História Tenente-Coronel - Capítulo 14


Escrita por: ~ e ~Crowley-Sama

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Izumi Uchiha, Karin, Konan, Matsuri, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shion, TenTen Mitsashi
Tags Itasaku, Sasusaku
Exibições 356
Palavras 1.831
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


SIM PODEM DAR NA MINHA CARA. KKKKKK

SEM VIOLÊNCIA OK?! OK!

No capítulo anterior, dona La_Follia explicou que não poderia mais escrever a fanfic, então sobrou pra mim terminar a história, enfim não vou me prolongar muito, só queria dizer que este é o penúltimo capítulo.

SIM VOCÊS OUVIRAM BEM.

Como eu estou terminando o último hoje, amanhã eu posto se der tudo certo é claro.

Boa Leitura meninas♡

Capítulo 14 - Try Everything


Fanfic / Fanfiction Tenente-Coronel - Capítulo 14 - Try Everything

   (…)

   A vida é constituída por tantas coisas, as vezes boas, as vezes ruins, mas no final tudo volta a ser como antes, eu não posso mudar o que minha irmã viveu no passado, não posso mudar meu relacionamento com Itachi, não posso mudar o meu passado e todas as coisas que me levaram aonde estou no momento. Mas acima de tudo eu não posso mudar o fato de ama-lo com todas as minhas forças. Eu poderia dizer que estou dividida entre os dois, mas pela primeira vez na minha vida eu estava sendo sincera comigo mesma, não estava esperando aquele pedido da minha irmã, mas ela fez e agora estou em um impasse que pode mudar minha vida pra sempre.

  Ele não era mais o garotinho que eu havia me apaixonado desde que pus meus olhos, ele era um homem, o cara que me fez ir do céu ao inferno em questão de segundos, eu o amo? Sim, disso eu não tenho mais dúvidas. Amo seu irmão? Sim, eu também o amo, ele esteve comigo quando meu mundo parecia minúsculo e sem vida, ele que esteve comigo na minha primeira cirurgia, ele estava lá quando o outro não estava. O problema em ser humano é saber errar, mas aprender com seus erros e acima de tudo assumi-los para que possamos seguir em frente.

  Karin sofreu o inferno e eu não estava aqui por ela, era preciso ter confiança na pessoa que te amou desde o dia que soube que tinha uma "irmãzinha", mas ela preferiu guardar pra si. Me sinto horrível por isso? Sim, e provavelmente me sentirei assim até que a terra consuma meus ossos, mas foi preciso afinal ela sempre foi a mais frágil, eu era a forte, ela era a pequenina medrosa e gorduxa. Mas era minha irmã e eu sempre faria e daria tudo o que ela pedisse, talvez eu precisasse me sentir viva novamente, talvez eu só precisasse viver de novo.

  Não falei com Sasuke depois da minha conversa com Karin, eu queria ter certeza do que eu faria a partir daquele momento. Eu só queria ser sincera e viver. Itachi precisava de uma resposta, Sasuke precisava de um tapa da vida, Karin precisava se sentir segura e eu faria todos eles terem o que precisavam. – Bom dia mãe, Minato! – Sentei ao lado de mamãe ligeiramente.

   – Bom dia meu amor, dormiu bem? – Sorri fraco.

   – Sim. – Minato me encarava de canto, mas sorriu ao constatar que eu finalmente havia feito minhas escolhas.

  Minato Namikaze podia parecer calado e irrelevante naquela casa, mas ele era o único a perceber o dilema que cada um de nós vivíamos ali. Kushina vinha sempre aqui, não porque gostava da minha mãe, mas porque pela primeira vez na vida ela se sentia em casa, que tinha uma família. Meu pai se sentia culpado por ter feito minha mãe perder boa parte da vida com lamentações, mas agradecia por isso, caso contrário ambos não estariam tão felizes como agora. – O casamento já é amanhã. – Mamãe comentou pensativa. – É estranho não ter mais sua presença aqui de novo. – Toquei sua pequena e bem cuidada mão e apertei.

   – Eu sei que trabalho demais, que não ligo com frequência e que talvez não seja a melhor filha do mundo mas… – Senti seus dedos tocarem gentilmente minha boca calando-me.

   – Mas é minha filha, e eu te amo por isso. – Sorri comovida. – Posso não ser a melhor mãe do mundo Sakura, mas sou sua mãe e tudo o que eu quero é que você seje feliz, não me importa os outros, eu só quero que a minha amada filha encontre aquilo que é bom pra ela. – Sorri com lágrimas nos olhos. – Eu amo você.

Rodeei a cadeira e a abracei fortemente. – Eu amo muito a senhora. – Talvez eu precisasse daquele abraço, daquele conforto e amor que só a mãe da gente pode dar sabe?! Me apeguei aquele aconchego até derramar a primeira e última lágrima de sofrimento. – Eu vou fazer o que é certo mãe, eu fiz uma promessa que eu pretendo cumprir. – Mamãe sorriu carinhosamente e beijou o topo da minha cabeça.

   – Faça o que é preciso.

  Eu faria.


  A noite caiu cedo naquele dia, eu estava sentada no pequeno balanço da praça com meu delicioso café quente, enquanto esperava. Vi ele chegar sorrateiramente ao meu lado e sentar-se lá, calado, esperando que eu começasse a falar. – Desculpa te chamar aqui agora, mas eu preciso falar tudo o que está preso na minha garganta e depois disso você pode fazer o que quiser. – Ele nada disse, apenas me observava seriamente. – Eu te amo. – Vi um pequeno repuxar nos lábios dele quase como um sorriso, mas antes que ele o fizesse eu continuei. – Eu te amei assim que te vi naquele casaco azul escuro quando chegou ao primário, amei seu sorriso arrogante quando estava feliz com alguma coisa, amei ter me tornado sua melhor amiga e as vezes odiava, porque no fundo eu sentia ciúmes quando me confidênciava suas paqueras. – Sorri nostálgica. – Eu poderia dizer que tudo foi mais fácil quando eu fui embora, mas eu estaria mentindo ledamente. Você pode ter tido todos os motivos do mundo pra ficar com a minha irmã, eu sei pelo que ela passou, mas não acho justo você ficar com ela agora. – Ele queria responder, mas eu continuei. – Ela me pediu para não tira-lo dela, meu coração doeu Sasuke, ela é minha irmã, minha irmãzinha caçula inconsequente e maluca. Eu nunca faria nada para que ela sofresse, mas agora é preciso ter esse momento de sofrimento, para que depois ela possa viver feliz e sem arrependimentos, porque sim, ela vai se arrepender de ter ficado com você por necessidade e proteção quando perceber que não será o suficiente para que possa ser feliz.

  Ele suspirou cansado. – Eu nunca te pedir nada, mas agora eu estou pedindo olhando nos seus olhos. – Meu peito já doía por antecipação por aquilo, mas era necessário. – Termine esse casamento assim que chegar em casa, faça suas malas e vá embora. – Vi um mínimo sorriso se formar em seu rosto, mas não era por arrogância, era dor!

  Nua e crua.

   – Eu vou te amar até meu último suspiro Sakura Haruno. – Arregalei os olhos, ele levantou me deu um rápido e doloroso beijo na testa e saiu sem dizer mais nada.

  Meu peito sufocava pela dor insuportável que se instalou lá. Eu fiz o que era necessário, agora era aguentar a dor, as acusações da minha irmã contra mim e encarar finalmente meu tão incompreensível e incerto destino.


  Eu não consegui dormir aquela noite, ninguém dormiu aliás. Sasuke fez o que eu pedi, terminou tudo com minha irmã e foi embora sem dizer adeus a ninguém, Karin gritou, chorou e no fim se calou inconformada com aquele fim sem explicações. No dia seguinte, ela me disse coisas horríveis, eu ouvi tudo calada sem dizer nada, eu sabia que ela estava com ódio e eu não queria enfurece-la mais ainda.

  O dia passou dolorosamente lento, Kushina, minha mãe e os outros passaram a manhã ligando para os convidados pra cancelarem o casamento. Ino disse que nunca me entenderia, mas que estaria lá caso eu precisasse de um ombro amigo. Naruto e Hinata passaram a manhã com Karin tentando anima-la, eu me sentia horrível, mas precisava fazer a última coisa antes de tomar meu rumo.

  Eu resolvi não prolongar mais minha ida, dois dias depois eu embarquei de volta a New Orleans, não quis me despedir de ninguém, apenas saí no meio da noite deixando um bilhete dizendo que já estava voltando pra casa, ou nem tão minha assim. Desembarquei duas horas depois, e para minha surpresa Tenten e Neji me esperavam no portão de desembarque com seus sorrisos acolhedores.

  Abracei os dois como se o mundo dependesse daquilo, Tenten me confortou, enquanto Neji pegava minhas malas e levava para o carro. Acabei passando dois dias na casa deles me preparando para ter aquela conversa com Itachi. – Ele perguntou se você estava bem. – Tenten sempre falava o quanto Itachi estava mal por tudo, o que só me deixava pior ainda pelo que eu ia fazer.

  Sem muitas delongas o dia finalmente havia chegado. Encarava a fachada do prédio onde morávamos com certa nostalgia e tristeza, tínhamos vivido muita coisa junto ali. – Senhorita Haruno, quanto tempo. - Ibiki nosso porteiro comentou alegre por me ver de volta.

   – Bom dia Senhor Ibiki. – Ele sorriu carinhosamente e me deu as chaves do o apartamento.

  O trajeto no elevador nunca me pareceu mais lento. As portas do elevador se abriram, ele já estava lá me esperando pacientemente na soleira da porta. – Oi. – Sorri fraco, enquanto ele me dava passagem para entrarmos no lugar. – Fiquei sabendo do ocorrido.

   – Não quero falar sobre isso, eu vim aqui para falarmos sobre nós. – Ele ascentiu e sentou no sofá sendo acompanhado por mim. – Tenten me disse que estava preocupado comigo. – Comecei suave. – Itachi eu…

   – Já sei o que você vai me dizer Sakura, e sinceramente eu já senti muita pena de mim mesmo por isso, tentei cogitar a hipótese de não me importar, mas não funcionou porque querendo ou não, eu me importo com essa merda toda. – Suspirei cansada.

   – Não vou dizer coisas para conforta - lo nem nada disso, porque eu sei que você me odiaria por isso. – Ele nada disse. – Eu estranhamente amo vocês dois, mas não posso ficar com nenhum. Eu estou indo embora pra outro país Itachi, aceitei finalmente a proposta da minha madrinha para trabalhar com ela na Austrália por três anos.

   – Você está jogando a vida que nós começamos fora Sakura, você fez o que era certo lá, mas não faça o errado aqui. – Itachi pegou minhas mãos tentando me prender a ele. – Eu amo você, e você me ama o que falta?

   – Paixão. – Sorri minimamente. – Eu te amo Itachi, mas não estou apaixonada por você. – Ele abaixou a cabeça sob meu colo e se calou por alguns minutos.

   – Promete que vai ficar bem? Que vai me ligar? – Sorri com lágrimas nos olhos.

   – Você merece mais do que a metade de uma mulher Itachi, você merece uma que esteja aqui de corpo e alma. – Apontei para o seu coração. – Eu prometo manter contato, não vou sumir nem nada só preciso recomeçar e você também. – Ele me levantou e me abraçou fortemente.

   – Você é a mulher mais forte e incrível que eu já conheci, espero que possa ser realmente feliz. – Beijou minha testa carinhosamente. – É o que eu desejo pra todos nós. 

  Finalmente eu podia recomeçar.

               Três anos depois...


Notas Finais


Sentem a pressão da bagaça. Kkkkkkk

Morram de curiosidade. ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...