História Teia do tempo - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Overwatch
Personagens Personagens Originais, Reaper, Tracer, Widowmaker
Tags Overwatch, Reaper, Tracer, Widowmaker
Visualizações 27
Palavras 1.296
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Ficção Científica, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Nunca é um adeus


Fanfic / Fanfiction Teia do tempo - Capítulo 4 - Nunca é um adeus

- Amor.

A meia luz não era exclusiva daquele cenário, toda Annecy estava coberta pelo céu escuro e as lâmpadas improvisadas cobrindo todas as ruas, lotadas e pessoas mascaradas sorridentes curtindo seu baile de máscaras. O som dos fogos e o das balas eram um só, os gritos de pavor e as risadas se embalavam na música alta da banda ao fundo, só o coração pulsante e o sorriso no rosto de Amelie era destaque.


Napoleão uma vez disse, "à ce flacon faisons la guerre", vamos fazer guerra em uma garrafa. Ela levava sua vida dessa forma, a pequena cidade era sua garrafa, embebida de normalidade, casualidade, amor e rotina, e a guerra era lutada diariamente em seus arredores, em silencio a aranha, a arma viva, tornava mais puro seu vinho. – MO OI AH oi, oi, o que foi mesmo? – Amelie rolava para trás de um muro se acobertando dos tiros recuperando o folego e recarregando.

- Nada eu ia perguntar se você pode passar no mercado de trazer ração, a Choco derrubou o saco de ração dela e comeu tudo hoje a tarde. Ta tudo bem? Que barulheira.

- Sim, eu trago pra ti Leninha, só um instante. – Amelie empunhou o rifle e se ergueu segurando a respiração, caminhando calmamente apontando a arma alvejando seus inimigos nas pernas um de cada vez com precisão, encerrando o duelo. – Pronto, qual o tipo de ração mesmo?



Chegando em casa Amelie retirava o gorro da cabeça e soltava o saco de ração na mesa de jantar vendo Lena focada em seu livro na sala. O lugar era melhor do qual que viveram quando chegaram ali, maior e mais arrumado, Lena gostava da decoração bem vivida, Amelie já preferia ela monocromática, era um misto de cores e não-cores. Choco corria pela casa latindo desesperada toda vez que Amelie chegava, era um ambiente bom, familiar e comum, ser bem vinda, aguardada, amada e ter paz eram sensações cujas quais a assassina da Talon estava se acostumando a viver, ex assassina. Para Lena isso era uma repetição mas a mais preciosa e incomum, o pavor de toda aquela realidade, vida e casa que havia criado a seis meses com  Amelie sumir era dominadora, não queria que isso fosse outra nota de rodapé.

A aranha cantarolava movendo os dedos sorrindo assistindo Choco caminhar atrás dos mesmos pulando e lambendo-os, disfarçando passando pela cozinha, pegando um copo d`agua e se abaixando para esgueirar-se até a dispensa, assobiando como se não estivesse fazendo nada, guardando facas presas nas botas e as partes de seu rifle desmontado na bolsa e mochila, franzindo a testa subindo a meia cobrindo uma sujeira de sangue na canela.

- É melhor ir trocar a meia se não vai manchar Amelia. – Lena se debruçava em cima da bancada da cozinha assistindo a companheira sorrateiramente guardar o equipamento.

O sorriso gelado e nervoso de Amelie nascerá no rosto da mesma pensando em milhões de desculpas para sair dessa. – Olha eu posso explicar.

- Explica então, explica porque toda noite você tem se armado até os dentes e feito patrulha pelos telhados de Annecy como se fosse a porra de uma DOENTE MENTAL, INCONSEQUENTE DO CARALHO QUE NÃO PENSA NA PROPRIA NAMORADA E FILHA QUE VAO FICAR CHORANDO CASO TU LEVE UM TIRO NA CABECA. PORRA WIDOW VOCE TEM MERDA NA CABECA OU O QUE?

- Lena, você ta hiperventilando, se acalma. – Amelie passava para o outro lado da bancada tocando o rosto da amada com as palmas das mãos geladas tentando acalma-la.

- PARA, NÃO MANDA EU ME ACALMAR VOCE SABE QUE EU NÃO GOSTO DISSO. – A britânica se afastará grunhindo pegando a cachorrinha no colo tentando retomar a calma. – Eu só não entendo mano, tu não ta satisfeita com a vida que a gente tem? A normalidade não é agradável para ti Amelie?

O ponderar daquela pergunta ia muito além de coisas simples, o dia a dia com Lena era um sonho para Widow, e sonhos são bons para se ter, não viver. Existem aspectos de nós mesmos que não podemos negar, obscuros e intangíveis eles nos semeiam e definem, os dela era o momento em que empunhava um rifle e abatia seu alvo, foi tirada de sua humanidade e transformada em uma arma, o trauma também era uma expressão de liberdade, ela era Widowmaker e gostava de ser.

- Lena... Você me ensinou tantas coisas e me deu amor, carinho e confiança, eu trai algumas dessas coisas eu sei mas tu precisa me compreender, essa vida é frágil para mim, desde que eu cheguei aqui e meu coração voltou a bater eu busco essa sensação o tempo todo. – Amelie segurou a mão da menina e tocou teu peito com ela. – Eu me sinto incompleta sem você e sem estar lá fora fazendo o que eu faço de melhor, sei que se preocupa mas eu sou a melhor assassina que a Talon já fez, eu não vou morrer para algum trombadinha nas ruas de Annecy, e definitivamente não vou deixar minhas garotas sozinha aqui viúvas.

A ternura na voz da assassina era mais quente do que cano de sua arma após um disparo, sempre que Lena reparava no quanto Widow havia mudado por ela, ou talvez não mudado mas só permitido ser quem realmente é ao seu lado, era um choque, daqueles fazemos questão de ir atrás e receber de novo e de novo, pois assim como Amelie Lena buscava se sentir viva, mesmo presa fora do tempo, com a sensação de estar quebrada junto dele, ao lado dela ela se sentia viva.

- Ta bom, eu só to puta porque tu não me contou, já tem muito tempo isso velho você acha que eu sou burra? Só um pouco mas né, eu tava na esperança de uma hora tu me contar. – Lena soltava o cachorrinho ainda emburrada caminhando até o quarto puxando o armário pro lado revelando uma tela de LED. – Eu podia ajudar, esse lugar precisa de um pouco mais do que você andando por ai matando batedores de carteira né justiceira.

 

- Olha só eu não mato mais ok, só aquela vez, mas ele era um estuprador, eu acho. Todos homens podem ser, eu não quis correr o risco. – Amelie encarava confusa o painel lendo a linha do tempo que Lena havia estabelecido com dados confusos espalhados por todo lado. – O que é isso mo.

- Problemas, eu descobri que não estamos no passado, na verdade não andamos um minuto sequer para frente ou para trás no tempo quando viemos parar aqui, andamos para o lado.

- O que você quer dizer com para o lado.

No painel havia detalhes sobre um atentado terrorista dado na capital que fora usado só como distração para roubo de tecnologia ilegal OMINIC, entre as imagens dos suspeitos três batiam com pessoas cujas quais elas conheciam, Mercy, Soldier e Pharah. Detalhados como terroristas procurados e extremamente perigosos.

- Isso é uma linha do tempo alternativa, não existe Overwatch ou Talon, mas existe pessoas que vivem em terror e medo, pessoas que precisam do que a Overwatch deu a elas na nossa linha do tempo, precisam de esperança.

- Lena, você sabe o que eu sou certo?

- Eu sei o que você era e o que você é hoje, a mulher que eu amo, a mulher que vai proteger o outro a qualquer custo e vai sorrir na frente do perigo e se sentir viva a cada bala disparada no alvo, é outra linha do tempo Widow, não vamos sair daqui e se essa é a nossa casa, e se você quer viver do perigo, vamos fazer isso juntas.

- Então vamos ser a Overwatch desse lugar e salvar o mundo? É essa tua ideia guria?

- Não, vamos ser melhores.
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...