História Teenagers - Capítulo 92


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drogas, Jovens, Musica, Romance
Exibições 5
Palavras 1.306
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Luta, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Slash, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Come back home - Two door cinema club

Capítulo 92 - Come Back Home


Andrew conseguiu chegar na estação de trem. Ele procurou entre a multidão algum sinal de Irine, alguma cabeleira ruiva mas era o que mais tinha por ali. E quando o trem estava quase embarcando, ele avistou um rosto vermelho de tanto chorar que era o dela. Irine sorriu ao ver Andrew ali e ele foi correndo até ela. Sem pensar duas vezes, Andrew pulou para dentro e as portas logo se fecharam e em segundos foi dando a partida. Ele foi passando durante todos os outros vagões até tentar chegar na ruiva, mas Moses já estava indo para o fundo querendo se livrar de qualquer perseguição mesmo sem saber. Mas quando ele viu Andrew, saiu empurrando todo mundo e ameaçando atirar em Irine caso alguém revidasse. Andrew então parou para salvar a vida da menina e o loiro sorriu.
- Me deixe em paz, por favor! Você ainda pode se tornar uma boa pessoa. Não importa o quão duro deve ter sido a sua vida.
- Pára com esse papo do bem. Você não sabe que essa sua voz chorosa é chata? Ninguém aguenta!
Moses puxou a garota pelo cabelo e ia praticamente arrastando-a enquanto ela tropeçava e caía.
Andrew pegou a arma de um dos guardas de lá de dentro e saiu correndo atrás de Moses. E então começou o tiroteio. As pessoas se jogavam no chão e tentavam salvar suas vidas. Irine conseguiu se soltar em um momento de descuido de Moses e o empurrou na parede deixando o garoto sem jeito. Andrew pulou por cima de Moses e foi atrás de Irine. Eles deram-se as mãos e continuaram correndo. Moses se levantou e foi atrás, mais furioso do que nunca.
Irine e Andrew passaram em um vagão cheio de bagagens. O trem balançava tanto que eles tinham medo de serem esmagados pelas grandes caixas. Em uma curva, as caixas e malas caíram por cima de Moses atrasando-o. Andrew fez força para que a mesma não esmagasse eles dois. Havia só um trecho estreito onde eles estavam.
- Passa! Passa agora!
- Mas e você?
- Eu consigo me livrar.
Irine se apoiou nos braços dele que faziam muita força para segurar a caixa da frente que queria cair sob eles e era bem pesada. Irine teve de passar por cima dele. Ela ficou de frente pra ele e teve de se ajeitar passando por cima da perna dele e por baixo dos braço. Nesse momento, o trem começou a tremer e Irine praticamente caiu no colo dele. Ela não conseguia se levantar e nem andar.
- Eu não consigo sair!
Moses derrubava as outras caixas e malas e tava quase se livrando. Andrew então teve uma ideia.
- Se agarra em mim e não solta!
Irine enrolou seus braços e pernas e Andrew se jogou pro lado deixando as caixas caírem cobrindo todo o único caminho que tinha. A perna de Irine ainda foi arranhada com uma caixa o que deixou a mesma sangrando.
- Vamos!
A ruiva se levantou mesmo com muita dor por causa de Moses que queimou e do sangramento. Ela segurou na mão de Andrew e foi correndo. Moses conseguiu sair debaixo das caixas e foi atrás deles.
- Vamos pular nos trilhos. É a única saída.
Irine concordou e segurou bem na mão de Andrew. Eles foram até o fim do trem e se preparam pra pular. Quando estavam mais ou menos prontos, se jogaram na direção dos galhos e se derrubaram todos no chão de pedras ficando ainda mais machucados.
- Estamos livres? - Andrew falava ofegante.
- Acho que sim. Ele vai pra França sobreviver. Não tem porquê vim atrás de nós.
Então eles viram Moses também se jogar do trem.
- Só se ele for muito louco - Andrew falou e fez questão de se levantar rápido e ajudar Irine a fugir também.
Moses ia correndo atrás e parecia não sentir dor alguma. Só corria e atirava.
Eles tentaram se perder no meio do mato, mas as árvores eram só na ponta, depois só tinha um campo limpo com grama bem cortada. Moses podia vê-los muito bem e os perseguia.
No momento de desespero, eles só sabiam correr. E Irine não queria abandonar Andrew por nada e só fazia segurar na mão dele. E ela se sentia feliz em ter alguém que estive ali com ela, segurando a sua mão, e ficava feliz por ser Andrew. Naquele momento ela nem pensava em Ethan.
Havia uma pequena estrada bem ao lado, e um dos carros saiu dali e foi direto na direção de Moses passando por cima dele.
E então saiu de dentro um Ethan bem furioso que pegou a sua arma e deu na cabeça do loiro acabando com tudo aquilo. Os outros que estavam dentro do carro ficaram assustados com aquela atitude do garoto. Depois de várias balas e um Moses quase morto, Ethan recebeu uma ligação.
- Alô? Maninho? Só tô ligando pra avisar que eu não tô mais com o Moses e que eu tô bem. Estou indo embora, eu sei que você vai sobreviver sem mim. Sempre sobreviveu. Amo você.
E então o telefone desligou. Ethan sorriu e olhou para os outros em redor. Irine correu até ele e tentou acalmar o garoto.
- Irine. Eu sinto muito por tudo o que eu fiz - ele já chorava - Você nunca mereceu nada do que eu fiz. Quase nunca eu dizia que eu te amava e eu sei que você não mereceu isso. A verdade é que... Eu amava o seu irmão. E quando ele morreu, você era a coisa mais próxima de Erwin. Eu o amava muito e você se parecia com ele. Eu sinto muito em ter usado você. De fato, eu te amei. Mas amei da forma errada. Sei que ele odiaria saber que eu te maltratei. Mas eu não suporto mais.
- O que você tá querendo dizer? Ethan!
- Já chega de tudo isso!
- Mas, e a Al? Como ela vai ficar quando souber o que você pretende fazer?
Ethan esfregou a arma na cabeça e sorriu.
- Ela tá bem. Eu sei que tá. Você pode dizer as autoridades que fui eu o assassino daquela garota, ela mexeu comigo e eu me irritei. Me desculpa mesmo, mas eu preciso me encontrar com o Erwin. E você pode ficar bem. Eu vou dizer a ele a garota maravilhosa que você se tornou. Até mais!
E então Ethan atirou na sua cabeça. Irine deu um grito de horror e cobriu a boca sem deixar de olhar pra cabeça estourada do ex namorado que caía no chão e se espalhava junto do corpo. Andrew abraçou Irine que logo escondeu seu rosto no peito dele.
Todos que estavam no carro ficaram muito assustados com tudo. Stephan e Cory se consolavam. Chace consolava Natalie que sentia uma amargura e alívio por tudo ter acalmado. E Hal só conseguia ver os corpos mortos.
- Então o inferno acabou.
Não havia mais perseguição. Estavam livres. Poderiam voltar pra casa e festejar como se não houvesse amanhã. Estava tudo bem. Mas a verdade é que nada estava bem. Muitas pessoas se perderam no caminho. Lou e Stella foram embora, todos estavam se destruindo cheios de traições e ambições. Ninguém era mais feliz. Parecia como se toda a felicidade e despreocupação tivesse ido embora com a juventude. E agora, Hal olhando pra todo mundo. Assumido, vivido, todos tinham crescido de alguma forma e agora se viam como adultos. Os olhos azuis dela ainda encarava o corpo de Ethan caído sobre Moses. Ambos jovens e bonitos, agora feios pelo caminho que escolheram que os levaram à morte. O sangue deles escorriam e em seus rostos tinha um sorriso sombrio. A chegada da velha amiga morte os deixou bem animados, porém deixou os vivos horrorizados.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...