História Tell Me What Is Love - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Baekhyun, Baekyeol, Chanbaek, Chansoo, Chanyeol, Exo, Jongin, Kyungsoo
Exibições 26
Palavras 2.557
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia)
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


OLAR PÃEZINHOS DE QUEIJO <3
Enton, essa é a minha primeira One Shot que escrevo então se tiver ruim releva, ok? ^^
Ela também foi postada na minha conta do Wattpad (o link ta nas notas finais)
∆ Boa leitura ∆

Capítulo 1 - ו∆ What Is Love ∆•×


"Vamos terminar"


Essas tinham sido as ultimas palavras ditas a seu namorado e anos, Kyungsoo. Chanyeol não sabia o que acontecia em sua mente; namorava Kyung, mas amava Baekhyun.
No aniversário de namoro, 3 anos, Chanyeol disse duas palavras que acreditava serem as ultimas; Vamos terminar.
Kyung arrasado, correu para sua casa, com lagrimas que escorriam por seu rosto e se mesclavam com as gotas da chuva serena que caia sobre a cidade. Ele não queria mais nada. Ele apenas queria o amor de seu namorado. Ou ex.
Chanyeol por sua vez, ficou parado na chuva, pensando. Foi só quando sentiu um olhar pesado sobre si, percebeu que havia brigado com Kyung na frente da casa de Baekhyun, que olhava assustado pela janela.
Chanyeol então, caiu de joelhos no chão e se pôs a chorar, na grama fria, até que sentiu uma manta quente cair sobre seu corpo e ver o seu pequeno amado ali, o abraçando. "Venha, você irá pegar um resfriado"
O mais novo então, o fitou por alguns minutos, antes de se levantar e andar até a casa de seu amante. A culpa em seus olhos era tão visível que qualquer um que o olhasse perguntaria o que estava acontecendo. Até mesmo sua mãe, que mal falava com o menino por conta do trabalho, e das poucas vezes que falava, era para pedir que fizesse algo para ela.
"O que aconteceu fora? Eu ouvi o Kyung gritar e achei que estivesse acontecendo algo, então corri para ver o que era..." O mais velho parecia curioso em relação ao assunto, mas escolhia suas palavras com cuidado, com medo de que o mais alto desmoronasse com palavras erradas.
"Isso aconteceu... Por sua culpa... O Kyung... Me odeia agora, eu não queria que isso acontecesse, não comigo" Baek ficou confuso, não havia feito nada de errado, era amigo de infância de Kyungsoo e respeitava o seu relacionamento. Do mesmo jeito que era gentil com Chanyeol, era gentil com qualquer outra pessoa. "Eu tinha que ser sincero com ele, eu não podia apenas pedir para que o nosso relacionamento de anos acabasse de uma hora para outra, seria impossível.... Eu tive que dizer a ele..."
"Dizer o que?" O mais velho parecia muito intrigado ao assunto, mas não queria ferir mais a recente ferida do amigo, que amava, mesmo sem perceber.
"Dizer que eu te amo, Byun Baekhyun. Dizer que eu preciso dos seus lábios juntos aos meus. Dizer que eu preciso sentir o seu corpo, junto ao meu. Dizer que eu preciso de você, e não dele"

1 ano

Fazia um ano que o amor de Kyungsoo partira seu pequeno e frio coração, e um ano em que a vida de Baekhyun se iluminou. Ambos pelo mesmo motivo: Park Chanyeol.

No primeiro mês, Kyungsoo tentou suicídio. Não conseguia aceitar que o amor de sua vida havia o trocado por outro, pelo seu melhor amigo. Que sabia o que rolava entre os dois e ainda "apoiava".
Para Kyung, isso foi equivalente a uma facada nas costas. Naquele dia, desejou pela primeira vez a morte de alguém, a morte lenta e dolorosa. Era desgastante ter que acabar vendo o casal se amar quando saía para o trabalho, já que Baekhyun morava a uma quadra de distância e agora o mais alto morava com ele.
Toda manha se repetia a mesma cena quando passava pela casa do menino: Chanyeol saia de casa, Baekhyun o acompanhava até a porta e o mais alto entrava no carro para ir ao trabalho. Era o suficiente para deixar seu dia péssimo.
Nesse final de semana, seus pais haviam ido para a sua casa, o que o impediu de ficar o dia todo em sua cama ou comendo. Nesse dia, Kyungsoo ficou o tempo todo de cara fechada e apenas respondia os seus pais com respostas rápidas e secas, até que sua mãe fez uma pergunta proibida; "E como vai o seu relacionamento com o Chanyeol filho?"
Por mais que o menino não quisesse, seus olhos se encheram de lagrimas e respondeu friamente; "Não me pergunte mais sobre ele. Nós terminamos, agora ele está com Baekhyun. Não necessidade de citar ele agora"
A mãe então se calou, conhecia Baekhyun fazia anos e não esperava que ele "roubasse" o namorado de seu filho, que ate então, havia sido o melhor namorado que o garoto já teve.
Já para Baekhyun, sua tarde estava sendo perfeita: estava deitado aconchegado no peito de Chanyeol assistindo Cheese In The Trap na TV do quarto. Para eles, aqueles primeiros dois meses haviam sido as mil maravilhas, já haviam até mesmo viajado juntos e Baekhyun queria adotar uma criança. Mas Chanyeol não, e esse era o motivo de briga do casal, então pela saúde da relação, Baekhyun nem mais tocava no assunto.
Quando estava chegando ao fim do episódio, Baekhyun ouviu o maior dar um longo e lento suspiro e então, percebeu que ele havia dormido enquanto acariciava o seu cabelo.
"Ah Yeollie... Até quando você irá dormir no meio das nossas sessões de dramas?" O menino dizia calmo, para não acordar o seu amado, sorria e fazia carinho em seu cabelo. "Tudo bem você dormir agora, teve uma semana apertada e quase não dormiu... Tenha um bom sonho" O menino disse e deu um leve beijo em sua boca, apenas para não perder o costume, cobriu um pouco mais o menino e ia se levantar da cama, mas foi interrompido por Chanyeol segurando seu pulso.
"Eu por um acaso disse o quanto eu te amo hoje?''

××××××××××

Chanyeol já havia acordado e dessa vez estava sentado mesa enquanto encarava apaixonadamente o seu namorado por a mesa, e rapidamente dar alguns curtos sorrisos para o maior, que as vezes parecia uma criança tão pura como um dente-de-leão; que com um simples assopro, iria se desfazer completamente, deixando suas pequenas partes voarem por um curto período de tempo até que, aos poucos, iria descer até o chão, onde poderia sofrer de todas as maneiras.
Kyungsoo era o dente-de-leão de Chanyeol, que ingenuamente o assoprou para que pudesse ter outro, e talvez fizesse o mesmo com Baekhyun caso outro aparecesse e fosse mais tentador que o mais velho.
"Por que não podemos ter uma criança Channie?" Disse o menino cortando os devaneios do mais alto, enquanto botava com cuidado a comida no prato de seu amante.
"Meu amor, falamos sobre isso... Nós não temos como sustentar uma criança e nem ao menos temos maturidade para isso."
"Como não podemos?! Olhe para o Tao e o Kris! Ou então para Sehun e o LuHan! Eles estavam na mesma situação que estamos agora Park." Baekhyun nem ao menos olhava nos olhos do outro para dizer essas palavras, pois se olhasse, poderia voar no pescoço do garoto.
"A diferença é que o Sehun é dono de um hospital, e o Tao é modelo renomado esqueceu? Eu não passo de um mero empresário. Não tente comparar a nossa vida com a dos outros Byun. Estou indo para o quarto, perdi o apetite."
O mais velho não queria ceder, mas era impossível não apertar as próprias mãos e deixar que uma lágrima solitária escorrer pelo rosto. Desde que visitaram os primos de Chanyeol, o desejo de ter uma criança para chamar de filho havia incrivelmente aumentado, e já não era a primeira vez de que Chanyeol havia sido grosso com ele devido a esse assunto frágil, mas dessa vez Baekhyun não deixaria isso passar tão de leve. Por mais que ele amasse o menino, seria obrigado a fazer esse sacrifício.
Limpou suas lágrimas e subiu as escadas para o quarto, sem medo, abriu a porta e encontrou o mais alto deitado na cama assistindo TV e não pensou duas vezes antes de dizer;

"Saia da minha casa.
Agora, Park Chanyeol."


Chanyeol havia obedecido ao pedido de seu amor, por mais magoado que havia ficado.
Teve que partir, não havia o que dizer ou até mesmo o que fazer contra a atitude tomada pelo mais velho. A casa era dele por mais que Chanyeol morasse por um século no local.
Naquela noite, Jongin havia convencido Kyungsoo de sair de casa e ir a uma boate, já que o amigo estava deprimido e precisava animar, segundo Kai. No entanto, o menino acabou furando e só avisou quando Kyung já estava na boate. E Chanyeol também.
Tudo o que ambos faziam era ficar no bar, sentados, enchendo a cara como se todo o álcool das bebidas fosse matar todas as suas mágoas, como quando o álcool matava as bactérias em qualquer lugar.
Kyungsoo deu uma breve olhada para o seu lado, alguem havia sentado já fazia meia hora e desde então já havia tomado duas garrafas de vodka inteiras.
O menino tomou um grande ao perceber que aquele era Chanyeol e olhou em volta para ver se Baekhyun estava o acompanhando, ele estava sozinho.
Uma leve ideia se passou pela cabeça de Soo; se aproveitaria da situação para pegar o garoto de volta, mas não seria tão baixo assim, não seria covarde para fazer isso.
Vendo que o menino poderia cair no chão a qualquer momento e entrar em coma alcoólico, ele se aproximou do outro e pegou o copo de sua mão, que por acaso já estava vazio.
"Pare de beber, vai acabar caindo ai no chão e entrando em coma.''
"Eu preferia morrer, Kyungsoo."
"Por que isso agora? Até ontem você estava todo felizinho ao lado de Baekhyun..."
"Baekhyun me expulsou de casa.... Eu... Ele continuou com a historia de ter uma criança e eu acabei gritando com ele....."
O silencio então se pôs naquele bar, sendo quebrado apenas pela música alta. Não demorou muito para que eu começasse a ouvir Chanyeol começar a fungar. Ele estava chorando.
Poderia ser a melhor oportunidade que eu teria em décadas de conseguir o amor de sua vida de volta, mas tudo o que eu apenas conseguiu fazer naquela noite foi o levar para o seu antigo apartamento e o dar um banho, sem malícias, para logo depois comer um pouco e ir deitar.
"Kyungsoo" O mais alto chamou e o abraçou, já que o menor estava deitado do seu lado tentando o fazer dormir. Ele se aconchegou no pescoço do outro, já que estava encolhido na cama. "Eu senti a sua falta... Principalmente de outra coisa que fazíamos" Ele beijou o pescoço de Kyung o fazendo arrepiar da cabeça aos pés.
"Chan...."
E aconteceu. Foi tudo tão rápido que quando Kyungsoo se deu por conta, já estava deitado ofegante com Chanyeol se desfazendo dentro de si, também ofegando.


Era errado, mas ele estava amando.
Pediu desculpas mentalmente a Baekhyun, mas ele havia começado com tudo isso.


Baekhyun procurara por seu namorado a noite inteira, havia se arrependido de mandar o outro embora.
Ele havia entendido o desejo do mais novo de não ter um filho agora, mas não desistiu da criança por completo.
Baek resolveu ir no antigo apartamento, aquele que Chanyeol morava antes, quando namorava com Kyungsoo, que alias, percebeu que sentia falta do seu amigo, e tinha até mesmo pensado em fazer uma visita ao mesmo.
Ao entrar no prédio percebeu que o porteiro havia dormido e que se ele quisesse roubar qualquer coisa ali, não seria descoberto, pois não haviam câmeras de segurança.
Subiu cada lance de degrau lentamente, já que o elevador não funcionava.
Ao chegar no apartamento, tocou a campainha, mas ninguém atendeu, e só ai então se lembrou que uma vez Chanyeol lhe deu as chaves da casa para caso acontecesse algo.
O menino começou a percorrer a casa procurando pelo maior e então viu a pior cena que poderia imaginar; Chanyeol e Kyungsoo, deitados nus. Juntos.
O menino havia se sentido destruído por dentro, não esperava isso vindo do melhor amigo ou muito menos de seu namorado que até então jurava ser fiel.
Sem pensar duas vezes, saiu daquela casa, o dia estava frio então pôs o seu capuz e tentou fazer parecer que ele não havia passado ali, tirando pelo fato que quebrou todos os quadros que haviam nas estantes.
Baekhyun já andava a tanto tempo que nem sabia onde estava e talvez já tinha passado por Hongdae e nem havia percebido.
O menino poderia morrer naquele instante, já que não faria muita diferença para o mesmo.
E essa era a sua intenção andando pelo meio da estrada.
No mínimo uns cinco carros já haviam passado pelo menino o mandando sair do meio da rua e alguns até mesmo buzinando.
O dia já havia escurecido quando o menino sentiu um forte feixe de luz sobre si, e quando viu de onde era, era do carro de Chanyeol, e o mesmo o dirigia.
As coisas aconteceram em câmera lenta para o mais velho; Numa hora via Chanyeol o olhando assustado do volante do carro. No outro era arremessado ao ar por ele, e no ultimo, via o carro indo embora sem nem ao menos checar se o menino estava bem, deixando-o para morrer na estrada.
Aos poucos a visão de Baek ia escurecendo, ninguém parava para o ajudar e nem mesmo o olhavam, o deixaram para morrer, e talvez isso nem fosse uma coisa tão ruim.
Chanyeol estava coberto por culpa, havia dormido com outro numa noite e na outra tinha atropelado seu namorado.
Ele tentava esquecer o que tinha acontecido naquela estrada mas tudo o que conseguia pensar era naqueles olhinhos o olhando com desespero, momentos antes do acidente e depois ele ter saido correndo, como um covarde.
Naquela noite, dormiu repleto de culpa, e Kyungsoo também, pois sabia que o amigo tinha o visto dormindo com o seu namorado e preferiu ficar quieto, em vez de levantar e o dar uma explicação decente.
No dia seguinte, Chanyeol recebeu a pior ligação de sua vida; Baek havia sido encontrado morto na encosta, e os pais dele não o queriam no funeral, pois achavam que por culpa dele o menino ia queimar no inferno.
Quando tentou ligar para Kyungsoo ficou mais confuso que ficaria em qualquer aula de exatas, o menino apenas o dizia coisas do tipo "obrigado por ter sido a melhor parte da minha vida" e "espero que possamos nos encontrar qualquer dia desses" para apenas semanas depois, descobrir que o menino havia se matado, e isso foi como um gatilho para Chanyeol.
Começou a jogar gasolina por todo canto de sua casa, estava pronto para finalmente por um fim no próprio sofrimento.
Com apenas um fósforo, veria tudo queimar, junto com seus sentimentos, preocupações, problemas e etc.
Sua vida havia sido a todo momento como brincar de roleta russa sozinho, e ele havia finalmente perdido, a bala finalmente apareceu e ele incendiou o lugar, dando fim a si mesmo e a essa história.

Tudo o que eles apenas desejavam era justamente o amor, o amor que os três tinham, mas não souberam manipular.
O amor que Kyung tanto queria, e Chanyeol poderia o dar, mas apenas deixou que o seu melhor amigo o tomasse para que pudesse ter os seus dias de glória.
No fim, todos puderam aproveitar disso, mesmo que pouco, aproveitaram enquanto puderam, mas nem sempre podem aturar isso para sempre; a dor de ser abandonado. E então buscaram a saída mais facil, que era a morte.
Tendo então, tudo aquilo que desejavam.

Fim


Notas Finais


NHAAAAAA 💜
Espero que tenham gostado 💕
Deixem suas opiniões nos comentários para que eu possa "evoluir" na escrita futuramente ^^
Bye bye~


[Link do Whatpadd: https://goo.gl/nHtLUP ]


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...