História Teenagers - Capítulo 94


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drogas, Jovens, Musica, Romance
Exibições 6
Palavras 1.085
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Luta, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Slash, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Esse é o meu capítulo favorito e espero que sejam o de vocês também.
Tem uma grande surpresa nele.
A música é: Buzzcut Season - Lorde.
Divirtam-se.

Capítulo 94 - Buzzcut Season


A casa então ficou mais silenciosa do que nunca. Os únicos sons era dos choros das garotas. Adele, Lea e Irine. Todas sofrendo por amor. Hal não conseguia mais ficar naquele lugar e decidiu dar uma volta. Agora não havia mais perigo. Se houvesse súditos de Moses, eles já devem ter ido aproveitar a vida de liberdade ou terem encontrado um caminho diferente pra seguir.
O sol já estava sumindo. O céu estava azul quase roxo e as ruas ainda estavam escuras pois os postes de luz não tinham sido ligados ainda. Tudo era muito calmo. Hal apertou sua manga da camisa tentando esquentar suas mãos. Ela andava olhando pra baixo, nem ligava pro que estava acontecendo.
- A noite está linda, não?
Hal ouviu aquela voz que sempre ouvia quando se sentia só. As alucinações chegaram cedo.
- Sempre esteve.
Liam andava de bicicleta com os garotos. Eles fumavam e berravam enquanto seguravam garrafas de bebida.
- Moses morreu! Vamos festejar! - gritou um dos garotos.
Hal sorria ao saber que não estava sozinha.
- Você sentiu a minha falta?
- Sim - Hal respondia ao nada. Ela abriu os olhos virando uma esquina e quase foi atropelada por um grupo de garotos em bicicleta. Ela sorriu ao ver um deles e continuou - Senti sua falta todos os dias.
- Você é real ou tá na minha mente? - Liam falava quase em um sussurro.
- Claro que é real, né, maluco? - gritava outro garoto da bicicleta.
- Hal?
Hal sorriu. Ainda não acreditava naquilo. Finalmente tinha encontrado o seu amigo de sempre.
- Essa que é a maluca que você vive falando? - o outro garoto falou - Vamos, Liam. Vamos pra festa!
- Eu vou ficar - Liam falou com um sorriso enorme no rosto.
Liam pulou da bicicleta e foi em direção à loira levantando-a do chão e dando um abraço tão forte. Hal enrolou suas pernas no menino. Ele não parecia tão criança quando antes, e muito menos agora que ela era tão pequena comparada a ele, mesmo Liam sendo mais jovem.
- Eu senti tanto a sua falta!
- Eu também senti muito a sua!
Eles continuaram abraçados mas se afastaram um pouco para ver a cara um do outro.
- Achei que você não fosse mais querer me ver depois que eu fui embora - Hal falava quase chorando.
- Eu iria querer te ver sempre. Mesmo se você já estivesse velha.
Hal sorriu e eles ficaram se encarando. Ela olhava bem como ele tinha mudado. O cabelo com um corte errado, todo bagunçado, uma barba rala por se fazer, os olhos cansados de quem teve que ficar noites acordado, mas o sorriso de criança permanecia. Hal adorava aquele sorriso.
- Adoro seu sorriso - Hal falou e então se aproximou dando um beijo que foi surpresa para o menino.
- Adoro seu sorriso. Adoro você. Adoro tudo em você!
Liam, tão feliz quanto ela, a beijou de volta. E ambos ficaram um preso no outro.
- Eu devo estar sonhando.
Hal saiu de cima dele e sentou no cano da bicicleta do garoto, e o mesmo pedalou até levá-la para sua casa.
- Pra onde você quer ir? Pra sua casa ou pra minha?
- Pra sua. Lá sempre foi o meu lar mesmo.
Liam sorriu e deu um beijo no rosto da menina e seguiu o seu caminho.
Hal não conseguia esconder sua felicidade. Depois de todas as alucinações, de todas as loucuras e as drogas, ela estava de volta pra casa, e foi bem recebida por Liam, a pessoa que tanto temia em não ser aceita. E agora os dois estavam indo pra casa. Mesmo com tudo. Com a morte de Ethan e Moses, e com a vida de Czar em risco, Hal não conseguia deixar de ser feliz. Tudo estava extremamente perfeito.
Chegando em casa, Liam parou a bicicleta no lado e os dois desceram. Hal esticou a mão para ele onde Liam não demorou em pegar e eles entraram no local. Ele deslizou suas mãos e parou na cintura dela. Não havia ninguém ali como quase sempre. Hal trancou a porta do quarto de Liam depois que entraram e se jogou na cama. Ele sentou na poltrona em frente e pegou o cubo mágico que sempre brincava e mexia sem saber o que fazer.
- Você não muda nunca, não?
- Sou sempre o mesmo.
- As vezes, eu via você, assim como está. Brincando com o cubo e me encarando. Exatamente como está fazendo agora.
- E o que você fazia?
- Eu ficava só te olhando e sorrindo também. Mas aquilo era só uma imaginação, na vida real é bem diferente.
- Diferente como?
- Você deixaria o cubo de lado e viria se sentar comigo.
Liam fez o mesmo sorrindo e se sentou ao lado de Hal.
- E então eu iria fazer o que eu sempre quis.
- O que você sempre quis?
- Quer descobrir?
Liam sorria e assentia com a cabeça. Hal subiu no garoto pondo cada uma das suas pernas ao lado dele. Ela tinha suas mãos no cabelo dele e o beijava demonstrando toda a saudade que sentia do amigo, agora namorado. Liam deslizou suas mãos para a perna dela e apertava bem as coxas.
- Estou muita tensa.
- Quer parar?
Hal parou e encarou Liam que tinha uma expressão não muito feliz.
- Não. Quero que me relaxe.
Ele sorriu mais ainda com a notícia e foi se deitando. Passou Hal por baixo e ficou por cima dela. Rapidamente a garota foi abrindo a calça dele e tirando sua camisa, ela tirava sua roupa também com muita rapidez. Parou um momento para olhar o rosto do menino, tão criança e tão homem ao mesmo tempo. Os dois ficaram se encarando tentando entender o que tava acontecendo, até que Liam teve a iniciativa e voltou à beijar a garota, descendo seus beijos pelo corpo dela. Hal encaixou melhor a sua perna em volta dele e o puxou para beijar a boca do menino. E por um bom tempo eles ficaram só se beijando, mesmo com todo o desejo consumindo-os, ambos só queriam aproveitar a presença um do outro.
E tudo parecia bom. A piscina lá fora refletia no teto do quarto dele deixando o cenário mais bonito e calmo para eles. A TV da casa ao lado tocava com alguém dando notícias. Era como nos velhos tempos, mas agora eles estavam crescidos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...