História Teen Titans - Escola - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Novos Titãs (Teen Titans)
Tags Robrae
Exibições 58
Palavras 1.009
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Hentai, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 32 - Capítulo 32


                                                          Robin [ On ]

Na verdade, o plano era ótimo, enfim recebemos um chamado e dizia que havia alguém invadindo um museu e era o mesmo que o Grell havia apontado para ser o próximo. Querem saber como era o plano? Era exatamente isso: Diana ficaria na entrada esperando se ela fugisse por lá, Superman e Batman ficariam na parte da luta e eu a esperaria na ponta do prédio aonde ela provavelmente iria pular e de alguma forma voar. Então logo ouvi barulhos de vidros se quebrando e socos, logo ouço um barulho de passos ecoando pelo corredor e direção a escadas então me escondo atrás de uma estátua. Meia noite e meia e nem sinal dela, mas logo pode ver uma silhueta feminina correr na direção em minha direção. Logo ela se aproximou de onde eu estava a peguei desprevenida e lhe deu uma rasteira, mas a segurei pelo pulso antes que caísse, e a levantei sem soltar seu pulso. Torci o braço dela e a imobilizei.

Ladra: Impressionante – Disse ela com um sorriso de canto – Ninguém nunca descobriu minha sequência, parabéns. – Disse enquanto tentava se soltar.

Robin: Pois não fui eu, pode agradecer a ele quando se encontrarem. Mas finalmente consegui pegar você, não é mesmo?

Ladra: Não comemore ainda não me prendeu. - Me encarou – E essa sua imobilização não vai durar muito tempo – Disse e com facilidade se libertou da imobilização ficando de frente para mim e me empurrando de costas até uma parede.

A observei atentamente a pequena mão sobre meu peito agarrei a cintura dela e inverti as posições colocando-a de costas contra a parede. Ela me lançou um olhar assustado e atento ao mesmo tempo, arqueou uma sobrancelha e respirou ofegante, atitudes que não passaram despercebidas por mim.

Robin: Com medo é corvinho? – Sorri de lado.

Ladra: Não mesmo. – Disse me encarando e tentou se livrar das minhas mãos. Coloquei uma das mãos ao lado do rosto da ladra e continuei com outra na cintura da mesma prendendo-a contra o bloco de cimento. – O que você quer?

Robin: Bom, depois de te prender, queria saber como faz para passar despercebida nas câmeras.

Ladra: Você não vai conseguir me prender, mas.... Quanto a isso eu.... Posso te contar – Disse sedutora enquanto colocava uma mão sobre a própria boca logo. Ela retirou a mão que estava no meu peito e a levou até a minha cabeça e colocou a outra no mesmo lugar, ela o puxou para mais perto, mas não o beijou como o rapaz esperava, se aproximou da orelha dele e disse. – Percebeu que existe uma parede preta no canto do museu? Não, porque não existe essa parede está exatamente na câmera e com um grande ajuda dos meus poderes dá para disfarçar muito bem. – Disse sedutora, mas sabendo aonde esse clima iria dar puxei o seu braço e bati sua cabeça contra a estátua a fazendo ficar inconsciente por alguns segundos e assim conseguindo prende-la, logo Superman e Batman chegam.

Batman: Ótimo Damian, vamos para o carro.

***

Já fazia um tempo que estávamos no Bat-Móvel, a ladra ainda estava completamente calada com o seu cabelo tampando o rosto, logo depois quando acabamos de chegar ao local onde ela seria interrogada pelo Grell ela simplesmente pulou do carro e começou a voar, Diana tentou ir atrás, mas ela era mais rápida então a mesma abriu um portal e foi para algum lugar.

Batman: Já esperava. – Me encarou sério. – Nem para prende alguém você serve?

Robin: Pelo menos eu consigo prender alguém. – Revirei os olhos.

Batman: Quieto! – Gritou com raiva que me fez ter um pouco de medo.

                                                  Raven [ On ]

Cheguei em casa batendo a porta com raiva, meus joelhos ainda ardiam por causa da queda. Subi as escadas e entrei no meu quarto e fui tomar um banho, coloquei somente uma blusa preta larga e uma calcinha, deitei na cama cansada e pensei um pouco.

Raven: Tenho que tomar mais cuidado. – Falei. – Mas eles foram bons hoje... – Sussurrei. – Como conseguiram? – Me virei e percebi que meu celular vibrava, então o peguei e vi que era de um número desconhecido, apenas atendi e esperei que falassem algo. – Alô? – Perguntei e logo em seguida pareceu ser um barulho de socos? Chutes. Desliguei e não entendi absolutamente nada, logo depois ligaram de novo e de novo e de novo e de novo e de novo, poderia repetir isso o resto do dia ou melhor da noite. Mal consegui dormir, então fui a cozinha ver se tinha algo para comer, não tinha nada que me agradasse.

Raven: Que merda. – Sussurrei.

Louis: Procurando algo para comer? – Riu.

Raven: Caralho, estava aonde?

Louis: Entrei pela janela do seu quarto agora, deveria fecha-la de noite.

Raven: Concordo, talvez você devesse bater na porta como uma pessoa normal, não?

Louis: Ok, quer que eu repita?

Raven: Não vai dar muito trabalho. – Ri e olhei para trás. – Talvez o senhor cozinheiro pudesse fazer algo para eu comer, não é mesmo?

Louis: Por que sempre sou eu? – Bufou e foi até a cozinha e eu o acompanhei. – Você vai me ajudar. - Fomos direto para cozinha, lavei as mãos e comecei a fazer o que ele pediu ajudando com a comida, descascando e cortando legumes e carnes. O tempo todo mais brincamos do que fazemos a comida, não demorou muito e o almoço estava pronto, colocamos tudo na mesa e chamamos todos para comer. O almoço foi agradável, todos conversavam sem brigas nem nada, apenas contando casos antigos e risos se espalhavam pela cozinha.

Subi para meu quarto e escovei os dentes, deitei na cama e esperei Louis sair do banheiro e se deitar ao meu lado. Fiquei fitando o teto por alguns minutos.

***

Louis: Avisou aos seus irmãos que eu dormiria aqui?

Raven: Avisei a alguns minutos. – Ri.

 O silencio se fez presente, então Louis apoiou seu braço na minha cabeça.

Louis: Onde o Vírus está?

Raven: Tá tão interessado. – Ri – Por que será ein?

Louis: Por nada menina, apenas curiosidade. – Ri e ele ficou vermelho.


Notas Finais


OOO vai embora não! Deixa seu
comentário com o que achou aí embaixo
VAI! Custa nada não pessoa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...