História Tell me what is love - Kyungsoo - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, D.O, Kai, Lay, Personagens Originais, Sehun
Tags Exo, Fanfic, Kyungsoo
Visualizações 75
Palavras 1.789
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura, não me matem <3

Capítulo 24 - Seumul net


Fanfic / Fanfiction Tell me what is love - Kyungsoo - Capítulo 24 - Seumul net

 

 

Oito anos depois...  

Depois que Sr. Yoo morreu e deixou toda aquela herança para mim investi no café dele e a franquia cresceu de uma forma assustadora, então larguei a faculdade e comecei a tomar conta dos negócios do café. Hoje é a quarta maior franquia de Seul, nunca mais passei perrengues e pude dar uma vida muita boa para meu pai. 

Estava no meu escritório quando ouvi que bateram na porta  e logo em seguida ela se abriu e Sook entrou toda sorridente. 

-Boa noite amor. -Ela andou por toda a extensão da sala e sentou no meu colo. 

-Não iria trabalhar até mais tarde? -Falei fazendo carinho em sua coxa. 

-Não. Sai mais cedo, aproveitei para passar aqui e falar que Kai e Yoona vão fazer o jantar de comemoração de quatro anos de casados hoje. -Ela me beijou com profundidade e continuou a falar. -Então para que você não fique aqui até tarde, vim aqui. -Ela sorriu ao terminar de falar. 

-Mas tenho tanta coisa pra fazer. -Olhei para o computador e senti seus dedos encostarem nas minhas bochechas, virar meu rosto e seus olhos olharam nos fundos dos meus.  

-Você vai e pronto! Amanhã faz isso. -Ela deu um beijo rápido em meus lábios e voltou a falar quando se levantou. -Vamos, ainda temos que passar em casa e tomar banho. 

-Está bom vamos. 

Kai e Yoona casaram-se a quatro anos, e foram os segundos a sair do apartamento, Kai finalmente tomou um rumo e começou a trabalhar e ser mais responsável depois que Yoona entrou em sua vida. Eles foram rápidos mas não tão rápidos como Joohyun e Sehun, esses dois bateram o recorde. Sehun depois que saiu do apartamento e foi morar com Joohyun se casaram um ano de dois meses depois. Mas sempre estão felizes com a presença um do outro então era o que importava. Já Sook e eu ainda não nos casamos. O porque? Ela tem medo, diz que depois do casamento os relacionamentos tendem a dar errado. Já a pedi três vezes mas sempre ela muda de assunto e vem com o mesmo discurso.  

"Eu te amo Soo, mas tenho medo. Meus pais se separam a pouco tempo e você sabe dos seus pais, tenho medo de que aconteça conosco."  

Entendo a maneira dela pensar e não fico chateado, por mais que queira que nosso relacionamento fique mais firme respeito sua decisão e enquanto estivermos bem e nos amamos está ótimo mas não desistirei. 

Chegamos em casa e tomamos um banho juntos. Saímos de casa e, literalmente, quinze passos estávamos na porta do Kai. 
Lay, Sehun, Kai e eu compramos casas na mesma rua pois não queríamos que o tempo e nossos trabalhos atrapalhassem nossa amizade.  

-Como estão baixinhos? -Kai, vestindo um avental, abriu a porta e abraçou primeiro Sook depois a mim.  

-Bem, -Respondi -só com um pouco de frio. -Tirei meus sapatos ao entrar na casa. 

Joohyun estava na sala com Yoona e Sehun de avental na cozinha, já sabia que algum avental seria colocado em mim. Sook pulou por cima do sofá e deu um abraço em suas amigas e sentou no tapete. Depois que cumprimentei as meninas fui até a cozinha, Sehun mexia em algumas panelas. 

-Ainda bem que chegou D.O, não sei como continuar. -Sehun olhou para mim e sua cara mostrava bem seu desespero. Kai apenas ria. 

-Toma aqui um avental. -Kai abriu uma gaveta, ainda rindo e jogou um avental para mim. 

-Queria ver se não conseguisse chegar a tempo. -Coloquei o avental, lavei as mãos e assumi o fogão. Eles resumiram o que estavam fazendo e continuei os processos. -E Lay?  

-Apresentação. -Kai falou um pouco desanimado. -Mas disse que chega a algumas horas.  

-E Chanyeol foi para o Japão para passar o Natal lá com a namorada. -Sehun disse antes que eu pudesse perguntar. 

Mais alguns minutos de conversa e cozinhando a comida ficou pronta e fomos para a sala e as meninas começaram a arrumar a mesa. A campainha tocou, Yoona abriu a porta e Lay finalmente havia chego. 

-Oi pessoal. -Ele cumprimentou todos de longe e depois abraçou todos por fim sentando ao meu lado no sofá. -A comida já está pronta?  

-Sim, terminamos a pouco tempo. -Sehun afirmou e o encarei. 

-Eu terminei e eles apenas ficaram olhando. -Corrigi o que Sehun havia acabado de falar. Lay e Kai riram. 

-Vamos comer! A mesa está pronta. -Joohyun chamou todos e nos sentamos a mesa. 

Sentados a mesa e começamos a conversar novamente, para Sook e eu estar com nossos amigos é ótimo e com certeza renova nossas energias. No mesmo tempo que comíamos falamos sobre o natal, que estava bem próximo, na maioria dos anos passávamos juntos mas esse ano eu e os meninos tínhamos planos diferentes. 

-E o Natal de vocês esse ano? -Lay começou a puxar o assunto.  

-Como assim de vocês? -Sook perguntou. -Não vai ficar aqui na Coréia? 

-Não, vou para a China, quero ver meus pais e talvez Seungyeon vá comigo. -Seungyeon era uma dançarina que havia pouco tempo entrado no mesmo grupo de dança que Lay e foram se aproximando cada vez e hoje ainda não estavam namorando, mas provavelmente ela a pediria na China. -E vocês? 

-Vamos para a praia. -Yoona disse e Kai assentiu. 

-Eu e Joohyun ainda não sabemos. -Sehun afirmou. 

-E você D.O? -Joohyun perguntou direcionando seu olhar a mim. 

-Ficar em casa. -Sook meio que ficou surpreendida, todos anos viajamos no Natal e o Ano Novo passávamos um ano na casa do meu pai e o outra na casa dos pais dela que ainda passavam o Ano novo juntos devido as filhas. -Estou trabalhando demais e não quero me desgastar muito antes de voltar, esse ano está pesado. -Hyun me olhou e assenti. 

Como sempre a noite foi muito divertida e fomos para casa bem tarde. É ótimo morar perto de seus amigos e não se preocupar com a hora. Chegamos em casa, deixei meus sapatos na porta e me joguei no sofá. 

-Lar doce lar. -Passeia mãos pelos cabelos e as parei em meus olhos. Senti um peso em meu colo e logo mãos envolverem meu rosto. 

-Está cansado não é amor? -Assenti e logo depois ela selou nossos lábios. Ela começou a tirar meu casaco e cinto. 

-Sério amor? -Sorri malicioso e a olhei. 

-Aish! Que suja sua mente. -Ela sorriu ao terminar de falar. -Estou tirando para você ficar mais confortável. -Recebi um tapa em meu braço e depois ela se ajeitou e deitou junto a mim no sofá e por lá ficamos em silêncio por um tempo. 

-Te amo. -Ela disse antes de pegar no sono. Essa virou uma mania dela, toda vez antes de pegar no sono por completo ela dizia que me amava. 

-Também te amo pequena. -Beijei o topo de sua cabeça e ficamos no sofá a noite toda. 

 

 

 

 

Noite de Natal... 

-Já disse que vou cozinhar. -Ela disse quando me viu pegando umas coisas na geladeira. -O que você quer? -Ela virou em minha direção com a faca na mão. 

-Amor quero te ajudar. Deixa eu cortar tudo pra você. Juro não atrapalhar. -Sook gosta de cozinhar sozinha pois acha que pessoas na cozinha a atrapalham. 

-Tá. Corta o que quiser. -Ela foi olhar a panela do fogão. Fui até ela e a abracei por trás, senti seu corpo eriçar e falei. 

-Não tem noção de como amo quando fica com essa cara emburrada. -Beijei seu pescoço e consegui ver sorriso formar no canto da boca. -O que vai fazer? 

-Japchae, teeokguk, bulgogi e kimchi.   

-Tá bom cortar tudo o que precisa. -Beijei seu pescoço pela última vez antes de ir fazer minhas funções. 

Terminamos de cozinhar juntos e fomos comer já perto de meia noite. 

-Está uma delicia! -Falei após comer um pouco de kimchi. 

-Obrigada. -Ela sorriu para mim. 

-Também ajudei, não venha querer todo o crédito.  

-Foi eu que temperei tudo seu folgado. -Dei risada quando ela terminou de falar. 

-Tá amor, tá bom. -Ri e a beijei.  

-Amor posso já dar seu presente? Não quero esperar estou ansiosa. -Ela disse depois de comer só um pouco da comida. 

Nos sempre trocávamos nossos presentes à meia noite. 

-Mas você vai quebrar a tradição. -Falei só querendo irrita-la.  

-Só um ano, não custa nada. -Ela juntou as mãos e fez um biquinho. -Por favor. 

-Tá bom, mas também quero dar o meu.  

Fui pegar meu presente que estava escondido e ela fez o mesmo, sentamos novamente no tapete perto da mesa de centro da sala, um de frente para o outro. Sua caixinha era pequena igual a minha, no meu presente era um anel de noivado com um bilhete escrito "Aceita casar comigo?" E estava ansioso para ver o que tinha em sua caixa. 

-Te amo e feliz Natal. -Disse e logo em seguida a beijei. 

A beijei de uma forma doce, calma e carinhosa. Ela colocou o seu presente no tapete e impulsionou-se em minha direção fazendo com que eu deitasse no chão e subiu no meu colo. O clima começou a esquentar, Sook rebolava no meu colo roçando nossas intimidades, gemidos saiam entre nossos lábios. Mas o clima foi interrompido. 

-Ei vamos para por aqui, se não vamos ficar horas e horas e estou curiosa. -Ela disse levantando seu tronco porém continuou em meu colo. -Quero abrir o meu primeiro tudo bem? -Assenti levantando para ficar sentado. 

-Aqui. -Dei a caixinha a ela. E enquanto ela desfazia o laço comecei a dizer. -Lembre que te amo muito e quero ficar minha vida toda com você e independente de qualquer coisa sempre vou te amar. 

-Está me deixando preocupada. -Ela sorriu nervosa e abriu, finalmente, a caixinha. Seus olhos encheram de lágrimas e com o sorriso mais iluminado e feliz que já vi em minha vida toda ela mal conseguia falar. -Sim, sim , sim. Mil vezes sim! -Se falar que não estou surpreso é mentira. Ela estava tão feliz que suas lágrimas não conseguiam tirar o brilho do seu sorriso. 

-Deixe eu colocar em você. -Peguei sua mão e o anel e coloquei em seu dedo. -Te amo. -E a beijei. 

-Toma o seu abre logo. -Ela pegou atrás dela o presente e deu em minhas mãos. 
Tirei o laço. 
Abri. 
Não acredito em meus olhos. 
Olho para ela. 
Está sorrindo e chorando novamente. 
Meu olho enche de lágrimas.
Volto a atenção para a caixa. 
Estou feliz, ansioso e muito preocupado.
Minhas lágimas caem. 

-Surpresa! -Sook falou quase em sussurro olhando para mim e quando finalmente voltei a realidade e sai dos meus pensamentos respondi. 

-Estamos grávidos? -Eu estava sorrindo e ela assentiu sorrindo. 

 

Realmente ela me mostrou o que é o amor. 

 

 

Fim?


Notas Finais


Como assim Camila? Acabou?
Sim, acabou. Não me matem ou me xinguem kkkk.

Escrevi de todo coração e estou bem feliz. Queria muito escrever uma fanfic amorzinho com o D.O porque olha, todas que eu li ou ele morre ou é do mal ou sei lá o que, então queria transmitir esse lado amorzinho dele que creio que ele tenha, e espero que tenha conseguido.
Acabei com o ponto de interrogação porque vai que em um futuro, talvez próximo, escreva mais sobre esses dois.
Então acho que é isso. Obrigada a todos que leram e aguentaram minha demora em postar, juro que não é por mal.
E já que acabei essa vou continuar com a de Oh Sehun que comecei a pouco tempo, se quiser da uma olhadinha lá.
https://spiritfanfics.com/historia/twenty-four--sehun-9625989


Beijinhos c=


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...