História Tempo


Escrita por: ~


Sinopse:
Era uma vez um rapaz chamado Jinhwan, que largou a sua nobilíssima vara e foi enganado pelo Tempo e por uma luzinha.

[HÉTERO | Fantasia | Jinhwan!centric]
Iniciado
Atualizada
Idioma Português
Visualizações 185
Favoritos 47
Comentários 13
Listas de Leitura 1
Palavras 9.595
Terminada Sim
Categorias IKON
Personagens Jinhwan, Personagens Originais
Tags Haru, Hetero, Jinhwan, Oracle, Takeachance, Tempo

Fanfic / Fanfiction Tempo
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Fluffy, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Lista de Capítulos

Capítulo
Palavras
1.
I - O Tempo
4
76
2.631
 
2.
II - A Luz
4
58
3.014
 
3.
III - O Sonho
5
51
3.950

Gostou da História? Compartilhe!

Comentários em Destaque

Postado por ~Batataplier-
Capítulo 2 - II - A Luz
Usuário: ~Batataplier-
Usuário
Muito bom dia, minha cara rabanete.
Como deves calcular, eu não ando com muita cabeça para comentários, mas, por ti, eu faço este esforço, por isso vamos ver o que sai daqui.

*levanta-se, limpa garganta e agarra no papel do discurso*
Como todos sabemos, a nossa querida escritora passou um tempo mau onde nada lhe surgia para escrever. O seu bloqueio artístico tornou-se grave, impedindo-a de escrever durante dias, semanas e chegando a meses. Porém, para nossa sorte, esse bloqueio deu a possibilidade à nossa (minha) querida Yumi escrever esta história. Tempo, não só fala do Tempo em si, como do pequeno (não tão pequeno assim) Jinhwan e da sua vida, tanto antes como durante o seu magnífico (aborrecido) emprego de controlador do tempo. Quando pensávamos que já tínhamos visto tudo no capítulo anterior - capítulo esse que conseguiu cativar logo o leitor desde a primeira frase -, com este capítulo vimos algo mais que palavras escritas numa tela. Apaixonada pelas artes e sonhos enigmáticos, a escritora consegue exprimir o seu amor e admiração pelas artes numa simples frase tocante, "Talvez a música fosse feita com o material dos sonhos". A definição do sonho, segundo o Jinhwan, nota-se uma certa inocência embora não tão inocente assim e é capaz de colocar um sorriso idiota na cara dos leitores, mostrando-lhes uma nova visão do sonho.

Outro aspeto que gostava de referir neste meu discurso é o facto de a curiosidade e distração do jovem Jinhwan talvez, mas só talvez, tenha sido a causa da sua morte, onde o Sol chorava numa tela branca. A forma como a escritora descreve a queda, e o infortúnio que se seguiu ao jovem de Jinhwan, foi de cortar a respiração aos mais devotos da sua escrita e deixá-los emocionados com a cena final. Com uma delicadeza tremenda, ela conseguiu embelezar uma imagem horrível da queda do protagonista desta história. A comparação que ela faz com o príncipe de Sol foi tocante. Toda aquela magia de palavras entre o vermelho e o laranja, juntando um pouco de branco, foi, sem dúvida, das mais belas descrições que eu presenciei nesta minha vida de leitora (não só do site como de livros).

Para terminar, apenas quero mostrar a minha curiosidade para o próximo capítulo, visto que o final foi bastante convidativo para uma continuação. Rezo para que o nosso querido protagonista não morra de uma forma tão banal como uma queda de uma nuvem e espero uma continuação ansiosamente, não querendo pressionar a escritora para postar o quanto antes, porque, na minha mais humilde opinião, toda a espera é compensada quando o leitor abre o novo capítulo e se entrega vivamente nas mais belas palavras, mergulhando no mais profundo mundo de fantasia que a narradora nos transporta. Quero relembrar que adorei a primeira frase no primeiro capítulo ("Era uma vez um rapaz que foi enganado pelo tempo e foi atrás de uma luzinha"), deixando-nos bem claro o que significava essa frase neste capítulo, visto que Jinhwan foi, de facto, enganado pelo tempo para ir atrás daquela luzinha - denominada de sonho. Claro que a frase final deste capítulo também foi deveras marcante, visto que completa, em parte, a frase anteriormente citada, porém contada pelo jovem Jinhwan que, quase inconsciente, teve a consciência que fora engano pelo tempo.

Posto isto, quero dizer que continuo a adorar a escrita da nossa (minha) querida Yumi-senpai, apaixonando-me cada vez mais por ela (escrita, embora que pela escritora...) e apenas lanço uma pequena questão que me perturbou desde que soube que ele estava naquele buraco há já três meses... Como raios ele faz as suas necessidades fisiológicas, mais concretamente o número um e o número dois?

Os melhores cumprimentos e larguras para a escritora, que se tornou leitora neste meu testamento maior que a minha vida, e tudo de bom para a faculdade porque eu estou a torcer por ela.
*guarda o papel no blazer e senta-se de novo*