História Tendo uma vida agitada! - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Dakota, Debrah, Iris, Kentin, Kim, Leigh, Letícia, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Viktor Chavalier, Violette
Tags Amor Doce, Comedia, Daniel, Jogos, Luty, Namoro, Romance
Exibições 7
Palavras 954
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 21 - Revelações


Depois disso Daniel sentou aflito no chão e Viollete fui falar com ele,o que sera que aconteceu pra ele ficar assim tao desesperado. Eles ficaram sentados no funto da sala de festas do restalrante,não consegui ouvir a conversa delas mas Daniel segurava a nai dela e falava bem baixo,depois de algumas palavras ela chorou mas continuo sentada do lado dele,eu preciso refleti um pouco.

Eu sentei novamente na cadeira e comesei a pensar...Em menos de depois meses Viollete e Daniel se conheseram e começaram a namorar,Eu cai em uma pegadinha bem seria,reencontrei o meu ex namorado depois de bastante tempo,participei de um evento culinário ganhei um gatinho fofo e agora estou no restalrante temático do meu jogo de terror favorito,e meus sonhos e imagens continuam vindo cada vês mais vezes na minha cabeça.E tudo isso aconteceu com a presença do Daniel...Algumas não tem nada a ver com ele mas e bom lembrar,Sinto que ele tem algo para me contar que é muito importante mas oque eu devo fazer...Depois de um tempo estávamos quase na hora de ir embora,estava tudo arrumado parecia que todos tinham se divertido mas eu fiquei apenas sentada pensando no Daniel,eu gostei de passar um tempo com ele mas agora provavelmente só daqui a 1 ano mais o menos o tempo pra ele completar a fuculdade,este vai se o tempo que vou ficar sem velo,mas algo me dis que ele esta sendo obrigado a voutar...Mas por outro lado estou com saldades dos meus pais,as vezes eu converso com ele pelo celular ou pelo computador eles pareciam felizes eles realmente precisavam disso.
O ônibus chegou estava na hora de ir embora,todos subiam para o ônibus e o professor Faraize não perguntou nada sobre Daniel.Logo quando entramos no ônibus Willian foi embora ele me falou que voutaria 23:30 com meia hora de antecipadamento,o turno dele começa meia-noite conhecidencia.Eu sentei do lado de Rosa que persebeu que depois que Daniel falou que ia embora me deixou realmente triste.Ele esta sentado com Viollete,eu agora me pergunto se fui realmente um bom cupido.
Chegamos em casa Daniel parecia triste e apresado,nos subimos para o quarto dele que mesmo tendo mais de 20 anos ele continua colecionando saldadinho de brinquedo,agora estou me lembrando do dia em que eu e uma amiga de infância pegamos 5 saldadinhos e queimamos com o isquero,foi a primeira vez que vi o Daniel chorar,que noatalgia me sinto com 40 anos de idade agora.

"Pamella lembra quando eu te fiz aquela brincadeira... Digo...bem eu não sei por onde começar"

"Daniel o que aconteceu,por que hoje você estava tao tenso?"

"Nossos pais me chamaram de igoista,falaram que eu deveria te poupar de alucinações e sonhos acordados mas eu preciso que isso acabe,eu não aquento mais"

"O que,mas como assim"
Quando nos eramos menores,não morávamos aqui,mas isso eu conto mais tarde,estávamos em casa sozinhos,você era praticamente um bebê,eu deveria ter uns 7 anos,mamãe tinha ido ao parque junto com o papai era perto das 8:00 da noite estava escuro,nossa tia deveria esta cuidando da gente mas naquela época ela ainda tinha um pouco de sanidade e esta bem distraída com um "amiginho" dela.Eu estava tentando encinar você a falar,foi quando algo estranho apareceu na janela parecia ser uma pessoa mas era rápido de mais e seus olhos eram dourados,eu fiquei com medo e quando persebeu que estava olhando para "aquilo" ele se virou e todas as luzes se apagaram eu fiquei com muito medo então comesei a chorar,você não estava intensendo então foi em direção ao vonto que estava atrás de você,eu segurei seu braço e te abrasei,quando nossos pais chegaram eu contei para eles,os dois falaram que era coisa da minha imaginação um "amigo" imaginatio,então eu deixei para lá mas depois de um tempo eles me contaram que aquilo era un espirito que atormentava cada geração da familia,não sei de qual parente começou mas sei que agora ele me atormenta,ele sempre pula uma geração,ele nunca nem mesmo chegou perto do nosso pai mas ele falou que quando a pessoa completa 70 anos ele passa para próxima geração, mas foi no aniversário de 70 anos do nosso avô que ele cometeu Suicídio todos ficaram em choque,eu deveria ter mais ou menos 8 ou sete anos quando isso aconteceu,voce lembra da foto que eu deixei no local da pegadinha?era ele e eu.Em uma carta escreveu cada detalhe de como funcionava esse espirito e falou que era para tomar conta de mim,mas o mais estranho é ele falou que só o filho mas velho o espirito iria procurar ou ate mesmo ver o espírito, mas você também viu,eu...eu não deveria esta te contando isso mas e como si...você tivesse uma ligasao indireta com a maldição.Bem tem mais nos não morávamos aqui mas bem mais longe,a gente morava na casa onde fizemos a pegadinha com você,depois que você completou 5 anos decidimos mudar de casa,eu estava com medo de dormir sozinho e o fato de que nosso avô  se matou lá mecheu e ainda meche muito com nosso pai.Por isso da pegadinha,foi uma tentativa de que você se lembrasse um pouco sobre isso,e também a casa nunca foi património da prefeitura ou algo assim,ela até hoje pretence a nossa família,mesmo que coisas terríveis aconteceram nela ela está na família a décadas e meu pai não teve coragem de vender,mesmo com várias propostas irrecusáveis.Eu não sei como explicar o resto,mas isso está me deixando louco.Eu preciso da sua ajuda eu sei que você pode fazer algo,eu não sei ao certo o que eu devo fazer mas estou pesquisando em livros sobre isso é não tem nada que esclica isso..Mas eu encontrei um livro que meche com isso de espíritos e atormentam famílias por gerações. Por favor Pamella me ajude.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...