História Tênue - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens Jackson, Mark
Tags Markson
Exibições 50
Palavras 1.886
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Slash, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpa pela demora, apenas demorei mesmo.
Não irei largar a fanfic, então...
DESCULPAS T.T

Capítulo 2 - Hic et Nunc, aqui e agora.


Domingo, o dia santo em que todos do grupo por incrível que pareça, apenas queriam descansar e por mais incrível que fosse o cansaço, ir se divertir com algumas garotas. Precisavam relaxar de vez em quando, apenas era difícil encontrar garotas que não saíssem contando ao mundo que transaram com um Idol. Teriam que ter preparado tudo, dias em antes, porém nesses “dias em antes”, estiveram mais ocupados que um deputado ou um advogado, então naquele domingo apenas ficariam em casa relaxando, talvez saíssem e talvez até iriam para a casa dos pais caso eles morassem na mesma cidade. Mas não moravam. Principalmente os pais dos três integrantes estrangeiros.

De repente.

Jackson e Mark saem do quarto. Os dois com uma expressão nada relaxada.

__Mark... não me deixa aqui falando sozinho.

__Porra Jackson... me solta – Mark estava com uma expressão séria – Desculpa não ter contado, é só que... não dava cara.

Os membros olharam com uma cara de “O quê?”.

__O que aconteceu? – JaeBum olhava eles com um olhar sério – Vamos, podem parar de briguinhas. Hoje não.

A atenção estava voltada para o ex-esgrimista que estava com uma cara emburrada e a princesa de cabelos com um rosa já saindo e deixando transparecer o loiro.

Mark decidiu tomar uma decisão. Pegou a mão do colega, levou para dentro quarto, inspirou, fechou os olhos e a porta também, e disse:

__Olha, eu queria ter contado, mas apenas não consegui, você sabe que eu não sou de falar sobre problemas pessoais e quando eu tive que avisar JaeBum sobre o fato de eu ter que sair algumas vezes, para ele encobrir onde eu estava indo, foi estranho pra mim.

__Isso não é novidade, você praticamente mal fala e anda falando menos ultimamente, eu estou preocupado! Poderia ter contado pra mim, somos colegas de quarto, somos amigos Mark. – Jackson olhava para o outro com uma face que expressava ofensa – Por que não me contou que estava passando por uma fase difícil e estava tendo de tomar remédios? Olhe! Três caixas de remédios para transtornos mentais. Que porra é essa Mark? Somos amigos ou não?

Mark estava começando a ficar estressado, ansioso e com medo. Não poderia ter uma crise ali. As lágrimas queriam escapar pelo rosto.

Abriu o guarda roupa, pegou uma camiseta e um casaco, uma calça, deu mais alguns passos, abriu a gaveta que estava repleta de acessórios seu e de seu colega e pegou uma touca.

__Vamos sair. Quem sabe uma praça ou alguma coisa? – Ele não conseguia olhar nos olhos de Jackson – Por favor. Aqui não.

Jackson pensou um pouco, suas bochechas queimavam e provavelmente estariam incrivelmente vermelhas.

__Tudo bem Mark.

Pegou uma camiseta, touca, calça, botas, um casaco, um óculos e uma máscara que havia ganhado recentemente de uma fã em um fanservice. Ele guardava muitas coisas que havia ganhado e gostado, a maioria das coisas naquele cômodo eram suas.

Após os dois estarem arrumados, saíram do quarto até que Jackson reparou que faltava algo em seu amigo.

__Sua máscara e as carteiras. Pega a minha também por favor. Mesmo lugar de sempre.

Mark lembrou que havia esquecido, deu alguns passos corridos e apressados. Pegou alguma máscara que agradasse dentro da cômoda repleta de coisas desarrumadas, abriu uma última gaveta e pegou a carteira do amigo, foi até seu guarda roupa e pegou a sua, voltou a sala de estar para dizer que estava saindo.

__Estou saindo, se cuidem. – Deu uma olhada para JaeBum que naquele momento estava concentrado em abrir um pacote de biscoitos – Tchau pessoal, não nos esperem para o almoço.

Saíram pela porta dos fundos.

__Onde vamos?

__Loja de conveniência, compramos café e alguns biscoitos e vamos andar um pouco. – Jackson fitava uma árvore que continha belas flores ao seu redor – Se quiser começar a contar...

Mark dava alguns lentos passos enquanto olhava para o céu, estava pensando se não tropeçaria e cairia, estava frio. Jackson riria dele. Talvez pudessem adiar a conversa. No final das contas, nem era tão grave assim. Para ele não era tão grave assim, e para Jackson que lhe tratava como um irmão? “Irmão... apenas, não?”.

__Vamos comer primeiro?

Andaram mais um pouco e logo em seguida a porta fez um barulhinho e dava-se de perceber que novos clientes haviam chegado ao estabelecimento. Uma mulher sentada no balcão. Mark pensou que ela deveria dar mais atenção aos clientes, pois a mesma estava sentada e olhando uma revista que por um vislumbre, achou ter visto cosméticos. Jackson foi até prateleira de biscoitos e salgadinhos, pegou um pacote que ele nunca havia visto, era mais caro que os demais, deveria ser uma marca nova e boa, pegou dois pacotes, queria provar. Procurou Mark e quando o achou com olhos, o mesmo estava lhe fitando. Mark procurou se locomover logo em seguida. Iria pegar café. Queria um bom café quente, só teriam gelado no momento. Pegou dois cafés gelado e duas latas de refrigerantes. “Será que conseguiremos tomar tudo? ... que seja”. Jackson logo foi de encontro a Mark e disse que já havia pegado tudo.

__Vamos ir pagar? Você ou eu? – Apenas um olhar e Mark já havia entendido – Am?

__Eu, você pagou da última vez.

Jackson foi tratando de sair do estabelecimento enquanto Mark tratava de pagar. Perto do lugar havia bancos, os dias estavam frios, aquele dia principalmente, não havia mais folhas na árvore que ficava ao lado do banco, mesmo assim, achou uma cena bonita. Andou até o banco e se sentou, Mark estava saindo da loja de conveniência com mais alguma coisa que ele distinguiu ser algum doce pela embalagem marrom. Chocolate? Provavelmente.

Mark se sentou ao seu lado, viu a embalagem, achou curioso nunca ter visto aquela embalagem, olhou para Jackson.

__É uma marca nova pelo jeito – Jackson estava tomando o café e olhando para Mark – Então, vai contar?

__Tudo bem... – Mark pensou em como começar, nem sabia quando que tudo havia iniciado – É meio longo e eu não sei como te contar...

__Tudo bem, temos salgadinhos e bebidas o suficiente, pode demorar o quanto quiser.

Jackson estava mais sério que o normal, mesmo assim a voz não saía ríspida ou mesmo com um tom de ordem.

__Acho que eu só percebi que estava mais triste que o normal quando pensei seriamente em deixar a carreira de cantor, deixar meus luxos e enfim, viver uma vida normal, não parece bom? Depois eu comecei a me achar insuficiente, não adequado pra minha carreira, todos vocês parecem tão bons, tão mais esforçados e merecedores e eu me sentia como alguém que nunca chegaria ao nível desejado. Não me sinto o suficiente...

Silêncio. Bebericadas no café.

__Então eu comecei a ficar absurdamente arrasado, shows, entrevistas, práticas de coreografias novas por horas afinco, regime, publicidade, viagens. Tudo pareceu tão consumidor...

__É consumidor Mark. Isso nos consome, é assim que é. Desejamos ser cantores, ter fama, reconhecimento, amor de fãs e mais fãs e pra isso temos que pagar um preço que não é tão barato. Consome sim Mark. Acha que eu não percebi? – Jackson olhava para os prédios que se encontravam atrás da loja de conveniência, ela ficava perto de uma praça e um parque – Você comendo menos, se desgastando mais, seu estresse aumentando, sua paciência consigo mesmo diminuindo. Fiquei preocupado porém achei que fossem apenas alguns dias ruins pra você, não imaginei que estive tão abalado psicologicamente que tivesse que passar por psicóloga e tomar três caixas de remédios.

Ele é realmente gentil... muito gentil, se preocupando comigo. Oh Deus, obrigada...

__Desculpe não ter contado pra você, apenas achei que todos nós estávamos ocupados demais, você anda se esforçando bastante e não achei que deveria te contar isso, desculpe. Por favor...

Jackson percebeu que Mark não iria conseguir colocar suas dores todas para fora, mas conseguiu percebeu o olhar fundo, os olhos castanhos com menos brilho que qualquer outro dia. Mark estava machucado. Por dentro. Seu psicológico estava abalado. Jackson podia ser muito brincalhão e sorridente, porém já havia se cobrado muito, não era à toa que o mesmo tinha conseguido as medalhas de esgrimista. Sabia o quanto doía, sabia o quanto machucava. Já havia sentindo. Então mesmo que fosse todo brincalhão, orgulhoso de si, mandão muitas vezes, sempre estava pronto pra ser gentil, fazer uma brincadeira, distribuir um beijo, um abraço e quando precisava de um carinho, um conselho, ia atrás dos membros, da mãe ou do pai para pedir conselhos ou amor, como um gato querendo carinho. Não era forte o tempo todo, mas no tempo que se permanecia forte era o Jackson animado, feliz e provocativo.

__Eu sei como é isso Mark. Dói pra porra. Machuca sem dó, muito menos piedade. – Tomava o refrigerante e discretamente olhava Mark que parecia querer chorar – Vem cá, deixa eu te dizer algo.

Jackson estava sorridente e acolhedor, Mark pensou que ele realmente fosse dizer algo e já imaginava que seria algo com duplo sentido ou mesmo nem diria nada, faria cócegas. Porém não. Mark chegou perto.

__O que é?

Mark foi pego de surpresa. Um abraço, um abraço gostoso, um abraço com aquele sentimento de vai ficar tudo bem... um abraço que Mark estava precisando há algum tempo.

“Não... por favor, agora não, chorar não.

Por favor mundo...”

E as lágrimas escorreram... Jackson apertava ele cada vez mais, e disse:

__Quando quiser desabafar, pode falar comigo. Eu vou estar aqui, eu amo você. Somos amigos ou não somos?

__Somos... – A voz saía em um tom baixinho e parecia um bichinho assustado pela primeira vez recebendo um carinho – Também amo você...

Mais algumas lágrimas. Como qualquer abraço, aquele foi acabando e automaticamente Jackson passou a mão pela cabeça do amigo e disse:

__Me conte, certo?

__Certo...

__Irei jogar as embalagens, já volto.

Mark só conseguia pensar em como a vida naquele momento estava sendo boa consigo. Podia não ser feliz, mas estava muito feliz, alguém tinha dado o que realmente precisava. Perdido em mais alguns pensamentos não percebeu que Jackson se aproximava e falava com ele.

__Vamos indo? – A voz de Jackson estava se aproximando – Ei, Mark?

Puf.

__Oi? – Jackson soltou um riso anasalado – Ir? Ah, sim.

__Onde quer ir? Aliás, quer ir pra algum lugar ou voltar pra casa?

__Vamos voltar?

__Você disse que não era pros garotos nos esperarem, e agora? Onde comeremos?

__Nossa... verdade.

__Meu Deus, que cabeça oca você. Irei ligar pra eles. Quero passar fome não, se você quiser, só me diga que te largo aqui.

__Credo, você acabou de comer. Certeza que não é verme?

__Uhhhrg, que nojo Mark...

Mark riu.

Estava se sentindo bem.

__Obrigada.

__Oi?

__Obrigada Jackson, obrigada mesmo...

Jackson não soube bem o que dizer naquela hora. Os olhos de Mark lhe fitavam com um calor humano incrível, Mark parecia tão bonito naquele momento. O castanho de seus olhos, as bochechas vermelhas, o cabelo bagunçado. Mark era bonito. Nunca havia reparado nisso. Sorriu.

__Não foi nada.

O dia estava bonito, era quase 10:30 da manhã, o Sol ainda não havia aparecido por ali, mesmo que estivesse em algum lugar do universo, as nuvens o cobriam e para Mark o dia estava muito bonito. Ele estava sentado no banco e observava Jackson no telefone. Ele estava desligando. Andando lentamente até Mark. A boca estava se abrindo para dizer algo.

__Vamos pra casa?

__Vamos.

O dia estava muito bonito.

~


Notas Finais


Lembrando que cada título tem o seu significado, por exemplo "Alter Ego, o outro eu", "Alter Ego" expressão em Latim e "O outro eu" é a tradução.
Muito obrigada mesmo por ler!
Voltem, por favorzinho hihi (> ¬ 3¬)>
i love u <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...