História Teen Spirits (Luke Hemmings) - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Luke Hemmings, Michael Clifford, Personagens Originais
Tags Drama, Drogas, Fanfic, Novela, Ocean, Romance, Sexo, Starry, Storm
Exibições 73
Palavras 1.549
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


EU NÃO CONSEGUI ESPERAR PRA POSTAR ESSE CAP

hello, baes <3

então, talvez vocês não tenham achado esse capitulo *muito* bom, mas.... esse foi um dos essenciais pra dar inicio as tretas

Capítulo 17 - Like a Lost Boy


A Team - Ed Sheeran 

Letty's P.O.V

Após terminar de falar com Starry no colégio, saí da sala apressadamente pelo simples fato de não conseguir encará-la por mais tempo.

Não porque eu a odeie, não. Mas porque, eu tenho a droga de um acordo com Michael. Um acordo que eu me arrependo profundamente.

Ao sair da sala, avisto Ryan alí, parado no meio do corredor. Ele estava esperando pela Starry, como previsto. Eu não o conheço, muito menos faço questão disso.

- Ela ainda está na sala? - Ele me pergunta assim que põe seus olhos em mim.

- Aham, e sem seus amigos, como falei - Suspiro cansada, apenas repetindo todo o planejado. - Só, por favor, não machuque ela.

Ele apenas continua com sua expressão vazia, sem sentimento algum. E é nesse momento que me sinto a pior pessoa.

Apresso meus passos, apenas para sair logo de lá. Eu não quero ver minha ex-melhor amiga sendo machucada por um babaca. Mas eu contribuí com isso de qualquer forma, prefiro pensar que não, mas sei que sim. Sei também que, o que estou fazendo é ridículo.

Após sair do colégio e caminhar até o estacionamento, onde estava meu carro, paro em abrupto quando vejo aquele rosto que, para mim, já se tornou muito conhecido. E eu não queria vê-lo hoje, nem nunca mais.

- O que você quer, Tyler? - Pergunto assim que chego perto do meu carro, onde ele estava escorado.

- Hey, calma babe - O ruivo natural revirou sua olhos cinzas, com um sorrisinho típico. - Só estou vendo se você anda fazendo tudo certinho.

- Não preciso de um babá - Reviro os olhos, dou a volta no carro, para poder entrar. E assim que destravo o mesmo, o ruivo com sardas no nariz e bochechas também adentra.

- Letty, sabe que você precisa parar com isso tudo, não é? - Ele pergunta arrumando seus cabelos, que batiam nos ombros, em um coque. - Quero dizer, se você está ajudando a gente, você precisa parar de se importar com eles - Ele completa quando percebe que eu não entendi.

- Sei o que estou fazendo, ok? - Ele apenas dá de ombros, colocando um cigarro ente os lábios, e longo o acendendo com o esqueiro que estava jogado no porta-luvas do carro.

[...]

Quando chego na casa de Mike, sou recebida pelo Joshua, que estava com uma garrafa de cerveja na mão, e um cigarro entre os dedos. Ele estava usando seu óculos – que normalmente ele o usa só para a leitura –, dando um ar retrô, junto à sua camisa xadrez, seus jeans rasgados e seu tênis preto já desgastado.

- Hey, Josh...

- Michael já estava ficando louco com sua demora - Ele me corta, abrindo espaço para que eu entrasse lá. - Cadê Tyler?

- Ele ficou num bar, lá pra trás - Falo jogando minha mochila no chão, perto do cabideiro para casacos.

- Hm, ok - Ele disse por fim. Após fechar a porta, ele levou o cigarro até os lábios rubros, e depois expeliu a fumaça.

Eu também queria fumar, porém agora tenho que resolver algumas coisas. Primeiro, com Mike, depois com Ryan. Eu sou uma merda, de verdade.

Enquanto caminho até a sala onde ocorre as reuniões, sinto meu celular vibrar. É uma mensagem de Andrei, dizendo sobre a viagem amanhã. Claro, eu não vou. Seria meio constrangedor, e também, tenho que resolver algumas coisas antes. Então apenas mando uma mensagem simplória:

Eu;

Desculpe, Andy. Não vai dar, vou estar ocupada com algumas coisas nesse final de semana. Fica para a próxima.

Não era de fato mentira, mas sim uma omissão. E tenho coisas mais graves para me preocupar, não vou me deixar levar por eles, não agora. Claro, me sinto culpada de uma certa forma, mas já estou nessa. Não tem como deixar isso assim, do nada.

- Finalmente, Letty - Michael fingiu sorrir quando adentrei a sala, mas apenas revirei oa olhos. Realmente desnecessário. - Espero que tenha feito tudo certo, querida.

- Eu fiz sim, Clifford. Não se preocupe - Falo com desdém e apenas continuo batucando meus dedos na mesa de vidro, que ecoava pela sala pouco mobiliada.

- Ótimo - Ele disse concordando. - Agora só falta Hemmings cair.

- Mike, tem certeza de que vai fazer isso com ele? Vocês são amigos, porra!

- Olha, Letty, não preciso que me diga o que fazer; até porque não sou idiota - Ele me encara agora, e pega a garrafa se tequila ao seu lado, levando a boca. - Mas sim. Ele precisa aprender com a vida, ele é como um irmão pra mim, você sabe. E quero que ele não seja de coração mole, ele precisa perder alguém.

- Mas você sabe que também está confiando em Tyler, né? Ele, definitivamente, não é confiável - Solto por fim, fazendo o ruivo artificial em minha frente, concordar.

Eu faço muita merda, e que às vezes, não consigo controlar de acordo com o que vai acontecendo. Eu me deixei levar por drogas e sexo. Eu nunca fui muito manipulável, muito menos falsa ou coisa do tipo.

- Letty, você precisa esquecer a sua amizade com Starry, mas precisa se aproximar dela, e entregá-la para Ryan.

Michael ser insensível às vezes me dá nos nervos.

- Eu não entendo essa sua obsessão por poder, Mike, de verdade. Já não basta o quanto você ganha? Tem que entrar em "parceria" a outros mafiosos também?

- Isso não te diz respeito - Ele fala por fim. - A única coisa que você deve fazer, é afastar Starry de Luke.

- E assim fazer com que Luke a esqueça, ou sei lá. Ah, e também ganhar espaço nas "terras" de Ryan - Completo sua fala revirando os olhos.

Sinto falta da minha vida monótona e simples, onde eu só ia em festas ou shows; e ainda tinha meus melhores amigos.

- E eu só preciso que Ryan pare de ameaçar a mim e a Luke - Mike tinha seu olhar vago, não tinha um ponto fixo. - Não posso deixar que Ryan mate mais alguém que eu conheça.

[...]

Após sair da casa do Michael, eu dirigi até a praia. Nesse horário pela noite, a Orla costuma ficar vazia.

Eu sempre gostei do vento gélido e salgado que o mar trazia. Foi sempre libertador, como se tirasse todo o peso de meus problemas, como se eu pudesse voar. Claro, com a ajuda de cigarros e bebidas, também. Então tiro meu maço de cigarros do bolso, e depois o acendo.

- Letty? - Ouço uma voz distante chamar por mim.

Ao me virar, vejo fios loiros balançando ao vento, um cara com uma blusa preta e gasta de uma banda que não curto muito, uma calça preta skinny e um coturno também preto. Como um garoto perdido.

- Oi, Luke - Falo enquanto Solto a fumaça entre meus dentes. Sinceramente, Luke não é a pessoa que mais quero ver agora, não depois da conversa com Mike.

- Hm, você... - Ele para de falar. Ele parecia estar bêbado, seus olhos também estavam vermelhos. - Tem falado com Starry?

Merda.

- Não, Luke - Ofereço o cigarro a ele, que logo aceita. - E você deve esquecê-la, cara.

Ele agora se opoiou na divisa de madeira da Orla, que nos separava da praia e do mar. Seu olhar estava perdido no mar, e ele fumava descontroladamente.

- Eu não consigo, sabe? - Ele falava como suspiros cansados. - Não depois de hoje.

- O que aconteceu hoje?

- Eu bati no Ryan depois do colégio, ele... - O louro agora encarava o céu estrelado, típico da Austrália. - Ele queria abusar de Tarry, novamente.

Merda, merda, merda.

Ryan deve estar puto com Luke, e é o que menos preciso. É o que ele menos precisa agora. Mike vai pirar quando souber disso.

- Porra, Luke! - Reviro meus olhos. Vou ter que me encontrar com Ryan antes do planejado. - Você só faz merda, cara.

- Eu sei disso - Ele jogou o pequeno tubinho do cigarro no chão, amassando com a bota depois.

- Eu... tenho que ir - Falo antes de me virar e tentar começar a andar.

- Não deixe Starry perto dele, Letty - Ele pareceu fungar, e isso destruiu uma outra parte de mim.

Eu apenas concordo com a cabeça, então volto a caminhar, sem me virar e olhá-lo, olhar para aqueles olhos perdidos.

Do jeito que Ryan é, ele vai querer acabar com Luke. Ele tem se segurado muito, porque se ele fizer isso, vai mexer com a ira de Michael, por matar a única pessoa que ele ainda tem, o seu único irmão.

E como se Ryan tivesse uma conexão com as merdas que ocorrem no mundo, ele me liga.

- Olha, Letty - Ele estava bem nervoso  ao outro lado da linha, deu para perceber com duas palavras. - Sei que você está tentando essa porra toda há três dias, porém eu não quero receber ameaças do Hemmings de novo, ok? - Ele fez uma longa pausa, longa o suficiente para me fazer hiperventilar pelo nervosismo que estava me causando. - Só vou lhe dar mais cinco dias.

E nisso, ele desligou.


Notas Finais


Então, eu queria saber o que vcs estão achando....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...