua carteira? - Naquela época, ter bolinhas de papel era quase um crime.

Amélia: Não estavam lá... Quer dizer... estavam, mas não eram nossas. Foi a Regina sim! Tenho certeza.

Denny: Me desculpem, mas, mesmo que a culpa não seja de vocês, tenho que puni-los. Ja que todos jogaram bolinhas na professora. Vocês passarão uma semana limpando o chão da quadra e o almoxarifado depois das aulas.

Naquele dia, todos nós ficamos indignados, mas com certeza a atitude dos meus amigos ajudou a gente a se ferrar mais.

Na manhã seguinte, após as aulas, encarei Regina quando saímos da sala.

Anna: Satisfeita com seu planinho ridículo?

Regina: Muito. E ai? O que você vai fazer para compensar as bolinhas que você e seus amigos trouxas jogaram na querida professora Zimmerman?

Anna: Isso não importa pra você. Mas eu quero que saiba de uma coisa: vou me vingar de você, Regina... E vai ser em breve.

Regina: Oh... jura? Anninha? Sabe que... Não tenho nem um pingo de medo de você?

Anna: É? Pois deveria ter! Me aguarde, Regina Banks, me aguarde.

Nós fomos para o primeiro dia do castigo. Eu me fiz de valentona pra cima da Regina, mas não tinha ideia do que fazer com ela. De repente, vejo uma coisa que não consigo acreditar. O namorado de Regina também está de castigo! Ele é muito bonito: é o Phillip. Sim, sim... O Phillip meu ex-marido. Mas calma, eu ainda vou chegar lá.

Phillip é bem mais legal e receptivo do que Regina. Ele logo nos cumprimenta quando chegamos a quadra.

Phillip: Olá. O que vieram fazer aqui?

Britney: Viemos limpar a quadra amorzinho... e você?

Phillip: Vim limpar alguns cantos da quadra.

Thomas: Você não é o namorado da Regina?

Phillip: Sim. Sou.

Anna: Espera aí... Você é namorado da Regina e está aqui? Porque?

Phillip: Regina acabou deixando cair café nas provas do professor Altman e pra não ser pega, preferiu por a culpa em mim.

Amélia: Ai... Essa piranha... Ah... Com todo respeito... Gosta de fazer isso com os outros...

Phillip: Espera aí, o que foi que ela fez com vocês?

Anna: Com eles nada... Comigo sim. Ela jogou uma bolinha de papel na Sra. Zimmerman e pôs a culpa em mim... Eles se entregaram pra me ajudar.

Phillip: Nossa... Vocês são bons amigos mesmo. Ja eu não tive a mesma sorte. Estou aqui sozinho. Nenhum dos meus amigos veio me ajudar.

Anna: Que pena.

Marcus: Vem cá... Vocês vão ficar parados aí, ou vão limpar a quadra? Ainda temos mais 6 dias pela frente e temos que nos apressar.

Confesso que fiquei balançada com o namorado da Regina. Ele era lindo. Alto, loiro, dentes branquinhos... Sonho de qualquer garota. Britney e Violet logo se jogaram pra cima dele. Já eu preferi ficar na minha e fazer o meu "trabalho". Quando nós terminamos o serviço... Paramos um pouco pra descansar e beber água, já que a quadra era grande e sujava muito devido as aulas de Educação Física todos os dias. Britney, Violet, Thomas e Amélia foram ao banheiro. Estamos apenas eu, Marcus e Phillip sentados no chão recém limpo.

Marcus: Vem cá, cara, você não cansa da Violet e da Britney dando em cima de você? É até cômico ver elas duas disputando pra você ver quem é mais rica.

Phillip: Cara, a melhor coisa a se fazer é ignorar. Nem da Regina eu gosto... Ela é muito mesquinha e eu prefiro as garotas mais simples.

O quê? Vou falar igual como minha filha fala hoje em dia... OMG!!!

Sim, ele estava dizendo que não gostava da dragoa da Regina. Confesso que fiquei feliz, porque... Agora eu saberia como me vingar daquela rã... Tive a ideia e contei para Amélia.

Amélia: O que? Você está louca? Ficar com o namorado da Regina?

Anna: É... Seria a melhor forma de me vingar dela. Eu prometi que ia me vingar né.. Não posso quebrar uma coisa tão séria.

Amélia: Eu entendi... Mas como é que você vai fazer isso?

Anna: Vou convidar ele pra sair.

Vou resumir a história: Eu consegui fazer ele sair comigo... Ele simpatizou comigo... Nós ficamos mais próximos... Ele me achou uma garota fantástica quando soube da minha história e origem simples... Se encantou pelos meus pais - que ainda são vivos, em outro episódio eles aparecerão -... Até que ele me convidou pra ir ao Baile de Formatura com ele. Regina continuou me perseguindo, mas parou ao ver que eu estava ficando amiga do namorado dela. Não sei porque, mas ela não tinha armado mais nada. Estranho. O ano passou rápido. Britney, por incrível que pareça, estava mudando. Ela até começou a namorar Marcus. Já Violet iria se mudar para Paris. Ela iria se tornar modelo profissional. Thomas iria pra Minnesota, onde iria se especializar em engenharia da computação. Todos nós estamos empolgados com o clima de despedida e nova vida entre nós. Danço com Phillip e Regina nos olha com trovão nos olhos. Depois disso, nós vamos dar uma volta antes de pegarmos nossos chapéus. Nós sentamos no banco em que nós costumávamos sentar nos dias normais de aula.

Phillip: Anna, você é uma garota muito especial.

Anna: (ri) ... Eu sei disso...

Phillip: Convencida. Eu... Posso te falar uma coisa?

Anna: Pode. - Eu estava nervosa. -

Phillip: Eu acho que... Estou apaixonado por você! - quando ele disse isso... Eu gelei. Não tive reação nenhuma por uns 2 minutos, só fiquei olhando com aquela mesma cara que a Chiquinha faz quando o Hector Bonilha vai na vila do Chaves. Acho que vocês sabem qual é.

Anna: Sabe, Phil, eu... Acho que também sinto a mesma coisa. - Apesar de querer fazer aquilo para me vingar de Regina, eu estava gostando dele de verdade. Ele era simples e como eu, gostava de tranquilidade e paz.

Nós aproximamos nossos rostos e nos beijamos. O beijo dele era tão bom. Mas logo fomos interrompidos por Amélia.

Amélia: Ai, que lindos... Vocês são fofos juntos. Eu poderia ficar aqui e fazer um milhão de perguntas. Mas é que já vão anunciar a rainha do baile e... vão entregar nossos diplomas e chapéus. Vamos lá pra dentro.

Fomos para dentro do auditório lotado. Regina e Britney eram as favoritas ao cargo de Rainha do Baile.

Denny: E a vencedora é....

Todos ficam em clima de suspense, embora o resultado seja óbvio.

Denny: Regina Banks.

A vaca vibra e sorri para todos. Ela sobe ao palco e recebe a coroa e o cedro. Antes de sentar no trono de Rainha e esperar pelo resultado do rei... ela faz um discurso.

Regina: Obrigada a toda a comunidade da escola que votou em mim. E... bem... eu queria chamar até aqui pra me dar um beijo de vitória o meu namorado... Phillip Sloan.

Todos olharam para Phillip. Ele hesitou um pouco em se levantar.

Regina: Vem logo, amorzinho.

Phillip se levantou. Eu não estava acreditando que ele ia se levantar e beijar aquela vaca. Não depois de ele ter dito que gostava de mim. Ele andou até o palco e quando Regina se aproximou para beijá-lo, ele se afastou. Todos ficaram surpresos e soltaram em uníssono um "Ohhh".

Phillip: Boa noite a todos. Bem, como todos puderam ver... A Regina é a rainha do baile. Quero te parabenizar, Regina... Mas, você me chamar até aqui é exagero demais. Sabe porque? Porque eu não sou mais seu namorado e nem vou te dar beijo nenhum. Você é muito chata, interesseira, mesquinha e se acha pra caramba. Estou terminando o nosso namoro aqui mesmo. Lembra quando você me humilhou publicamente me chamando de idiota e derrubando todas as minhas coisas no chão porque eu simplesmente não quis ir ate a sua casa com você? Então... agora quem está fazendo isso sou eu. Não estou mais com você Regina. Quero fazer um convite especial para uma garota mais especial ainda que está aqui. Anna Monteiro, você aceita ser minha nova namorada.

Agora todas as atenções e focos viravam pra mim, a tímida que ninguém notava. Eu me levantei e gritei em alto e bom som um sim. Estava emocionada pelo que ele tinha feito - e estava vingada. Nem precisei fazer nada -. Regina saiu de lá chorando. A noite foi ótima e eu diria que foi a melhor noite de nossas vidas. Dançamos, rimos, bebemos, mas logo depois, choramos e nos despedimos.

Amélia: Vou sentir sua falta, amiga. Vou morar em Seattle.

Anna: Ai, eu também... Vou ficar por aqui por Los Angeles mesmo.

Violet: E eu também não ganho abraço, Mon Cherri.

Anna: Claro que ganha, amiga. Boa viagem e sucesso em Paris.

Me despedi de meus outros amigos e fui para casa acompanhada de Phillip. Nos beijamos de novo. E quando já estávamos na porta de casa...

Anna: Obrigada. Por você ter feito o que fez hoje.

Phillip: Não foi nada... Mas, declarar o meu amor tem algum valor pra você?

Anna: Claro que tem. Eu sou sua namorada agora. Mas é que você tirou de mim o peso de ser atormentada pela Regina.

Phillip: Esquece a Regina. Agora somos só eu e você...

O tempo passou. Eu e Phillip namoramos de 1983 até 1988. Não tínhamos pressa em nos casar. Tínhamos sim uma briga ou outra de vez em quando. Mas foi aí que ele me surpreendeu. No dia 28 de Abril de 1988, ele me fez um jantar de noivado lindo. Eu estava radiante e claro... aceitei me casar com ele. Nós ficamos noivos até Agosto de 1989, quando os preparativos pro casamento começaram. No dia do casamento, muito choro e alegria... Foi um dos dias mais felizes de toda a minha vida. Phillip era realmente o homem da minha vida... O homem que eu conheci que estava limpando a quadra a seis anos atrás na escola. Eu me formei em Letras e Jornalismo, ele se formou em Artes Cênicas. Eu achava o máximo ter um marido ator... Nós ainda estávamos morando em Los Angeles quando ele recebeu o convite para a 1° novela. Ele fez pequenas participações, como todo ator principiante. Mas aí o tempo foi passando, passando, até que ele conseguiu o papel de coadjuvante. Certo dia, descobri uma coisa que mudaria nossa vida para sempre.

Anna: Mamãe... mamãe...

Helen: O que foi, filha?

Anna: Olha... - Mostro meu teste de gravidez, que deu positivo. Descobri isso no dia 29 de Setembro de 1996.

Os meses se passaram... Nossa felicidade parecia só aumentar. Quando o dia 20 de Junho de 1997 chegou... foi outro dia mais feliz da minha vida... A minha filha, Lívia, acabava de nascer. Ela era linda... Branquinha, calma, e era a minha cara. Dei esse nome a ela em homenagem a bisavó dela. Mamãe ficou muito emocionada.

Lívia crescia, Phillip fazia cada vez mais novelas, e nosso casamento estava esfriando. Ele estava no auge da carreira... E quase nunca parava em casa. Eu trabalhava como jornalista na LA Health, uma revista que falava sobre vida cotidiana em Los Angeles. Um dia fui visitar Phillip em um hotel bem no centro de Los Angeles, e me deparei com a pior cena que podia me deparar... Phillip estava deitado na cama, com outra mulher. Isso me destruiu por dentro. Fiquei semanas sem falar com ele. Mas eu perdoei e logo ele voltou pra casa. E daí foram mais três traições, uma em 2006, outra em 2008, e agora a mais recente em 2015. Eu cansei de tudo o que ele me havia feito passar. Sofri muito, mas entrei na justiça com um pedido de divórcio. Eu expliquei pra Lívia que seria melhor assim e ela aceitou minha decisão. Me mudei para Seattle com Phillip antes de me separar dele. Ele iria estrelar a novela "Broken Heart". E ai, nós nos separamos em 28 de Fevereiro de 2016. Me mudei também de casa, pois morava com ele ainda. E ai... é tudo o que vocês já sabem até agora. Apesar de fazer pouco tempo que eu me separei, ainda gosto dele... E percebo o mesmo da parte dele por mim, mas tenho medo de me machucar ainda mais. Tenho medo de ser traída de novo. Mas o amor fala mais alto e forte entre nós.

Lá estávamos nós, nos beijando em frente à minha nova casa. Tínhamos acabado de sair do restaurante onde ele tinha me levado.

Anna: Obrigada pela noite maravilhosa.

Phillip: Obrigado você por torná-la maravilhosa.

Nós nos beijamos. Ele ainda tinha um beijo muito bom. Quando nós paramos, ele me olha...

Phillip: Nos vemos amanhã?

Anna: Claro.

Nós damos um selinho e eu entro em casa.

A música que encerra o episódio é "I'm The Mood For Love", do Rod Stewart.

Anna entra em casa e tira os saltos, ri como uma adolescente apaixonada e deita no sofá.

Lívia: Tá tudo bem, mãe?

Anna: Tudo ótimo, filha. Como foi o jogo de futebol?

Lívia: Horrível. Acredita que o David...

Phillip (narração): "Você certamente já ouviu aquele famoso ditado do 'a gente só dá valor as coisas quando perde' não é mesmo? Bem, esse ditado se basea na minha vida agora. É incrível como algumas coisas nunca mudam. A Anna continua a mesma mulher fantástica que eu conheci".

Enquanto Lívia está falando, Anna olha para o teto com cara de boba.

Phillip chega em sua casa e também se joga no sofá... Ele alisa o porta retrato com a foto dele, Anna e Lívia.

"Se você sentiu que não deu valor a certa coisa e ainda não a perdeu.. Olha, se eu fosse você... Eu correria atrás do prejuízo agora mesmo... Como diria Benjamin Franklin, não deixe pra amanhã, o que pode fazer hoje... Vai que a vida sorri pra você e te trás uma luz no fim do túnel...".

Phillip: Eu ainda vou ter você de volta, Anna.

O episódio termina com as imagens de Anna e Phillip pensando um no outro.


Notas Finais


#ComoNosVelhosTempos postado. Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...