História Teen Complications - 1° temporada - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Adolescente, Contos, Drama, Escola, Fanfic, Ficção, Ficçãogeral, Juvenil, Lésbica, Mistério, Popular, Romance, Selenagomez, Suspense, Teen
Exibições 1
Palavras 2.873
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Décimo terceiro episódio.

Capítulo 13 - Superação (Superation)


Fanfic / Fanfiction Teen Complications - 1° temporada - Capítulo 13 - Superação (Superation)

Lívia (narração): "Porque será que se superar em alguma coisa é tão importante? Talvez seja porque a superação é um processo difícil, em que muitas das vezes nós demoramos a passar. Seja a superação de uma perda, seja a superação de uma coisa que nos abale emocionalmente, às vezes, somos pegos desprevenidos e é realmente difícil de superar. Mas um dia... nós sempre conseguimos".

Minha mãe estava estática na sala de Vanessa. Ela realmente não acreditava no que havia lido na revista.

Vanessa: O Phillip me assediou... Anna. Ele me fez uma proposta horrível... Olha, tudo bem que eu já tinha me envolvido com ele, mas... Nunca havia acontecido mais nada além de beijos e amassos! - Vaca, mentirosa... Você já havia transado várias vezes com meu pai. Tadinha da mamãe acreditando nisso tudo! E ela ainda falava isso aos prantos.

Anna: Nossa, e como foi que aconteceu?

Vanessa: Eu tinha ido até a casa do Phillip porque tinha marcado com ele, pra ele ser a capa da próxima edição da "Beauty Feminine"... Ele é um quarentão bonito, né... Faria o maior sucesso... Mas aí, eu cheguei lá e ele começou a falar umas coisas... Ele alisou minha perna e só não me estuprou por pouco. - OMG!!!! Quero dar um tiro nessa mulher... Alguém me arruma uma arma 😣🔫

Anna: Ô Vanessa... Não fica assim... Não acredito que o Phillip teve coragem de fazer isso...

Vanessa: Teve... Teve... Até eu não acreditei...

Anna abraça Vanessa, que está com um sorrisinho triunfante no rosto.

Eu já tinha terminado meu namoro com David e estava bem. Até porque ele estava muito estranho... Muito ciumento e dps do que ele fez com Eduardo, quase o matou, eu não queria mais namorar com ele mesmo. Por incrível que pareça, foi só eu retirar o status de relacionamento de meu perfil, e no outro dia isso ja estava bombando na escola... Ouvia muitos comentários de pessoas que eu nem sabia que existiam, meninas vinham me perguntar se era verdade, garotos me cumprimentavam - sendo que eu nunca tinha visto nenhum deles.

Gabriela: Como é que você está? Tá tudo bem? Chorou muito?

Lívia: Tô bem, Gabi... Não precisa se preocupar... Estou ótima.

Gabriela: Poxa...

Lívia: O que foi?

Gabriela: Você me fez gastar uma nota preta comprando lencinhos. E vem me dizer que está bem? Ah, qual é... Dá uma choradazinha, miga....

Ri muito desse comentário de Gabi, mas não estava afim de chorar. Vi David me secando, com uma cara de mal que meu Deus. Mas eu não estava mais nem aí pra ele, e não vou contar sobre o tapa que ele me deu, senão a coisa vai ficar pior.

Alessandra estava na sala, e também me lançava olhares. Confesso que estava irritada já com todo mundo me olhando como se eu tivesse feito a pior coisa do mundo. Eles que cuidem da vida deles... Terminei com ele sim e não me arrependo. Até porque se soubessem o que ele fez comigo, não iam mais venerá-lo.

Não sentei perto dele hoje. Sentei ao lado de Eduardo.

Eduardo: E aí? Como é que você tá?

Lívia: Estou ótima. Já você não me parece muito bem. Seu rosto tá meio roxo.

Eduardo: É... Mas olha lá, seu ex também não tá nada bonito.

Nós rimos.

No complexo do hospital, Kezya já estava se recuperando cada vez mais. Mas ela ainda estava muito preocupada com Leo, que ainda estava em coma.

Kezya: E como é que isso foi acontecer?

Lilian: Filha, ele teve muitas complicações devido a cirurgia. Ele vai sobreviver, só não saberemos quando ele vai acordar.

Kezya: Espero que seja logo, não quero deixar o Leo morrer por culpa das drogas, mãe...

Lilian: Ele não vai morrer, filha... Não vai.

Na revista, uma antiga amiga da mamãe ressurge. Ela veio negociar com Vanessa.

♪ O telefone de Vanessa toca ♪

Vanessa: Diga. Ah... Ja chegou? Mande entrar...

A porta se abre e a secretária de Vanessa entra na sala com uma mulher loira, alta e magra. Ela é muito bonita e chique. Ela é a Violet (Radha Mitchell), a amiga de mamãe que viajou para Paris depois que ela se casou com papai.

Vanessa: Violet Johnson... É um enorme prazer ter você aqui...

Violet: Obrigada... É uma honra receber o convite de uma revista tão influente como a "Beauty Feminine".

Elas sentam se em um belo sofá branco que decora a sala de Vanessa.

Minha mãe não está na revista porque está indo falar com meu pai. Ele está esperando por ela em um restaurante perto do centro da cidade. Ela chega e está com raiva dele. Ele está sentado em uma das mesas do restaurante, que não está muito cheio, mas há pessoas falando e comendo enormes pratos chiques.

Phillip: Anna... Olha, eu juro que não tenho nada haver com o que a Vanessa falou na revista.

Anna: Phillip, não precisa me explicar... Porque eu acredito na Vanessa, ela não mentiria a toa. Eu sei que vocês já tiveram um caso, mas ela me jurou que nunca passaram de amassos...

Phillip: É mentira dela, nós transamos várias vezes... Ela está mentindo, Anna...

Anna: Quem está mentindo é você, Phillip. Ou pensa que me enrola. Você é homem, e homens são todos iguais. Ou pensa que eu esqueci a traição? Quer dizer, as traições... Phillip, eu estava gostando de você outra vez... Eu estava me reapaixonando por você... Mas você... Sempre estraga tudo.. E por causa de mulheres. Não me procure mais, entendeu... Cansei, cansei Phillip de ser sempre a que leva chifres.

Ela se levanta e ele tenta impedir, mas ela se solta e vai andando. Ele a segue.

Phillip: Anna, espera, é mentira da Vanessa, eu... Eu nem dei entrevista pra ela ontem, eu nem recebi proposta... Anna... - Logo as súplicas de meu pai somem nos gritos das fãs que o acompanham na novela.

Minha mãe entra no carro e começa a chorar. Ela se sente traída de novo - mas é tudo mentira da Vanessa, gente... Tadinha.

Vou ao banheiro na escola. Alessandra parece que pediu pra ir também e veio atras de mim. Entro no banheiro e fico na pia lavando as mãos. Vejo Less entrar e continuo ali. Me surpreendo quando ela me agarra e me cheira... Ela tenta me beijar, mas eu a afasto.

Lívia: Que que isso, Less?

Alessandra: Finalmente, você está solteira. Lívia, olha, eu posso te fazer feliz melhor do que qualquer cara...

Lívia: Less... Não vai rolar.

Pego no rosto dela... Que me olha como se eu tivesse jogado um balde de água fria nela.

Lívia: Entende... Você é incrivelmente linda com esses olhos azuis, essa boca perfeita e seu corpo de parar Seattle inteira... Mas eu, sou hétero. E... Eu não tô preparada para ficar com alguém de novo logo. Eu acabei de terminar um namoro.

Alessandra: Mas eu posso esperar... eu quero muito você, Liv... Eu quero... - ela tenta se aproximar, mas eu a impeço.

Lívia: Desculpa, eu gosto de você... Mas como amiga. Somente isso... Nada a mais tá bem. Tchau, licença.

Saio do banheiro e Less fica desolada. Ela gosta de mim de verdade, mas eu não vou ficar com ela. Sou louca sim, mas não a ponto de virar lésbica se sinto algo muito forte por Edu.

Minha mãe chega na revista e vai direto para a sala de Vanessa. Ela é anunciada e Vanessa pede que ela entre.

Vanessa: Onde estava? Sumiu... Achei que tinha desistido de trabalhar aqui.

Anna: Desculpe, precisei resolver umas pendências. Foi a primeira e última vez.

Vanessa: Espere, deixa eu te apresentar, Violet Johnson, a modelo parisiense.

Anna: Violet Johnson? - minha mãe pergunta bem surpresa. - Espera... Você estudou em Los Angeles?

Violet: Estudei sim, porque?

Anna: Violet, sou eu... Anna Monteiro.

Violet: Anna... Oh, meu Deus, amiga...

Vanessa não entende nada e fica impressionada quando as duas se abraçam e ficam falando coisas de quando eram jovens.

Violet: Soube que você se separou do Phillip.

Anna: É... Eu me separei mesmo. O Phillip é um canalha abusado que só gosta de se divertir com os meus sentimentos. - Ela olha para Vanessa, que finge estar constrangida. - Ah, me desculpe, eu... É...

Vanessa: Tudo bem...

Violet: Me perdoe, também Vanessa. Esqueci de dizer que eu conheço Anna desde os tempos de escola. Agora reencontrei ela. Que ironia... Logo você que dizia que nunca ia trabalhar com moda.

Elas riem e Vanessa recebe uma mensagem de meu pai.

" Você me paga, Vanessa..."

Ela solta mais um sorrisinho maléfico.

O diretor pede para que todos os alunos se reúnam no pátio da escola. Nós fazemos isso e ele começa um discurso falando sobre o PRCE.

Robert: Bom dia, alunos e alunas.

Todos: Bom dia.

Robert: Muito bem, hoje estou aqui para informá-los sobre o Programa de Residência em Curso Específico. O que é isso? Bem, o PRCE, como pronunciamos abreviadamente, é um programa com a duração de no mínimo uns 5 anos, em que vocês estudarão na escola normal, e praticarão o que aprenderam com seus residentes chefes. Temos cursos específicos para medicina, direito, ciências contábeis e outros.

Gabriela: Diretor, tenho uma pergunta.

Robert: Diga, senhorita Barros.

Gabriela: O senhor falou que vamos estudar e praticar, como assim?

Robert: Bem... Vocês irão continuar estudando normalmente, só que com aulas em seus devidos blocos. E irão praticar seus cursos nos lugares certos, exemplo: quem escolher medicina, irá praticar no hospital, com os residentes chefes, que serão como professores. Vamos selecionar apenas alguns alunos... Para cada curso... então, anotem logo seus nomes e cursos que querem fazer...

Gabriela: E aí? Vai fazer? - ela pergunta pra mim.

Lívia: Vou, sim... Só que tô em dúvida entre Jornalismo e Medicina.

Gabriela: Vou fazer pra medicina.

Alessandra não havia ficado no discurso de Robert, havia ido direto para casa de Ava.

Alessandra: Olá, senhora Shepherd. - diz, em pé na porta.

Ava: Olá, minha querida. Entre... Sente-se. - ela faz sinal para Alessandra entrar. Ela entra e Ava tranca a porta.

Alessandra: Obrigada. Senhora Ava, eu gosta... - elas se encaminham para o sofá e as sentam.

Ava: Ah, Ah... Elimine esse senhora. Pode me chamar apenas de Ava.

Alessandra: Tudo bem. Ava, eu gostaria de ver umas fotos da minha mãe com você. Poderia me mostrar?

Ava: Claro... só preciso de um tempo para procurar os álbuns. Vamos lá.. Me ajude... - diz ela, se levantando do sofá.

Alessandra: Eu já vou, só me diga onde é o banheiro... Estou muito apertada.

Ava: Oh... Fica no final do corredor, última porta a esquerda.

Alessandra: Obrigada. - ela espera Ava se afastar e procura pelo escritório da milionária. Ao achar a tal porta, ela fecha e começa a remexer algumas coisas.

Eu não tenho ideia do que ela iria fazer ali, mas que ela está estranha ela está né... Que obsessão é essa contra Ava? E ainda mentir fingindo ser uma pessoa que ela não é... Alguma coisa ela está armando.

Na escola... Eduardo estava mais próximo do pessoal - Daniel, Gabriela, Victória e Werlley - do que David... Que só estava se afastando mais. Eu e Eduardo estávamos muito mais próximos também desde a briga dele e David.

Eduardo: Então, galera... Queria fazer um convite pra vocês.

Daniel: Fala aí, cara.

Eduardo: A irmã da minha mãe é dona de uma lanchonete com uma pista de boliche... A gente poderia ir lá jogar não acham?

Gabriela: Eu acho ótimo... Nossa, finalmente a gente vai poder fazer alguma coisa em que todos vão participar... Não só os garotos... Como foi no jogo de futebol.

Daniel: Ah, amor... Essa história de novo? Tudo bem, Edu... Nós vamos.

Gabriela: Nós mesmo. Quero te ganhar, sou a melhor no boliche.

Eles se beijaram em seguida.

Eduardo: E você Lívia, vai?

Lívia: Vou sim... Claro.

Eduardo: Então, vamos... Eu te acompanho até em casa.

Lívia: Vamos sim... Gente... Já vou indo - fui me despedindo com um toque de mão em cada um...

Gabriela: Tchau...

Daniel: Sayonara, Liv.

Werlley: Bye.

Lívia: Ah... Espera... Vou ir visitar a Kezya. Vamos, Vick?

Victória: Vamos. Até logo mais pessoal.

Na casa de Ava, Alessandra revirava tudo... Até que achou uma pasta misteriosa... Nela estava escrito "por favor, se achar esta pasta, não mexa e deixe no mesmo lugar". Devia ser alguma ordem de recomendação a algum empregado. Ela abre a pasta e vê fotos de um bebê muito bonitinho... Um garoto sorridente, etc... Ela acha aquilo estranho... Até ver uma certidão de nascimento.

Alessandra: Anthony Gustav Weaver Shepherd. Shepherd? Mas eu pensei que...

Alguém empurra a porta e abre. É Ava.

Ava: Mas o que... O que você está fazendo aqui? E com isso nas mãos?

Chego até o quarto de Kezya e Leo. Ela está deitada descansando e Leo continua na mesma, em coma e cheio de aparelhos. Edu e Victória preferiram deixar eu entrar sozinha, já que só pode entrar uma pessoa por vez.

Lívia: Amiga... - ela abre os olhos e me olha.

Kezya: Pensei que não iria vir me ver...

Lívia: E eu ia deixar minha melhor amiga? Tenho uma coisa pra te contar.

Kezya: O que?

Lívia: Terminei com o David.

Kezya: Aleluuuiaaa... ai... Não posso me esforçar... DROGA. - Ela deu um gritinho, que logo foi interrompido quando as cicatrizes da cirurgia doeram.

Lívia: Sua louca... Quer o que? Abrir as cicatrizes e ter uma nova cirurgia?

Kezya: Não... Quero o meu Leo de volta.

Pego na mão dela e beijo.

Lívia: Ô amiga... Vamos ter fé. Ele vai sair bem dessa... Ele só tá dormindo... Deve estar tendo altos sonhos eróticos com você.

El ri... mas a cirurgia dói... e ela logo para.

Kezya: Agora é você que quer me matar, vadia.

Clima de tensão na casa de Ava.

Ava: Sabrina... Por favor, largue isto.

Alessandra: Não sou a Sabrina...

Ava: Do que está falando?

Alessandra: Sou uma aluna da escola do seu marido...

Ava: Então você mentiu pra mim? Ótimo... Vou chamar os seguranças.

Alessandra: Ah, ah.... Não tente... Quero saber exatamente o que é isto aqui. Senão eu mesma entrego nas mãos do Shepherd.

Ava: Mas o que é isso, garota? Nem lhe conheço e você me vem com ameaças. Saia da minha casa porque é melhor para você.

Alessandra: Olha aqui... É melhor você me contar logo porque existe uma criança registrada no nome do Shepherd se ele me disse que nunca pôde ter filhos e vocês preferiram assim, ou eu jogo isso no ventilador pro primeiro jornal que eu encontrar. E ai?

Ava: Como é que você sabe tanto do Robert sendo apenas uma... aluna?

Alessandra: Isso não vem ao caso. Me conte logo, ou quer que ele e os EUA inteiros saibam? Olha aqui... Tenho o celular do Robert... Ou você fala, ou eu ligo pra ele e conto o que achei.

Ava hesita um pouco ao falar. Mas acaba respirando fundo... e começa.

Ava: Eu... Traí o Robert ha alguns anos atrás... Eu sempre quis ter um filho... Mas ele não podia então... Tive que fazer isso.

A cara de Alessandra é surpreendente... Ela começa a rir ironicamente... E tira fotos da pasta de Ava...

Alessandra: Muito obrigada, senhora... Não se preocupe, não vou mandar pra nenhum jornal... Apenas quero uma vingança.

Ava não entende nada... Mas recolhe a pasta e a esconde.

Ava: E o que vai fazer com essas fotos, garota?

Alessandra: Segredos de estado, baby... Segredos de estado. - Ela manda um beijo no ar para Ava, que chora no sofá após a saída de Less.

Anoitece e finalmente chega a hora de ir para a lanchonete da tia de Edu. Eu estou toda bonita... Camisa do Nirvana é claro, mas com uma jaqueta por cima, calças jeans coladas, e toda maquiada, o que quase nunca faço. Espero Edu na sala de casa. Ouço a campainha tocar... Abro a porta e é ele. Está lindo: uma camisa xadrez azul, calças jeans brancas, e um tênis lindo.

Eduardo: Oi... Nossa... você está linda.

Lívia: Obrigada... você também está... gato. Perfeito!

Começa a tocar a música "Ho, Hey" do The Lumineers.

Lívia (narração): "Incrível né? Como a vida insiste em nos mandar frustrações. Mas sabe... O melhor a fazer é deixar pra lá e se jogar na vida... Quer dizer na parte boa dela. Eu estou assim, me frustro, não deixo a tristeza tomar conta de mim... Meus amigos são tudo que eu tenho... E, sem eles, não sei se agora eu estaria aqui toda valentona falando essas coisas de auto ajuda... Mas, ser feliz e saber aproveitar cada momento com quem se gosta é algo único e mágico... e frustração nenhuma nesse mundo vai nos roubar a alegria e o significado que isso tem".

O episódio conclui com imagens de Lívia, Eduardo, Gabriela, Daniel, Werlley e Victória jogando boliche, Violet, Anna e Amélia bebendo e dançando juntas na casa de Amélia, Kezya olhando para Leo e sorrindo, Ava triste e melancólica jantando sozinha de novo, Alessandra falando com alguém ao celular e olhando as fotos que tirou no computador, Robert transando com uma aluna desconhecida e Phillip pensando em Anna.

Depois que saem do boliche, os amigos vão a lanchonete... Eles comem seus lanches e riem... felizes. Quem observa tudo de longe é David, que está do lado de fora da lanchonete e observa atenciosamente a Lívia e Eduardo. Ele cospe no chão e anda até seu carro. Eles continuam rindo e conversando.

David chega em sua casa e sobe as escadas. Ele entra em seu quarto, fecha a porta e se senta na cama.

David: Ah, Lívia... Você e esse playboyzinho de merda estão de sacanagem comigo... Abracinhos, risinhos bobos... Ah, tudo isso me dá nojo. Você vai voltar pra mim e se arrepender de ter escolhido esse estorvo. - Ele tira uma arma de debaixo da cama. - Vamos ver até onde você vai aguentar esse joguinho. Vamos ver... - Ele mira a arma no rosto Lívia em uma das fotos que ele usou no jantar que fez para pedir ela em namoro.


Notas Finais


#Superação postado. Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...