História Teen Wolf Nova Geração - Interativa - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~Epilif

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Aiden, Alan Deaton, Allison Argent, Brett Talbot, Chris Argent, Claudia Stilinski, Cora Hale, Danny Mahealani, Decaulion, Derek Hale, Ethan, Hayden Romero, Isaac Lahey, Jackson Whittemore, Jordan Parrish, Kate Argent, Kira Yukimura, Laura Hale, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Marin Morrell, Mason Hewitt, Melissa McCall, Natalie Martin, Paige, Personagens Originais, Peter Hale, Rafael McCall, Scott McCall, Sheriff John Stilinski, Stiles Stilinski, Talia Hale, Theo Raeken
Exibições 100
Palavras 1.421
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Super Power, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Annyeong Terráqueos!

Sei que demorei, mas quero me explicar:

-Como eu disse, meus pais estavam brigando muito, mas numa reviravolta eles resolveram que iriam viajar sim u.u nunca vou entender eles

-Houve um probleminha com o sistema da minha escola e descobri que eu não passei de ano, se eu estou magoada? Um pouco, mas sei que não podiam me passar com esses problemas de saúde afetando o meu conhecimento u.u

-Eu terminei com meu namorado... Tenso

-Minha prima sumiu com o Not dela e eu ODEIO escrever pelo celular, os capitulos não saem grandes

Eu queria escrever antes, mas o bloqueio com tantos problemas não deixou

Os gêmeos do capitulo estão na capa e vão aparecer mais no próximo capitulo

Tentei insinuar casais pra ver se vocês gostam ou não, se quiserem vee as fichas deles pra ter uma opinião formada é só falar.

Vou criar um grupo no wpp da fic pra saber o que vocês acham dela, receber sugestões e coisas assim.

"Boatos que vai ter spoiler la"

Se quiserem entrar, manda mensagem aqui no spirit.

Mas é isso, aproveitem o capitulo mesmo q esteja pequeno

XOXO

Saranghae

Capítulo 3 - Intervalo


Fanfic / Fanfiction Teen Wolf Nova Geração - Interativa - Capítulo 3 - Intervalo

Point Of View Rebekah

Chegamos em casa e vou logo correndo pra falar com a minha mãe e meu pai sobre a morte da professora.

-Vocês já ficaram sabendo? – Ally perguntou mordendo uma maçã... Verde.

-Eu soube pelo xerife. – Papai comenta e mamãe fica tensa, olho pra Ally que me olha da mesma forma, aí tem!

-Vocês eram amigos né?! – Pergunto me escorando na parede enquanto mordo um pedaço de cenoura com bastante chantilly, Ally me olha com nojo.

-Isso foi no passado, agora ele é só um colega de trabalho do seu pai. – Minha mãe diz e sai da cozinha.

-O que deu nela Parrish? – Ally pergunta.

-Eu não sei, Lydia esta estranha desde que voltamos a Beacon... Será que isso tem algo haver com seu pai Ally? – Meu pai disse pensativo.

-Eu espero que não. – Ally disse bufando.

-Ally, por que você não gosta do seu pai? – Perguntei curiosa, já que nunca fiquei sabendo sobre isso.

-Okay, essa papo estou fora. – Meu pai fala saindo do cômodo.

-Ele não é um pai, não quis me assumir e estava nem ai se minha mãe ia viajar e ele não ia me ver. Ele nem sequer manda cartas, não liga, não manda mensagem. Eu nunca falei com ele, não sei como ele é, nem uma foto eu tenho. Ele é como um desconhecido. – Ela diz com frustração e talvez mágoa na voz.

-Você odeia quem então?

-Como assim?

-Se seu pai é um desconhecido pra você, então você odeia quem?

-Um cara que não assume suas responsabilidades. – Ela levanta do banco da bancada que estava sentada e sai andando.

Suspiro, esse ódio não faz bem pra ela.

Point Of View Kityn

Papai esta estressado com o trabalho, segundo ele, essa morte foi algo sobrenatural e desconhecido. Ele resolveu ir ao Deaton e depois de muita insistência ele me deixou ir junto, relutantemente.

-Oi Dian, oi Marin. – Comprimento Dimitre e a mãe que estavam lá. Eles assentem em um comprimento curto.

-Algum sucesso na busca? – Meu pai perguntou.

-Eu descobri uma coisa. – Deaton pega um livro e as fotos do corpo. – Estão vendo esses símbolos? São símbolos mitológicos, especificamente símbolos de oferendas.

-Oferendas? Como assim?

-Oferendas a Plutão.

-Quem é Plutão? – Perguntei totalmente confuso.

-Plutão ou Dis é o deus dos mortos e das riquezas na mitologia romana. – Marin diz se aproximando e abrindo o livro em uma pagina cheia de símbolos. – As oferendas costumam ser feitas por pessoas perto da morte, elas querem um bom lugar no submundo, o que não acontece, pois Plutão é um deus mentiroso.

-Estamos falando de oferendas a um deus romano? – Dimitre se manifesta.

-É provável, mas tem algo que não bate. As oferendas romanas são feitas em finais de meses. As vitimas tem que ser mortas lentamente e enterradas.

-Estamos no começo de Fevereiro, a professora foi morta em questão de 15 minutos ou menos e não foi enterrada. – Meu pai diz suspirando.

-Um amador talvez? – Tentei.

-É uma opção. Posso levar esse livro pra ver se consigo mais informações?

-Claro.

Saimos de la e fiquei com isso na cabeça o resto do dia até finalmente ir dormir.

Point Of View Alexander

Inquieto. Foi assim que acordei, estou com uma sensação ruim sobre hoje. Assim que cheguei na escola fui direto a diretoria evitando encostar nos alunos, "faltei" no primeiro dia.

Vou ao meu armário ja escutando murmúrios, ótimo. Fechei a porta do armário e olhei pro corredor.

Várias pessoas passando, mas só uma me chamou a atenção, pois tive um pressentimento ruim sobre o garoto que agora mexia no seu armário. Não é a primeira vez que o vejo, é o filho do xerife, Kityn eu acho.

Desde o ano passado que me mudei pra ca, esse garoto mexe comigo, não em forma de atração, mas sim porque sempre tenho um mal pressentimento com ele.

Ele percebe meu olhar sobre ele e cora.

“Adorável”

-Não começa. – Digo pra mim mesmo.

"Aceite que o garoto é bonito Alec"

-Não estou aqui pra isso. – Sussurro me virando pro meu armário depois de ver o olhar confuso do garoto.

"Você sempre caga tudo"

-Droga. – Exclamo ao deixar cair meus livros.

Sinto um olhar sobre mim e vejo Kityn dando uma risadinha antes de sair andando.

Point Of View America

Na hora do intervalo sinto alguém se sentar ao meu lado.

-Oi. – Eliza fala simples. – Posso me sentar aqui?

-Claro. – Sorrio pra ela.

-Você já viu os Gêmeos que vieram hoje? Encrenca em dobro. – Ela fala olhando fixamente pra porta do refeitório.

-Encrenca em dobro? – Pergunto levantando a sobrancelha.

-Eles são chamados assim.

-Então não quero nem saber sobre esse assunto.

-E sobre a professora morta?

-O que tem?

-Você acredita no sobrenatural? – Ela da um sorrisinho de lado.

-Pode se dizer que sim. Mas porque?

-A precisão dos cortes, precisaria de muita força pra fazer cortes tão profundos, sem contar que não parece ter sido feito por lâminas, se não fosse símbolos tão precisos eu diria que foram feitos por garras de animais. – Olhei surpresa pra ela.

-O que você sugere então? Um lobisomem? – Ela da outro sorrisinho.

-Talvez sim, talvez não, depende do quanto você acredita.

Point Of View Laura

Saio da sala de aula em direção ao refeitório, mas tropeço no corredor indo direto ao chão.

-Mas que droga. – Choramingo me levantando ouvindo risadinhas dos alunos.

-Laura? – Ouço uma voz e levanto a cabeça vendo Kityn.

-Oi, Kityn. – Sorrio para o mesmo.

-Você tem alguém pra passar o intervalo contigo?

-Na verdade não. – Passo a mão no braço e olho pro lado envergonhada.

-Vem comigo. – Ele sorri e me puxa pelo braço, péssima ideia porque saio tropeçando e quase caio no chão duas vezes.

Chegamos em uma mesa onde estava dois garotos de topete, um tinha a pele branca com aspecto bronzeado, maxilar marcado e cabelo loiro. O outro tinha cabelo castanho pra preto, pele branca e olhos verdes.

-Gente essa é a Laura. – Kityn diz pros garotos e senta me puxando pra sentar junto. – Laura esses são meu irmão Nathan, e Thomas.

-É... Oi? – Pergunto um pouco receosa.

-Oi Laura. – Thomas sorri.

SANTIFICADO SEJA YOONGI.

Isso não é um sorriso, é uma tática de sedução que funciona, ah se funciona.

Chega Laura.

-Oi Laura. – Nathan sorri também e desse ângulo pude constatar que seus olhos na verdade são azuis.

-Ela é uma alfa. – Kityn diz e eu demoro um pouco pra racioci... Epa, o que ele ta dizendo pra esses garotos?

-Você é uma alfa? – Thomas se engasga um pouco antes de falar.

-Pois é. – Mordo o lábio nervosa.

-Você é loba nascida? – Nathan pergunta. Acho que Beacon tem mais sobrenaturais do que eu pensei.

-Sim. – Confirmo e escuto meu celular tocar. Depois de uma breve conversa com Klaus desligo.

-Quem era? – Kityn pergunta.

-Klaus, meu padrinho, ele estava ligando pra avisar que não vai estar em casa, então vou ter que me virar no almoço.

-Seu padrinho? – Ele franze o cenho. – E seus pais?

-Eles morreram. – Respondo simples, mas magoada por dentro.

-Sinto muito.

-Eu também. – Suspiro e pego minha garrafa térmica de café na bolsa.

-Isso é café? – Thomas pergunta e eu assinto enquanto bebo um gole.

-Eu meio que sou viciada. – Respondo envergonhada e Kityn faz uma careta.

-Não sei como gosta, odeio coisas amargas.

-Eu gosto de café. – Thomas sorri pra mim e eu retribuo envergonhada.

Point Of View Thalia

-Eu quero um. – Falei mordendo uma maçã.

-O que? – Sammy pergunta do meu lado.

-Um dos gêmeos. – Aponto com a cabeça para os gêmeos em outra mesa do refeitório.

-Qual deles? – Ele me olha levantando as sobrancelhas.

-O hétero é claro.

-Como sabe que os dois não são heteros?

-Por que um deles não para de olhar pro filho da diretora, ele é no máximo bissexual.

-Você e sua mania de julgar os outros sem conhece-los.

-Não estou julgando, estou deduzindo, é diferente.

-É a mesma coisa. – Ele suspira. – Sabia que o papai voltou a conversar com o beta dele?

-Não, eles pararam de se falar porque mesmo?

-Não faço a mínima ideia.

Point Of View Alasca

-Sai do meu pé chulé. – Disse pra Miles, enquanto o mesmo me seguia.

-Agora que eu não saio mesmo. – Ele me mostra a língua.

-Vou te dar um tapão mané. – Levantei a mão como se fosse bater nele.

-Você ta chata, o que foi?

-Mamãe disse que nossa irmã vem morar com a gente hoje, e se ela não for aquela menina legal que parece ser?

-Relaxa maninha, vocês vão se dar bem.

-Espero.


Notas Finais


Me desculpem se tiver uma porcaria, eu ainda estou mal rs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...