História Ten Minutes Omegaverse - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags 19 Days, Omegaverse, Tianshan
Visualizações 456
Palavras 8.068
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ficção Científica, Lemon, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


FINALMENTE!!! PALAVRAS QUE ESTARÃO EM INGLÊS AINDA!! VOU BOTAR O QUE SÃO E RELEVEM OS ERROS PORQUE EU NÃO EDITEI PRA POSTAR MAIS RÁPIDO!!!!!! O QUE NÃO ENTENDEREM PEGUEM NO GOOGLE!!!

asshole: Idiota
Bullshit: Algum xingamento!

Boa leitura ~Parky

Capítulo 5 - 5


A adaptabilidade do ser humano é algo que muitas vezes é subestimado; Acreditamos que somos uma raça exigente e frágil, com nossas necessidades e ritmos.
A verdade é que podemos nos acostumar com tudo e o pior é que o processo é tão lento que às vezes nem percebemos isso. É inexorável, inevitável como a evolução das espécies animais.

GuanShan nunca teria esperado se acostumar com a constante emboscada de He Tian, ​​todas as manhãs antes de ir para a escola. Do seu jeito de abraçá-lo, descansando um braço sobre os ombros ou a voz no telefone, enquanto falava com ele, trancava seu quarto durante o calor, porque ele queria "mantê-lo em companhia".
Do cheiro de fumaça emanando de sua pele, tão familiar que desapareceu lentamente.

De sua maneira particular de se mover, silencioso e de uma maneira bastante austera, como a seda na seda. Ou como, antes de comer, ele sempre tomaria um momento para provar o cheiro e a visão de sua refeição.

Tudo se tornou tão familiar que GuanShan nunca soube exatamente quando ele parou de se queixar de suas atenções, empurrando-o para longe. Para insultá-lo, ele nunca teria esquecido isso ... ou luta; No entanto, o último, também, com o passar do tempo, tornou-se rotina diária. De alguma forma, ele Tian se forçou a fazer parte de sua vida cotidiana.

Foi assim que os dias, as semanas e os meses passaram.

Assim, o verão faleceu, depois o outono e finalmente chegou o inverno. Um particularmente gelado, daqueles em que você não pode sair do calor agradável dos cobertores quando as primeiras luzes do sol brilham sobre a cidade, forçando os habitantes a sair de suas camas para começar os hábitos cotidianos; Foi apenas uma dessas manhãs quando o despertador de GuanShan tocou.

Ele esticou as pernas, agarrando-as bem com o pescoço e os ombros.

Fazia muito tempo que ele pulava um dia de escola, quase certamente ele havia estabelecido um novo recorde pessoal.

Ele pressionou a testa no travesseiro, suspirando.

Não, ele simplesmente não conseguiu se levantar; Olhando através das dobras das cortinas, ele viu o céu e sua cor de plum previu um mau tempo.

"Mais uma razão para não se levantar", ele pensou, puxando os lençóis sobre sua cabeça.

Então, um pensamento veio à sua mente e de alguma forma a idéia de ir para a escola não parecia tão ruim: sua mãe. Ocultar seu calor tornou-se cada vez mais difícil ao longo dos meses, até que não fosse mais possível. Muitas ausências da escola e muitas desculpas para justificá-las. Assim, uma tarde, depois de uma dúzia de respiração profunda e encorajamento, GuanShan tirou a mãe e disse-lhe que o calor, infelizmente, se manifestava. A calma e a compaixão que sua mãe mostrou ao aprender as notícias o surpreenderam muito. Em vez disso, ela sorriu gentilmente pegando sua mão.

"Você não está ... bravo?" GuanShan perguntou a ela, não sabia se era a palavra certa. Disgustado, talvez? Ou desapontado?

"Eu sou!" Ela respondeu: "Mas não é pelo que você pensa, eu ficaria feliz em gastar todo o dinheiro em medicamentos, em vez de jogar fora todas essas lições! Mas eu sou sua mãe, eu sabia que você era um Omega mesmo antes de você nascer, eu não me importaria Meu único medo era o quanto seria para você "

"Mãe eu ..."

"Mas você era forte, muito mais do que eu. Apenas lembre-se, estou aqui"

GuanShan assentiu lentamente, sentindo uma profunda sensação de remorso. Descobriendo que seu filho tinha sido forçado a sofrer em silêncio, sem a possibilidade de fornecer como um pai deveria ter ... ela deve ter se sentido terrivelmente inútil e desamparada. GuanShan percebeu apenas que ele machucou sua mãe muito mais do que ele poderia ter imaginado. Por que ele esperou tanto tempo para falar com ela?

"Oh, certo" ele pensou "dinheiro"

A partir desse dia, um véu estranho surgiu entre ele e sua mãe. Com o menor sintoma, com o menor sinal de febre ou dores de estômago, aquela pergunta odiosa e revoltante pendia pesadamente em suas cabeças como a espada de Damocle, afundando-se num poço de hesitação e gestos desajeitados.

"Você quer que eu tome o medicamento?"

Ela perguntou uma vez, vendo-o deitado no sofá.

"O quê? Não, eu, mãe é apenas um resfriado, não é ..."

"Ah ok. Eu sinto Muito"

Por mais que ele tentasse, ele não podia mais dizer a palavra "calor" na frente de sua mãe e, para colocar tudo, ele provavelmente não teria mais feito isso.

Então, aterrorizado com a idéia de enfrentar outra conversa embaraçosa, GuanShan se forçou a se levantar, sacudindo os cobertores quentes.

Ele bocejou, colocando as mãos sobre os olhos e abrindo as cortinas. Era um dia cinzento e quase certamente chuvoso. Ele lavou-se, usava o uniforme, bebia uma xícara de chá fervendo e, antes de ir para a escola, assegurou-se de que ele tinha os supressores em sua mochila. Após a última aventura, ele se certificou de que sempre tinha duas pílulas em caso de emergência. Quando ele Tian foi para sua casa alguns meses antes durante o calor, a última coisa que ele lembrou foi sua voz do outro lado do telefone. Quando ele se recuperou algumas horas depois, ele encontrou-se vestindo apenas seu boxer na cama e com a porta da frente quebrada. Sua mãe, que poucas horas depois voltou do fim de semana em Honk Kong, ficou louca, acreditando que os ladrões haviam entrado. Não importava quantas perguntas que GuanShan lhe pediram, ele sempre era vago sobre o que realmente aconteceu

Ele acariciou o nariz, enojado, vendo o remédio sob seus livros e cadernos. Colocando o casaco e o lenço, ele saiu. Nos dias anteriores, nevando, e aqui e ali ele podia ver pilhas de neve empilhadas nos cantos das calçadas ou nas ruas, compactas e lamacentas.

"Você deveria vir na minha casa" disse-lhe He Tian na primeira queda de flocos de neve, alguns dias antes
"E por que diabos devo fazer isso?"
"Eu quero saborear algo quente"
"Eu disse-lhe que eu não sou seu pessoal pessoal!"
Ele Tian o tomou sob o braço, inclinando sua bochecha na cabeça
"Quem disse que eu estava falando sobre comida?"
"Repugnante"

Respondeu GuanShan, virando a cara.

Ele não ficou mais surpreso com as insinuações de He Tian, ​​com o tempo que ele mesmo abandonou a única idéia de levá-los a sério. Por que ele deveria? O que aconteceu foi sua falta de calor. E foi graças aos supressores que as coisas voltaram ao normal, como deveriam ter sido e sempre ter sido.

Ele expirou uma nuvem de vapor, afundando as mãos nos bolsos, quase estava na escola.

"Uh" ele pensou: "Estou quase na escola e nada aconteceu ainda ..."

"Ahhh !! Fuck! Burns !!!"
Alguém gritou na próxima esquina
"XiXi !! Desculpe!"
"Eu disse para não me empurrar !!"
"Aguarde, eu tenho uma idéia!"

Virando a esquina GuanShan viu uma cena que era ... incomum.

No meio da rua, havia Zhang Zheng Xi, segurando na mão direita um envelope de croquetas quentes e Jian Yi ... segurando o índice da mão esquerda de Zheng Xi dentro de sua boca. Os três meninos olharam um para o outro, em silêncio por alguns segundos.

"Ignore" pensou GuanShan, passando por eles como invisíveis.

"Deixe de mim, idiota!" Gritou Zheng Zheng Xi atrás dele
"Ouch", gritou Jian Yi.
"Que idiotas" pensaram GuanShan "O que há de errado com eles?"
"Red head !!" Chamou-o de Jian Yi, alcançando ele e depois caminhando ao lado dele "Ei, onde está ele Tian?"
GuanShan alargou os olhos, depois grunhiu os dentes. "Por que diabos você está me perguntando ?!"
"Você sempre anda juntos pela manhã, é porque você mora um perto do outro certo? Estou certo XiXi? >>
Zheng Xi encolheu os ombros, indiferente, comendo o café da manhã.
GuanShan enrugou sua testa "Nós não vamos a escola juntos todos os dias"
"Sim, você faz, todas as manhãs"
"Eu disse que não somos!"
"Você não notou? O que você é estúpido?"
"DIGA MAIS AO BASTARDO !!"

Antes que Jian Yi pudesse dizer mais, Zheng Xi agarrou-o pelo collet, empurrando-o lentamente "Nós vamos chegar atrasados, vamos"
Pitching de uma maneira estranha e deixando Zheng Xi arrastá-lo, Jian Yi mostrou seu dedo do meio
"Vejo você, dickhead"

"Vá se foder!", Disse GuanShan, mais do que feliz em devolver o favor.

Só porque He Tian praticamente o perseguiu, em mais de uma ocasião, não significava que ele estivesse fazendo o mesmo caminho com ele porque queria. Em suma, não havia escolha! Quantas vezes ele lhe disse para deixá-lo em paz? No final, ele parou de reclamar porque porque ...

"Porque…?"

Ele parou, pensando nisso, sem encontrar uma resposta.

Graffi la testa, nervosa, andando via. Zheng Xi e Jian Yi erano lontani e tutto il silenzio che com circulo era strano. Di solito passava quei minuti di camminare gridando contro Ele Tian o rifiutando le sue proposto assurde. Si guardò indietro e in qualche modo, non importa quanto si lottava, non si ricordava quando fosse o ultima volta che Tian non aveva camminato accanto a lui.

"Bullshits", ele suspirou, puxando seu lenço pelo nariz "Quem se importa de qualquer maneira".

Ele se forçou a continuar caminhando, mas de alguma forma seus passos estavam diminuindo.

Não havia nenhum traço de He Tian para o resto da manhã; GuanShan esperava vê-lo na porta da classe ou pelo portão de entrada que ele podia ver pelas janelas dos corredores. Em vez disso, nada.
O sino tocou, anunciando o início da recreação, GuanShan se forçou a pensar em outra coisa, não importa o que.
Alguns de seus colegas de classe pareciam ser particularmente abandonados por algumas novidades que se espalhavam pela rede. Ele se aproximou do grupo, espiando de longe.

"Olhe isso" eles estavam dizendo
"E eles o pegaram no meio da rua"
"Quem?" Perguntou a um deles.
"Uma pessoa se sentiu mal ontem"
O rapaz resmungou, encolhendo os ombros, "então, o que?"
O colega de classe sorriu, apontando o dedo na tela "Era um Omega!"
O sangue rastejou nas veias de GuanShan.
"Aparentemente, ele entrou pela primeira vez em calor e ele começou um barulho"
"Um barulho?" Apesar de GuanShan, ter ficado doente.

"Você pode imaginar? Nojento! Eles não podem ficar em sua casa se eles sabem que eles têm um problema? Eles têm esses remédios, certo?"
"Sim, eles só querem atrair atenção, perdedor pervertido"

Eles riram, mas os ouvidos de GuanShan ouviram um estranho silvo, ensurdecedor e ruidoso. Como se ele pudesse sentir seu sangue fluir rapidamente, intensamente em seu cérebro.

"Se é um fardo tão grande, eles podem ser castrados, assim como cães! Zac! Problema resolvido"

Uma parede negra caiu sobre suas pálpebras.
Ele não sabia como, mas quando reabriu os olhos, ele estava de frente para uma máquina de venda automática do pátio exterior, olhando para a escrita colorida de bebidas e lanches.
O riso de seus colegas de classe ressoou em sua cabeça como mil pratos jogados no chão.
Ele não estava com raiva, sentiu ... vazio.
Mas, é claro, era assim que o viam, como ele não percebeu isso? Essa pessoa, o cara das novidades, poderia ter sido ele. Riu, humilhado no meio do dia, entre os olhares desagradados dos transeuntes. Imerso em preconceitos, na ignorância, tratado ... como uma besta.
O mundo era assim e, como um estúpido, quase esquecia isso, costumava ser a mãe dele e ... para ele Tian, ​​que desde o primeiro momento ... desde o início seu ser era o que ele era, o seu ser Um Omega! Ele quase fazia algo natural, mesmo ... mesmo apreciado.
Ele Tian não era como eles e ...

"Ei"

GuanShan voltou a seus sentidos, interrompendo seu tremendo pensamento. Ele olhou para cima e, inclinando-se para a máquina de venda automática, havia ele Tian olhando para ele com os braços cruzados. Ele estava usando um pesado casaco preto, longo até os quadris. Sem cachecol, chapéu ou luvas. Olhando para ele, GuanShan percebeu que ele estava praticamente frio.

"De onde você vem?" Perguntou GuanShan, dando um passo para trás.
"Da minha classe, e esta é a terceira vez que eu ligo para você. E você? Você estava perdido dentro de sua cabeça vazia?"
Pissed, GuanShan clichê a língua e bateu o ombro contra ele Tian.
"Eu estava pensando sobre o quão bom é sem ter você ao redor"
Nesse ponto, GuanShan esperaria um likm de resposta
"Então você estava pensando em mim mnh ~".
Em vez disso, inesperadamente, ele sorriu. Ele colocou a mão em seu pescoço e empurrou-o suavemente, sem usar qualquer força.
"Bom para você", ele acrescentou, olhando ao redor.

Era uma resposta incomum, longe do típico "personagem" que Ele Tian criara. O homem de cabelos negros tocou seus bolsos; GuanShan conhecia esses movimentos muito bem, ele teria tirado um pacote de cigarros do bolso, tiraria um, segurou-o entre os lábios e, inclinando a cabeça, aproximava-se do isqueiro, iluminando-o. Ele fechou os olhos quando olhou para a chama para consumir o papel para tornar a cinza.

GuanShan rasgou seus lábios, irritado por algo que ele não conseguiu entender. Ele voltou para a máquina de venda automática e procurou em seus bolsos, procurando dinheiro; No entanto, antes mesmo de poder esticar uma mão, ele o precedeu, inserindo as moedas antes dele.

"Que diabos está fazendo?!"
Ele pegou uma bebida e deu a GuanShan "Take it"
"Ah ?! Eu não quero isso! Porquê >>
Ele Tian puxou a garrafa no peito, deixando-a ir e GuanShan agarrou-a rapidamente, evitando que ela caísse.
"Você deve aproveitar o máximo que puder, não feche a montanha"
GuanShan olhou primeiro para a garrafa e, novamente, ele Tian, ​​que piscou para ele.
"Você está indo a algum lugar?" Sibilou GuanShan.
"Oh ~ Você realmente se importa?"
"Aqui é" pensou GuanShan "Aqui é o costumeiro He Tian" sem perceber, ele sentiu uma estranha sensação de alívio.
"Foda-se"

Ele estremeceu, tocando no cigarro, apertando-o entre o índice eo dedo do meio. "Em breve haverá férias de inverno, depois exames, então mudaremos a escola. Depois, faculdade ou trabalho, e você conhece ... etc etc."

A ruiva franziu a testa, confusa: "O que você está tentando dizer?"
Ele Tian encolheu os ombros "Nada" ele colocou a mão no bolso, tirando o celular dele "É só isso ... as coisas vão assim, certo?"

Ele olhou para a tela, baixando os olhos. "Bem, bem", ele acrescentou "Está tão atrasado já", ele colocou seu celular em seu lugar e jogou o cigarro no chão, esfregando-o com a ponta do sapato. "Este frio é tão irritante, volto para a aula. Seja um bom garoto, ok?"

Ele virou-se e se afastou. GuanShan o encarou, perplexo. Algo estava errado, algo estava muito fora de lugar. Ele deu um passo, abrindo os lábios bem abertos.

"H-hey!" Ele gritou, engolindo enquanto ele Tian se dirigia lentamente para ele. O menino olhou nos olhos, esperando que ele continuasse.
"É-"
"Está tudo bem?" Ele queria perguntar a ele, mas algo na garganta o fazia.
"É ... vai chover", disse ele em vez disso.
Ele Tian olhou para o céu nublado, voltando para GuanShan com uma sobrancelha levantada "Você não diz, gênio".
Eles se separaram sem adicionar mais nada.
GuanShan, ainda mais irritado, pegou a garrafa e tomou um longo gole. Ele deslocou o olhar para o cigarro jogado no chão, observando que, estranhamente, metade não tinha sido consumida.

O resto das lições passaram rapidamente, e, como GuanShan havia dito, a chuva caiu para toda a cidade. Thunders, longe, anunciou um pior agravamento e por isso, assim que o sino tocou, GuanShan não perdeu um segundo, apressando-se para a saída. Muitos outros, ao contrário de ele, levaram o guarda-chuva e foram apanhados na direção da entrada e as ruas enchendo o ar de cores e vibrações.

Sem se preocupar com a chuva, GuanShan se jogou debaixo dela, olhando ao redor.

"Não!" Ele pensou, balançando a cabeça "Não pense nisso! Não pense nisso!"
Duas meninas, a poucos metros de distância dele, começaram a rir, agarrando-se ao guarda-chuva que compartilhavam
"Hoje, ele não se mostrou", suspirou um dos dois.
GuanShan abriu os olhos, incrédulo. Ele tinha sonhado com isso? Ele olhou para as meninas, reconhecendo vagamente como dois dos colegas de classe de He Tian.
Ele pegou sua mochila e tirou a bebida que He Tian o comprou, ainda meio cheia.
"Sim", disse a outra garota, "talvez ele esteja doente".
GuanShan parou no meio da rua e depois virou-se para a escola, entre o rio de meninos cansados ​​e frios que estavam em casa. Ele apertou os punhos e os lábios com raiva.
"Quem se importa!" Ele pensou: "Eu não me importo com ele!"

Ele se virou e caminhou sem olhar para trás.
Quando ele chegou em casa, ele estava completamente molhado; Sua mãe veio até ele. Ela colocou as mãos nos quadris, balançando a cabeça.
"Vá tomar um bom banho quente" ela disse a ele "Antes de você congelar até a morte"
GuanShan assentiu, sem falar uma palavra. Sua cabeça estava com um caos completo, e um mau pressentimento continuava atormentando-o, dolorosamente na parte de trás da cabeça. Quanto mais ele tentou ignorá-lo, e mais isso insistiu, machucando-o.
Ele deixou o banho e entrou no seu quarto para se vestir. Ele pegou seu telefone: sem chamada, sem mensagem. Ele moveu os dedos para o número de Ele Tian, ​​mas antes de poder pressioná-lo, jogou o telefone na cama.

"Porra!" Ele sibilou, abrindo o armário. Ele se jogou nele, para encontrar roupas limpas. Então, tirando velhos casacos e t-shirts de verão, ele encontrou em suas mãos as roupas que ele havia esquecido completamente por todo esse tempo: aqueles que ele lhe emprestaram durante o verão, naquela noite absurda.
Ele baixou de joelhos e observou-os por um longo tempo, em silêncio. Ele sentiu o pano áspero das calças e o mais macio da camisa sob a ponta dos dedos; O cheiro do apartamento de He Tian.
Ele olhou para fora: os dias tinham encurtado e, apesar de ser apenas 5h, o céu estava escuro como no meio da noite. Assaltar e ocasionalmente relâmpagos quando o trovão quebrou o céu, iluminando-o para a luz do dia.
Ele baixou os olhos, fechando-os.

"AARGH!" Ele rosnou, vestiu-se e deslizou as roupas de He Tian em uma bolsa de plástico.
"Eu sou um idiota patético", ele pensou enquanto cumprimentava sua mãe, fechando a porta atrás dele.
Ele sabia como as coisas iriam: ele batiria na porta de He Tian, ​​lançava-lhe suas roupas estúpidas, tiraria aquele sentimento irritante e depois voltaria para sua casa, para jogar alguns videogames.
"É isso", ele disse, satisfeito enquanto atravessava a rua, limpando as gotas de chuva da testa.
Os carros viraram ao lado dele, a cidade sob a chuva transformou-se em algo diferente e as luzes brilharam estranhamente, cobertas por uma camada de papel de tecido criando nuances e contrastes. Refletindo sobre o asfalto preto, eles lhe deram a impressão de andar entre dois mundos distintos e suspensos.
O ar estava frio, ardendo nos pulmões.

GuanShan correu, agora a poucos passos do lugar de He Tian.

Ele virou a esquina e, logo na frente da entrada, viu um caminhão. Ele respirou pesadamente, recuperando ar. Homens em uniformes azuis estavam armazenando nas caixas e nos móveis do caminhão ... que eram estranhamente familiares. Depois de terminar seu trabalho, esses homens fecharam a rampa do caminhão, subindo por dentro e se afastando. Havia um carro preto, estacionado à frente, muito caro. GuanShan deu alguns passos e nesse momento, as portas deslizantes do palácio escorregaram e três homens vestidos com terno preto saíram. Todos vestiam o mesmo e altos pelo menos duas cabeças sobre GuanShan.

Atrás deles, um homem estava seguindo-os. Alto, com cabelos escuros, austero e frio, como uma estátua de gelo.
GuanShan teve que piscar um par de vezes antes de perceber que esse outro homem era He Tian.

"Ei, garoto"

Uma voz por trás de GuanShan o fez estremecer: um quarto homem de preto o olhava do topo. A ruiva, atordoada, não falava, a chuva cada vez mais intensa o impregnara até os ossos.

"O que você está olhando? Perdido"

GuanShan engoliu em seco e virou-se para se concentrar em He Tian, ​​que, como viu, finalmente pareceu notar-se. Imediatamente sentiu-se aliviado, ou pelo menos no início. Onde ele estava indo com essas pessoas? Essa foi a razão pela qual ele entrou na escola? Eles o levaram e vieram despedir-se dele?
Ele, depois de vê-lo, trocou algumas palavras com seus companheiros que, depois de assentir, deixaram que ele se aproximasse dele.
GuanShan deu um passo à frente, a bolsa de plástico com as roupas de He Tian girou lentamente, batendo-o no joelho.

"Xiansheng Ele" disse o gorila atrás dele "Você conhece essa pessoa?"
Ele Tian lentamente olhou para GuanShan.
Havia algo ... assustador em seus olhos. Um véu temperamental de desprezo, ódio, geada.
"Claro. A escumalha Omega" tocou He Tian, ​​com um sorriso.
Por um momento, GuanShan pensou que não ouviu bem.
"O que você quer, mn? Você vem ela para ser paga por um serviço?"
GuanShan olhou para He Tian, ​​mas era como se estivesse olhando através de uma concha de vidro vazia, sem alma. Essas palavras ... os lábios de He Tian os disseram, mas não era o verdadeiro He Tian dizer.

Sorrindo e com as mãos no bolso, ele baixou a cabeça dele, olhando-o com desgostar
"Muito tarde", ele sussurrou, antes de acenar com a cabeça para o homem. "Vamos."
O homem acenou com a cabeça e, junto com ele, ele começou a caminhar em direção ao carro.

Qualquer um pensaria que GuanShan estava sentindo puro ódio ou raiva em relação a He Tian naquele momento, mas a realidade era que nunca, em toda a sua vida, ele se sentia calmo naquele momento. Ele não estaria chorando como uma maldita menina, ele não pediria que ele não fosse embora, ele não pediria explicações ou razões. Ele não se importava.

A situação era simples: ele tinha que se afastar, brincar, andar em casa, ir dormir e continuar sua vida como se nada tivesse acontecido até aquele momento.

Mas, maldição, quanto ele não quis fazer.

Ele deixou cair a bolsa de plástico, começou a correr e gritou, com toda a respiração na garganta

"EI! VOCÊ FILHO DE UMA CADELA !! "

Antes que ele pudesse notar isso, ele foi atingido no rosto pelo golpe de GuanShan. Os cinco homens, como caçadores de caça, atacaram o menino, imobilizando-o e jogando-o no asfalto, empurrando-o para o chão como um criminoso. Eles o pegaram pela nuca, esmagando-o em uma poça. Ele Tian, ​​com o rosto dobrado, sorriu e disse aos homens que o deixassem ir.

GuanShan, cuspindo no chão, aproximou-se dele, apontando o dedo contra ele.

"Você sabe" ele começou a dizer calmamente "Eu, amanhã, ficarei bem. Mesmo no dia seguinte e no próximo dia, e no dia seguinte." E você? "

Ele Tian sacudiu a cabeça, dando-lhe os ombros e entrando no carro.
O carro saiu silenciosamente, perdendo-se na cidade.
GuanShan ficou em seu lugar, a chuva era fria, incessante, densa. Estava batendo na pele como agulhas de gelo. Caindo na bolsa de plástico atrás dele.
Eles o envolveram como um véu cinzento, escondendo-o.
Ele não se moveu.
Ainda não, não tão cedo ... agora não.

-------------------
 Ele observou a janela do carro.
Sua bochecha estava pulsando, sua gengiva inferior estava sangrando. No dia seguinte, haveria um lívido.
Uma semana.
Com apenas essa pequena quantidade de tempo, seu pai conseguiu empacotar sua vida, antes de fazê-lo notar que sua "fuga" havia feito seu tempo e que ele era mais do que paciente. Ele teve tempo suficiente, agora era hora de levar a vida a sério, como era seu dever fazer. Uma rejeição simplesmente não foi contemplada.
Ele não se arrependeu de sua escolha, foi bom viver como uma pessoa "normal", embora apenas por três anos, ele sabia que esse dia viria mais cedo ou mais tarde.

O ruim foi ... perder isso tão rápido. Ele estava desistindo de tantas coisas. GuanShan, que tinha vindo do nada, lembrou-se de todos eles, foi o suficiente para vê-lo nos olhos. Como um rio cheio de memórias passadas e futuras, por um segundo sua cabeça foi implodida em mil fragmentos. Que mal momento! E ele tinha feito todo esse esforço para se afastar de seu apartamento, para vê-lo uma última vez. Chegando assim na frente de sua casa, mostrando-se aos homens de seu pai, não teve escolha senão fazê-lo acreditar que não havia conexão. Para distanciá-lo tão brutalmente quanto possível, usando essas palavras, foi a única solução que ele conseguiu processar no momento. Sim, não exatamente como ele teria gostado de GuanShan para lembrar dele, mas era melhor assim.

"Eu vou ficar bem", disse GuanShan. E ele Tian acreditava que ele havia superestimado a si mesmo, afinal.

Era certo, as prioridades de GuanShan eram diferentes, bem como as que teriam sido. GuanShan continuaria, com o tempo ele simplesmente se esqueceu dele; Visto na perspectiva de vinte e trinta anos, esses poucos meses se tornariam tão insignificantes, então passantes. Talvez GuanShan o tenha lembrado, associando-o com aqueles gestos que de alguma forma os vincularam, comparando-os com novos vividos em diferentes lugares, com pessoas diferentes que não eram ele. E depois? É isso mesmo, seria por lá, com um encolher de ombros, GuanShan teria escapado dessa reminiscência de sua mente, colocando em seu lugar, no canto da mente, em pó. Nada mais.

"E se você?"

Não ... ele teria pensado nisso durante o resto de sua vida, até o final de seus dias ele estaria pensando em si mesmo como um louco, covarde, verme, por não sair desse carro correndo, parecendo um idiota Olhando para as mãos como se alguém estivesse segurando-o de volta. Como se um inimigo invisível o levantasse, de sua casa, de sua vida que conseguiu pegar um pedaço ... de GuanShan.

"O que você fez?!?" Ele gritava para si mesmo, franzindo a testa com raiva "Como? Como você poderia ?!"

A fúria que ele sentira ... ele podia senti-lo correr vivo ao longo de sua pele.
Ele abriu os olhos.
Ele olhou em volta.
Ele ainda estava no carro, parou em uma luz vermelha. Inexorável e denso, a chuva caiu no telhado do carro.
Treze anos não passaram, ele não estava do outro lado do mundo! E GuanShan ainda estava lá, a poucos quarteirões de distância! Vive em sua mente como se estivesse respirando bem diante de seus olhos. Ele o lembrou ao dar uma pancada no rosto e fazê-lo perceber que este era o presente, este era o momento!

"O que diabos eu estou fazendo?!?!"

Ele abriu a porta e pouco antes de fechá-lo, ele olhou para o homem na frente dele.

"Diga ao meu velho ... Vá se foder!"

"Xiansheng ele !!" Gritou o homem, antes que a porta do carro lhe estrelasse o rosto.

Ele Tian correu rápido, com toda a força que ele tinha em seu corpo, tomando banho na chuva fria da cabeça aos pés. Parpadeando quando as grandes gotas de chuva escorriam de sua testa para as sobrancelhas, agarrando as pálpebras.
Ele continuou incansavelmente sem se ter sentido melhor ao longo de sua vida. Ele começou a rir alto, abrindo a boca bem aberto! Ele sentiu uma pressão no peito, como se estivesse prestes a explodir. Ele pulou, quase espiando entre calçadas e sebes. Feliz ... isso é, foi assim que sentiu ser muito feliz.

Ele chegou ao seu lugar e ... GuanShan não estava lá.
A estrada estava deserta, sem vestígios.
Ele procurou seu telefone, lembrando que o tinha deixado no carro.

"Foda", ele sibilou, correndo em direção à entrada. Ele ainda podia usar o telefone no apartamento, a linha telefônica não seria desligada até o dia seguinte.

Ele alcançou o elevador e apertou o botão, passando uma mão pelos cabelos dele. Ele tossiu, olhou para os corredores e ...
E lá está ele, GuanShan, inclinado de joelhos com uma bolsa de plástico nas mãos, olhando para ele.

Ele Tian aproximou-se dele: estava encharcado. Ele deve ter estado sob a chuva durante todo esse tempo, pensar sobre isso fez seu coração pular uma batida. No início, havia apenas silêncio e até mesmo aparências mais duras. GuanShan olhou para ele como se estivesse esperando que ele dissesse alguma coisa; Como se ele tivesse algo a dizer. Como se fosse sua vez de falar.

"Esqueceu algo?" Perguntou GuanShan, de repente, cansado do silêncio e das expectativas "Como suas bolas? Não é como você já as teve"
 
Ele sorriu, abaixando-se até o alto. GuanShan deve ter adivinado a sua mentira imediatamente, por isso ele ainda estava lá. Ele Tian definitivamente se superestimou

"Você me conhece tão bem, não é?"
GuanShan virou o olhar, desgastando "Mais do que eu preciso".

GuanShan levantou-se e ele Tian fez o mesmo.
A ruiva esticou uma mão, entregando a bolsa de plástico

"Estou indo embora"
Ele Tian ignorou a bolsa, mantendo os olhos fixos nos olhos de GuanShan

"Está chovendo demais", disse He Tian
"Não se preocupe"
"Você vai pegar um resfriado"
"Quem se importa?"
"Fique comigo, deve haver alguns vestidos e talvez até um guarda-chuva"

Houve um momento de silêncio, quebrado apenas pelo "ding" do elevador que finalmente desceu ao piso térreo, e as portas que se abriram, deixando um vislumbre de uma luz apagada e suave.
Ele virou-se, entrando e sabendo que GuanShan o seguiu.

Ele não havia trancado a porta antes de ir embora. No dia seguinte, a última embalagem estava planejada para o transporte, então ele não se preocupou com isso.
Não havia mais nada no apartamento. Com exceção dos móveis da cozinha e algumas caixas empilhadas e fechadas com a fita.

"Espere aqui", disse He Tian, ​​antes de desaparecer no banheiro.

GuanShan espirrou vigorosamente. Ele Tian estava, sem dúvida, planejando deixar o apartamento sem dizer nada a ninguém. Se ele não tivesse chegado a tempo, ele certamente desapareceria no nada ... ele não gostou da idéia

Ele voltou com um par de toalhas na mão.
Ele trouxe um na cabeça de GuanShan, começando a esfregar vigorosamente.

"Isso doeu, idiota!" GuanShan amaldiçoou, tentando em vão escapar.

Ele parou, segurando a toalha pressionada em seus cabelos vermelhos.

"Você veio me pegar", ele sussurrou.

GuanShan não se moveu, ele permaneceu imóvel para ver as gotas de chuva de suas roupas, seus cabelos, suas mãos, caindo lentamente no parquet.

"Você é aquele que voltou", ele respondeu.
GuanShan sabia, sabia o que aconteceria se ele tivesse olhado aquele momento. Ele Tian estava muito perto dele, apenas um suspiro; Aumentar os olhos teria significado conhecer os de He Tian e ele sabia o que ele teria feito.
Ele sabia.
Mas ele não se importava.
Ele olhou para cima, e Ele Tian deslizou a mão da toalha até a bochecha e da bochecha até a nuca. Ele se aproximou, respirando os lábios.

"Você vai me dar um soco depois disso, certo?" Sussurrou ele Tian "E me diga que você me odeia" ele o beijou, devagar "Por favor"
GuanShan não fechou os olhos, nem mesmo uma vez "Não", ele respondeu.

Ele Tian agarrou-o pela nuca, beijando-o com força e deixando a toalha escorregar dos cabelos curtos de GuanShan.
Ele empurrou-o com sua língua quente, saboreando-o, mordendo os lábios até sangrarem. Não dando a ele um único momento, ele tomaria tudo e lhe daria tudo.
Ele lambeu-o no pescoço dele, mordendo-o, acariciando-o com as mãos por suas costas, e baixou, baixou até chegar a sua bunda.

"Venha"

Ele o conduziu até a cama, puxando-o pelo braço.
Tudo o que restava da cama era o colchão; Deixado descoberto sem lençóis ou travesseiros. Ele sentou-se, deixando GuanShan na frente dele.

"Tire a roupa", ele ordenou.
GuanShan enrugou os lábios, afastando o "Não"

Ele sorriu, puxando-o pelo elástico de seus sueter e aproximando-o
"Você quer que eu faça isso?"

Uma pitada de vermelhidão apareceu nas bochechas de GuanShan, que com um gesto abrupto e mordendo os lábios, despiram-se da camisola e da camisa debaixo disso. Sua pele branca parecia iluminar-se à luz da cidade. Ele experimentou a visão durante alguns instantes antes de olhar as calças de GuanShan.

"Não pense nisso"

Ele estremeceu, agarrando-o pelo pulso e jogando-o na cama, colocando-se sobre ele. GuanShan o olhou mal, esmagando os dentes e sibilando como um gato.
Sem esperar, ele o beijou, empurrando-o, em seus lábios. Espalhando a boca com o polegar e agarrando a língua, lamber seu queixo, seu pescoço.
À medida que a chuva escorria.
GuanShan ergueu as costas inconscientemente, enquanto os lábios de He Tian deslizavam lentamente sobre sua clavícula, seu estômago ... suas calças inchadas.
GuanShan abriu os olhos, mudando-os para os de He Tian.

Os longos dedos de Tian baixaram as calças da ruiva, mas não tocaram os boxeadores, nos quais ele começou a passar a língua, seguindo o perfil do galo endurecido debaixo deles.

GuanShan respirou pesadamente de seu nariz, entrando em pânico, ele não se sentiu pronto para isso. Seu coração batia tão forte que estava certo de que de um momento para outro teria explodido em seu baú.
Ele estendeu a mão e lutou contra o prazer que ele estava lhe dando, agarrando-o pela franja, forçando-o a procurar.

"Não ..." ele sussurrou.
Ele sorriu para ele. "Você teve sua chance, cala-se agora" Ele afastou a mão de GuanShan, abrindo a boca e pegando onde ele tinha deixado, lambendo o pano, mordendo lentamente, com movimentos lentos.

A língua de Tian era quente, macia. Ele Tian puxou seus boxers, um pouco, de modo que a cabeça do galo de GuanShan era visível.
Ele começou a gostar, devagar, e GuanShan teve que brigar duro em seus lábios para conter um gemido.
"Foda", pensou ele.
Ele Tian ergue a cabeça, apenas para submergir de repente, levando seu pênis em todo seu comprimento, profundo.
GuanShan quase se engasgou, levantando os quadris, empurrando a cabeça de He Tian inconscientemente.
Ele fechou os olhos e, por um momento, sua mente ficou completamente em branco.
E então, a boca de He Tian desapareceu; Demorou um segundo para GuanShan antes que ele pudesse se perguntar onde ele poderia ter ido. Ele abriu os olhos e abaixou-os.
Ele estava sorrindo com satisfação, seus lábios molhados e inchados, assim que os olhos de GuanShan se encontraram com ele, ele tirou a língua, arrastando a forma de pã de GuanShan da base.
Ver a reação de GuanShan foi a melhor parte.
"Você ... asshole"
Ele sorriu, sugando mais e mais difícil.

O baú de GuanShan, tenso, subiu e baixou rapidamente. O calor da língua de He Tian, ​​seus movimentos ... eles estavam deixando-o louco.
"Merda, eu estou ... vou ..."
"Ainda não" He Tian sussurrou, parando "Ainda não terminamos"

GuanShan sibilou, queria gritar para não parar, mas de alguma forma não o fazia, sem saber como ele fazia.
Ele carregou a parte de trás da mão direita em seus lábios, mordendo lentamente.
Ele se levantou sobre ele, beijou-o, colocou-se entre as pernas e empurrou-se para ele.

"Olhe para mim"

Sem fôlego, GuanShan inclinou a cabeça, percebendo a ereção de Tian e empurrando o dele. O som da chuva superou todos os sons. E a iluminação, cegante, iluminou a sala refletindo sobre o rosto de He Tian:
Seus olhos eram como poços de carvão, sem fundo e sombrios.
A idéia de perder para sempre a possibilidade de se perder nesse olhar, forçou-o a apertar os joelhos, aproximando-os do quadril de He Tian.
Sua pele, ainda molhada pela chuva, buscava o calor e o toque, e a pele de He Tian queimava, em cada centímetro, como fogo.
Ele Tian, ​​ainda empurrando-se para GuanShan, levantou o tronco e afastou a camisa.
GuanShan olhou inadvertidamente por alguns segundos, ele sorriu, caindo nele e sussurrando em sua orelha.

"Gostou do que está vendo?"
Ele mordeu a orelha, lambendo-a com avidez.

"Mnm..c-feche sua boca" sibilou GuanShan
Ele estremeceu, movendo-se no pescoço "Pobre escolha de palavras"

Ele mordeu-o com força, sugando e marcando cada centímetro de pele. Dos ombros ao cofre, onde ele parou, tomando seu tempo em chupar seu mamilo direito, mordendo-o lentamente, lambendo-o novamente. Trazendo GuanShan cada vez mais ao limite.
Ele deslizou a mão direita em seus boxers brancos, molhado de chuva, úmido como o pênis de GuanShan, ereto e tremendo.
Ele esfregou-o lentamente, massageando-o com movimentos lentos e longos, abordando os pontos onde GuanShan manteve a respiração, sufocando os gemidos de prazer. Pressionando a ponta com o polegar, inchaço e molhado com precum.
Quantas vezes, há quanto tempo ele sonhou naquele momento.
GuanShan arranhou o colchão, mordendo a mão livre. Ele estava perto.
Ele acelerou os movimentos, colocando a testa no dele.

"Abra seus olhos, eu quero ver você gozando"

GuanShan sacudiu a cabeça, apertando os olhos. Então ele Tian, ​​sorrindo malignamente, parou completamente, afrouxando o aperto.
Surpreendida, GuanShan abriu os olhos, olhando fixamente para Ele Tian.
Ele grunhiu os dentes assim que viu sua expressão agradável, tentou esticar uma mão, dar o prazer que ele merecia, mas ele Tian, ​​mais rápido, agarrou-o pelos pulsos com a mão esquerda, plantando-os e imobilizando-os sobre a mão esquerda. Cabeça vermelha.

"Você é um bastardo", disse GuanShan, lutando
"Eu sou", disse He Tian, ​​mordendo o queixo "Diga-me para continuar"
"Sobre o meu cadáver!"

Ele apertou os pulsos, provocando o pau do GuanShan com a mão livre. A respiração ruiva era instável, tremendo.

"Eu tenho a noite inteira" ele sussurrou, mantendo-se para masturbar-se, apenas para parar de novo, impedindo GuanShan de vir. Ele continuou com essa tortura duas vezes, e GuanShan, à beira da loucura, logo começou a perder o sentido de direção. Ele estava quente, seu pênis implorava piedade, e seus olhos estavam borrados; Uma fenda de saliva escorregou de seus lábios e seus braços, entorpecidos, permaneceram ancorados sobre sua cabeça

"S-stop" ele murmurou, curvando as costas.
Ele Tian o lambeu no lábio inferior "Diga" sussurrou, ao seu ouvido, "Mo GuanShan", seu tom de voz era firme, inamovível.

Cansado, GuanShan engoliu em seco, curvando a bochecha na bochecha com He Tian. Ele respirou o cheiro dele, sentiu o calor e o suor em suas têmporas. Ele suspirou e baixinho sussurrou:

"Eu quero ... Gozar"

Então, ele caiu de seus pulsos, agarrando o membro de GuanShan com as duas mãos e, com as unhas de GuanShan pressionadas nos antebraços, levou-o ao orgasmo.
GuanShan não chorou, não quebrou, pelo contrário, engasgou todos os sons, jogando a cabeça para trás.
Um pouco retomou entre um espasmo e o outro, seus olhos piscaram ligeiramente, olhando para He Tian enquanto ele lambeu a palma da mão com um gesto lento enquanto o encarava.
Ele lambeu os lábios, humedeci-los antes de levantar-se.

"Aspetta qui", ordinò He Tian, ​​prima di scomparer na estroma de un'altra.

"Onde diabos devo ir?" Pensou GuanShan, aproveitando o momento para recuperar o fôlego. A tempestade ainda não se instalara, o vento soprava das janelas, batendo na parede de vidro, com violência. Ele fechou os olhos, saboreando o som, com certeza não seria tão reconfortante se ele não soubesse que ele não era o único a ouvi-lo naquele momento, naquele apartamento frio e vazio.

Ele voltou, pegando seu lugar na cama.
GuanShan tentou perguntar para onde ele tinha ido, mas antes que ele pudesse abrir a boca, ele o encontrou preso pelas mãos de He Tian e suas mãos, que lentamente o acariciaram em seus quadris, depois de costas para as bochechas.
GuanShan sentiu seus dedos deslizarem mais baixos e mais baixos em direção à entrada.

"Aguarde, espere", disse GuanShan. "O que você está?"
Ele sorriu, espalhando as pernas "Confie em mim"

O dedo de Tian, ​​frio e molhado, deslizou dentro de GuanShan, que corou até os ouvidos, assumindo o mesmo tom de cabelo

"Porra! Não não não não! S-stop! Ah! "
Ele ria, balançando a cabeça "Acalme-se! É apenas o meu índice"

GuanShan queria gritar. Foi aí que ele se foi, para obter o lubrificante.
"Pare!"
"Se eu não fizer isso, você vai se machucar!"
"Não, eu não vou!"
"Eu estou te dizendo, você vai!"
Quando sentiu o que era suposto ser o dedo do meio, GuanShan explodiu, jogando um soco na cabeça
"OMEGAS NÃO PRECISA !!!" Ele gritou com toda a respiração.

Ele se arrependeu do gesto logo que viu os olhos de He Tian abertos para surpresa.
"AARGH !!" Ele gritou, empurrando-o para longe e embaralhando de um lado, levando o antebraço nos olhos.
Como ele acabou nessa situação? Ele queria se jogar sob um carro e desaparecer em nada.
Houve alguns segundos de silêncio antes que ele pudesse sentir He Tian sobre ele com os braços nos lados da cabeça e os lábios pressionados atrás da orelha

"Não feche a montanha", ele sussurrou "Mo GuanShaaan"
"Que merda você quer?"
"Estou no meu limite"
GuanShan encolheu o braço ligeiramente, pronto para gritar com ele, mas ele continuou olhando para ele Tian, ​​vermelho em seu rosto acima dele, seus olhos estreitos, sérios. Ele o observou tirando um preservativo do bolso (o outro motivo pelo qual ele acabara de sair) e rasgá-lo com os dentes; Escorregando a mão em suas calças, abaixando-as e descobrindo seu pênis sobre o qual o preservativo escorregou. O corpo de GuanShan suavizou tudo de uma vez, e leve, ele deixou He Tian lentamente rolar ele de frente para baixo.

Shaking, GuanShan abriu as mãos nos lados do rosto. Confuso, excitado, assustado, impaciente.
Ele sentiu o cofre de He Tian em suas costas, e seu pênis, tocando-o e esfregando-se sobre ele.

"GuanShan ..." ele sussurrou. "É o que você quer, não é?" Ele escorregou, esfregando-se sobre ele, pressionando seu galo duro na entrada, empurrando ligeiramente "Este"
GuanShan engoliu em seco, empurrando a testa para o colchão. Ele ainda podia parar, poderia fugir, ele iria entender. Ele poderia fazê-lo.

Ele queria fazê-lo ...?
Ele respirou, então exalou.
Ele deslizou para trás, levantando os quadris.
Ele sorriu e se inclinou nos ouvidos de GuanShan.
Ele acariciou-o na parte de trás do pescoço, deslizando nas costas, entre os ombros e depois no peito, deitado nos quadris.
Ele se curvou, falando pelos cabelos dele.

"Lembre de respirar"
A primeira sensação de GuanShan, ao perceber que ele caiu dentro dele, era semelhante à de beber um grande gole de água fervente. Ele se sentiu tão cheio.
Ele levantou a cabeça, resmungando e amaldiçoando.
"Ah!" Ele gritou, cavando as unhas nas palmas das mãos.
Ele Tian apertou o queixo, mantendo-se deslizando para dentro, lentamente, saboreando cada centímetro.
Ele agarrou-o firmemente em seus quadris, esperando que ele se adapte a ele, ao seu formato, ao calor dele.
Ele lambeu-o de costas e falando com a orelha, chamando-o.
GuanShan estendeu a mão e ele Tian agarrou-o, amarrando os dedos.
Ele forçou-o a voltar, não suportando por mais uma vez a idéia de não poder olhar para ele na cara.
GuanShan o insultou, cobrindo o rosto com os braços.
Ele começou a se mover, com leve empuxo, ligeiramente levantando a perna esquerda, que tocou com os lábios.
GuanShan ofegou a cada pressão, a cada palavra. Grumbling.
O impulso aumentou a intensidade, ele se inclinou para GuanShan beijando-o com força.

"GuanShan" disse He Tian, ​​em seus lábios, sem parar "Se se sentir bem, aqui?"
Com um impulso mais forte, ele atingiu aquele ponto doce que fez que GuanShan resmungasse, obrigando-o a agarrar os ombros de He Tian, ​​coçando-os.
Outro impulso, no mesmo ponto, "Aqui?"
GuanShan assentiu rapidamente, balançando os olhos e tentando não derramar lágrimas.
Com o polegar dele, ele tocou seu lábio inferior, tomando essa boca sobre o dele. Ele continuava empurrando, repetidamente. Chegando no fundo, GuanShan espremendo-se por todo ele.
"Eu não posso ... Ah! Mmmn!"
"Chegando?" Disse He Tian, ​​lambendo o queixo, falando com seus lábios "Eu também"
GuanShan virou a cabeça, mostrando o pescoço dele. Ele Tian olhou para ele, aproximando-se.
"Vamos formar um Bond GuanShan ... tornar-se o meu"

GuanShan abriu os olhos. Ele o olhou intensamente, por um longo tempo, com a respiração quebrada. Seu corpo ardente e as gotas de suor que o cobrem em cada centímetro; Suas coxas, sua testa enrugada, seus cabelos pretos e molhados espalhados por sua testa como teias de ébano. A ruiva percebeu naquele momento que ele podia encará-lo por horas.
Ele agarrou Ele Tian em seu pescoço, tocando os cabelos do pescoço, aproximando-se dele e falando com a orelha.
"Você não precisa de um Bond, estúpido".
Ele Tian, ​​depois do primeiro momento de surpresa, sorriu, balançando a cabeça. E pensar que ele estava prestes a desistir de tudo isso. Que louco.
Impedi-lo, ele continuou em movimento, perdendo naquele momento com GuanShan.
Rain raged, desta vez seu som foi dominado pelo prazer de ambos. Mais e mais perdidos, cada vez mais perto do ponto de tornar-se indistinguível.
GuanShan apertou as pernas no quadril de He Tian e abriu os lábios, incapaz de segurar sua voz por mais tempo.
Mas ele o interrompeu, forçando sua boca ao redor de seus lábios, de modo que eles estavam pressionados na língua e na boca como a primeira vez; E desta vez, GuanShan permitiu que ele fizesse isso porque ele podia ouvir sua língua se mover, seus lábios desejando aqueles de He Tian, ​​que estavam procurando algo, queriam algo. Tirando algo de He Tian, ​​enquanto ele Tian tirou dele.

"He-He Tian"
"Uum ... eu sei, estou aqui"

Foi uma noite longa.
Perdendo um no corpo do outro, continuaram a completar-se perdendo a sensação do tempo.
Mesmo após a tempestade desaparecer, mesmo após as primeiras luzes do amanhecer.
Nenhum dos dois, no dia seguinte, lembraria o momento em que, exausto, adormeceram um ao lado do outro.
Ele abriu lentamente os olhos, olhando a paisagem em frente a ele. O céu estava claro. Ele não sabia exatamente a que horas eram, mas do sol no céu sabia que tinha passado meio dia durante pelo menos uma hora ou duas.
Ele estendeu os braços e suspirou. Sorrindo, ele se virou e ... ele se encontrou flanqueado por uma pilha de cobertores. Mais como um casulo do que uma pessoa, ele viu o cabelo de GuanShan espiando do topo daquela casca.
Ele nem sabia onde ele pegava todos esses lençóis. Estendeu o braço direito, esfregando os cabelos com o dorso da mão. Ele os agarrou entre o índice e o polegar, franzindo a testa.
Ele continuou por alguns minutos, até que ele riu, virando-se para um lado
"Você não é bom em fingir dormir"
As orelhas de GuanShan coraram e a ruiva se moveu imperceptivelmente.
"E como diabos você descobriu?"
"Você reprimiu sua respiração quando toquei você"
"Tze" disse GuanShan, puxando o cobertor sobre a cabeça "Bullshits"
Ele levantou-se, inclinando a testa nas costas.
"Você teria ficado muito bem sem mim?"
Silêncio.
"Tudo bem" pensou que ele Tian, ​​afastando-se "Não importa mais"
Ele abriu os seus lábios para mudar o assunto, mas GuanShan o precedeu.
"Claro", ele disse: "Eu teria estado bem hoje, amanhã e amanhã"
Ele sorriu.
"sim?"
"Claro", respondeu GuanShan.
"Ouch", pensou ele Tian, ​​afastando-se um pouco
"Mas então ..." sussurrou GuanShan "... sem qualquer motivo real, eu teria começado a perguntar: o que diabos fez aquele idiota? I, ele está bem? Será que ele voltará? E ... e sem ter Uma resposta ... eu não teria sido tão bom ".
Ele disse nada de nada, ele apenas olhou para GuanShan afundando cada vez mais em seu casulo até desaparecer. Se ele tivesse olhado para si mesmo no espelho naquele momento, ele estaria sorrindo como uma criança. Com um salto, ele saltou sobre GuanShan, esmagando-o com todo seu peso.
"Ahhrgh! Fuck!" Gritou GuanShan, lutando: "Você está me machucando, asshole! Levante-se!"
Ele Tian riu, esticando ainda mais, rolando sobre ele
"Oof!" Respirou mal GuanShan "Você é um bastardo!"
Atirando, ele tirou os lençóis, revelando o rosto de GuanShan, vermelho e corado por todo o tempo que ele estava escondido sob os cobertores. Ele o abraçou forte, de modo que não importava o quanto ele tentasse, ele não conseguia escapar disso.
"E você é meu", disse ele Tian, ​​beijando-o lentamente em seus lábios
GuanShan fechou os lábios, preso sob seu próprio abrigo
"Você é um filho da puta presunçoso"
"Mnn ~? No entanto, ontem você foi o que me disse ..."
"AHHHHHH FECHOU ACIMA ACIMA ACIMA ACIMA !!!!"
"O que? Isso enquanto eu estava pound-"
"WAAAAA !!! PARE-O ASSHOLE !! "
"Ei, pense quando faremos isso durante o calor"
"EU TE MATAREI TIAN !!"
Difícil de dizer quando GuanShan finalmente se livrou dele. Por outro lado, ele estava tão feliz naquele momento, naquela cama em seu apartamento, tão feliz que ele mal poderia pensar em deixá-lo ir.

 


Notas Finais


Não li ainda pra postar então comentem!!!!!

~Parky


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...