História Tempestade de Sentimentos - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce, Another
Personagens Personagens Originais
Tags Amordoce, Do7, Drama, Nathaniel, Romance, Sweetamoris, Tempestade
Exibições 5
Palavras 562
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OBS Pertinentes ao Texto

** Texto baseado no Game dating Amor Doce; Imagens by Amor Doce e Maid Sama.

** Músicas sugeridas para acompanhar a leitura: Scars to your beautiful (Alessia Cara) e/ou Unsteady (X Ambassadors).

** Lembrando que as frases dentro de parênteses são pensamentos da Do7!

Espero que gostem!

Capítulo 1 - Nathaniel


Fanfic / Fanfiction Tempestade de Sentimentos - Capítulo 1 - Nathaniel

Nath queria me ver após as aulas, então marcamos de nos encontrar no parque. 

Cheguei 20 min antes do previsto e fui sentar em um dos bancos próximos ao lago, que já refletia uma forte tempestade se aproximando.

No momento em que o avistei a agitação do vento começou a aumentar e pequenas gotículas de chuva pairavam sobre nossas cabeças...e naquele instante eu me vi perdida, nunca imaginei sofrer por amor (no máximo sofrer para achar o bloco de notas do Lys) e mesmo assim, ali estávamos inertes à situação.

- Nath: Vamos para a lanchonete, lá nos poderemos conversar, venha, antes da tempestade piorar.

Apenas assenti com a cabeça observando a aparência cansada e triste dele, provavelmente por não aguentar mais guardar segredo sobre o nosso relacionamento.

Quando levantei para seguirmos em direção à saída do parque percebi que ele já havia tirado o blazer e o estava depositando em meus ombros...

- Do7: N...não precisa, você vai se molhar...

Antes que eu pudesse terminar a frase, ele se aproximou, colocou uma das mechas do meu cabelo atrás da minha orelha e disse com uma voz suave...

- Nath: Não se preocupe, desde que você esteja bem, eu estarei bem. 

Mais uma vez não consegui esboçar uma palavra que fosse (mas porque raios não consigo falar nada, a cada vez que tento, parece que sufoco com as palavras, ele provavelmente acha que eu estou sendo fria por algum motivo).

Andamos em silêncio por alguns minutos, apenas trocando olhares uma vez ou outra. Mas eu não podia deixar a nossa relação acabar assim, sem ao menos dar uma chance ao nosso sentimento. Me culpei por ter feito ele guardar esse segredo, da família, de todos nossos amigos, eu devia...

- Do7: Nath...(falei tão baixo que nem eu escutei direito).

- Nath: Sim Do7.

- Do7: Eu...bem...eu...

Nesse instante toda aquela tempestade que se avizinhava fez sua entrada triunfal. Ele pegou minha mão e me puxou para baixo de uma Glicínia próxima, segurou minha cintura, olhou nos meus olhos como se tentasse descobrir meus segredos mais profundos e assim que senti seus braços cincundando minha cintura não controlei as lágrimas e elas caíram copiosamente.

Ele beijou o trajeto que minhas lágrimas faziam em minha face até que nossas bocas se encontraram e com um sorriso tímido em meio a todo esse caos (que eu mesma criei)...

- Do7: Nath, eu...eu te amo!

Falei meio sem jeito, parecendo um pouco infantil por balbuciar algo que eu deveria dizer ter dito a muito tempo.

Ele me apertou contra o seu peito, estávamos tão juntos que conseguia sentir sua respiração, ouvir as batidas aceleradas do seu coração e talvez fosse para nos proteger da chuva que já entrava pelas folhas da grande árvore ou mesmo pela falta que sentíamos um do outro, depois de alguns segundos ele sussurrou no meu ouvido...

- Nath: Eu também te amo.

O mundo parou, perdi a noção do tempo. Senti como se estivesse pairando sobre as nuvens, uma leveza que só o Nath poderia me trazer. Fomos surpreendidos por flores caindo em nós por culpa do vento que jorrava chuva cada vez mais forte e balançava os galhos deixando o chão onde estávamos coberto por pequenas e delicadas flores lilás.

Faltavam alguns metros para chegarmos a lanchonete e decidimos correr o restante do percurso para não ficarmos completamente ensopados. 

CONTINUA...


Notas Finais


Esse foi meu primeiro texto gente.
Ao longo dos próximos vou aprimorando a escrita para que, cada dia fique mais fiel aos personagens e suas personalidades.

A continuação sai até o final dessa semana, talvez com outro paquera.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...