História Teenagers - Capítulo 95


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drogas, Jovens, Musica, Romance
Exibições 5
Palavras 1.561
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Luta, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Slash, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


I'm not calling you a liar - Florence + the machine

Capítulo 95 - I'm Not Calling You A Liar


Lea não conseguia parar de pensar em Adele. Ela estava deitada na cama, já nua, e tinha Nate ao seu lado (também nu) e nenhum dos dois trocavam uma palavra. Ele se aproximou dela beijando suas costas e a abraçando.
- No que está pensando?
Lea o encarou e lembrou que Adele sempre perguntava isso depois que faziam sexo, exatamente como ela tinha feito com Nate agora. Ela encarou o garoto e decidiu falar.
- Tudo bem. Eu ainda sinto falta da Adele. Mesmo ela me traindo e eu fazendo o mesmo, eu ainda a amo. E sair por aí e não poder chamá-la de "minha namorada" é muito estranho. Eu a quero, nem que seja só pra dizer que ela é minha.
- Certo. Podíamos fazer assim. Você pode ter um namorado e uma namorada, e eu não vou te cobrar nada, nem vou sentir ciúmes.
- Você vai ter outras namoradas também?
- Não. Eu quero só você. Se não der certo entre a gente, terminamos - Lea fez uma expressão triste olhando pra frente - Ou então poderíamos tentar mais vezes até nos darmos bem.
Lea deu um sorriso fraco e então se levantou pondo sua roupa o mais rápido possível.
- Eu preciso dizer à Adele.
Lea saiu correndo e Nate também foi atrás dela nas pressas. Ela foi até a sala onde encontrou Adele chorando com Sarah.
- Adele! Eu tomei uma decisão.
Adele se afastou de Sarah bruscamente.
- Eu ainda quero você, mesmo não sendo muito boa namorada. Então Nate e eu tivemos uma ideia. Você continua sendo minha namorada, mas eu também vou ter um namorado. Você pode ter outras pessoas mas se alguém perguntar a quem você pertence, será a mim.
- E se alguém perguntar a quem você pertence, vai dizer que é a mim ou a Adele? - Nate perguntou achando a ideia estranha.
- À Adele, essa é a ideia. Seremos sempre uma da outra.
Nate riu forçado mas ainda assim demonstrando que não tava gostando da ideia. Adele se aproximou e encarou Nate.
- Qual o problema? Você vai continuar tendo a Lea.
- Mas ela não será minha. Mesmo assim, eu ainda sou a última opção. Quer saber? Deixa pra lá.
- Achei que você tinha aceitado a ideia.
- Não, Lea. Era só pra saber o que você decidiria. Mas pelo visto a Adele vem antes de mim.
Lea deu de ombros vendo Nate ir embora e Adele sorriu com a ideia. A verdade é que não adiantaria uma querer ser fiel à outra quando sabiam que era impossível, e aquela era a melhor ideia de ambas tinham tomado.
Natalie olhava pela janela e pensava no que Moses tinha dito. Era tão estranho. Um dia ela estava lá com ele, frente a frente e Moses dando-lhe uma aula de auto estima; no outro dia ele estava jogado no meio do mato, morto com vários tiros. Tudo passou rápido demais que agora ela não sabia se sua vida iria passar da mesma forma. Ela abaixou a cabeça e reparou na obra do cabelo mais clara de quando Adele a levou o salão. Natalie havia se negado tanto a ser daquele jeito quando na verdade ela só escondia o seu verdadeiro eu por causa de uma grande decepção. Ela nunca havia deixado de ser aquela garota poderosa que costumava ser com Moses, só se libertava quando estava com ele. Mas pelo menos ele a despertou antes de morrer. Chace se aproximou e a abraçou por trás.
- Tudo bem com você? - ela assentiu a cabeça ainda séria - O que tá pensando?
- No que Moses me disse antes de morrer - Chace esperou que ela continuasse então Natalie se virou para encará-lo - Ele pediu que eu voltasse com ele.
Chace deu uma risada de escárnio.
- Sério isso? Que cara de pau!
- No dia que eu fui falar com ele, senti tanta raiva em mim que todo o medo que eu sentia dele se foi. Eu estava farta de toda aquela chantagem e ele me falou algumas coisas que me deixaram pensativa.
Ela encarou o namorado que não disse nada esperando que ela continuasse.
- Lembra da garota que você se apaixonou na sua festa? Aquela toda bonitona?
- A que você é agora e sempre foi?
- Não. A que eu me revelei na festa. Antes disso eu era aquela que tentava me esconder toda tímida e escondida pelos cantos. Naquele dia eu voltei a ser quem eu era, usei roupas que eu usava antes e trouxe toda a minha auto confiança de volta. E ela funcionou tanto que eu consegui você.
Chace sorriu com aquilo e ela também.
- Então, quando eu falava com Moses, ele me falou algo que talvez fosse verdade. Ele disse que queria voltar comigo porque esse meu jeito combinava muito com o dele. Disse que nós dois juntos seria perfeito. A dupla invencível, como éramos chamados. Disse que ele era a fonte de eu ser assim forte.
- Mas você sempre foi assim.
- Exatamente. Ele errou nisso. Eu não preciso de ninguém, eu posso ser como sou quando quiser.
- E eu adoro você de todos os jeitos.
Natalie sorriu enquanto Chace a puxava pela cintura e a beijava mais uma vez. Suas mãos acariciavam as costas dela e depois desciam pra cintura de volta. Mais uma vez, Chace tentava algo a mais. Ele colocava as mãos or baixo da camisa dela e dessa vez Natalie não se importava.
-Antes de tudo, gostaria de deixar claro que meu corpo não é tão bonito.
- Isso é coisa de menina, sempre se acham gordas.
- Dessa vez você vai se surpreender.
Natalie falava enquanto Chace tirava a camisa dela e logo reparava nas marcas da garota.
- Moses disse que era impossível amar alguém que tivesse marcas - Natalie falava triste.
Chace encarou bem o corpo da menina e falou.
- Moses estava errado - e beijou cada marca dela.
Natalie logo tirou a camisa de Chace também e foi se encostando na parede. Ele a carregou e a prendeu na mesma mantendo as pernas dela encaixada na cintura dele. Ela queria tanto que aquele momento chegasse e Chace mal podia se controlar. Ele rapidamente direcionou a menina na cama e tratava ela com todo o carinho e necessidade que tinha.
- Eu quero que seja especial pra você. Quero que nós vamos com calma. Quero amar você de todas as formas possíveis.
Natalie encarou bem Chace. Era óbvio que ela não era mais virgem. Antes de Moses já tinha tido alguns namorados, e com o loiro, ele não deixava de querer se animar. E mesmo assim, Chace queria fazer tudo ser ser especial. Outros garotos chegariam sem falar nada e só iriam se jogar no prazer. Mas ele não, ele queria fazer da forma correta. Natalie sorriu ao ver o rosto de Chace todo preocupado em fazer o certo.
- Só de estar com você, já é especial.
Chace penetrou nela que ia se controlando para suportar o prazer. E eles ficaram ali por um tempo só trocando carícias entre si. Natalie estava adorando ser amada não só pelo o que ela tinha a oferecer, mas sor que ela é. Ela se levantou ficando só de joelhos de costas para Chace. O garoto a abraçou por trás e continuou o que estava fazendo. Ele segurava os braços dela e ia escorregando os dedos pelas curvas do corpo dela, e acariciava as marcas. Ela olhava pro seu próprio corpo e para as mãos de Chace. Nunca tinha sido tocada daquela forma. Ela ficou de frente pra ele e ambos continuavam no mesmo ritmo que estavam, quando finalmente chegaram ao seu prazer, Natalie sorriu e beijou Chace. Ele tinha suas mãos ainda nas marcas dela.
- Estou adorando isso.
Natalie sorriu e se afastou dele.
- Que bom que com você foi muito melhor. Você me entende.
Chace puxou a garota pela cintura e lhe deu um beijo.
- Sabe? Tem algo que me deixou curioso. Essa sua grande marca no peito.
Ele passou a mão por cima.
- Fiz uma cirurgia uma vez. Eu estava praticamente morrendo e eu necessitava muito de um órgão novo...
- Um coração?
- Não. Um pulmão. Eu sei que é estranho mas dessa vez eu precisei fazer a cirurgia pela frente, tive um problema na coluna. Eu sou cheia de problemas.
Chace sorriu junto dela e Natalie continuou.
- Desde então, as minhas crises de asmas foram apenas desculpas. A verdade é que no dia em que a Hal foi internada por overdose, ela me salvou do hospital que iria fazer outra cirurgia em mim. Eles me disseram que eu poderia não sobreviver mas que seria uma boa opção.
- Então é por isso que você corre risco?
- Sim. Eu não posso fazer nada que me tire o fôlego - Chace a encarou com um sorriso malicioso e ela completou - Mas abri uma exceção pra você.
Natalie sentiu seu coração palpitar mais uma vez, bem forte, mas ela quis se controlar. Não queria que Chace se preocupasse, mas foi impossível.
- Natalie? Natalie? Natalie!
Ela foi fechando os olhos e sorriu vendo o rosto de preocupado do garoto. Se fosse pra morrer, estava feliz por ver o garoto ali.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...